POWr Multi Slider

28.6.17

é por isto que gosto de lá ir

Este ano tive a honra e o orgulho de ser convidado para ser um dos embaixadores do Grant's Stand Together. Um extraordinário evento de storytelling. E digo isto porque já era fã antes de ser embaixador. Algo que está relacionado com o formato do evento. Que tem um anfitrião - Joaquim de Almeida - que recebe convidados conhecidos que contam histórias que as pessoas desconhecem. E que não costumam ser contadas noutros sítios.

Este ano voltei a ver Joaquim de Almeida emocionado. Fiquei fascinado com a forma como Samuel Úria contou a sua história. Ouvi algo impensável, Júlio Isidro a dizer palavrões. Ri-me (tal como todas as pessoas) de uma história bastante peculiar de Diogo Beja. E adorei cada momento da história contada por Ivo Canelas. Actor que admiro e que contou uma história fantástica que irei reproduzir aqui, de forma abreviada. E sem o brilhantismo da presença de Ivo Canelas em palco.

Numa determinada altura o ator estava no Algarve. E no final de mais um dia de trabalho decidiu ir correr. Algo de que gosta bastante. Até ao momento em que três ciclistas passam por si. Sendo que o último deu-lhe um apalpão. Daqueles à retroescavadora, como explicou. Referindo que é um apalpão traidor. Ivo Canelas chamou ao ciclista o senhor Salsicha Isidoro. Por considerar que os ciclistas têm todos roupa assim. Ou com publicidade ao atum.

Ivo "perseguiu" o ciclista. Que pedalava e se afastava do actor. Até que percebe que vai na direcção do hotel onde estava. Cortou caminho, chegou ao hotel, entrou no carro e foi atrás do ciclista. Que acabou por apanhar numa estrada nacional. E foi aí que se deu a vingança. Com o ator a devolver o apalpão. E não só. Antes que o ciclista conseguisse dizer uma asneira, Ivo Canelas beijo o ciclista na boca. "Apalpas-me a achas que não me beijas", disse (já não sei precisar se foi esta a frase correcta).

Agora é imaginar isto contado por um ator brilhante. Durante coisa de quinze minutos. Com todos os detalhes. Algo fantástico. E algo que não se vê noutro registo. Quem ainda não tem planos para o próximo fim-de-semana, irá realizar-se a edição do Porto. É por histórias como esta que o evento vale muito a pena. Fica a sugestão.

Sem comentários:

Enviar um comentário