7.11.16

time is running out

A contagem decrescente para as eleições norte-americanas está perto do seu final. Estamos a poucas horas de saber quem será a próxima pessoa a ocupar uma das cadeiras mais importantes do mundo. E a escolha será entre o supostamente odiado Donald Trump e a supostamente amada Hillary Clinton. E digo supostamente porque creio que não existem assim tantas pessoas a odiar um nem tantas pessoas a amar outra. É uma imagem que se quer fazer passar. E não corresponde à realidade tendo por base as sondagens que dão uma ligeira vantagem a um ou ao outro candidato.

Acredito que Hillary Clinton ira vencer. Mas continuo a olhar para a candidata como um mal menor e não como a solução. Mas não ficarei surpreendido se Trump for eleito. E mais uma vez apoio-me nas sondagens. Aquilo em que acredito é que a vitória será, para qualquer dos lados, pela margem mínima. Não espero que a vitória seja por uma larga margem. Vamos ver...

Mas existem coisas que são bastante curiosas. Por exemplo, praticamente ninguém saberá quais as figuras públicas que apoiam Trump. É o caso de Peter Thiel, co-fundador do Paypal. Ou da actriz Kristie Alley e o actor Jon Voight. E ainda o excêntrico e antigo basquetebolista Dennis Rodman. Pode ainda ser dado o exemplo de Mike Tyson. Poucos devem saber que estas pessoas apoiam Trump. E provavelmente este apoio irá traduzir-se num pequeno número de votos.

Aquilo que todas as pessoas sabem é que meio mundo apoia Hillary Clinton. Figuras públicas, personalidades políticas e até meios de comunicação mostram abertamente o seu apoio à candidata. Já perdi conta ao número de personalidades que partilham vídeos a falar mal sobre Trump e a apelar ao voto em Hillary. Até Madonna já ofereceu sexo oral a quem votar na sua candidata. Isto tudo para dizer que apoio é algo que não falta a Hillary Clinton.

Mas com todo este apoio Hillary nunca conseguiu ter uma grande vantagem. E mais uma vez baseio-me nas sondagens, que valem o que valem mas que não costumam andar muito longe da verdade. E isto levanta a questão: como seria Hillary sem este apoio em grande quantidade? E ainda mais uma: porque será que existem tantas pessoas a (supostamente) querer votar em Trump? Resumir tudo à suposta ignorância dos norte-americanos é muito pouco. Há muito mais para discutir.

2 comentários:

  1. Há muito para discutir, e muito para ficar preocupado. A insatisfação conjugada com a ignorância nunca podem levar a bom porto. Concordo que a Clinton é um mal menor, e que não ficarei surpreendida se o Trump ganhar (mas vou certamente ficar aterrorizada), e concordo também que convém perceber as razões de base do porquê de tantos americanos apoiarem alguém que abertamente se vangloria da sua falta princípios morais.

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não estou nada surpreendido com a vitória dele.

      Eliminar