5.2.16

uma má notícia pela manhã

Fiquei a saber que um antigo treinador, com quem tive o prazer de trabalhar em dois clubes e que sempre acreditou em mim, está muito mal de saúde. Muito mal mesmo. É uma daquelas notícias que nunca queremos receber e que representam sempre um grande choque. Mas em vez de pensar naquilo que se adivinha, para um futuro mais ou menos próximo, prefiro recordar dois momentos vividos com este treinador.

A primeira vez que trabalhei com este treinador foi no Amora. Na altura era juvenil e comecei a jogar, em alguns jogos, nos juniores, equipa treinada por ele. Mais tarde, quando passei a sénior fui treinado por ele no Beira-Mar de Almada. Num determinado jogo começou a refilar com o árbitro. “É sempre contra nós!”, gritava em fúria. “Sempre a mesma coisa. É sempre contra o Amora”, gritou, numa altura em que treinava o Beira-Mar de Almada.

À esta brincadeira recordo outro episódio que é uma lição de vida para quem quiser aprender algo. Numa determinada semana passou os treinos todos a dizer a um dos guarda-redes que era o melhor da Europa. “És muito bom”, dizia. “Ninguém te marca golos”, acrescentava. “És o melhor guarda-redes da Europa”, dizia. E o guarda-redes todo contente. Elogiava um guarda-redes e ao outro nada dizia. Até que chega o dia do jogo. E o melhor guarda-redes da Europa não está no onze inicial, fica no banco. E questiona o treinador. “Mister, sou o melhor da Europa e não jogo?”, perguntou-lhe. “Tu és o melhor da Europa mas ele [o outro guarda-redes] é o melhor do mundo. Por isso é que vai jogar ele”, respondeu.

Existem diversas leituras que podem ser feitas a esta forma de lidar com os atletas. Elogiou um, que ficou todo contente com o que ouvia. Nada disse ao outro, que não teve outra hipótese que não fosse trabalhar para ser ainda melhor guarda-redes, quem sabe para vir a ouvir elogios. O elogiado acomodou-se às palavras. Se era o melhor não precisava de mostrar nada. O outro trabalhou muito mais e ficou com o lugar naquele jogo. Quando pensar neste treinador nunca irei esquecer estes dois momentos.

2 comentários: