16.9.15

pensava que tinha uma qualidade mas afinal é defeito. serei o único?

Até há poucos minutos considerava ter uma qualidade que na realidade é um defeito que até pode representar um perigo para a minha saúde. E trata-se de algo que envolve garrafas de plástico. Para mim uma garrafa de plástico não merece ir para o lixo depois de uma utilização. Nem após duas. Nem mesmo vinte utilizações depois. Comigo as garrafas de plástico têm uma longa vida.

Por exemplo, para o ginásio levo uma Vitalis Go, de 75 cl, que bebo religiosamente a cada treino. Já experimentei garrafas de outras marcas mas na edição desportiva só consigo gostar desta. Umas deitam pouca água, outras água a mais e esta é aquilo que considero perfeito. Como tal, bebo a água original na primeira vez e depois encho em casa. Como vou ao ginásio cinco vezes por semana, reutilizo a garrafa dezenas e dezenas de vezes. Até porque só a uso no momento do treino.

Já no trabalho sou adepto das garrafas de dois litros do Continente pois é a quantidade de água que bebo durante as horas de trabalho (caso esteja na redacção). Tal como acontece com a do ginásio, bebo o conteúdo original uma vez e reutilizo a garrafa diversas vezes. Não tantas como a do ginásio, até porque as tampas às vezes cedem, mas ainda bastantes. E este comportamento era visto, por mim, como uma qualidade. Quando na realidade é um defeito.

De acordo com especialistas reutilizar e lavar repetidas vezes uma garrafa de plástico faz com que o plástico comece a degradar-se e a criar pequenas fissuras na superfície. E é aqui, nas fissuras, que as bactérias se alojam, sobrevivem e reproduzem, algo que representa um risco para a saúde. Como este tipo de garrafas costumam estar à temperatura ambiente é algo que agrava ainda mais a situação.

Segundo os especialistas, as bactérias que encontram na humidade, saliva e temperatura de uma garrafa o ambiente perfeito para crescerem podem causar náuseas, vómitos e diarreia em pessoas que reutilizam garrafas de forma excessiva. É certo que a gravidade não vai além de uma indesejada indisposição mas são sintomas que todas as pessoas preferem não ter.

As opções passam por reutilizar a garrafa algumas vezes (não muito além de duas). Porém, convém lavar a garrafa com água e sabonete. Os amigos do ambiente certamente que defendem que é desnecessário comprar um vasto número de garrafas de plástico por ano. Como tal, a melhor aposta passa por garrafas de vidro ou de aço inoxidável, que podem ser reutilizadas sem que se corra os mesmos riscos.

16 comentários:

  1. Também uso e volto a usar muitas vezes a mesma garrafa e ainda não me aconteceu nada...
    Podemos ignorar os estudos e abraçar a teoria da minha mãe "bactérias de vez em quando fazem bem para criar defesas" -.-

    ResponderEliminar
  2. Não, não és o único... tenho aqui uma garrafa de plastico que tem mais de 2 meses, e que encho pelo menos 2 vezes por dia...
    mas não bebo diretamente da garrafa... costumo usar um copo para beber... de plastico...

    ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando a pessoa lê estas coisas fica sempre a pensar.

      Eliminar
  3. Eu também tinha esse defeito, mas optei por comprar uma garrafa da SIGG de 1 litro para trazer para o trabalho e para o ginásio um bebedouro de 750 ml.

    ResponderEliminar
  4. Não digo que seja muito saudável, até acredito que tenha alguns inconvenientes, mas a verdade é que nunca tive qualquer problema/sintoma dos que referes, e olha que reutilizo a minha tão querida garrafinha n vezes.:):):)

    ResponderEliminar
  5. Esse é o menor dos problemas.
    Pior do que isso são as substâncias que vão libertando a cada utilização.

    https://www.google.pt/?gws_rd=ssl#q=perigo+de+reutilizar+garrafas+pet

    ResponderEliminar
  6. Eu comecei por usar uma garrafa por dia no treino, e acabava por ser um abuso, depois passei a lavá-las, mas mesmo com detergente cheiravam estranho, então comprei uma própria para usar infinitas vezes, no entanto, lavo-a quase todos os dias.

    ResponderEliminar
  7. Convêm ter cuidados aqui e ali,desde que não se entre em paranóia. Tente o meio termo. Não deitar fora à primeira mas tb não usar demasiadas vezes ; )
    Mata Hari

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho dificuldade em desfazer-me de garrafas ;)

      Eliminar
  8. utilizar a mesma algumas vezes,desde que lavadinha,nunca matou ninguém...agora é só 500 garrafas diferentes só para a malta atleta gastar fortunas numas garrafinhas pindéricas!Aquela quadrada,estreitinha,com o gargalo a um canto é do mais feio que há!Eu também uso a mesma diversas vezes,lavo bem e já cheguei a passar álcool no gargalo(porque pintei os lábios de vermelho e aquilo não saía....),não creio que ponha ninguém doente.Eu vendia saúde até há 5 anos,e não foi uma garrafa de água que me pôs aos vómitos a cada 15 dias...mas não vem ao caso.Continua,no poupar(a carteira e o ambiente) é que está o ganho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz lembrar as notícias que surgem aqui e ali que acabam por levar as pessoas a mudarem as suas práticas de consumo.

      Eliminar