2.9.15

gordos vs magros


Acabei de me deparar com estas duas imagens. Como acabei de acordar dei por mim a esfregar os olhos para me certificar de que é a mesma mulher e não duas pessoas completamente distintas. E trata-se mesmo da mesma mulher. Mais concretamente da cantora Adele que decidiu mudar radicalmente a sua vida.

Adele revelou ter perdido 30 quilos depois de ter mudado a sua alimentação abdicando de carne e alimentos processados e ainda de refrigerantes. "Comecei a sentir-me cada vez melhor, tanto físico como emocionalmente", explicou. A isto juntou a prática de exercício físico, passando a praticar três vezes por semana e praticando ainda pilates com frequência. "Represento a maioria das mulheres e estou muito orgulhosa. Se decidi mudar o meu corpo foi estritamente por questões de saúde", revela realçando que não tem como objectivo ficar semelhante a uma top model.

Quando o tema é o peso das pessoas (homens ou mulheres) existe uma tendência para olhar para aqueles que defendem um corpo com menos peso como um grupo que ataca quem tem peso a mais. Muitos olham para isso como um ataque à "gordura" que também é "formosura". Olha-se para este tema como um ataque aqueles que têm mais peso. Mas a verdade é que o motivo de uma mudança e da defesa de um corpo mais saudável não está relacionada com questões estéticas mas com saúde.

Neste caso específico Adele explica que perdeu peso por questões de saúde e não para ser comparada a esta ou aquela manequim. Tal como não perdeu peso para triunfar na indústria da música porque esse caminho já estava trilhado por si de forma brilhante. Mudou para se sentir mais saudável. Deixou de fumar para ser mais saudável. Mudou a alimentação por considerar que abusava de alimentos que fazem mal. E começou a praticar desporto porque já não aguentava o sedentarismo da sua vida.

É certo que tudo isto acaba por ter impacto na parte estética. É igualmente verdade que existem pessoas que decidem mudar apenas e só por causa da beleza. Mas o grande destaque deveria ser dado à saúde e não à beleza. Quando se debate este tema deveria existir um maior foco no impacto que uma mudança deste género tem na saúde e não numa guerra que opõe gordos e magros. E neste sentido ainda bem que existem pessoas como Adele que fazem questão de explicar os motivos pelos quais mudaram de vida. Pode ser que as pessoas passem a encarar o tema com outros olhos, passando a debater o que realmente importa.

1.9.15

um exemplo a seguir

O futebol é um desporto que consegue ser amado por uns e odiado por outros. No lado do ódio destacam-se os altos salários e o dinheiro movimentado pelas transferências de jogadores. "É de loucos", defendem algumas pessoas. Apesar de ficar surpreendido com alguns dos valores praticados entendo que são o reflexo do mercado. E isto aplica-se a todos os desportos pois a maioria dos desportistas mais bem pagos do mundo nem sequer são futebolistas. No nosso mercado nem sequer praticamos valores muitos altos. E isso percebe-se facilmente quando um jogador troca um bom clube português por outro de uma divisão inferior noutro país. Se vai para lá é porque irá ganhar mais.

Mas o futebol em si não é o motivo deste texto. Apenas um pequeno aspecto dele. O motivo deste texto é Jorge Mendes, o português que é considerado o melhor agente desportivo do mundo. Li hoje que Jorge Mendes movimentou 400 milhões de euros (os números estão certos) desde o final da época passada até ontem à hora do fecho do mercado português (ainda pode fazer mais negócios hoje). Segundo sei o empresário costuma receber uma percentagem de 10% dos negócios que faz. Ou seja, em poucos meses Jorge Mendes ganhou qualquer coisa como 40 milhões de euros. Um valor que a maioria das pessoas do mundo não recebe numa vida de trabalho.

