19.12.12

o verdadeiro segredo de uma relação longa


O que é preciso para um casamento durar vinte, trinta, quarenta ou cinquenta anos? Como se aguenta uma relação que começou na adolescência e que dura até ao fim da vida? A resposta a esta pergunta é aquilo que todos queremos saber. Mas, poucos são aqueles que usam parte do seu tempo para perguntar a um casal de pessoas mais velhas os ingredientes necessários para que o amor perdure no tempo.

Uma amiga minha teve essa coragem e ousadia. Numa conversa, perguntou à mulher, uma senhora de idade avançada, o segredo da duração do casamento que dura há muitos, mas mesmo muito anos. Sem parar para pensar e sem dar grandes voltas à resposta, a senhora limitou-se a dizer: “Nunca me fui deitar chateada. Sempre que se passou algo, conversámos e resolvemos tudo antes de nos irmos deitar”, foi aquilo que respondeu.

Infelizmente, não protagonizei este momento. Ouvi o relato desta conversa contado pela protagonista. E estas simples palavras tiveram tal impacto em mim que não imagino o que tinha sucedido se a conversa fosse comigo. Mas, uma coisa é certa. Nunca irei esquecer esta resposta.

Acredito que é um dos ingredientes mais importantes para a duração de uma relação. Implica conversar e sobretudo lidar com as zangas, problemas e tudo mais que naturalmente aflige um casal. E quem está numa relação e partilha casa com alguém certamente concordará que não existe nada pior do que ir dormir chateado, com a consciência pesada e a pensar se deveria ter falado com a pessoa. Passar uma noite em claro, a matutar num problema que até poderá arrastar-se durante dias e provocar silêncios doentios é do pior que pode acontecer a um casal.

Por isso, a senhora tinha razão. Por mais anos que viva, nunca me irei esquecer destas sábias palavras. E mais do que me lembrar delas quando a vida me proporciona sorrisos, recordo-me nos momentos em que só quero estar sozinho e longe do mundo. 

50 comentários:

  1. Quando morar com alguém vou seguir esse conselho acho que é um óptimo conselho! Obrigada por partilhares!;)***

    ResponderEliminar
  2. HSB...estas palavras fizeram-me sentido,muito sentido!
    E sim,não é só nos bons momentos que devemos de pensar nessas coisinhas.Há que pensar nos momentos menos bons e remar com toda a força que temos.Lidar com os dias felizes,é pêra doce,lidar com os maus,ir á luta e vencer é apenas para os que têm coragem.

    ResponderEliminar
  3. Um conselho a seguir nesta caminhada em que me encontro,lado a lado,mão na mão,só assim fará sentido.Obrigada pela partilha...

    ResponderEliminar
  4. A mais pura das verdades essa:)
    O diálogo é essencial e mesmo que haja um timing para se falar porque devemos reflectir um pouco antes, ir dormir com o peso de discussão na consciência é terrivel. Mas para isso acontecer é preciso que as 2 pessoas assim o entendam...é dificil quando uma pessoa quer falar e a outra pessoa se recusa...

    ResponderEliminar
  5. Claro, mas também acredito que tentar resolver os problemas até ao limite às vezes é contra producente! Acho que o importante é pedir desculpa, se assim for o caso, conversar e depois é natural q se vá dormir mais pensativo (porque às vezes temos mesmo q reflectir) mas se adormecermos bem agarradinhos, de certeza que já vamos acorda felizes :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem referido. E isso é algo que poucas pessoas conseguem fazer. Ter a capacidade de pedir desculpa. Não custa nada. É só uma palavra :)

      Eliminar
  6. Eu acho que a tua amiga falou com a minha avó: resolver, dormir e acordar feliz. Eu sigo essa máxima. Nunca se sabe se vai haver um tornado durante a noite que nos leva e assim durmo sempre tranquila. ;)

    pippacoco.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E há coisa melhor do que dormir de consciência tranquila? ;)

      Eliminar
  7. Já tinha ouvido esse conselho. Mais do que isso, já tentei guiar-me por esse conselho. Mas confesso que houveram vezes que, por mais que eu quisesse, cheguei a dormir de costas viradas. Acontecia mais comummente quando eu não conseguia fazer o outro ver o meu ponto de vista e com o dele não conseguia concordar de maneira alguma. O que eu descobri? Que não havia amor suficiente para se dar o braço a torcer e querer o bem da relação acima de tudo. Dois anos depois seguimos as nossas vidas. E este conselho permanece ainda hoje muito válido: se a pessoa ao nosso lado for mesmo aquela pessoa, nunca em momento algum vamos querer dormir de costas um para o outro sem resolver qualquer zanga que seja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens muita razão. Obrigado pelo teu testemunho. Que sirva de exemplo.

