9.4.13

esta coisa do só gostar de quem gosta de nós


Existem pessoas que passam a vida a apregoar que só gostam de quem gosta delas. Eu não acredito nisto. Aliás, acho que quem diz isto na realidade gosta de alguém que não gosta de si. Dizer isto de forma frequente não passa de uma defesa verbal que tenta iludir o cérebro da realidade. E essa realidade é comandada pelo coração, que não aceita ordens de ninguém.

Já gostei de muitas pessoas que não gostavam de mim. Já gostei de pessoas que nem sabem que existo. Já gostei de pessoas que não prestam para nada. Até já gostei de pessoas que não deixava que se aproximassem de mim por serem nefastas para a minha vida. E tem sido assim ao longo de boa parte da minha vida. E isto aplica-se a uma relação amorosa. Tal como se aplica a uma relação de amizade ou mesmo profissional.

Isto que acabei de referir acontece porque o coração quer. É ele que nos leva a gostar de alguém. Sem que exista poder para guiar o mesmo. O que muitos de nós fazem, de forma errada, é iludir o coração. É mandar achas para uma fogueira que deveria ser extinta. E, no meu entender, isto é que é algo que pode ser controlado por nós. Mas acabamos por nos deixar levar num mar de ilusões.

Além disso, acho que seria uma seca gostar apenas das pessoas certas. Não imagino ninguém a dizer que ao longo da vida só gostou de pessoas que gostavam de si. Até porque, se assim for, essas pessoas desconhecem o significado da conquista. Seja ela qual for. Não conhecem a sensação de prazer que é sentir que se está a conquistar alguém que até nem nos ligava muito. Nem aprenderam/cresceram com a dor da rejeição. São uma espécie de robots formatados para o simples e limitado.

Por isso, quanto a mim, irei continuar a gostar de quem o meu coração disser para eu gostar. E prefiro isso, com tudo aquilo de bom ou mau que possa causar, a viver numa linha recta sem qualquer emoção onde tudo é controlado por mim. Isso seria retirar encanto à vida. E mal da pessoa que acha que controla tudo na vida. Porque, mais cedo ou mais tarde, irá perceber que isso não passa de uma ilusão.

45 comentários:

  1. O gostar não é um sentimento racional...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não... senão eu não gostava de ti :P

      Eliminar
    2. Concordo contigo. Não é racional nem ninguém o consegue dominar.

      Eliminar
  2. O pior é quando tentas manobrar o coração, quando insistes para não gostares da pessoa, e ele teima em dar hipóteses atrás de hipóteses, estou-me a referir a questões de amizade, que preferia não ter, ando já à mais de 12 anos, a fazer a vontade ao coração, quando sei que a razão é que é a correta. De cada vez que me desiludo, prometo ser a última, como é o caso agora neste preciso momento, quase que te prometia que não ía voltar a desiludir-me, mas deve ser só mais uma vez... quando é que eu aprendo????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso já é diferente. Nesse caso acho que te deixas levar por uma ilusão que consegues controlar. É certo que não mandas no coração. Mas após inúmeras desilusões tens de ganhar o poder de dizer não. Espero que me percebas.

      Eliminar
    2. Sim, claro que entendo, mas neste preciso momento (como já aconteceu noutros), digo-te francamente que não quero uma amizade assim, mas amanhã não sei :'(

      Oh feitiozinho de m**** o meu

      Eliminar
    3. Feitiozinho bom. Acredito que vais aprender :)

      Eliminar
  3. No meu coração quem manda sou eu e a minha racionalidade, por isso sempre assim foi e continua a ser de só gostar de quem gosta de mim.
    Facilmente passava à frente quando não era correspondida.
    E sempre incuti essa forma de estar às minhas filhas para evitar que sofram por amor.
    Não as quero ver sofrer por quem não as quer, nada de sermos masoquistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas se não eras correspondida estavas a gostar de quem não gosta de ti. Ou não?

      Sofrer por amor é uma experiência que todos devemos viver. Até porque também nos ensina o que é verdadeiramente amar alguém. O que é importante é saber aprender a lidar com a dor e com a rejeição de uma forma que não passe por caixas de chocolates, um sofá e o pensamento de que somos os piores do mundo.

      Eliminar
  4. Ai homem sem blogue,estava mesmo à espera que alguém partilhasse esta experiência do gostar quem gosta de nós.Senti-me muito aliviada ao ler o segundo parágrafo,admiro a tua coragem de gostares de vários tipos de pessoas.Destaco esta expressão:"acho que seria uma seca gostar apenas das pessoas certas.Até porque, se assim for, essas pessoas desconhecem o significado da conquista. Seja ela qual for.Nem aprenderam/cresceram com a dor da rejeição. São uma espécie de robots formatados para o simples e limitado."
    Estou plenamente de acordo com esta última frase,é uma lição que serve a muita gente!

