15.9.14

assustadoramente real

Quando Desligados esteve no cinema – em Novembro do ano passado – reparei no cartaz que achei extremamente bem feito. Notei que o actor em destaque no mesmo era Jason Bateman, alguém que admiro devido a diversas prestações em longas-metragens divertidas. Mas isto não chegou para que fosse ver o filme ao cinema. Algo de que me arrependo, agora que o vi.


Desligados é um filme assustadoramente real. Basicamente, é um reflexo da sociedade actual em que as pessoas estão cada vez mais “desligadas” do mundo real, vivendo as suas vidas através das mais diversas redes sociais que chegam a moldar as pessoas de uma forma quase incontrolável. E tudo isto é mostrado através de quatro histórias que se ligam.

Numa delas, os protagonistas são dois jovens que atacam um terceiro através de uma rede social onde se fazem passar por uma rapariga. Este rapaz – a vítima – acaba por se mostrar impotente para lidar com o ciberbullying. Para além disso sente-se ignorado pelo pai que dá mais destaque ao smartphone, do qual nem abdica para jantar, e ao emprego. Por sua vez, um dos agressores é filho de um detective privado que está mais preocupado em resolver crimes cibernéticos de terceiros sem que perceba as coisas que o filho – que se sente sozinho – faz com recurso a um iPad e telemóveis.

Existe ainda um casal que mal comunica devido à morte de um filho. Casal que recorre ao tal detective, especializado em crimes cibernéticos, para tentar resolver um crime de roubo de identidade que levou todas as poupanças de ambos. Isto enquanto tentam salvar a relação, lidando com a morte do filho. Por fim, existe uma jornalista. Que movida por uma boa peça jornalística entra no mundo do sexo virtual, envolvendo-se com um jovem – apenas um no meio de tantos outros - que faz do sexo virtual a sua vida.

Estas histórias estão todas ligadas. Trata-se apenas de um filme. Mas a forma brilhante como está feito faz com que seja assustadoramente real. É também muito forte e pesado, algo que pode fazer com que algumas pessoas não o consigam ver. Além do que já escrevi, a melhor forma de descrever este filme é dizer que faz (pelo menos a mim fez) recordar Colisão/Crash, outro filme brilhante com diversas histórias interligadas.

Ver Desligados acaba por levar a várias questões. De quem é a culpa dos efeitos que as tecnologias têm nas pessoas? Da própria pessoa? Da sociedade? Das redes sociais? E será que não estamos sozinhos, apesar das dezenas ou centenas de amigos nas redes sociais? Estas questões e muitas outras dependem da forma como cada pessoa encara o filme. Tal como o final de cada uma das quatro histórias depende de quem o vê. Quem está a ver o filme tem o raro poder de decidir se é um bom (e feliz) final ou não. Deixo aqui o trailer de um filme fantástico.


PS – Quem tem os canais TV Cine pode aproveitar para ver o filme que deu recentemente. Recomendo e acho que é daqueles filmes que os adolescentes devem ser “obrigados” a ver.

32 comentários:

  1. Já vi este filme e adorei! Muito pertinente, sem dúvida.

    ResponderEliminar
  2. Como isto não pode ser sempre dizer mal, e já que falas de um dos meus assuntos favoritos (cinema), sugiro um filme dentro deste género, para quem quiser ver, talvez mais a ver com o outro post da casa dos segredos: Reality, de Matteo Garrone. Filme italiano que conta a história da obsessão de um homem em ser um concorrente de um reality show e a forma como toda a sua realidade fica deturpada. É daqueles que também devem ser vistos por todos os adolescentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela dica. Não conhecia e vou pesquisar. Parece interessante. E talvez fosse uma boa altura para ser visto em Portugal.

      Eliminar
  3. ...daqueles filmes que TODAS as pessoas devem ser “obrigadas” a ver! Sim, porque é um 'vírus' que ataca e afecta dos 80 aos 80 anos! Curiosamente ainda a sexta-feira falei no assunto: não sou contra as redes sociais, mas há limites!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devem ser as pessoas a controlar as redes sociais e não o inverso. E tens razão quando dizes que deve ser visto por todas as pessoas.

      Eliminar
  4. O problema das redes sociais não são as redes, são os utilizadores. Como tudo com o que nos deparamos no dia a dia - cinema, literatura, rádio, música, telefone, escrita, etc etc etc - há coisas positivas e coisas negativas. As negativas vêm muitas vezes da maneira como se usam essas coisas. Usamos televisão só para ver reality shows? Vamos ao cinema só ver o transformers? Usamos o telemóvel para falar durante 5 horas por dia? A demonização das redes sociais cansa um pouco, pois é uma das ferramentas mais úteis tanto para empresas como para pessoas. Simplesmente tem de se saber como as usar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse simplesmente nem sempre é simples para todas as pessoas. Existem pessoas que usam as redes sociais como um escape para as suas vidas e deixam-se levar por isso.

      Eliminar
  5. Como tudo na viada também as novas tecnologias têm 2 lados, o bom e o mau.
    Cabe a cada um de nós dar-lhes o melhor uso possível e tirar o maior partido.
    Infelizmente quer-me parecer que a maioria das pessoas não o faz ...

    ResponderEliminar
  6. Já tinha visto o trailer mas ainda não vi o filme! Agora, com o teu post, fiquei com vontade de ver o filme!
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Pelo que descreveu parece ser bastante interessante. Não vou deixar ver, talvez amanhã. Cada vez mais gosto dos filmes canadianos, devido ao enredo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prefiro que me trates por tu, pode ser? Já viste?

      Eliminar
  8. Está na minha lista já há algum tempo ;)
    Espero vê-lo brevemente :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto mais tempo passar mais te irás arrepender ;)

      Eliminar
  9. Como é que eu nunca tinha ouvido falar neste filme? Tenho que ver!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que não foi muito publicitado, o que é pena.

      Eliminar
  10. Vi este filme quando estreou no Cinema, apenas porque tinha bilhetes gratuitos. E a-do-rei. Os perigos escondidos na teia web e a ligação de todas as histórias num filme com o título oposto. Recomendo, também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acho que o título seja o oposto porque estão realmente desligados das suas vidas.

      Eliminar
  11. Respostas
    1. É complicado separar a ficção da realidade. E é o melhor elogio que pode ser feito ao filme.

      Abraço

      Eliminar
  12. Bom dia:) Obrigada pelo conselho vou já mandar o link lá para casa:)

    ResponderEliminar
  13. Já ando para ver esse filme há algum tempo, estou curiosissima!

    ResponderEliminar