27.1.16

objectificação da mulher. de quem é a culpa?


A temática “objectificação da mulher” nunca irá passar de moda. Acredito que discutir este tema será constantemente actual. Por mais mudanças que existam no mundo este tema, como tantos outros, acabará por mudar também, algo que fará com que o debate também permaneça em destaque. E muitas das discussões vão ser em torno dos culpados. Afinal, quem é que tem culpa neste caso? Os homens? As próprias mulheres? A publicidade? Ou outra coisa qualquer?

O vídeo que aqui partilho é recente e é capaz de ser das melhores campanhas que vi em torno deste tema. A ideia parte de uma pesquisa feita no Google sobre o tema e depois diferentes mulheres analisam a forma como foram representadas em determinado anúncio, sendo ainda possível observar partilhas nas redes sociais.

Para ponto de partida da discussão nada melhor do que falar de Madonna Badger, a autora desta campanha e a pessoa que ficou chocada com o resultado da pesquisa efectuada na internet. E é bom começar por aqui porque Madonna Badger é a autora de alguns anúncios da Calvin Klein (aqui) que tratam a mulher tal e qual como os anúncios que constam nesta campanha, o que levou a que assumisse que já foi parte do problema.

Este vídeo levanta também outras questões. Por exemplo, são mostrados anúncios que têm como público alvo as mulheres. São publicidades que têm produtos que muitas mulheres desejam sem criticar o conteúdo que lhes deu a conhecer o produto que passam a querer. No vídeo é também possível encontrar diversas partilhas, nas redes sociais, efectuadas por mulheres. Saindo desta campanha e permanecendo nas redes sociais é muito fácil encontrar dezenas de milhares de fotos, e este é apenas um exemplo, de mulheres que usam o corpo (e a pouca roupa) para promover o exercício físico. E abordo isto apenas para trazer as mulheres para a discussão.

O caminho mais fácil seria dizer que a culpa da objectificação da mulher é da inteira responsabilidade do homem. Ou das campanhas publicitárias. Mas esta campanha, ou a autora da mesma, mostra que também elas são responsáveis por diversas campanhas. As imagens nas redes sociais mostram também que muitas mulheres não precisam de homens que as tratem como objectos porque conseguem fazer isso sozinhas. Mas, e isto também tem de ser dito, a culpa delas não anula a culpa deles. Porque seria falacioso varrer a culpa para elas e sacudir as mãos como se nada fosse.

Muitos homens também têm culpa no cartório. Muitos homens (infelizmente) ainda tratam as mulheres como objectos. E isto pouco tem para discutir por ser a pura verdade. O ponto que esta campanha levanta, pelo menos quando se conhece a história da autora, é que também as mulheres têm culpa. Mas nem todas têm a capacidade, como Madonna Badger teve, de assumir o erro e corrigir aquilo que se critica nos outros.

Resumindo, e talvez seja um dos motivos pelo quais esta discussão será sempre actual, todos têm culpa. Todos cometem erros. A diferença, pelo menos uma pequena mas importante parte dela, está nas pessoas que querem que o outro lado do mundo mude aquilo que criticam enquanto não percebem que seria muito mais fácil mudar aquilo que se faz de errado.

6 comentários:

  1. É verdade que existem campanhas publicitárias que nos fazem parecer puros objetos, mas o problema não está aí, visto que o mundo da publicidade é uma versão fotografada da representação. O problema está na cabeça das pessoas que não conseguem separar o que vêm numa campanha publicitária, que foi criada como propósito vender um determinado produto, do mundo real.
    E esse será sempre o problema deste mundo, conseguir separar o que nos é transmitido a nível de entretenimento do que é real.

    B

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já debati esse ponto em diversos textos. Existem pessoas que não conseguem separar o objectivo de um anúncio do mundo real longe dele.

      Eliminar
  2. É um tema que ainda tem muito pano para mangas, sem dúvida.
    O vídeo foi também dos melhores que vi acerca deste assunto.

    Cátia »« Blog Meraki

    ResponderEliminar
  3. Excelente tópico. Embora não considere que o sexo como técnica de venda seja totalmente inadequado em todos os casos - há artigos de desejo que o justificam - não consigo deixar de achar asquerosas as campanhas que vendem TUDO através do corpo da mulher. Ou do homem. Whatever. Porque acabam por criar uma imagem objectificada do nosso corpo, como se fôssemos carne para canhão. O Ser Humano é muito mais do que isso. Há que moderar a coisa!

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a moderação deve começar em cada um de nós.

      Eliminar