6.11.13

as aparências ainda valem muito

Um homem. Dono de uma empresa. Opta por conduzir um carro modesto (leia-se económico). Um daqueles modelos e marcas que mais se vendem em Portugal. Este empresário utiliza este carro para se deslocar a reuniões com clientes da sua empresa. Aqueles que têm mais confiança consigo abordam-no. As coisas estão bem na empresa?, perguntam. É que anda com esse carro. Esta pergunta tem origem em diversas pessoas, de diferentes empresas.

Um homem. Dono de uma empresa. Opta por conduzir o seu carro pessoal. Um topo de gama. De uma marca de “luxo.” Este empresário utiliza este carro para se deslocar a reuniões com clientes da sua empresa. Aqueles que têm mais confiança consigo abordam-no. Estás cheio de dinheiro, dizem. A avaliar pelo carro com que andas. Estes comentários têm origem em diversas pessoas, de diferentes empresas.

Podiam ser dois exemplos aleatórios. Podiam ser duas pessoas diferentes. Mas é uma história verídica. Quem tem como protagonista o mesmo empresário. A pessoa não mudou. A sua conta bancária não sofreu alterações. Não se veste de maneira diferente. A única coisa que muda de uma situação para a outra é o carro em que se desloca. Um carro que permite poupar em combustível e outro muito mais vistoso. Porém, este dado é o suficiente para que as pessoas avaliem a sua vida.

Há quem prefira parecer do que ser. Talvez por existirem muitas pessoas que vivem com base nesta máxima ainda se valoriza muito a imagem e a aparência. Associa-se algo bom e vistoso a muito dinheiro e o oposto à falta dele. Não se colocam outras opções. Se ostenta algo, que pode ter custado a comprar, é porque vive no meio do luxo. Se mostra algo mais simples é porque está a ficar sem dinheiro. Mas a verdade é que existem muitas pessoas que ostentam riqueza e que não têm onde cair mortos e existem pessoas simples cheias de dinheiro.

46 comentários:

  1. penso que isso tudo também estará relacionado com o factor "inveja" que cada vez mais é destacado e referido... Se não gostas, ou se gostas...mesmo se reparares apenas em algo, o resultado disso é logo inveja. As aparências são o que são: Aparências... Acho que as pessoas interpretam demasiado e acumulam lixo mental com opiniões e conclusões não fundamentadas...

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito desta frase: "Há quem prefira parecer do que ser." É tão verdade. Na minha cidade há vários exemplos, mas destaco sempre um. Uma filha de um grande empresário, dono de uma das maiores empresas do país. Muito simples, nada de luxos. Quando digo "é filha de fulano tal" ficam com cara de parvos a olhar para mim "O queee?! Não pode ser!!". Mas não pode ser porque?! Por ser herdeira de uma fortuna tem de andar vestida com grandes marcas e montada no último carro topo de gama?! São pessoas assim que admiro muito, pela sua simplicidade. Mas tbm há pessoas que não têm onde cair mortas e, no entanto, fazem para parecer o contrario. São modos de vida!

    http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para a generalidade das pessoas, simplicidade é pobreza e ostentação é riqueza. É uma ideia muito errada.

      Eliminar
  3. Até me deu vontade de rir pois muitos dos empresários com carros topo de Gama estão cobertos de dívidas e "não têm onde cair mortos". Fossem mais espertos na gestão do dinheiro e, no dia a dia, para deslocações citadinas, andariam de utilitário! Muitos estão mais preocupados em usar o fundo de maneio da empresa para comprar carros para ostentar. Não são todos, e tem vindo a diminuir esta % até porque a crise fez uma limpeza à maioria que andava assim e só ficaram os que sabem gerir!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que os tempos começam a fazer com que certas pessoas percebam que há algo mais importante do que as aparências.

      Eliminar
  4. as pessoas gostam muito de julgar pelas aparências....
    é a sociedade que temos neste momento.
    beijinhos HSB

    ResponderEliminar
  5. Excelente retrato da mentalidade vigente na sociedade portuguesa:)

    jinhooossssss

    ResponderEliminar
  6. Eu sou de uma cidade onde é costume aparecerem os veículos topo de gama quase antes de serem fabricados. Uma cidade pequena que trás consigo a característica de se saber sempre metade da vida das pessoas e não é nada raro ver os donos de carrões que não têm onde cair mortos. Da mesma maneira que não é difícil saber que pessoa X tem a conta do banco a abarrotar mas vive numa casa a cair aos bocados e só janta fora uma vez por ano. Sim... infelizmente o mundo ainda vive demasiado de aparências. E nem precisamos de falar em coisas que custam muito. Coisas simples como uma bata mudam tudo; é a diferença entre no bar de um hospital te chamarem "ó meninooo!" ou "senhor doutor, o seu café."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso e aquelas pessoas que fazem questão de querer dr. antes do seu nome num cartão do banco. Dá-se muita importância às aparências.

