5.12.16

o bom mau exemplo de um estilista

Tom Ford é apenas mais um caso de alguém que recusa vestir Melania Trump, a futura primeira-dama dos Estados Unidos da América. Esta decisão tem levantado alguma polémica mas consegue ser um bom e um mau exemplo. E começando pelo lado mau pode dizer-se que é uma decisão discriminatória. Quanto a isto não há dúvidas. E esta decisão é da inteira responsabilidade do criador. Se Tom Ford não quer vestir, não veste. Assunto encerrado.

Por outro lado, Tom Ford consegue dar um bom exemplo. Um dos argumentos para não vestir Melania Trump é por considerar que as suas criações são muito caras para uma mulher de um presidente norte-americano. E não está em causa se Melania (ou outra primeira-dama) tem dinheiro para comprar a sua roupa. O estilista considera que uma primeira-dama deve usar roupa mais barata de modo a estar mais perto dos cidadãos. E isto é algo com que concordo. Dando um salto até à realeza, basta ver o sucesso que pessoas como a rainha Letizia ou a duquesa Kate Middleton fazem quando aparecem com roupa com preços acessíveis, como é o caso da marca Zara.

Tom Ford só fica mal na fotografia quando defende tudo isto mas não tem problemas em vestir Michelle Obama. Porque isto já não bate certo com o seu discurso que considero acertado quanto à proximidade com o povo. E considero um erro transformar algo como as roupas de Melania num caso político contra o marido.

4 comentários:

  1. Obviamente que é uma afirmação política e a desculpa é absolutamente esfarrapada.

    Já agora, e pegando na comparação com a família real inglesa, é de notar que esta paga, do seu bolso, a roupa que compra (entre outras coisas). Quando se vê o selo de um membro da família real num produto, a indicar que o fabricante é fornecedor da família real, esse fornecimento é feito a preço de mercado e não a título gratuito, como acontece com a maioria das "celebridades".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se as pessoas soubessem como funcionam muitas celebridades.... Como por exemplo aquelas que vão às lojas comprar vestidos, usam num evento e vão devolver... E havia tanto para dizer.

      Eliminar
  2. Está no seu direito de não querer fazer negócio direto com uma família daquelas..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim. Só perde razão nos argumentos que utiliza.

      Eliminar