POWr Multi Slider

31.7.15

dia do orgasmo. elas estão de parabéns. eles devem ler isto (e ainda a receita para o orgasmo perfeito)

Diz que hoje é o Dia Mundial do Orgasmo, uma data criada em Inglaterra há quarto anos por uma rede de sex shops. E neste dia especial, que certamente todas as pessoas gostam de festejar, as mulheres estão de parabéns. Mais especificamente as mulheres portuguesas que têm motivos para celebrar a data.

De acordo com o Estudo Português sobre a Resposta Sexual Feminina, desenvolvido pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA), as mulheres portuguesas não têm problemas no que à excitação diz respeito. Ou, por outras palavras, excitam-se sem dificuldade. De acordo com o estudo 22,7% das mulheres atinge sempre o orgasmo. 42,8% revela ter orgasmos quase sempre e 17,4% refere ter apenas algumas vezes. Apenas 3,6% das portuguesas (que fazem parte deste estudo) revelam nunca ter orgasmos.

De acordo com o documento é necessário ter em conta o tipo de relação praticado porque o mesmo influencia o alcance do orgasmo. Segundo o estudo, 16,5% das mulheres atinge o orgasmo apenas no coito vaginal. 14% têm orgasmo na masturbação ou no sexo oral mas nunca no coito vaginal. 11,8% têm orgasmo apenas na masturbação e 5,5% apenas no sexo oral.

Por fim, mas não menos importante e algo de leitura obrigatória para eles. Mais de metade das mulheres que têm companheiros estáveis gostaria de receber do parceiro mais e/ou melhor estimulação sexual. Algo que eles não devem esquecer!

Neste dia é impossível não falar do orgasmo perfeito. Será um mito? Será que existe mesmo um orgasmo perfeito? Será que é igual para ambos os sexos? E qual a fórmula para lá chegar? De acordo com Ann Summers, uma empresa irlandesa de artigos eróticos, existem duas fórmulas para alcançar o orgasmo perfeito: uma para elas e uma para eles. Receita descoberta através de um estudo.

Receita para o orgasmo perfeito para elas:
Vinho + Cama x Preliminares + Brinquedos Eróticos + Parceiro Estável - Stress (maior obstáculo ao orgasmo para elas) = Orgasmo Perfeito.

Receita para o orgasmo perfeito para eles:
Filme Pornográfico + Cama x Variação de Posições Sexuais + Lubrificante + Parceira Estável - Bebida Alcoólica (maior obstáculo ao orgasmo para eles) = Orgasmo Perfeito.

o blogue pode acabar hoje

Desde que criei o blogue já referi por diversas vezes que o melhor que se pode ganhar com algo deste género é a ligação entre as pessoas. É conhecer pessoas com quem possivelmente nunca me iria cruzar na vida. E com quem poderei nunca me vir a cruzar mas com quem troco alguns emails e que conheço sem que exista um rosto que possa ser associado à pessoa. Felizmente já recebi muito emails aos quais tento responder com a maior brevidade possível.

Há quem apenas queira desabafar, há quem peça um conselho sobre determinado aspecto e há quem revele necessitar de ajuda. Alguns emails estão relacionados com os próprios blogues. E foi isso que me uniu à simpática Célia Mateus, a autora do blogue Cinquenta Mil Aventuras, que conheci quando decidiu participar na rubrica Agora Escrevo Eu.

A Célia gostou de ver o seu texto no meu blogue e o bichinho da escrita ganhou vida. Falou comigo, trocámos alguns emails, dei o meu ponto de vista sobre alguns assuntos e pouco tempo depois nascia o blogue da Célia, actualmente a viver na Alemanha. Podia dizer que é o melhor blogue para quem está prestes a iniciar a sua vida na Alemanha que não estaria a mentir. Mas estaria a ser injusto porque é muito mais do que isso. É um blogue com uma imagem apelativa e muito bem escrito. É o blogue de uma mulher, de uma mãe e de uma pessoa que partiu em busca de uma vida melhor.

Recentemente recebi um email da Célia que me revelou ter sido convidada para dar uma entrevista à rádio Antena1, inserida no programa Portugueses no Mundo. A Célia revelou também que tinha falado de mim na sua entrevista quando foi abordado o seu blogue. Por mais que tente não consigo explicar o que senti ao ler cada palavra da Célia. Tal como não consigo explicar o que senti ao ouvir a forma como falou sobre mim e o texto que me dedicou no seu blogue. Quem quiser pode ouvir a entrevista aqui.

A vida é feita de momentos destes. E os blogues são feitos de momentos destes. Pelo menos para mim. Não importam as visualizações, o número de seguidores, os gostos nas redes sociais nem fazer parte das listas dos mais isto ou mais aquilo. O que importa e o que dá sentido a um blogue é isto. É a honra e o orgulho de poder dizer que se inspirou alguém ou que se ajudou alguém a dar um passo que acaba por se verificar importante e certeiro.

Muito obrigado à Célia e à sua família. Olho para o seu blogue com um encanto especial por saber que humildemente ajudei a que ganhasse vida. Já valeu a pena ter criado o meu blogue. E por mim o blogue pode acabar hoje que a viagem já valeu a pena.

quem quer 50 euros para gastar em compras? (resultado)

O Ricardo Ferreira é o grande vencedor do passatempo levado a cabo em parceria com a Showroomprive.pt e irá receber um vale de 50 euros para gastar no clube de vendas. Obrigado a todos os participantes e parabéns ao Ricardo. Peço ao vencedor que me envie um email para homemsemblogue@gmail.com com os dados com que está registado em Showroomprive.pt. Obrigado.


aproveitem o melhor dia do ano para casar

Os casais apaixonados não devem desperdiçar este dia que é considerado, por um afamado, conceituado e respeitado filósofo português, o melhor dia do ano para casar e que é sinónimo de felicidade eterna.

