31.5.16

este será o novo james bond

Parece que já é oficial. Daniel Craig deixou de ser, de vez, Bond, James Bond. Em tempos li uma entrevista do actor – que terá recusado um contrato chorudo para fazer mais dois filmes – em que defendia que já não tinha nada de novo para dar ao personagem. Concordo. Acho que já não existem novidades porque já lhe aconteceu tudo na pele do agente secreto mais famoso do mundo.

Considero também que os últimos filmes da saga estão longe de ser os melhores. E a culpa disso não é de Daniel Craig que protagoniza aquele que para mim é o melhor filme de todos. Refiro-me a Casino Royale, o seu primeiro. Como referi, concordo com Craig quando diz nada mais ter para dar ao agente secreto. Mas acho também que estava na altura de Sam Mendes dar o seu lugar a alguém. Os seus filmes são muito semelhantes e acho que James Bond precisa de sangue novo para o agente e para quem ajuda a dar-lhe vida.

James Bond necessita de um filme ao estilo de Casino Royale. E digo isto a todos os níveis. Quantidade e qualidade na acção. Sedução e histórias de amor. Momentos de dúvida do agente. Precisa de tudo isto e muito mais. Neste momento está no auge o debate em torno daquele que será o próximo agente secreto mais famoso do mundo. Ao que parece já existe uma petição para que este senhor seja o eleito. E se dependesse de mim era já contratado.


somos uma cambada de gordos

Ao longo dos últimos tempo a gordura tem sido debatida somente na perspectiva estética. Transformou-se o excesso de peso num tema exclusivo da beleza. Ou seja, ser gordo é bonito ou feio? É só isto que se discute. Aquilo que importa discutir é a saúde. Mas isso não interessa a ninguém. Transforma-se qualquer debate sobre o excesso de peso num ataque a quem tem excesso de peso.

Pela primeira vez realizou-se um inquérito nacional de saúde com exame físico. Esta iniciativa decorreu no ano passado e os números são assustadores pois cerca de dois terços das pessoas pesadas e medidas têm excesso de peso. E 28,7% das pessoas são mesmo obesas. Estes números correspondem ao dobro dos números de 2004 e também de 2008.

Existem diversas leituras. Uma delas tem a ver com a crise e com o baixo preço de alimentos com muitas calorias. Outra leitura é a de que os números antigos não eram “reais” no sentido pela amostra e por não existir o exame físico. Isto porque as pessoas acham sempre que são mais magras e mais altas e acabam por reportar dados que não são reais. A verdade é que estes números são preocupantes. E não se trata de nenhuma situação estética. O que está em causa é a saúde. Por exemplo, no caso dos homens é bastante perigosa a gordura existente no perímetro abdominal.

Existem dados que dão que pensar porque muitas pessoas (sobretudo com menor conhecimento) desconhecem o tipo de alimentação que devem fazer e que devem consumir fruta e vegetais com frequência. E isto é algo que não tem de ser ensinado apenas aos mais novos mas também a muitos adultos que acham que sabem tudo.

É também necessário analisar o sedentarismo. E é igualmente importante que cada pessoa tenha noção daquilo que faz errado e que facilmente pode corrigir para ter uma melhor qualidade de vida. Enquanto se continuar a discutir o poder da imagem e o suposto culto do corpo xpto irá continuar-se a ignorar que o que está em causa não é algo estético. Esta questão tem a ver com saúde. É isso que está em causa.

a loja mais sensual de lisboa

Recebo um convite no email para ir à loja mais sensual de Lisboa. O desafio é personalizar um Magnum, algo que vai passar a ser possível na Magnum Lisboa, que vai abrir no Chiado, no dia 2 de Junho. Como se isto não bastasse ainda sou aliciado com uma imagem da “horrorosa” Kendall Jenner. Isto não se faz a ninguém. Vou ficar a babar o dia inteiro.


30.5.16

percebes que estás a ficar velho quando...

