11.5.14

as mentiras jornalísticas

A imprensa do segmento social (ou cor-de-rosa, se preferirem) publica uma notícia. Não interessa se é verdade ou não. A notícia é publicada e uma grande percentagem de pessoas fica indignada. Assume automaticamente que é mentira. Acusa o jornalista de ser mau profissional. E quase ninguém se dá ao trabalho de tentar perceber se é uma verdade ou mentira, independentemente de ser um registo profissional de que se gosta ou não.

A imprensa do segmento desportivo publica uma notícia. Muitas vezes mentiras que dão jeito a empresários que procuram um bom negócio para o jogador x ou para o treinador y e mais algum dinheiro para a sua conta bancária. A notícia é publicada e uma grande percentagem de pessoas assume automaticamente que é verdade. “Já viste, o não sei quantos vai ser vendido”, dizem. E ninguém fica indignado. E quase ninguém se preocupa com o facto de ser mentira.

Um exemplo recente. Leonardo Jardim já esteve quase a assinar contrato com o Mónaco. Agora é Jorge Jesus que está quase a assinar. Depois, existem jogadores que têm dezenas de clubes a apresentar propostas. Propostas essas que nunca existiram e que, em muitos casos, serviram, através das notícias, para o jogador renovar um contrato com valores mais altos. Está a chegar o Verão. Desafio alguém a fazer a contagem de jogadores que supostamente vão assinar por Benfica, Sporting e Porto ao longo das próximas semanas.

Supondo que se tratam de notícias falsas em ambos os casos (ou noutro cenário qualquer de outro tipo de publicação). Porque é que as pessoas ficam indignadas com o que encontram na capa de uma revista social e não ficam indignadas com mentiras que fazem capa noutras publicações e nas quais acreditam sem qualquer ponderação. Do ponto de vista do código deontológico, as mentiras são iguais e o comportamento do jornalista foi o mesmo. O que muda é a perspectiva das pessoas. O motivo de um caso ser muito grave e o outro não é algo que não percebo.

4 comentários:

  1. Desrespeitar o código deontológico é sempre grave, seja qual for a situação.
    No que toca à imprensa desportiva, é o tipo de imprensa que eu considero mais especulativa, até mete nojo. Por isso é que cada vez a leio menos. As cenas de contratações, só as sei quando estão mesmo confirmadas, porque evito mesmo ler os boatos. Porque entre Maio e fim de Agosto, e entre Dezembro e Janeiro, esse disco já enjoa, é sempre a mesma música.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quase ninguém fica indignado com essas mentiras.

      Eliminar
  2. Fiz um post no facebook acerca do circo "Leonardo Jardim e Jesus no Monaco e Marco Silva no Sporting e no Benfica". Eu não fico indignada porque no fundo estas noticias acabam por me divertir. Chama-me parva... mas é com pouco que tenho a capacidade de me divertir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo bastidores e negócios de empresários para controlarem os valores das propostas.

      Eliminar