30.3.15

encaixa baby encaixa

Até Sexta-feira passada ainda não tinha ouvido falar da mais recente música (e vídeo) de Ana Malhoa que tem o nome Encaixa baby Encaixa. Ouvi falar da música no programa Fora do 5, de Pedro Fernandes, Luís Filipe Borges e António Raminhos, na Antena 3 (um dos melhores programas que existem na rádio neste horário). Não só fiquei a saber que existia esta música/vídeo como descobri que a artista é acusada de estar nua no mesmo. Para começar, e para quem não sabe do que falo, aqui fica o vídeo.


Antes de ir ao que foi dito no programa, em que Ana Malhoa era convidada, faço um breve apanhado das opiniões que tenho lido/ouvido sobre este vídeo. Indo directo ao assunto, a maior parte das acusações dizem respeito à classe, ou falta dela, deste vídeo. Ana Malhoa é acusada, na generalidade, de mau gosto. Depois, há quem critique o visual da cantora. Há quem diga que a música da introdução e a própria introdução são dignas de um filme porno. Há também quem não goste do local que parece um bar de alterne. Depois, existem aqueles que criticam a própria música, a letra, a frase de introdução da música e o registo de Ana Malhoa enquanto artista. Estas são as críticas que tenho lido/ouvido.

Agora, passo ao programa. Jorge, marido de Ana Malhoa, também estava no programa. Quando o vídeo e a alegada nudez de Ana Malhoa foram assunto, Jorge foi buscar outros exemplos. Explicou que, quando outras artistas como Beyoncé ou Shakira fazem algo do género – aparecer com menos roupa ou em danças sensuais – são destacadas pela sua vertente artística. Por sua vez, e esta é a opinião de Jorge, Ana Malhoa pode estar tapada até ao pescoço que estará sempre nua. Misturar a perspectiva das críticas com a defendida pelo marido de Ana Malhoa chega para levantar diversas questões.

Começando pela comparação entre os vídeos de Shakira e Beyoncé com este. As realidade são distintas. O universo é diferente. As artistas são diferentes. E os vídeos são diferentes. Isto ninguém pode negar. Mas, pegando na ideia de Jorge, vamos transportar Shakira e Beyoncé e qualquer uma das suas músicas para este cenário. Ou seja, o vídeo seria o mesmo de Ana Malhoa. A roupa seria igual, tal como o guião. Só mudava a protagonista e música. A opinião final seria a mesma? Agora, e mais uma vez num cenário hipotético, vamos transportar Ana Malho para este vídeo (Telephone) onde estaria no lugar de Lady Gaga ao lado de Beyoncé. Mais uma vez, só muda a protagonista e a música até podia ser Encaixa baby Encaixa. A opinião final seria a mesma? Estes dois cenários hipotéticos servem para tentar perceber se o estatuto de uma artista ajudam a moldar a nossa percepção de sensualidade e sobretudo de classe ou ausência dessa mesma classe.

Agora, esquecendo as palavras de Jorge e pegando apenas nas críticas. Está em causa a imagem que a maioria das pessoas tem em relação a Ana Malhoa? É mesmo falta de classe e de gosto? É o vídeo que é mau do princípio ao fim? É a música que faz com que tudo seja mau? É um estilo de que não se gosta e isso influencia o resto? Ou simplesmente é tudo mau? Ou aquilo que as pessoas defendem como mau impede que se veja algo positivo?

Por fim, neste tipo de vídeos ou mesmo em relação a artistas que recorrem à sensualidade, o que define a linha que separa o bom do mau gosto e a classe da ausência da mesma?

30 comentários:

  1. Vi o vídeo recentemente e acho tudo de um mau gosto.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Não gostei da música, porque não faz o meu género - mas ela tem outras que até me ficaram no ouvido.
    Não gostei do cabelo quase rapado e louro, porque não gosto de mulheres com o cabelo daquela forma - e aqui abstenho-me de falar de doenças como o cancro, que "obrigam" àquele corte.
    Não gostei do visual dela porque, novamente, não faz o meu género - mas destaco-lhe a coragem de se vestir com aquelas roupas e aqueles calçados.
    Não gostei do vídeo em si, pelos factores acima apresentados. No entanto, repare-se que o marido aparece sempre como "the man" nos vídeos dela. Ou seja, ao contrário de muitas artistas que têm vídeos musicais agarradas a diferentes homens, a Ana Malhoa mantém-se fiel ao marido até na música.

    Eu tenho boas razões para não ter gostado do vídeo. Simples. Daí a criticar a pessoa que ela é ou o trabalho dela enquanto artista, vai um grande passo. Não a conheço pessoalmente nem acompanho a carreira dela.

    Se as pessoas vivessem mais a sua vida ao invés de criticar a dos outros, as coisas corriam muito melhor. É que pelo menos a Ana Malhoa vive a vida...já outros limitam-se a passar por ela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não gosto. Acho que é vulgar e que era possível fazer melhor com o mesmo orçamento. Por outro lado não foge daquilo que é o seu estilo ou que vem sendo nos últimos anos. Por isso, acredito que faça parte de uma estratégia que terá um público que consome. Uma coisa é certa, goste-se ou não, "todas" as pessoas falam do seu trabalho.

      Eliminar
  3. bem.. primeiro de tudo.. As outras protagonistas têm melhor gosto para homens xD o escolhido para este vídeo é de pôr medo ao susto (mas são gostos claro)..
    Agora.. Sim a imagem de um cantor influência a forma como vemos o seu trabalho.. Mas se fosse Madonna, shakira ou quem quer que seja com esta música e este videoclip não iria gostar na mesma.. E depois a junção de português com espanhol (ou português mal pronunciado não consegui perceber) e ainda mais inglês, dá um ar muito estranho..
    E eu não reparei em nudez nenhuma... que eu reparasse ela tinha sempre roupa.. Só se reparei mal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por exemplo, sugeri o vídeo telephone que tem uma grande produção mas que por outro lado tem Lady Gaga quase nua. Mas acredito que a maior parte das pessoas olhe para isso com alguma classe. Não sei se influencia a artista, a indústria ou o cenário em si.

