11.4.16

diz que são quatro anos disto

Fui ver a data do primeiro texto publicado no blogue e apercebi-me de que foi ontem. No dia 10 de Abril de 2012 ganhava vida este blogue. E parece que estou a ver-me sentado e a criar, em coisa de meia hora, a casa de madeira que foi a primeira versão do blogue. Quando o blogue ganhou vida estava longe de imaginar que passados quatro anos teria a dimensão que tem. Nunca passou de uma coisa simples onde poderia guardar algumas memórias que poderiam ser recordadas mais tarde, ideia que ainda hoje mantenho.

Ainda hoje, apesar de ser mais complicado de controlar (sem que isso represente qualquer problema), poucas pessoas sabem quem sou, quem é a pessoa que dá vida aos textos que aqui vão aparecendo. O que é certo é que, e isto ainda me espanta nos dias que correm, passados quatro anos são mais de quatro mil textos publicados, mais de 85 mil comentários e quase três milhões de visualizações. Somos mais de 1200 seguidores aqui e mais de três mil, tanto no instagram como na página de facebook.

Escrever diariamente no blogue tem sido uma experiência divertida e um constante desafio. Partilhei aqui muitos momentos felizes. Refugiei-me aqui em muitos momentos menos bons. Partilhei alegrias. Dei a conhecer medos e receios. Já ri muito, já escrevi com vontade de chorar (ou mesmo a chorar) e com medo de que tanta coisa pudesse acontecer. Graças ao blogue conheci pessoas maravilhosas, sendo que algumas delas estavam bem perto de mim. Cresci com momentos de partilha e tentei dar o meu melhor sempre que me foi solicitada alguma ajuda.

Não existem palavras que façam justiça à sensação de receber um email de um estranho, isto no sentido de ser alguém que não conhecemos pessoalmente, que tem uma palavra amiga para dizer, algo para partilhar ou mesmo um conselho para solicitar. Ou alguém que escreve apenas para perguntar como está a minha mãe, isto na altura em que lutava contra um cancro. Se não existisse este blogue não teria conhecido pessoas tão extraordinárias e que têm ficado na minha vida.

Para a história ficam pequenas coisas como uma corrida junto ao rio, a angariação de alimentos (e outros bens) para ajudar uma instituição que é fundamental na vida de tantos animais e ainda o dia em que um “pequeno” grupo de pessoas conseguiu fazer sorrir uma família especial que necessitava de ajuda. E são momentos destes que marcam, que ficam para sempre, que fazem com que a pessoa se sinta minimamente importante e que perceba ter feito algo de útil sem pedir nada em troca.

Mentia se dissesse que o blogue já não esteve para acabar ao longo deste tempo. Existem momentos em que penso já nada ter para dizer. Existem alturas em que questiono se vale, ou não, a pena dar continuidade ao que já foi feito. Quando recordo tudo isto torna-se impossível acabar com o blogue. Fica sempre a vontade de fazer algo mais, até porque existem diversas ideias guardadas na gaveta e outras coisas que vão ganhar vida em breve e que superam qualquer expectativa que pudesse ter criado.

Como referi no início do texto criei o blogue como sendo algo simples e meu. E aquela casa de madeira não mudou. Apenas viu as paredes pintadas em alguns momentos. Nesse aspecto, quando o blogue mudar a essência que lhe deu vida irá acabar em pouco tempo. Mas, e mesmo tendo isto em conta, é impossível não agradecer, de forma especial, a cada uma das pessoas que aqui passa. Se são quase três milhões de visualizações é por causa de cada uma das pessoas que dedica parte do seu tempo a ler aquilo que vou escrevendo. A dimensão deste blogue é da inteira responsabilidade de quem por aqui passa. Por isso o meu eterno obrigado a cada um de vocês. O blogue existiria sem a vossa companhia mas não seria a mesma coisa. Muito obrigado!

13 comentários:

  1. Parabéns, e continua sempre fiel ao teu canto e com estórias para contar.

    ResponderEliminar
  2. O casamento não acrescenta felicidade, mas lá que é uma festa muito bonita é sem dúvida. Digo eu que casei duas vezes com o mesmo homem e sem nunca nos termos separado. Em 69 no registo civil do Barreiro e em 72 na Catedral de Nampula em Moçambique.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto de histórias de amor assim :)

      Abraço e boa semana.

      Eliminar
  3. Pois que venham mais quatro. Gosto de o ler, mesmo quando não comento.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  4. 4anos passaram a correr...imagino:)
    eu encontrei te mais ou menos a dois...e é um gosto fazer parte dos 1200seguidores...espero que o continues a fazer com carinho...que eu seguirei com carinho tb...
    um brinde a ti e ao teu blogue :)
    4anos já é um menino crescidinho...e vai continuar e bem gracas a ti
    sucesso...bjinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito bom ter-te por aqui e assim espero que continue. Terás sempre o teu lugar por aqui :)

      Muito obrigado pelo carinho.

      Beijos

      Eliminar
  5. 4anos passaram a correr...imagino:)
    eu encontrei te mais ou menos a dois...e é um gosto fazer parte dos 1200seguidores...espero que o continues a fazer com carinho...que eu seguirei com carinho tb...
    um brinde a ti e ao teu blogue :)
    4anos já é um menino crescidinho...e vai continuar e bem gracas a ti
    sucesso...bjinho

    ResponderEliminar
  6. Parabéns! A si e ao blog ; )
    Conheci o seu blog faz perto de um ano e fiquei por câ. Gosto do que leio, parece-me uma pessoa inteligente, equilibrada e com bom senso e coração. É muito mais do que vemos por aí : )
    Continue pq muitas vezes mudamos a vida das pessoas, até sem dar conta :)

    Um bem haja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sei o que dizer. Muito obrigado pela simpatia :)

      Eliminar