      Eliminar
  7. Na verdade devíamos ter em atenção o velho ditado «as aparências iludem»...mas aqui pelo burgo não vamos nessa conversa...e alinha-se mais pelo quem parece bem só pode estar bem...e como tal é vê-los a viver uma vida de aparências...apenas. Conheço quem esteja completamente endividado e a continue a fazer e a brilhar com ela...! É escolha de muitos ...se calhar porque neste país (e não só) resulta...!!!
    Abraço amigo e bom dia!
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem pessoas que através de uma boa aparência vão enganando um. Outro e mais outro. E assim vivem as suas vidas.

      beijos e bom dia

      Eliminar
  8. É esta a nossa mentalidade, não há volta a dar, somos pequeninos...

    ResponderEliminar
  9. É típico do povinho, pelos vistos, o que agrada mais aos olhos é que transmite mais credibilidade! Ohh gentinha...

    ResponderEliminar
  10. Verdade, verdadinha...os donos da fábrica onde o meu pai trabalha deslocam-se em carros topo de gama e aquilo anda pelas ruas da amargura. A empresa do meu sogro está cada vez melhor e andam com carrinhas velhotas. As aparências iludem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente existem pessoas que percebem que o sucesso da empresa não está no carro mas no negócio.

      Eliminar
  11. Infelizmente ainda vivemos numa sociedade cheia de vícios e preconceitos... enfim.
    Tenho apenas que elogiar mais uma vez, a sua escrita e os temas abordados. :)
    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro, peço-te que me trates por tu, pode ser?

      Preconceitos muito vincados que são difíceis de desaparecer.

      Obrigado pelas simpáticas palavras :)

      Eliminar
  12. A minha avó dizia muitas vezes "um burro carregado de livros, é um doutor"...é a sociedade de aparências em que vivemos.

    ResponderEliminar
  13. Infelizmente é verdade vivemos numa sociedade que vive de aparências....já aconteceu com o meu marido uma história do qual nós nos rimos muito,só porque trocou o fato com o qual tem que andar todos os dias ,por uma roupa mais simples,passou de "Sr" para o homem.É assim as aparência iludem...

    ResponderEliminar
  14. Para algumas pessoas valem é como as palavras bonitas, :(
    Parabéns pelo texto.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  15. Tenho um exemplo desses ao lado de casa. Desloca-se em carro topo de gama, mas nada mais existe, nem trabalho. Mistérios.

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  17. Que texto tão verdadeiro..Parabéns! Que bem retrata a sociedade do "ter" e não do "ser"... a sociedade da ilusão..:(

    Bjs

    Desculpa ter removido o comentário anterior ,mas tinha um erro de escrita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens de pedir desculpa nenhuma :)

      Foi uma história que ouvi e que é bem real. Trata-se de uma pessoa que não mudou nada a não ser o carro e a ideia das pessoas mudou por completo.

      beijos

      Eliminar
  18. Bem verdade.
    Conheço um tipo, empresário, e que se tornou também há poucos anos sócio de uns primos meus, que é do mais simples que possas imaginar. Posso dizer-te que, segundo a história que uma vez o ouvi contar, já teve situações caricatas ao fazer compras com o cartão de crédito porque pensava que ele tinha roubado xD veste-se de maneira super desportiva, é extremamente acessível e é uma excelente pessoa. Só o vi 2 ou 3 vezes, mas fiquei com uma óptima ideia dele!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *pensavam que ele o tinha roubado

      Eliminar
    2. É o mundo em que vivemos. Quando vendia roupa notei num senhor modesto que andava pelo meio da loja e que nenhum colega meu quis atender. Fui ter com o senhor. Perguntei se precisava de ajuda. Acabou por gastar mais de 500 euros em roupa.

      Eliminar
  19. Por momentos pensei que estivesses a escrever sobre o meu Patrão !! Pena não serem todos assim , é uma classe em extinção :(

    ResponderEliminar
  20. Olha, tal como tu sou jornalista. Não tenho muito nem pouco dinheiro. Tenho o suficiente para viver bem. E tal como aposto que tu fazes, desloco-me bastante de carro para entrevistas, reuniões, eventos, etc. O dinheiro que gasto é-me pago pela empresa, mas a contabilidade paga-me ao quilometro, não necessariamente aquilo que eu gasto. E o que é que eu fiz? Troquei o meu carro, que era até relativamente bom, por um Dácia a GPL. Gasto pouquíssimo, não tenho encargos com o carro e tenho uma vida muito melhor. Já imensa gente olhou para mim e perguntou porque razão conduzo um carro «de pobre», como ouvi. E eu rio-me imenso porque... é apenas um carro. Não diz rigorosamente nada de mim. É apenas um meio de deslocação. Vou ser mais feliz por conduzir um Mercedes? ou um Audi? É-me totalmente indiferente. Sou mais feliz por guardar o dinheiro todo que, há uns meses atrás, gastava com o meu carro, combustível, manutenção, etc. Dinheiro esse que gasto, agora, em coisas que me fazem, sim, mais feliz.
    Vivemos numa sociedade que dá mais valor às aparências, aquilo que temos ao invés daquilo que somos. Mas ainda bem que há mesmo ainda pessoas que pensam como eu :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És um belo exemplo do que falo. Tal como tu recebo ao quilómetro quando uso o meu carro. E acho que tiveste uma opção muito boa. Muito inteligente. O carro não é mais do que um meio de transporte. Convém que seja seguro e económico.

      Ainda bem que és assim :)

      Eliminar
  21. É por isso que dificilmente sairemos da cepa torta...infelizmente

    ResponderEliminar