      Eliminar
  8. Tb sou dessa opinião... E realmente não sou de ficar com as coisas para mim porque se não, saí bomba!

    ResponderEliminar
  9. Isso seria , de facto, o ideal. O Problema é que é preciso os dois estarem nesse registo. Por experiência própria falo : eu prefiro falar das coisas até estarem resolvidas, mas há quem prefira dormir sobre o assunto e falar noutra altura...encontrar o equilibio é a chave.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem referido. Percebo-te bem. Mas, eu sou daqueles que tenta falar e manter a capacidade de não explodir para não dizer coisas que não sinto. E tento falar mas o equilibrio é fundamental.

      Eliminar
  10. Eu poderia ser essa senhora só que não sou avó, nem a idade é avançada pelo menos não a sinto..lol. Mas confesso que o que possa dizer não são receitas porque nestas coisas não há receitas .
    Mas HBS por detrás disso há muito mais..saber ceder de parte a parte, engolir o orgulho mesquinho que nada resolve e falar falar muito sempre quando algo não está bem. Calar é fazer morrer a relação. Dar espaço ao outro também é importante sem trair, respeitar o outro é poder ter amigos e amigas sem necessidade de ciúmes porque a base é confiar. É partilhar . Afinal estamos juntos porque queremos não é esse o único compromisso? É quebrar rotinas a dois da forma que a vida nos permite e depois saborear e festejar as vitórias que ganhamos juntos neste longo tempo de esforços conjugados . É nunca dar nada por acabado. É cada uma das partes lutar pela relação. Até quando? não sei ,já lá vão trinta e..pózinhos. Mas uma frase adoro e me guia " O caminho se faz caminhando"..
    Acho que só esta tua partilha HBS que me tocou sobremaneira me fazia falar assim de mim..:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sorriso, se não te importas vou assinar por baixo, está tudo dito. No meu caso ainda só vou a meio caminho, são 17 anos, ainda estou a aprender, a limar arestas. O mundo já se acabou para mim muitas vezes, sempre que me desentendo com ele, mas leve as horas que levar, consuma as noites que consumir, é do diálogo que nasce o abraço do entendimento. Se o mundo acabasse amanhã era na conversa com ele que queria passar esta noite, abraçá-lo, aguardar tranquila e dizer-lhe "Amo-te, até já!".

      Eliminar
    2. O teu testemunho ficava muito bem emoldurado num quadro e exposto num qualquer espaço de terapia para casais. Algo que os casais eram obrigados a ler antes de decidir marcar terapia.

      Adorei cada palvra. Pela tua sinceridade e pala verdade das mesmas.

      Também gostei muito do teu testemunho Suricate :)

      Eliminar
    3. Ui...HSB , assim fico sem jeito, não gosto de "molduras", foi um simples testemunho sincero. Se puder ajudar de alguma forma tudo bem, mas não há receitas nem para nós próprios, vive-se simplesmente e tenta-se fazer o melhor.

      Obrigada Suricate pela tua força do teu testemunho.

      Eliminar
    4. Dizes aquilo que muitas pessoas precisam de ouvir.

      Eliminar
    5. Tens palavras sábias Sorriso...o teu Sorriso não engana:) ponderadas e sóbrias, gosto muito, normalmente de aqui no cantinho do HSB de ler os teus comentários.
      Obrigada eu aos dois:)

      Jinho

      Eliminar
    6. Obrigada eu aos dois por me fazerem também companhia . Gosto de vir aqui . Beijinho:)

      Eliminar
  11. Pois, já tinha ouvido esse conselho. Mais do q uma vez. Mas eu sou casmurra. Não gosto de discussões, odeio discutir, é uma coisa q me põe doente e calo-me, simplesmente. O que me vale é o meu namorado q lá me vai levando a falar e acabamos a dormir de bem um com o outro.