    ResponderEliminar
  5. O coração tem razões que a própria razão desconhece é de facto o primeiro músculo que reage às emoções. Funciona independente da nossa vontade ou razão. Quando se faz ouvir, ficamos sem fôlego e experimentamos fortes sensações que nem conseguimos ouvir os pensamentos. Ninguém o controla, ele é senhor se si próprio. E não concordo em nada, quando dizem que só gostamos de pessoas que não gostam de nós. Quantas vezes acontece entre duas pessoas que nada dizem um ao outro e de repente o coração lhes prega uma partida e descobrem algo maravilhoso entre os dois e permitem voar para onde o coração os manda. Mal de nós, se ele não se fizesse sentir, seja com algo belo ou doloroso. Infinitas são as possibilidades com corações marcados e doridos, mas não destruídos e há sempre cura e bálsamo. Concordo quando dizes “com tudo aquilo de bom ou mau que possa causar”, e diante disto que se viva a vida com intensidade, caminhando e olhando em frente. Passando por cima das pedras e vencendo em conjunto os obstáculos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que eu disse é que não acredito que só se goste de pessoas que gostam de nós. Eu acho normal gostar de pessoas que não gostam de nós.

      Eliminar
  6. «Dizer isto de forma frequente não passa de uma defesa verbal que tenta iludir o cérebro da realidade.» tão verdade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que acho. Sabemos que gostamos de alguém que não nos liga nenhuma mas sentimos a necessidade de dizer ao mundo que só gostamos de quem gosta de nós.

      Eliminar
  7. Concordo a 100% com o que escreveste. Até porque as próprias experiências negativas ajudam-nos a crescer e a ajustar perspectivas, o que também é importante. Ninguém agrada a gregos e a troianos e também é importante saber lidar com a rejeição, até porque no próprio dia-a-dia as coisas não correm sempre como queremos.

    Eu sou pessoa de me deixar guiar pelas emoções. Isso trouxe-me coisas boas e más, mas não me arrependo de nenhuma porque considero que me ajudam a ser uma pessoa melhor.

    ResponderEliminar
  8. Era bom que o nosso coração tivesse um GPS quanto às pessoas que poderíamos ou não gostar.
    Mas também te digo, quem acerta à primeira, pouco ou nada aprende. Quando tudo se acerta na primeira tentativa, nunca se aprende a erguer do chão.
    Eu já gostei de muitas pessoas erradas e o bom disso é o que a vida nos ensina. Mesmo essas que não gostam de nós, ensinam-nos, tantas vezes a aprender a gostar ainda mais, de nós mesmos.

    ResponderEliminar
  9. disseste tudo!realmente se só gostássemos das pessoas certas não fazia sentido, temos de conhecer mau para saber apreciar o bom, temos de descobrir! e nós estamos sempre aprender no meio das relações [amizade ou não]

    ResponderEliminar
  10. Eu cá gosto de toda a gente até prova do contrario!
    Mas ñ quero q toda a gente goste de mim! Quero apenas que "quem venha, venha por bem"!

    ResponderEliminar
  11. desta vez não estou de acordo contigo! =)

    penso que é possível sentir o gosto da conquista quando se gosta de alguém a quem somos indiferentes, que não nos presta muita atenção ou que não nos conhece bem e que, pelo nosso interesse e investimento emocional, muda os seus sentimentos em relação a nós.

    já gostar de alguém que não gosta de nós é completamente diferente, até porque quando se sente algum tipo de animosidade da outra parte, a tendência natural é para nos afastarmos e nem haver tempo para começar a gostar.

    no meu caso, posso dizer-te que sou uma dessas pessoas que só gosta de quem gosta de mim. e penso que isso se deve muito ao meu feitio de pé atrás, que faz com que os meus sentimentos sejam de evolução muito lenta e dessa forma, é já muito depois de a pessoas gostarem de mim que eu começo a gostar delas.

    se isso faz de mim uma pessoa mais sozinha? talvez, porque as pessoas que entram no meu mundo são em número muito reduzido mas também me poupa bastantes desilusões, por isso o balanço acaba por ser positivo.

    já no que diz respeito a apenas gostar das pessoas certas, é um aspecto muito mais complicado. porque por vezes nós gostamos da pessoa e até somos retribuídos, mas só isso não chega! se os feitios não são compatíveis não há gostar que se aguente, seja no trabalho, na amizade ou no amor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que eu disse é que quem só gosta de pessoas que gostam de si desconhece o significado de uma conquista.

