6.6.14

sobre os blogues e as pessoas que neles escrevem

Já revelei, em mais de uma ocasião, a minha opinião sobre a relação entre o conteúdo de um blogue e o seu autor. Na minha opinião, os textos são um reflexo daquilo que a pessoa é quando está longe do seu blogue. Ontem, tive cinco exemplos disso mesmo. As pessoas que conheci são aquilo que aparece nos textos que escrevem. Por isso, cada vez mais acredito nisto. Nada mais do que um reflexo do que se é na realidade.

35 comentários:

  1. Quem nos ama por palavras, conhece-nos por dentro!

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Depende dos casos. Ou do jeito que dá a quem escreve. Se quer assumir o que é ou se prefere fingir que não é assim :)

      Eliminar
  3. Gosto dessa tua reflexão e concordo.
    Espero que o meu seja um bom reflexo de quem sou :)

    ResponderEliminar
  4. E da interpretação que cada um faz desse reflexo, se me permites acrescentar!
    Cada pessoa ve a mesma coisa de forma diferente... parece-me!

    Bom fim-de-semana!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. Mas lendo com atenção chegas lá facilmente :)

      bom fim-de-semana

      beijos

      Eliminar
  5. Discordo. Da minha experiência. Porque depende muito do tipo de blogue...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que consegues manipular uma pessoa com meia dúzia de textos. A partir daí torna-se impossível e a máscara cai. Mais cedo ou mais tarde. Por mais que as pessoas digam que não são assim. Aliás, uma pessoa que tem a necessidade de dizer dezenas de vezes que não é assim...

      Resumindo, percebo o que dizes e as tuas experiências mas acho que ninguém consegue fingir durante muito tempo. Só em casos pontuais.

      Eliminar
  6. Regra geral, sim, concordo contigo. Mas também há quem engane... Mas ninguém consegue mentir e enganar durante muito tempo ;)
    No fundo a blogosfera também é o reflexo do mundo... Há pessoas genuinamente boas, há pessoas dissimuladas... É como na farmácia, há de tudo :P
    Felizmente, falando por mim, o lado bom da blogosfera compensa largamente o que é menos bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso que digo. Acho que não se engana durante muito tempo ;) É como em tudo na vida e nisso tens razão. Também acho que o lado bom é claramente superior. Aliás, escolher estar no lado mau é uma opção simples.

      Eliminar
  7. Bruno, estás a ser um bocado duro.
    Nem sempre os textos são o refelxo da pessoa. que os escreve. O teu caso é um exemplo disso. Tu tens imensos posts a aparvalhar e apalhaçar, especialmente aqueles do sexo e que me deixam sempre a rir (obrigada por alegrares os meus dias) e não é isso que faz de ti um parvalhão ou um palhaço.
    Às vezes as pessoas atrás dos blogs são uma surpresa.
    Eu estou sempre a surpreender-me. Não é que conheça muitos bloggers (aliás não conheço ninguém, vivo fora), mas todos os dias há um blogger a surpreender-me.
    Obrigada pela companhia e risadas nos dias mais difíceis.
    Um beijo

    Sandra G

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se trata de ser duro Sandra. E acho que são um reflexo. Nos casos que referes, quem me conhece sabe que sou um brincalhão e sou o primeiro da fila para uma boa brincadeira ou parvoíce. Os textos do verdade ou mito não são meus. No sentido em que vou buscar informação a sites onde constam mitos em que algumas pessoas acreditam. Uns dão como certos e não são. Outros ninguém acredita mas são verdade. O objectivo desses textos é perceber a opinião de quem passa por aqui. Ou seja, perceber em que acreditam. Mas tenho sempre por base um mito que li algures e a explicação de um profissional da área. Isso aconteceu em todos os textos desse género. Não sei se me expliquei bem.

      O que te posso dizer é que todas as pessoas que conheci bateram certo com a ideia que tinha dessa pessoa. Quer seja para o bom ou para o mau. E a minha ideia era criada com base no que lia.

