1.3.16

existe um lado "negro" na maternidade ou tudo são rosas?

Uma jovem mãe brasileira recusou participar numa "corrente" que circulava nas redes sociais e que desafiava mães a revelarem a felicidade das mulheres que têm filhos. Em vez disso, aquela mãe escreveu algo como "amo o meu filho mas odeio ser mãe" e partilhou imagens com um ar exausto a fazer as habituais tarefas de uma mãe. Explicou também o seu ponto de vista com base nas dificuldades do início de vida do filho, salientando que voltava a ter a mesma experiência mas que ser mãe tem um outro lado que algumas pessoas escondem.

Como seria de esperar, este desabafo no Facebook originou muita críticas com diversas pessoas a denunciarem a sua página que acabou por ficar bloqueada durante doze horas. Já depois da polémica a mulher voltou a explicar que ama o seu filho, que gosta da experiência de ser mãe mas que existe um outro lado complicado, no seu caso específico, os primeiros meses de vida do filho. Diz esta mãe que o prazer acaba por vir depois e compensa os tempos complicados. Mas isto não invalida que que se esconda o outro lado da maternidade.

Pegando em toda esta polémica, existe ou não um lado b na maternidade? Ou será que existe apenas aquele lado romântico cheio de clichés que todos os pais partilham. Ou será ainda que existe o tal lado b mas que nenhuma mãe ouse desabafar sobre o mesmo pois será logo apelidada de "monstro" e de má mãe? Por outro lado, assumir este lado b, e todos os aspectos "negativos" do mesmo, significa que a mulher não gosta de ser mãe?

30 comentários:

  1. Olá :)
    Não há situação alguma na vida que não tenha o seu "lado b", é a realidade. E isto aplica-se mesmo a quem tem um emprego de sonho, a uma relação 5 estrelas, a tudo e todos. E não tem que haver vergonha alguma em admiti-lo. Por isso, aplaudo esta mãe pela sua coragem de desabafar. Confesso que sempre me tirou do sério a tendência de algumas mães e pais, que eu apelido de "seita das fraldas", em nos quererem atirar areia para os olhos, o discurso em que nos tentam forçar o conceito de maternidade como sendo um mar de rosas, 24 h por dia, 7 dias por semana. Respeito mil vezes mais as pessoas com capacidade de serem honestas, que afirmam sem pudores que sim, é maravilhoso, mas dá trabalho, cansa, mói, exige enormes sacrifícios e nos piores dias até pode haver um ou outro momento de arrependimento.
    No que toca a esta questão de ter filhos acho que o discurso honesto sobre as alegrias e as dificuldades é mais benéfico. Acho que esta coisa de dourar a pílula e esconder o menos bom só incentiva pessoas despreparadas a meterem-se numa aventura que não deveriam, pelo bem das crianças.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto dessa perspectiva. E não considero que uma mulher seja pior mãe por revelar descontentamento (momentâneo) com alguns aspectos menos positivos.

      Eliminar
  2. Sim, existe um lado cinzento na maternidade.
    São as longas noites sem dormir e a correria do dia-a-dia que nos impede de saborear aquele novo mundo. Apesar do amor pelo nosso filho ser incomparável, existem momentos que nos levam ao limite - físico e mental.
    É um novo mundo com coisas boas e coisas más.
    Nem tudo é um mar de rosas. Felizmente o tempo passa, as noites acalmam e as crianças ganham alguma autonomia.
    Ser mãe é a melhor coisa do mundo, mas como em tudo: não há perfeição.
    Por outro lado, há aquelas mães com um suporte familiar que lhes permite deixar a criança com os avós/tios e conseguem recuperar alguma sanidade mental e fisica. Outras nem chegam a sentir esse cansaço porque passam tão pouco tempo com os filhos que nem dão por ela.
    Há de tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É como no chinês :)

      Brincadeiras à parte, abordas diversos temas interessantes.

      Eliminar
  3. Eu não sou mãe, mas da minha experiência com amigas, sim.. há um lado negro :D

    Mas que, lá está, passa com as experiências boas que vem depois como uma recompensa.

    Para mim tem si do um óptimo mata-relógio biológico. Para mim, nem pensar :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que qualquer pessoa ouve histórias do lado b contadas pelas amigas.

      Eliminar
  4. Existe sim! O lado A, o B, o C... todo um alfabeto.
    Ser mãe é dos maiores desafios que temos. Dos mais compensadores é certo, mas dos mais difíceis. E doce também.
    Em 24 horas de maternidade há de tudo: alegria, frustação, abraços, gritos, risos, choros, calma, frenesim, aceitação, sentimentos de culpa, enfim... poderia estar aqui a manhã toda...
    E o mal da nossa sociedade é que não querem dar espaçao às mães para serem mães... se amamentam tem que ser às escondidas dos olhares alheios, se não amamentam são egoístas, se trabalham fora são mães ausentes, se ficam em casa são preguiçosas, se se sentem felizes é ilusão, se estão tristes são más mães...
    Sabes? Tens que ter a autoestima suficientemente bem estabelecida para seres a mãe que queres/podes ser e não ligares às críticas.
    E o meu papel como mãe é criar futuros adultos com essa autoestima muito bem defenida para que sejam sempre felizes com as suas escolhas.
    E isto é ou não a tarefa mais difícil do mundo? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só de ler soa a complicado ;)

      E acho que consegues tocar em muitos pontos que davam para tantas horas de boa conversa.