      Eu acho que a animosidade atrai muitas pessoas. Há pessoas, por mais estranho que seja, que adoram ser maltratadas. E isso explica que voltem sempre para quem as(os) usa.

      Consegues explicar-me como se gosta apenas de quem gosta de nós? Como controlas o coração? Fiquei curioso :)

      Eliminar
  12. é verdade sim senhora! todos gostamos de pessoas que não gostam de nós ainda que queiramos que isso não aconteça e estejamos constantemente a dizer que isso não acontece. é como tu dizes uma espécie de mecanismo de defesa. agora o que eu acho é que num certo ponto a mente, e refiro-me aos casos claros em que é nefasto para nós gostarmos de alguém que não se preocupa minimamente connosco, tem de se sobrepor ao coração e dar-lhe tempo que elecom o tempo acaba por aceitar e esquecer.

    ResponderEliminar
  13. mesmo.
    se pudéssemos escolher gostar só de quem gosta de nós, seria muito mais fácil...

    ResponderEliminar
  14. Queria gostar de alguém que também gostasse de mim. Mas acho que me tem faltado um Danoninho de sorte. Espero continuar a acreditar no amor e não acabar dentro de um bolha Actimel :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que nunca deixes de acreditar no amor. Nenhuma desilusão pode ter esse poder :)

      beijos

      Eliminar
  15. Gostei tanto deste teu texto :) Não mandamos em nada, não controlamos nada... gostamos porque sim, gostamos simplesmente :)

    ResponderEliminar
  16. Como já alguém dizia....no coração não se manda...ele encarrega-se de fazer escolas...umas mais acertadas que outras :)

    ResponderEliminar
  17. O meu amigo "Ducky" tem algo para partilhar contigo HsB:

    1-"Existem pessoas que passam a vida a apregoar que só gostam de quem gosta delas", eu gosto imenso de mim, mas ja o gajo do outro lado do espelho nao parece partilhar da mesma alegria smp q m ve!

    2-"Já gostei de pessoas que nem sabem que existo.", nisto concordo a 100%...mas um dia a Angelina Jolie vai saber quem eu sou;

    3- "acho que seria uma seca gostar apenas das pessoas certas", concordo ctg e é por isso que ao longo da vida se deve praticar o amor com mtas pessoas erradas, para estimular o prazer da conquista e o melhorar.

    4-"Porque, mais cedo ou mais tarde, irá perceber que isso não passa de uma ilusão", ate mesmo as ilusoes fogem ao nosso controlo.

    E por fim deixo-te aqui um video que contraria um pouco o teu texto e que é actual:

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Hj2dnDptY6Y


    Agora fora de brincadeiras HsB esse teu tema é bastante complexo e daria pano para mangas (o que espero um dia entre umas cervejolas dicuti-lo ctg entre outros ),mas concordo contigo em tudo. Para o bem ou para o mal é o nosso coraçao que nos guia em tudo na nossa vida...podes tentar fugir disso e nos iludirmos q somos nos que temos o controlo, mas é como nos preparativos do casamento, nós homens pensamos que temos voto na materia mas a realidade é outra ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  18. Comigo tem acontecido o contrário...parece que só gosto de quem não gosta de mim e os que gostam de mim não me tocam o coração...coração rebelde :) Fica a parte positiva do conhecimento e das experiências adquiridas que sem duvida contribuiram para o meu amadurecimento e consequentemente para a minha evolução como pessoa. Para não morrer de tédio, continuo a gostar de quem não gosta de mim...:)

    ResponderEliminar
  19. Acho que há aqui umas coisas que não estão bem explicadas. Uma coisa é só gostarmos de quem gosta de nós, outra é aprender a dar valor a quem gosta de nós.
    Ao darmos valor a quem gosta de nós, subconscientemente estamos a induzir o nosso coração a gostar de alguém que goste de nós, depois isto pode acontecer ou não, porque subconscientemente o que queremos é alguém que goste de nós (mas claro que isto só acontece depois de levarmos muitas chapadas na vida). E o nosso subconsciente atrai-se por aquilo que o faz feliz.
    Se repararem bem quando gostam de alguém conseguem sempre dizer uma ou duas coisas em que a pessoa vos atrai (sorriso lindo, veste-se da maneira que tu adoras...), mas n sabem explicar porque gostam dela (porque o que vos atrai não é aquilo que realmente a pessoa é, mas sim aquilo que ela aparenta ser, isto sim é uma ilusão aos nossos olhos), mas agora quando sabem explicar porque gostam dela mas não sabem aquilo que vos atrai nela ai sim podem ter a certeza que amam alguém, pois dão valor ao que a pessoa é para vocês!!!

    ResponderEliminar