POWr Multi Slider

26.3.15

ainda sobre o caso simba

Neste texto dei a minha opinião sobre o caso Simba, o cão que foi abatido a tiro. Naquelas linhas partilhei a minha opinião enquanto pessoa que teve um cão ao longo de 14 anos e que sempre o tratou como um membro da família. Revelei ainda a minha revolta contra a ideia de que não se deve perder muito tempo com isto porque é apenas um cão e não mais do que isso. Até ao momento o texto teve perto de três mil visualizações e gerou largas dezenas de comentários num debate que considero educado.

Ao longo do debate o tema acabou por fugir do seu tema central. A discussão acabou por ser: tratar um animal como humano é certo ou errado? Quando a questão não é essa. Faço parte, com muito orgulho, do grupo de pessoas que olham para um animal, neste caso um cão, e conseguem ver mais do que uma bola de pêlo que ladra. Isto não significa que não compreenda que existem pessoas para quem um cão não passa de um animal inferior. Cada qual olha para um animal como quer. Até porque, se existem pessoas que consideram que outro género ou raça são inferiores, quanto mais um animal. São opiniões e modos de encarar a vida mas a discussão não é essa.

O ponto importante, e que não pode variar entre quem gosta ou odeia animais é que existe uma lei que protege os animais de maus-tratos. É isso que está em causa. O facto de uma pessoa não gostar de cães não significa que se olhe para uma lei como algo menos importante apenas porque essa lei diz respeito a um animal de que não se gosta. Porque as pessoas também não podem ignorar as leis de que não gostam. Leis essas que dizem respeito a pessoas. E porque as pessoas, pelo menos na sua maioria, não resolvem problemas com tiros de caçadeira.

Outro ponto que me faz alguma confusão é olhar para esta situação como algo menor. Quem somos nós para defender que o assassínio de um cão, que a nós não nos diz nada mas que para uma família significa o mundo, é algo menor?Desde quando é que as infracções são vistas como menores ou menos importantes de acordo com as nossas preferências pessoais? Isto aplica-se aos animais? Aplica-se aos males que não nos tocam de perto? Ou será que temos de criar uma tabela de prioridades? Por exemplo, partem-me o vidro do carro. Mas existe uma pessoa, que não conheço e que mora a milhares de quilómetros de mim, a quem partiram os vidros todos da casa. O meu caso deixa de ser importante porque existe outro que envolve mais vidros partidos?

Existe uma lei que foi infringida. Como tal é necessário apurar responsabilidades. Não se vai fechar os olhos apenas porque o triste protagonista desta história é um cão. Porque existe uma lei que defende esse cão. E felizmente, existem pessoas que fazem tudo para que exista justiça em relação a essa lei. E isto aplica-se ao Simba como a todos os outros Simbas que são vítimas. E este desejo de justiça devia ser transversal às pessoas que adoram ou detestam animais. Porque a grande questão deste triste acontecimento é a justiça. E infelizmente muitas pessoas fecham os olhos a essa realidade.

Isto das causas menores (que é algo estranho para mim) está presente em todo o lado. Tudo pode ser visto como uma causa menor. Porque a grande maioria das injustiças diz respeito a grupos que, por norma, fogem daquilo que alguém, algures, definiu como padrão normal. E mesmo os crimes são cometidos por minorias. Felizmente, o número de criminosos é menor do que aqueles que cumprem a lei. Fechar os olhos porque é apenas um cão é algo que considero errado. E, volto a dizer, não se trata de amar ou odiar um animal. Trata-se de justiça.

22 comentários:

  1. Não devem fechar os olhos..a lei foi criada para proteger os animais.. E como tal o homem deve ser punido..
    Um cão não é apenas um cão no seio de cada família, é um ser amado e respeitado muito importante.. Fazem parte dos planos futuros, fazem partes dos sonhos, fazem nos rir e também nos consolam na altura de maior tristeza.. As pessoas que dizem que são apenas cães é porque nunca sentiram o verdadeiro amor que um cão pode dar.

    ResponderEliminar
  2. ...também conhecido por falta de educação cívica.

    ResponderEliminar
  3. Algumas pessoas só deixam de achar coisas como esta ''males menores'' quando passam por elas... Nem quero imaginar como seria se algo assim acontecesse com o meu gato :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando a "merda" está no quintal do vizinho é sempre um mal menor. Quando é algo que nos toca é um caso urgente.