      Obrigado pelo excelente comentário.

      Eliminar
  5. Existe um lado negro, e depois existo o lado MUITO negro, que é quando passamos a ser mãe de adolescentes. Em tudo na vida há o lado A e B e quem diz que não é mentira. É como e falo por mim atenção, no meu primeiro filho assim que mo tiraram eu estava morta, cansada, 16 horas de parto, um sofrimento daqueles, se me trouxessem o filho da vizinha do lado eu acharia que era o meu, porque não o conhecia pelo cheiro nem nada dessas coisas que se falam por ai. Claro que depois de o ter ao colo de olhar para ele, ai ate de olhos fechados. É como o amamentar, que é maravilhoso, que é único, sim é até correr tudo bem, porque se o sangue escorrer ao mesmo tempo e te cair os ditos deixa de ser maravilhoso e o que é um acto de amor passa a ser de um sofrimento atroz para a mão. Aiiiiii eheheheheh Pronto está aqui o meu lado. Amo os meus filhos, mas sim há o lado B. Adelaide

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é bom que esse lado seja falado sem que se faça dele um monstro.

      Eliminar
  6. Quando fiquei gravida, fiquei logo a saber que eram gémeos! quando me perguntavam se era menina ou menina, dizia que um é menino, outro ainda era surpresa, as mulheres olhavam para mim com cara de pena, do tipo "antes tu do que eu", e diziam-me que se um custa tanto, nem queriam imaginar 2!
    Os homens, por incrível que possa parecer, tinham uma reacção muito mais afável, quase que festejavam comigo a mesma alegria, juro que é verdade!

    A vida quis que viessem mais cedo do que previsto, que a surpresa se revela-se uma menina, linda é claro! Mas também vinha com um coração cheio de defeitos.
    Isto para dizer, que sim existe sim um lado b, uma lado negro, pode não ser para todas as mães e ainda bem que assim é, mas quando os nossos filhos são saudáveis a dificuldade é grande, vi muitas amigas chorarem por não entenderem porque o filho de 2 meses chorava sem parar, e sem razão aparente!

    Senti que a maternidade tinha sida matreira comigo, e como a aquela mãe de que fala, também eu amo meus filhos, nada nem ninguém poderá alguma vez dizer o contrario, mas não gostei nada de nada ser mãe, podem achar que é egoísmo, mas não podemos condenar a, b, ou c, sem nunca lhe ter calçado os sapatos!
    Para não falar, que raro é a mãe que tem coragem de admitir que os dias cinzentos são mais frequentes, do que os dias cheios de ternura e felicidade, acho que ainda é um tema tabu entra as mães, coisa que não consigo perceber, deveríamos ser sinceras e verdadeiras, custa e custa muito, mas vale a pena, poder festejar o primeiro sorriso/gargalhada,o primeiro dente, os primeiros passos, e assim sucessivamente.

    Os meus meninos são a minha vida, se tivesse que voltar no tempo, fazia tudo de novo, e sabem porquê? Porque cada batalha travada até hoje foi vencido e vê-los triunfar desde o dia em vieram ao mundo, é a minha maior felicidade, mas isto tudo, não invalida que não, não gosto de ser mãe!

    Desculpa tagarelice!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só tenho de agradecer este excelente testemunho/comentário. Faz falta que mais mães tenham a coragem de dizer este tipo de coisas. Até para que as pessoas percebam que existe esse lado b e que só valoriza ainda mais o lado a.

      Eliminar
  7. Olá!não sou mãe, mas estou naquela idade em que vejo as minhas amigas todas a serem. E acho que esse lado negro começa logo na gravidez com as restrições a que ficam sujeitas e as hormonas a tomarem conta das atitudes.
    Ser mãe é a profissão mais nobre e mais reconhecida no mundo, em todas as culturas, e como tal também tem dias chatos.
    Ainda bem que há mulheres que são sinceras e não se escondem atrás de fotos perfeitas nas redes sociais.
    :)

    ResponderEliminar
  8. Existe um lado b, um lado c,... Acho que existe o lado do abecedário todo!
    Sou mãe e gosto muito, queria (às vezes) ter mais (já são 3), mas por vezes dá-me vontade de fugir. Acho que simplesmente me fazem falta as pausas por mais do que umas horas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E faz falta que se diga este tipo de coisas sem qualquer receio.