      Obrigado eu pela tua companhia.

      beijos

      Eliminar
  8. Estou de acordo.
    Das poucas pessoas que conheci pessoalmente, deu-me imenso prazer conhece-las e constatar que são na realidade o que transmitem nos seus blogs.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz que as experiências tenham sido boas :)

      beijos

      Eliminar
  9. Depende sempre do tipo de blogue, dos assuntos que são abordados, do facto de o autor revelar ou não a sua identidade. Ainda há dias escrevi sobre isso: o meu blogue é muito do que eu sou, mas não é tudo o que eu sou. Acredito que talvez seja assim na maior parte dos casos. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas não defendo que o blogue seja tudo o que a pessoa é. No meu caso, nem 20% da minha vida está aqui. Mas está muito daquilo que sou enquanto pessoa. E isso é diferente :)

      Eliminar
  10. Já tive a oportunidade de conhecer 2 bloggers e foi isso mesmo que senti. A pessoa é a mesma mas agora tem cara :)))

    (uma delas surpreendeu-me porque tem 1,50m e eu imaginava uma pessoa grande em tamanho, por ser "tão grande" a escrever eheheheh)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tendemos a imaginar as pessoas e esse exercício é engraçado :)

      Eliminar
  11. Também acho que somos o reflexo do que escrevemos, claro que há sempre quem queira dar uma imagem diferente daquilo que é, mas depressa cai a máscara, principalmente quando se começam a ler respostas do blogger a alguns comentários...já não conseguem disfarçar quem são. Felizmente até hoje só tive boas surpresas, conheço pouquíssimos bloggers pessoalmente, mas esses correspondem ao que escrevem.
    Acho que quem lê textos, lê corações. :)

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. A blogosfera (como uma um prédio, uma rua ou até um bairro) tem tanto de bom como de mau. Cabe-nos a nós saber filtrar.
    Há quem ache que sabe mais do que aquilo que sabe só por aquilo que lê, e há quem realmente saiba mais do que diz por aquilo que não lê. Isto para dizer que em parte concordo com a tua visão, e em parte discordo :p

    Por mim falo: na blogosfera já tive coisas muito boas e coisas muito más, e essas fiz questão de cortar pela raiz da minha vida. Ficam as boas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quem não tem vizinhos no prédio, rua ou bairro que são uma coisa e tentam dizer aos outros que são outra? :)

      Eliminar
  13. Se olhos são os espelhos da alma, porque não olhar para os blogues como o nosso reflecto num lago. Um reflecto quase sempre fidedigno, mesmo com as pequenas ondulações que percorrem os nossos dias. Dito isso, e de forma que não haja equívocos, no meu caso especifico sou como no meu blogue. Parvo todos dias. Quando a parvoíce é uma forma de fazer os outros sorrir, porque não ser assim!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E fazes muito bem em ser assim que fazem falta pessoas como tu :)

      Eliminar
  14. Também sempre acreditei nisso.
    Até porque não considero os autores de blogues mestres de ficção que consigam construir uma personagem de si própria que não existe na realidade.
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só consegues fazer isso ocasionalmente. Se alimentas um blogue com frequência, vai tudo lá parar sem o teu controle. Por mais que aches e garantas que não és assim. Aquilo que a pessoa é acaba por se revelar.

      Eliminar
    2. O meu blog sou eu, ou pelo menos, uma parte de mim!

      Eliminar
  15. Verdadinha...Somos os mesmos, só que sem a maioria das máscaras que costumamos usar. Para o bem e para o mal. Vamos mais ao limite daquilo que somos e/ou sentimos, assim como que quem escreve não sejamos nós. Mesmo que assinemos com o nome real, acabamos por nos "proteger" atrás do Blog. "Ah e tal... pode ser que achem que eu não sou assim tão lamechas e que isto é tudo inventado..." :)
    BTW, parabéns pelo teu! Adoro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem momentos em que dá jeito dizer que somos aquilo. Noutros não. Mas a verdade é que somos sempre.

      Obrigado pelas palavras :)

      Eliminar
  16. Ainda só vi uma blogger ao vivo, e fisicamente não correspondia ao que eu imaginava. Não cheguei a falar com ela, por isso não sei se é como passa ser no seu blogue. Outra blogger já conhecia antes de ela ter o blogue, por isso não a imaginei, claro. Em relação a mim própria e ao meu blogue, escrevo sempre o que penso, não escrevo é tudo o que penso... por isso, quem lê o que escrevo fica de facto a conhecer-me um pouco, mas é apenas a ponta do icebergue (que sou eu).

    ResponderEliminar