26.7.16

hoje é um dia muito triste para mim

"Dia dos Avós! Para onde quer que olhe vejo uma mensagem linda sobre os avós. Sobre aquilo que são. Enaltecendo qualidades, esquecendo defeitos e reforçando a importância que têm nas vidas das pessoas. Blogues, twitter e facebook estão repletos de mensagens bonitas, que me tocam no coração e que me emocionam.

Se isto me devia fazer sorrir? Devia! Se faz? Não. Se me devia deixar alegre? Devia. Se deixa? Não. Num dia que deveria querer sorrir, só me apetece chorar e espero ansiosamente pela hora em que me vou deitar, acordando no dia seguinte ao dia dos avós.

Neste dia, recordo os momentos bons que vivi com os meus avós. Lembro-me dos sorrisos, das brincadeiras, dos momentos que não voltam mas que nunca esquecerei. Tudo isso está presente na minha memória e coração. Mas, por mais que tente, não consigo esquecer nem apagar da minha mente o facto de já não os ter comigo. De não lhes poder ligar hoje a dizer que os amo, que tenho saudades dos seus beijos e que adorava leva-los a jantar comigo.

Não consigo esquecer que certo dia, enquanto fazia o jogo da minha vida, o meu avô lutava pela dele no hospital. Não me esqueço que cheguei a casa e que tinha uma mensagem a informar que o meu avô tinha sido internado. Não me esqueço de o visitar e dele me prometer que ia sair do hospital para me ir ver jogar ao Algarve. Infelizmente, esta promessa não foi cumprida. E hoje, queria estar com o meu avô para lhe dizer que não faz mal não ter ido e que a culpa de não ter ido não foi dele.

Quis o destino que anos mais tarde voltasse a jogar nesse mesmo campo. Quis o destino que voltasse a jogar extremamente bem. Quis o destino que quando voltasse a casa ouvisse mais uma má notícia. Quis o destino que a minha avó fosse para o hospital. Quis o destino que a minha avó não voltasse a sair do mesmo. E hoje, só queria poder abraça-la para lhe dizer que a amo e que sinto a sua falta.

Por isso, por mais que queira, por mais que me esforce, por mais que lute, não vou sorrir hoje. Vou usar uma espécie de escudo que vai impedir que percebam a minha tristeza e a dor que me vai consumir até ao final do dia. E se tiver que chorar, irei chorar recordando aquilo de bom que vivi com duas pessoas maravilhosas e que muita falta fazem a este mundo cheio de inveja e maldade."

Escrevi este texto em 2012. E nada mudou desde então. A sensação deste dia continua a ser a mesma.

2 comentários:

  1. Como eu o entendo! Perdi a minha avó à dois meses e ate hoje doi tanto. Será que esta dor tende a passar ou vai ficar por cá? Quanto tempo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A dor acredito que passe. A saudade nunca passará.

      Eliminar