… percebes que ser submisso é visto como algo quase normal na vida diária de qualquer pessoa. Quando a submissão é apontada quase como um exemplo que todos devem seguir. Devo mesmo estar a ficar velho pois associava, sobretudo, a submissão a uma fantasia sexual. A ter em conta este novo conceito de “ser submisso” é capaz de já não existir uma única pessoa que escolha a submissão como fantasia sexual. Estou velho!

o castigo mais estúpido que pais podem dar a um filho

(Conversa ficcionada)

Pai - “O nosso filho é um menino mal comportado. Estou farto dos comportamentos dele.”

Mãe - “Tens razão! Também estou pelos cabelos. Mas o que fazemos?”

Pai - “Vamos castigá-lo!”

Mãe - “Boa ideia. Mas o que fazemos?”

Pai - “Fica fechado no quarto.”

Mãe - “Isso já não pega.”

Pai - “Não vê televisão.”

Mãe - “Isso não faz nada!”

Pai - “Já sei!”

Mãe - “Que fazemos?”

Pai - “Vamos abandonar o puto numa floresta.”

Mãe - “Gosto disso!”

Pais e filho, com sete anos lá foram para a floresta.

Mãe - “E agora?”

Pai - “Agora vamos embora para ele chorar um pouco.”

Mãe - "Basta afastar alguns passos?”

Pai - “Isso é pouco. É melhor 500 metros.”

Mãe - “Bem pensado!”

Pais afastam-se. Depois voltam ao local. E ficam espantados porque o filho não está lá.

Como referi o diálogo é inventado. A história não. Um casal decidiu castigar o filho e para isso a criança foi abandonada numa floresta no nordeste do Japão, com os pais a afastarem-se 500 metros. A criança em questão esteve desaparecida durante dois dias numa região que é conhecida por ter ursos selvagens. A polícia procurou a criança e os pais mentiram, dizendo que o menino se tinha perdido enquanto andavam à procura de vegetais. Mais tarde confessaram o que tinham feito com o pai a assumir que não teve coragem de contar a verdade enquanto decorriam as buscas.

Gente desta deveria ficar imediatamente impossibilitada de ter uma criança ao seu cuidado. E deveriam ser também castigadas. E o castigo até podia ser o mesmo que foi aplicado ao filho. Estas duas pessoas podiam ser abandonadas num local com ursos selvagens. Assim, aproveitavam e procuravam vegetais.

o que vais fazer?

duas que estavam por dar. uma boa e outra má

Tinha duas que estavam por dar. Quem é como quem diz, duas sessões de cinema que estavam prometidas há muito e que tinham ficado em falta. Um dos filmes era Batman vs Super-Homem: O Despertar da Justiça. O outro era Deadpool. Gostei muito de um e fiquei muito desiludido com o outro.

Sou mais fã do universo Batman do que da equipa Super-Homem. Estava curioso para ver o desempenho de Ben Affleck num papel brilhantemente desempenhado por Christian Bale nos últimos filmes. E a verdade é que achei o filme muito mau. Muitas coisas misturadas que resultam num filme que ficou a uma grande distância de me agradar.

Acho também que é um filme muito mau para Ben Affleck fazer a sua estreia enquanto Batman. Foi para Ben tal como seria para qualquer actor que fizesse a sua estreia num papel tão emblemático. Para estreia não deveria distribuir protagonismo com alguém que já está adaptado ao papel, como é o caso de Henry Cavill. Misturando isto tudo, fiquei desiludido com o que vi.

Depois vejo Deadpool e foi uma lufada de ar fresco no mundo dos super-heróis. E coloco Ryan Reynolds no patamar de Chris Pratt enquanto actores habilitados a dar vida a super-heróis pouco convencionais. O humor do filme está genial. A acção é também muita. Só de pensar em algumas piadas começo já a rir sozinho para o computador. E se fiquei desiludido com Batman fico muito feliz por saber que para o ano existe um novo Deadpool.