      Eliminar
  4. Pipocante Irrelevante Delirante30 de março de 2015 às 20:35

    Quanto a Ana Malhoa e os seus clips/músicas, prefiro manter-me ignorante.
    Sim... por vezes a ignorância é uma benção.

    ResponderEliminar
  5. ||||
    Gostei do texto, dos comentários.
    Apesar de ter visto na blogosfera comentários dispersos sobre o assunto. Estamos em Portugal, ponto final.
    Não gosto do vídeo nem das cantoras que referencias no texto, mas isso nada me impede de dizer mal, mas mal com princípio, meio e fim. Este texto para mim teve tudo isso, com uma diferença, não disse mal.
    Cada um segue o seu caminho e deixe espaço para quem gosta e curta.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não gosto mas acredito que faça parte de uma estratégia. Digo isto porque não foge do que vem sendo o seu trabalho.

      Abraço

      Eliminar
  6. Longe vão os tempos em que a Ana Malhoa fazia boa figura a apresentar programas infantis... Pegando apenas no ultimo paragrafo, a linha que separa o bom do mau gosto e a classe da falta dela, é muito tenue. É daquelas coisas que, ou se tem ou não tem. E não é por ter tatuagens, existem muitas mulheres tatuadas cheias de charme e de classe. Ali falta é qualquer coisa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o que dizes e penso mais ou menos da mesma forma.

      Eliminar
  7. Não gostei do video nem da música, mas concordo contigo no ponto em que se fosse uma cantora internacional a cantar e a fazer o mesmo video não sei se a opinião seria outra...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que isso mudava a opinião de algumas pessoas.

      Eliminar
  8. Caro bruno, quero saber o que me vais oferecer em troca dos 5min de vida que perdi ao visualizar tal porcaria xD Volta buéréré!

    Ass: An0nYmUs

    ResponderEliminar
  9. Olá :)
    Pessoalmente não costumo seguir o trabalho da Ana Malhoa e, embora tenha um gosto eclético, não é estilo que aprecie. Friso que tal não acontece por ser produto nacional. Vi e ouvi este tema com atenção, acho eu que se enquadra no reggaeton que é um estilo musical que abomino venha de onde vier.
    Acima de tudo gabo à Ana Malhoa a capacidade de ser ela própria, independentemente das opiniões alheias. É que nós, por cá (e por outras terras não será diferente concerteza), somos muitas vezes mesquinhos e de dedo rápido no gatilho no que toca a diminuir e a criticar, especialmente quando se trata de gente nacional.
    Gostos pessoais à parte, vejo a Ana e esta sua onda musical a enquadrar-se nos Estados Unidos, em zonas tipo Miami. Em termos de sonoridade, imagem, composição acho que não fica atrás de nomes como Don Omar, Pitbull e similares, (que também não aprecio muito mas que isso não interessa para o caso). Por exemplo, um dos primeiros êxitos do agora mundialmente famoso Pitbull intitulava-se "Culo" - (não precisam da tradução, certo?!). Tivesse ela tido a sorte de nascer na América, tinha-se enquadrado como peixe na água. Com o sucesso vem também o limar das arestas em termos de imagem, apresentação, tudo. Quantos sucessos mundiais não têm uma onda tremenda de azeiteiros no início da carreira até que Hollywood lhes dê o tratamento?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Colocas questões pertinentes. Acho que ela é fiel ao seu estilo que acaba de fugir do grupo onde as pessoas a incluem, que é na música popular portuguesa (pimba). Ela é diferente e mantém-se fiel a um registo que defende com unhas e dentes. Apesar de não gostar reconheço o mérito nessa defesa.

      Eliminar
  10. Eu acredito que haja gostos para tudo e que cada um terá os seus, eu não gosto de Ana Malhoa tal como não gosto de Lady Gaga ou Shakira, não aprecio o trabalho destas artistas. E sim, são todas artistas, diferentes, em realidades diferentes e que certamente agradam a públicos diferentes também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma estratégia e se existe é porque tem público.

      Eliminar
  11. Por acaso hoje falei no video..
    Para mim trata-se de mau gosto e de necessidade de chocar para aparecer e ganhar mais uns trocos, porque infelizmente as boas cantoras portuguesas têm dificuldade em viver da musica. Por acaso não vi o programa em que o marido dela a defendia, mas na minha opinião á muita nudez e sensualidade que pode ser feita com gosto. Vemos inúmeras cantoras americanas a fazê-lo, todas o fazem, agora como o fazem e o nível com que o fazem é muitooo diferente! :)

    http://ervilhinhailuminada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não gosto. Acho que dentro do estilo podia ser melhor e com mais classe. Acho que temos a ideia de que é muito diferente porque os meios são diferentes e com orçamentos muitos diferentes. O que faz com que a comparação seja quase impossível.

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Acho que podia ser feito melhor com o mesmo orçamento mas acho também que é uma aposta consciente.

      Eliminar
  13. Não vi o videoclip nem sei o que se passou mas se a nudez na música não tem problemas como é o caso da Ana Malhoa,o videoclip do blurred lines também não devia ser problema,com as figurantes despidas.Ao menos que tudo seja justo!

    Para mim é decadência,é como se não bastasse vídeos pornos,enfim.

    ResponderEliminar