28.6.17

violência doméstica. é por isto que os homens não sei queixam

A violência doméstica ainda hoje é muito associada às mulheres. Isto enquanto vítimas. Quando se fala de violência doméstica facilmente se imagina uma mulher que é vítima de violência física e psicológica por parte do marido ou do namorado. Mas a verdade é que existem muitos homens que também são vítimas das companheiras. E se muitas das mulheres não apresentam queixa por medo ou na esperança de que eles mudem, já os homens não apresentam queixa por outro motivo.

Um homem que leva porrada da mulher é um fraco. É assim que todo o mundo olha para um homem que se queixa da mulher. E foi isto que aconteceu na Argentina. Um homem foi à esquadra de Polícia queixar-se da mulher. E no momento de apresentar queixa foi-lhe dito que era "um maricas". Por vergonha, o homem passou a ocultar aquilo que se passava. Resultado: foi apunhalado pela mulher no coração e morreu.

Este exemplo que chega da Argentina é o reflexo daquilo que se passa. Porque existe a ideia de que um homem bater numa mulher é "normal". Todos condenam - assim o espero - mas olham para esta situação como a esperada num cenário de violência doméstica. Quando os papéis se invertem, o homem é um cobarde. Por isto é que os números relativos aos homens são mais baixos do que aquilo que acontece na realidade. Porque eles ainda têm vergonha de apresentar queixa. E quando apresentam, arrependem-se logo.

4 comentários:

  1. A humanidade está cheia de preconceitos. Um dos mais graves e também mais ridículos, é considerar que o homem é menos homem em muitas situações. O apodo de "maricas" que tanta gente aplica com a maior leviandade, é de uma enorme crueldade, inibe e envergonha quem o recebe. Deveria ser considerado crime.
    Os casos de violência domestica sobre o homem, existem sim. Toda a gente sabe disso. E se não são mais trágicos, é porque normalmente o homem não depende da mulher economicamente. Pode com facilidade "virar a mesa" e partir para outra. Coisa que a maioria das mulheres não pode fazer.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que nos dias que correm todos são independentes. Homens e mulheres. Creio até que é um dos factores pelos quais as pessoas não têm paciências umas para as outras e à mínima coisa vai cada um para seu lado.

      Abraço

      Eliminar
  2. Terá que haver sensibilização sobre a vítima homem, de modo a que todos possam ganhar essa consciência e ajudar. Há alguns anos, quando se começou a falar sobre a violência doméstica, acompanhei uma amiga à esquadra para ela prestar queixa do marido. A resposta do polícia foi: "Agora isso está na moda! Tudo é violência doméstica! Quer mesmo apresentar queixa?". Escusado será dizer, que a minha amiga estava com hematomas visíveis e trazia uma declaração médica do hospital onde tínhamos estado antes. Ela hesitou, e penso que se não a tivesse acompanhado, ela sairia de lá humilhada e sem fazer queixa. Hoje arrependo-me de não ter feito também queixa do agente. Espero que atualmente estas situações já não ocorram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente é o que temos. E estes pequenos exemplos podem fazer uma grande diferença na vida de uma pessoa.

      Eliminar