      Eliminar
  4. Bem dito! Justiça é o que se pede independentemente de se gostar ou não. Se fosse meu... acho que a justiça seria feita pelas próprias mãos, para não correr sequer o risco de não dar em nada... que sinceramente acho que o castigo não vai ser nenhum! Espero estar enganada, mas qualquer castigo será sempre muito pouco para a perda da familia...
    Há quem não goste de animais, há quem goste mas gostarndo como se fosse um objecto e há os que olham para um animal como algo mais que isso... eu faço parte da ultima hipotese. Mas seja em que hipotese for... ninguém tem o direito de fazer mal a um ser vivo (porque um animal é um ser vivo, que sente frio, fome, dor e sente amor... sim sente amor!!!), só pelo prazer de fazer mal...Quem faz algo de contra a lei, tem que assumir as responsabilidades pelos atos!!! JUSTIÇA PELO SIMBA E POR TODOS OS SIMBAS QUE EXISTAM POR ESSE MUNDO FORA!
    Para os que dizem que o cão não é um humano... têm toda a razão concordo plenamente!!! Não existe mais insulto á especie canina do que descrevê-la como tal!

    Solange

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas transformam isto no gostar ou não e ignoram o fundamental que é a lei. A questão é essa. É ninguém pode estar acima da lei.

      Eliminar
  5. Disseste tudo, e é por causa do olho da sociedade ver tudo tão pequeno e pensar que nada afecta ninguém que os tribunais estão atolados que coisas que se podiam evitar com bom senso e educação.

    ResponderEliminar
  6. Este assunto é como tantos outros! Pessoas que mostram a sua inteligência e outras a sua ignorância. Pessoalmente revoltou-me todo o sucedido - não só a morte injustificada e má do Simba como o comportamento com os donos que se fizeram/fazem valer das ferramentas ao seu dispôr para conseguir cumprir a lei...
    Pelo menos alguém bate com a mãe na mesa e corre mundo ao "gritar" os direitos dos animais que como dizes e muito bem estão previstos na lei. Justiça seja feita - é tudo o que espero.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tua forma de pensar resume a minha linha de pensamento. E é isso mesmo, justiça. É o que está em causa.

      Eliminar
  7. O grande mal deste mundo é que as pessoas (nem sei se não serão na sua maioria) só querem saber da justiça quando os problemas batem à sua porta. Enquanto for na porta do vizinho, mesmo que seja aquele vizinho simpático ao lado, estão bem se cagando (perdoa-me a expressão) para a justiça ou a falta dela. São assim com tudo, não é só neste caso de amor/ódio aos cães, touradas e outros assuntos deste tema. São assim COM TUDO!!! E já me estou a enervar!! affff
    Eu vivo num meio onde testemunho situações destas diariamente... revolta-me as pessoas serem assim. E quando têm filhos ainda me revolta mais, pelo mau exemplo, e consequente má educação, que lhe estão a dar... Se não educamos bem as nossas crianças, não vamos a lado nenhum no futuro. É uma tristeza :(
    (E eu nem comento a parte de se gostar ou não de um cão, como quem gosta de uma pessoa de família, porque era bem capaz de chocar e incomodar muita gente com o meu modo de pensar e de sentir).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se nos levantam uma pele é o fim do mundo. Se cortam o braço ao vizinho, que se lixe pois existem problemas maiores.

      Quase que se pode resumir tudo a educação e mentalidades.

      Eliminar
    2. Sem dúvida.
      Não sei se os jovens de hoje terão, na sua maioria, capacidade para desenvolver um carácter diferente daquele com que convivem em casa, quando o mesmo é negativo.
      Temos de ir fazendo o que está ao nosso alcance para mudar mentalidades. Nem que para isso passe por "maluquinha dos animais". Antes isso. Podia ser bem pior :)

      Eliminar
    3. É tão bom ser a maluqinha(o) dos animais :)

      Eliminar
  8. Gostando de animais ou não (que gosto, apesar de não ter um amor incondicional por eles), a lei é a lei e ponto final. Foi criada para que se deixe de ignorar os maus-tratos aos animais que muita gente vê como algo banal. Os animais não são humanos, mas são seres vivos. São para serem tratados como tal.

    P.S. - se puderes passa no meu blog para veres os últimos posts acerca de um projecto solidário que estou a criar na margem sul. Pode ser que te interesse :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, uma questão de justiça.

      Vi o teu email no fim-de-semana e não estou esquecido ;) Parabéns!

      Eliminar
  9. A lei deve ser cumprida e ponto. E muito ainda há que evoluir na defesa dos nossos amigos, no nosso país então...estamos a anos luz de muitos outros. E tanta mentalidade tacanha à nossa volta, deve ser de ver tanta tv depois de jantar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os animais merecem que existam pessoas que os defendam pois fazem tanto pelas pessoas.

      Eliminar
  10. Desde pequena que ouço a minha dizer "nada nem ninguém tem o direito de tirar a ver a quem quer que seja", e não podia concordar mais. Os animais são seres que vivem, respiram e sentem, logo, ninguém se devia achar no direito de matar um deles.

    ResponderEliminar