Uma reacção rápida e fácil passaria por criticar o futebol e o dinheiro que movimenta. Poderia questionar os 80 milhões pagos por um jogador francês que nem sequer vou escrever o nome porque a maioria das pessoas não o conhece. Poderia questionar os 63 milhões pagos por Di Maria. Ou mesmo os 45 milhões pagos por Otamendi. Este era o caminho fácil. Era culpar a indústria desportiva. Falar mal das regras do jogo. Mas não o faço. Neste sentido critico apenas que muitos agentes acabam por ser maus conselheiros dos seus jogadores.

Prefiro olhar para Jorge Mendes de uma outra perspectiva. Prefiro recordar o homem que certo dia, numa discoteca, decidiu abordar Nuno Espírito Santo, na altura guarda-redes do Vitória de Guimarães, tornando-se no seu empresário. Esta foi a abordagem escolhida por Jorge Mendes. O segundo passo foi chatear, no bom sentido, o presidente do Deportivo La Corunha, até conseguir marcar uma reunião. Jorge Mendes não desistiu enquanto não teve a reunião. E não desistiu enquanto não transferiu o jogador para Espanha. Este foi o primeiro negócio do empresário, em 1997 se a memória não me falha, que nunca mais parou. O resto da história é conhecida por todos e envolve jogadores como Cristiano Ronaldo, que foi vendido por 94 milhões de euros, só para dar um exemplo.

Jorge Mendes poderia ter continuado na discoteca de copo na mão. Mas tomou a iniciativa. Lutou pelo que quis. Trabalhou para isso. Hoje passa a vida de um lado para o outro a torrar baterias de telemóvel como quem bebe copos de água. Sempre de mala às costas, de avião em avião, para levar este para aqui e aquele para ali. Sempre em busca do melhor negócio. E o reflexo de tudo isto são os milhões que as pessoas criticam. As pessoas olham para aqueles números como se tivessem aparecido ali apenas porque sim. Eu vejo as negociações, as cedências, as exigências e muito trabalho que vai além do período do mercado de transferências.

Olho para Jorge Mendes como exemplo a seguir. Exemplo de que se deve lutar por algo. Exemplo de que é possível chegar longe mesmo sem ter nascido num berço de ouro. E como um exemplo de que ficar de copo na mão à espera de que alguém se aproxime e pergunte se queremos ganhar dinheiro e ser bem sucedidos é algo que nunca irá acontecer. É preciso trabalho, horas sem dormir, sacrifícios pessoais e familiares mas a recompensa será sempre superior a tudo isso.

qual a melhor música portuguesa de sempre?

Está na altura de recuperar a eleição da melhor música portuguesa de sempre, agora que terminou aquele que é considerado o mês de eleição para as férias. Como não existe ninguém que perceba mais de música do que vocês - que até já elegeram a melhor música romântica de sempre – a responsabilidade será vossa. Nesta fase inicial, que decorre até ao final da próxima segunda-feira (7) peço-vos, através de um comentário, que me indiquem aquelas que consideram as três melhores músicas portuguesas de sempre. As respostas do post original (aqui) também vão ser tidas em conta.

pela noite dentro (como eu gosto)

Enquanto amante de futebol sou igualmente um apreciador do último dia de Agosto. Aquele que corresponde ao fecho do mercado. São as últimas 24 horas (pelo menos em Portugal e na maioria dos campeonatos europeus) disponíveis para que os clubes comprem e vendam jogadores. E por norma conseguem fazer-se alguns negócios de ocasião. Noutros casos existem negócios que são um sinal claro do desespero de quem compra e isso nota-se nos valores gastos em determinados casos. Por tudo isto e muito mais acompanho atentamente o avançar do relógio até à meia-noite, aguentando ainda mais ou menos uma hora para conhecer os jogadores inscritos na recta final do mercado. E este ano tinha alguma curiosidade em relação aos três maiores clubes portugueses por diferentes razões.

