25.5.16

gordas não cabem na política de saúde e fitness


Esta imagem da modelo Tess Holliday levou-me a descobrir que a rede social Facebook tem uma "política de saúde e de fitness". Fiquei a saber que esta imagem, que fazia parte de uma campanha para promover a diversidade e o bem-estar da mulher em relação ao seu corpo, viola a tal política, tendo sido banida da rede social por mostrar partes do corpo de maneira indesejável.

Explica a empresa de Mark Zuckerberg que "estes anúncios não são permitidos porque fazem com que os utilizadores se sintam mal consigo próprios. Por isso, recomendamos o uso de uma imagem de uma actividade como correr ou andar de bicicleta", dizem. Após uma reclamação da organização feminista, que tinha criado a campanha da qual esta imagem faz parte, o Facebook acabou por assumir a existência de um erro tendo ainda efectuado um pedido de desculpas. Acrescentam ainda que é comum existir uma imagem que seja proibida de forma incorrecta tal é o número de imagens que são analisadas diariamente.

Esta política é realmente fantástica, sendo que fica por explicar quais as pessoas que são abrangidas pela mesma. E ficam algumas questões no ar: será que os gordos só podem publicar imagens se estiverem a correr ou a andar de bicicleta? Outro argumento interessante é o de que as pessoas se sentem mal consigo próprias ao ver imagens destas. Posso estar errado mas acho que é o oposto. Acredito que mais facilmente as pessoas se sintam mal com imagens de pessoas (homens ou mulheres) com corpos considerados perfeitos. Acho muito mais fácil que isso aconteça com essas pessoas e não com imagens como a de Tess. Acredito que fotografias destas conseguem fazer com que as pessoas se sintam bem com o corpo que têm e que aos olhos da sociedade é imperfeito.

Por outro lado, defendo que se deve promover a saúde e não a imagem física das pessoas. As pessoas devem ser alertadas para os perigos do excesso de peso e para o risco que isso implica na saúde de cada pessoa. Este deve ser o tema a debater em vez de existirem guerras entre gordos e magros porque a estética é irrelevante. Aquilo que interessa mesmo é a saúde. É certo que se pode (e deve) debater a temática que diz respeito a que as pessoas se sintam bem com o corpo que têm mas sempre associada à saúde. E por vezes parece que a saúde é irrelevante e o que importa é a beleza.

E não é a banir fotos de pessoas consideradas gordas que dá um passo neste sentido. Banir imagens que são consideradas pouco saudáveis por alguém que criou uma política de saúde e fitness é varrer o problema para debaixo do tapete. É fingir que não existem pessoas com excesso de peso. É fingir que não existem pessoas com excesso de peso que se sentem mal com a censura constante. É também fingir que não é importante que as pessoas se sintam bem da forma como são. E é também ignorar que existem pessoas com excesso de peso que são realmente felizes e que se sentem bem como são.

6 comentários:

  1. Honestamente acho que o retirarem as fotografias de 'gordos', as pessoas 'gordas' se vão sentir pior ainda. Seria bem mais interessante partilharem fotos de, seja quem for, gordos ou magros, a fazer exercício, do que o que estão a fazer.

    ResponderEliminar
  2. O Mark Zuckerberg não se esqueça que a gordura pode desaparecer mas que a pila não cresce --

    ResponderEliminar
  3. Tinha uma amiga e colega de trabalho que era do "tamanho" da menina da foto. Usava mini saias, tops,etc. As pessoas ficavam chocadaa. Eu sorria e queria que muita gente com um corpo mais esbelto tivesse metade da auto-estima que ela tinha : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem "gordos" que têm muito a ensinar aos "magros" :)

      Eliminar