POWr Multi Slider

19.1.16

pu**, cabra, pu**, cabra

Hoje conheci a história de um homem que em tempos ia para o café que sempre frequentou. Este homem tinha uma particularidade. Supondo que estava sentado ao balcão e que ao seu lado estava uma mulher de quem não gostava começava a murmurar coisas como “Puta! Cabra! Puta! Cabra”. As palavras eram quase imperceptíveis. Mas, caso a pessoa ao lado se apercebesse de algo e reagisse questionado o que tinha dito, simplesmente respondia: “nada!”. Momentos depois prosseguia com as ofensas. “Puta! Cabra! Puta! Cabra”. Assim era este homem naquele café.

Este homem pode ser visto como a massificação das redes sociais ainda antes de fenómenos como o Hi5 e o Facebook terem visto a luz do dia. Porque nos dias que correm é assim que funcionam as redes sociais. Não se gosta desta nem daquela, cria-se uma conta falsa, usa-se um nome falso, ou (raramente) recorre-se à conta verdadeira para dizer algo semelhante a “puta e cabra”. Algo que aquele homem já fazia longe de um computador.

Um dos piores aspectos das redes sociais prende-se mesmo com a forma como acontecem este tipo de manifestações negativas. Ignorar não é hipótese. Reagir de forma cordial dá trabalho. Explicar um ponto de vista diferente é um processo a que poucos se dão ao trabalho. Por isso, não há nada que uma “puta” ou um “filho da puta” não resolvam. A pessoa x partilha uma opinião com que alguém não concorda. A reacção é “és mesmo um filho da puta”. E esta reacção tanto se aplica a algo mais polémico como a alguém que diz que não gosta de ervilhas ao almoço. Serve para tudo.

Quando na realidade ninguém funciona assim. As pessoas que têm estas reacções, pelo menos na sua maioria, não reagem assim na vida real. Não resolvem os problemas com “putas”, “cabras” e “filhos da puta”. Até porque existe sempre o receio da reacção da pessoa com quem estão a interagir. Porque a realidade é que por mais maluca que seja a pessoa, existe sempre alguém ainda mais maluco. Sem esquecer que conviver em sociedade obriga a outras coisas que vão muito além das asneiras que se dizem.

E se as pessoas não são assim na vida real, porque insistem em ser assim nas redes sociais? E basta, por exemplo, ler as caixas de comentários de qualquer site de notícias para perceber aquilo que estou a tentar explicar. E este fenómeno, que está a crescer, consegue ser assustador. O comentário a uma notícia passa, em breves segundos, a uma troca de bocas entre duas pessoas que se cruzaram naquela caixa de comentários. E em breves segundos podem existir ameaças e desejos de morte. Algo completamente assustador.

11 comentários:

  1. Hoje fiz um post sobre uma notícia e comentei isso mesmo "Como pude constatar pelos comentários, há muita gente que se insurge ao ler isto e, inclusivé, insulta a senhora pela sua opinião. Será que algum dia iremos aprender a discordar sem partir para o insulto?". Tornou-se uma coisa tão banal... porque argumentar dá trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As redes sociais, pelo anonimato e distância física, potenciam isso.

      Eliminar
  2. Não tenho por hábito ler os comentários às notícias e nunca me tinha apercebido disso. Ontem fui tomar café com uma amiga que me falou nisso e me disse que por causa de um comentário foi insultada, e mais, a pessoa seguiu-a ao blogue para a insultar também lá, pelo que ela tinha activado a moderação dos comentários por causa disso.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um exercício que todos deveriam fazer. Ler caixas de comentários de notícias polémicas e mesmo de outras banais.

      Abraço

      Eliminar
  3. Passei por isso há uns dias e mesmo assim, a coisa não acabou, mas eu calei-me,no entanto senti raiva, por gozarem com coisas sensíveis. Só por isso e por gozarem comigo, com quem me segue e comenta. E blogs não são o blogs, há pessoas por trás

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As redes sociais potenciam situações que as pessoas não fazem diariamente. É um dos lados negativos das redes sociais.

      Eliminar
  4. Eu até respeito o facto de que todos temos direito à nossa opinião, mas quanto a um determinado assunto, mas o que vejo muitas vezes nas redes sociais e afins são comentadores que se acham no direito de ter opinião sobre a vida das outras pessoas e isso deixa me estupefacta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me deixa boquiaberto é a quantidade de asneiras que são ditas.

      Eliminar
  5. Infelizmente tens toda a razão, e há cada vez mais pessoas assim.

    ResponderEliminar
  6. o sr. do café teria claramente problemas mentais, os comentadores anónimos (os que insultam e enxovalham e não gostam de ser contrariados) também andarão perto disso...

    ResponderEliminar