Começando pelo meu clube, o Benfica. Acreditava que até ao fecho do mercado chegaria um defesa-esquerdo para entrar directamente no onze titular (perdi essa esperança quando Coentrão foi para o Mónaco e quando o regresso de Siqueira foi cancelado), um médio ala para ocupar o lugar do lesionado Salvio (a ida de Markovic para a Turquia roubou o meu sonho) e ainda um médio centro para concorrer com Pizzi, que considero "curto" para a posição. Mais a Norte, estava curioso para perceber se o Porto iria dar mais alguns rebuçados, leia-se jogadores, a um treinador que tem tido tudo o que quer desde que chegou. Por fim, estava também curioso para saber como é que o Sporting ia lidar com a ausência dos 14 milhões (um valor que facilmente podia chegar aos 20) depois de ter falhado o acesso à Liga dos Campeões.

Quanto ao Benfica, sempre acreditei que chegasse alguém, mesmo quando comecei a ver que os nomes mais falados estavam longe de ser uma realidade. E esperava isto porque o Benfica costuma fazer bons negócios perto do fecho do mercado. Por exemplo, no último ano Júlio César, Samaris e Cristante chegaram nas últimas horas de mercado. E Jonas já depois, algo só permitido a jogadores "desempregados". Mas a verdade é que não chegou ninguém. Mas também é verdade que o melhor reforço já estava no clube. Trata-se de Nico Gaitán que já não deverá sair. Esta é a melhor notícia para Rui Vitória, para os benfiquistas e para o campeonato português. Resta (e é mais do que justo) que seja aumentado e transformado no jogador mais bem pago do plantel. De resto acredito que o plantel do Benfica parece ser curto para todas as competições. Fica também evidente que a aposta na formação é uma realidade. É na formação que Rui Vitória terá de encontrar alternativas. Mesmo assim, considero que Rui Vitória tem armas suficientes para enfrentar o campeonato nacional. No último ano saíram cerca de sete jogadores titulares/utilizados com frequência e o clube foi campeão. Rui Vitória herdou uma equipa que perdeu apenas dois titulares (três se contar com a lesão de Salvio). Pessoalmente desejava um defesa-esquerdo porque acho que Eliseu apresenta algumas lacunas em jogos onde a defesa do Benfica é posta à prova, queria um extremo para ser titular e ainda um médio centro porque Pizzi não chega para tudo e porque as alternativas não me estão a convencer. Não chegou ninguém, as soluções vão ter de ser encontradas na equipa e quanto a isso nada há a fazer.

No que diz respeito ao Porto, tal como esperava, Lopetegui recebeu aquilo que pediu. Um lateral polivalente que será titular no lado esquerdo da defesa, provavelmente o lugar mais carenciado do plantel. E ainda um extremo que fará com com que Brahimi, aquele que considero ser o melhor jogador do Porto, passe a jogar na posição que deveria ser de Lucas Lima, o único jogador que Pinto da Costa não conseguiu oferecer ao treinador basco. Olhando para o plantel do Porto considero que é o mais rico e mais forte dos três grandes. Mas isto não significa que seja a melhor equipa. Aliás, acho que no ano passado o Porto tinha um plantel ainda melhor do que este e a verdade é que nada ganhou. Considero que o grande problema do Porto é mesmo o treinador que neste momento terá pouca margem de manobra. Acredito que a sua única opção é ganhar. Ou ganhar. Ou ganhar. Caso as coisas comecem a correr mal acabará o seu reinado nesse preciso momento.

Por fim, o Sporting resistiu a vender alguns dos seus principais jogadores, algo que era mais ou menos expectável. Até porque Rui Patrício não tem mercado (os clubes de topo estão bem servidos na sua posição), William Carvalho ainda não jogou esta época (nestas condições um negócio seria sempre abaixo do seu real valor) e Adrien viu gorada a hipótese de se mudar para o Mónaco que por sua vez não vendeu João Moutinho. Tirando estes jogadores, não vejo o Sporting a fazer um encaixe superior a dez milhões de euros com outros atleta que não Slimani (o argelino já tinha renovado contrato). Aqui não incluo Carrillo porque é um caso especial. É de longe o melhor jogador do Sporting mas a verdade é que em Janeiro assina pelo clube que quiser. Ao que parece o Sporting aceitava vender o extremo para Inglaterra mas o peruano recusou mudar-se para um clube modesto. Comparando com Gaitán, a permanência de Carrillo está longe de ser um alívio para o clube. Isto porque o Sporting tem duas opções: oferecer a Carrillo o dinheiro que o jogador e os empresário exigem (e assim tudo fica resolvido) ou dificultar-lhe a vida até ao final da época (caso a renovação seja impossível). Sem vendas e sem mais aquisições olho para este plantel do Sporting como semelhante (no que à qualidade diz respeito) ao plantel do ano passado e mesmo do ano anterior a esse. A diferença está na experiência dos reforços (jogadores mais velhos) e na experiência/qualidade do treinador. Mas continuo a achar que os melhores jogadores já moravam em Alvalade. Talvez Aquilani seja o único (aos meus olhos) que acrescenta real valor à equipa. E digo isto porque Bryan Ruiz (um jogador de quem gosto e inteligente do ponto de vista táctico) aparenta estar muito cansado e ainda hoje está a começar Setembro, porque considero que Naldo é limitado, porque infelizmente João Pereira aparenta estar longe de ser o grande jogador que foi (Esgaio deveria ser o titular) e porque não vejo em Téo o avançado de que o clube necessitava.

Concluindo, acabaram-se as desculpas. As equipas e os treinadores podem agora trabalhar com calma e sem estar a pensar na eventualidade de perder um jogador. E agora que o mercado fechou reforço a ideia que mantinha no início da época. O Porto voltou a fazer um all-in, apostou tudo para recuperar o título de campeão nacional. O Sporting – dos três grandes o clube mais modesto do ponto de vista financeiro – inverteu a sua política e apostou tudo num treinador que acredita ser sinónimo de sucessos imediatos e em jogadores mais experientes e com ordenados mais altos sendo inegável que o afastamento da Champions faz uma grande mossa no orçamento. E o Benfica que tinha as melhores armas para se manter no topo quer provar que é possível ser campeão com uma política que passa por uma maior contenção financeira. Prevejo um campeonato a três com um Braga (estou muito curioso com as últimas aquisições do clube) forte, a morder os calcanhares e disposto a estragar a festa aos grandes. Venham daí esses longos meses de campeonato e vamos ver quem ficará a rir no final.

31.8.15

sou um génio incompreendido

Vou no carro com a minha mulher. Passamos ao lado de um cartaz de uma sex shop. Digo-lhe: "podíamos abrir uma sex shop. Mas só vendíamos artigos em segunda mão. Até já tenho um nome para o nosso negócio. Lavadinho é Como Novo. Que achas?", perguntei. Ela riu-se. Sou um génio incompreendido.

28.8.15

"truque" que melhora a vida sexual dos casais

Há quem goste e pratique. Há quem odeie e evite. Há quem ache fundamental. Há quem ache infantil e desnecessário. Mas, ao que parece, trata-se de algo que tem impacto na vida sexual dos casais. Refiro-me ao sexting. De acordo com Emily Stasko, uma investigadora dos Estados Unidos da América, a troca de mensagens de cariz erótico/sexual pode ter efeitos positivos na vida do casal. 

Foram analisadas 870 pessoas, com idades compreendidas entre os 18 e os 82 anos. Destas, 88% assumiu que já enviou pelo menos uma mensagem com conteúdo erótico/sexual enquanto 74% admitiram que o fizeram enquanto estavam numa relação estável e 43% fizeram-no durante relações casuais. Ainda de acordo com o estudo, as pessoas que enviam mais mensagens do género são aquelas que apresentam uma maior satisfação sexual.