    ResponderEliminar
  12. Partilho da mesma opinião. Até porque não falar dá margem para o pensar e isso é, na minha opinião, 30 vezes pior*

    http://ovagoencanto.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Eu também concordo e tento fazer sempre isso, até porque não gosto de deixar nada por dizer e resolver! Mas engraçado, esta semana tembém eu recebi um conselho de uma pessoa mais velha que me disse que o segredo é aceitar que ninguém é igual a nós. Outra verdade!
    Coisasquetaiseafins.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  14. hoje a grande maioria dos casais não se dispõem a resolver e ultrapassar diferenças, o divórcio é sempre mais fácil, mesmo que signifique perder a "pessoa especial"!
    Tenho os meus avós casados vai para 60 anos sendo, apesar dos anos, felizes no relacionamento que possuem.
    Por várias vezes me disseram que estar com alguém é o mesmo que estar à frente de um espelho. Assim os membros de um casal são o espelho um do outro, o reflexo do bom e do mau... e é no mau que se vê a verdadeira força do amor.

    Nos tempos actuais mais parece que o "amor é fingidor", dura apenas na fase de conquista onde tudo é belo e único. Por incrível que pareça vive-se com a ideia errada de que o parceiro ou parceira tem obrigação de suprimir todas as nossas necessidades.

    Não encaramos os relacionamentos como um caminho a dois, uma jornada espiritual, uma jornada feita de cedências, desejos, diálogos...

    Vão em busca daquilo que teoricamente não têm em casa numa discoteca, num bar, numa rede social, criando o engano, uma teia complicada que forma bolas de neve.
    É ridículo, sabes, acho ridículo esta nova maneira de pensar e sentir... os anciãos é que têm razão!

    Vivemos em tudo da moda, esta é mais uma!


    beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão nesse aspecto. Para muitas pessoas é mais fácil o deixa andar. O vai lá à tua vida e não me aborreças. Preferem abdicar da pessoa que amam e que muitas vezes tentam recuperar quando deitaram tudo a perder.

      beijos

      Eliminar
  15. Pois eu penso que conversar não é o suficiente quando a outra pessoa faz "ouvidos moucos" ao que estamos a dizer e os erros se cometem durante anos a fio...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conversar não é fazer isso a ver televisão. É olhos nos olhos e com ambos a revelarem a capacidade de ouvir e não só falar.

      Eliminar
  16. Eu detesto ir deitar chateada com alguém que é importante para mim! Nem consigo adormecer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu consigo ficar horas a pensar em problemas. Muitas vezes até são coisas banais mas que me incomodam.

      Eliminar
  17. Acredito que o segredo passe um pouco por aí, pela comunicação entre o casal.

    ResponderEliminar
  18. A minha Mãe sempre me disse "a cama não é lugar para discussões" e é verdade, atualmente tenho um companheiro e sempre que nos chateamos procuramos conversar antes de ir para cama, nunca conversamos na cama, é um sítio sagrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E acho que fazem muito bem. E se possível que resolvam os problemas antes de dormir.

      Eliminar
  19. Concordo: ir para a cama zangados não funciona e resolver as coisas antes de dormir deixa-nos com aquela sensação de que "está tudo bem".
    O único casal que conheci estavam juntos há 60 anos. Casaram-se contra tudo e todos, emigraram para França, tiveram 1 filha e eram muito felizes. O segredo deles era exactamente esse: conversar muito, acima de tudo serem os melhores amigos. E resultou e nem tudo foram rosas e resultou. Acho que um casal de namorados deve ser, acima de tudo, muito amigos um do outro :)

    ResponderEliminar
  20. Nem sempre é fácil infelizmente :(, nem sempre a outra pessoa pensa assim ou ajuda nisso. Mas concordo com a senhora...

    ResponderEliminar
  21. Oi!

    Pois ja que tocaste no assunto metime aqui a pensar nos meus avós (que já não estão entre nós) e realmente não me lembro de os ver deitarem-se chateados um com o outro!
    Infelizmente acho que nao os aproveitei ao maximo.
    Embora gostasse muito deles, o fato de estudar longe fez com que perdesse muita coisa, o que gostava de ouvir as historias deles......tinham sempre uma peripecia de quando eram novos e jeitosos...se havia brigas entre os dois??? ui... muitas...afinal de contas um algarvio e uma alentejana faziam faisca.... mas a noite ja nem se lembravam da cois.
    Eram bons tempos dos quais tenho muitas saudades!!!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só tive um avô que partiu quando eu era um puto. E todos os dias sinto saudades dos nossos momentos. Bem sei do que falas.

      Eliminar
  22. Mas às vezes também é preciso silêncio...para amadurecer ideias...e fazer as pazes um dia depois nao é mal nenhum se as partes ponderarem....

    ResponderEliminar