      Eliminar
  9. Olá :)
    Sou mãe, falo por experiência propria. Claro que sim, é um lado negro, nem tudo é um mar de rosas. Ás vezes apetece-me desaparecer e que tudo voltasse a ser como antes (antes de ser mãe), não ter horários, responsabilidades, enfim... mas depois tudo o resto, as coisas boas, conseguem superar as más. Felizmente. Amo a minha filha, nem sequer sabia que poderia existir um amor tão grande antes de ser mãe, é quase inexplicável, mas é dias e dias.

    beijinhos
    Liliana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E nada do tal lado b irá abalar aquilo que sentes :)

      Beijos

      Eliminar
  10. Não há o lado a) nem o lado b)... existe o lado M) da maternidade. É basicamente como a vida comum: tem os seus dias bons e os seus dias maus.

    No meu caso pessoal, tenho uma criança maravilhosa, da qual não me posso queixar de cólicas, de muitas noites mal dormidas ou o que quer que seja do género. Mas claro que não é fácil tu mudares a tua vida de um momento para o outro! Há dias melhores e dias bem piores.

    A maternidade mudou a minha vida, e mudou-me a mim enquanto pessoa. Posso dizer que tive uma depressão pós-parto e que não foi fácil. As pessoas não sabem o quão fácil é cair nestas depressões... e esse para mim foi o pior lado de todos.

    No entanto, quando estou no trabalho e começa a chegar o final do dia, já conto os minutos e segundos para ir a correr para os braços do meu bebé! Não há amor no mundo igual. Podemos dizer que amamos muito esta ou aquela pessoa, mas depois de termos um filho... não há amor como este. Cresce de dia para dia; é algo único e maravilhoso. Sem explicação! :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por este testemunho tão sentido.

      E gostei muito desse lado m :)

      beijos

      Eliminar
  11. Tanto haveria a dizer sobre isto... definitivamente um lado negro!
    É a mudança abismal de vida, alterações hormonais e mais sei lá o quê que culminam num bebé a chorar sem motivo, noites sem dormir, desespero com o ganho de peso, gente que parecem abutres a quererem tirar pedaço sem respeitar o espaço. Sentimos que somos incapazes, que estamos a fazer algo de muito errado...
    Mas depois... um sorriso, um olhar, um mimo e tudo vale a pena! Mesmo! O amor é o maior de todos mas também tive de abdicar de muito. A minha vida teve uma mudança gigante: fui ao cinema 1X desde que nasceu, não tenho praticamente suporte familiar nenhum, ando a dar voltas e mais voltas para conseguir tempo para o exercício físico e não está fácil... mas acho que basicamente: por muitas coisas más que tenha não trocava a existência dela por nada na vida.
    A tendência que as pessoas têm de apontar dedo por uma opinião diferente da maioria é simplesmente patética. Devia premiar-se a sinceridade e não o critica-la.

    Abril de Sonho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ser mãe é mesmo isso, essa ginástica de que falas :)

      Eliminar
  12. Claro que existe - bem vejo a minha mãe, que "nasceu para isto", é uma mãe exímia, nunca, mas nunca nos falhou com nada, e que com dois filhos adultos continua a andar de coração nas mãos e sempre em trabalhos. Com o amor vem a responsabilidade, e essa pesa. E já nem estou a falar das depressões pós-parto, essas que fazem com que quem está à volta se preocupe mais em dizer mal da mãe que não gosta de ser mãe, mas gosta do filho, do que em tentar ajudar...

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O desabafo daquela mãe afinal é algo com que a maioria das mães se identificam. E os comentários aqui deixados provam isso mesmo, que existe esse lado que em nada belisca o amor que se sente.

      Eliminar
  13. Há muitos chlichés mas o lado b é uma realidade, existe mesmo!!!! Admiro esta mulher por ter tido a coragem de se lançar aos lobos Lol E ela não é pior mãe, simplesmente é mãe :-D A maternidade é feita disso mesmo e por isso é que se torna tão especial.

    ResponderEliminar
  14. Sou mãe, mas acho que não é preciso sê-lo para ter noção que, obviamente, há um lado b. Sim, é cansativo, mói, requer esforço e sacrifício, responsabilidades... mas eu acho que é tudo compensado e é a melhor coisa da minha vida. Apesar de tudo, ser mãe é algo que nada pode substituir. Compreendo que haja pessoas que não o queiram para a sua vida. Mas é uma sensação que nada no mundo é capaz de igualar ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A reacção às palavras daquela mãe fazem com que pareça que disse a maior barbaridade do mundo quando afinal disse a verdade.

      Eliminar
  15. Claro que existe o "lado lunar" da maternidade!
    Ao lado de um mar de rosas, estão sempre os espinhos! É preciso não nos esquecermos deles... Eles estão lá, e não é por isso que a rosa é menos bonita e encantadora!

    Beijinhos e Bom fim de semana!

    ResponderEliminar