"Qual é o melhor dia para casar sem sofrer nenhum desgosto? É o 31 de Julho porque depois entra Agosto", é o sábio conselho do filósofo Quim Barreiros.

é só até às 14 horas (passatempo)

O passatempo que estou a organizar em conjunto com a Showroomprive.pt e que vai oferecer um vale de 50 euros para gastar no clube de vendas privadas termina hoje às 14 horas. Serão aceites todos os comentários deixados até essa hora e o vencedor será anunciado ainda hoje. Só contam as participações deixadas no post do passatempo (link aqui). Boa sorte a todos e obrigado a quem já participou.

30.7.15

(des)encontros (capítulo doze)


João abandonou o aeroporto perante o olhar triste e desiludido de Inês. Apesar de não ter grandes planos esperava outra reacção da parte de João. "O desprezo com que tratou o cartão", pensou Inês. "A culpa é tua. Ainda acreditas nas pessoas", era o que dizia a si mesma. "Mas a verdade é que ele te disse qual o objectivo da sua viagem", prosseguiu. "Azar o dele. E o meu. Pois o rapaz até era engraçado e ao que parece vai ficar preso numa história de amor muito esquisita. Sortuda da rapariga que pode dizer que um rapaz fez uma viagem à sua procura sem saber no que vai dar a viagem", foi o último pensamento de Inês em relação a João.

Enquanto Inês deambulava de pensamento em pensamento, João entrou no primeiro táxi que viu. "É para o Maldron Hotel, na Cardiff Lane", disse ao taxista num inglês perfeito. O que levou a que o taxista metesse conversa consigo como se fosse de lá. "Sou português. Estou de férias", esclareceu. "A forma como fala parecia ser de cá. Pelo menos temos as dificuldades económicas a unirem-nos", referiu o taxista, naquilo que foi uma tentativa de fazer uma piada. Minutos depois João chegava ao hotel.

Despachou o check in e instalou-se no quarto. Desde criança que tinha a mania de se atirar para cima das camas sempre que chegava a um quarto de hotel. "Passou no teste", disse, depois de alguns saltos ao estilo da criança mais traquina que possa existir. Descalçou os ténis, colocou uma almofada por cima da outra e instalou-se para ver televisão. De comando na mão deu início ao zapping. "O que estás a fazer?", disse, como se estivesse mais alguém no quarto mas falando para si. "Estás noutro país e estás na cama a ver televisão. Sai e vai passear", respondeu a si mesmo naquilo que poderia ser visto como um auto raspanete. Segundos depois estava calçado e de saída do hotel.

Saiu do hotel, voltou à esquerda e percorreu a rua até ao rio Liffey. Enquanto admirava o edifício moderno situado na outra margem reparou num grupo de pessoas à porta de um edifício de fachada vermelha. Apenas o andar de baixo. A tarde já estava perto do final e era comum que os irlandeses se juntassem em bares para um copo e dois dedos de conversa antes de rumar a casa. "Cerveja e um bar com a cor mais bonita do mundo. Estou conquistado", disse, antes de entrar no bar. Até chegar ao balcão cumprimentou todas as pessoas por quem passou. Já no balcão acalmou a sede com uma Guiness. Minutos depois estava de saída.

Em vez de voltar para o hotel preferiu passar para a outra margem do rio e foi entrando nos bares que captavam a sua atenção. Quer fosse pelo ambiente à porta dos mesmos, pela decoração ou por outro motivo qualquer. Até porque para João todos os motivos são bons para beber mais uma cerveja. Porque João não se limitava a entrar nos bares. Naqueles em que entrava tinha de beber pelo menos uma cerveja. O pouco tempo quem estava sentado fazia com que o efeito das mesmas não fosse tão sentido.

Além dos bares entrou ainda num ou noutra loja onde em que os ténis se destacavam nas montras. Não tivesse acabado de chegar e já tinha comprado alguns pares para levar para casa. Mas preferiu deixar essas compras para outro momento da viagem. Neste momento estava mais preocupado com a sua missão de exploração dos bares irlandeses. Até ao momento estava rendido aqueles onde se cruzava com homens mais velhos com quem trocava um ou dois dedos de conversa sobre tudo e mais alguma coisa. Nada melhor do que uma boa conversa para acompanhar uma cerveja gelada.

De bar em bar e de cerveja em cerveja João já nem se recordava do motivo da sua viagem. Pareciam apenas mais uma férias, ainda que sozinho. E tudo corria bem. Até que à porta de um dos bares recebeu um flyer onde se destacava um pequeno concerto concerto dos The Sript, que estavam de regresso a casa para uma actuação na Guiness Storehouse. Que era já na noite seguinte. "Onde posso comprar bilhetes para este concerto?", perguntou ao rapaz que lhe tinha entregue o folheto.

"Já está esgotado. O local não é muito grande e eles decidiram apresentar o álbum mais recente em Dublin. Sendo de cá, isto esgotou logo. Estamos a entregar os flyers porque têm mais espectáculos", explicou-lhe. João transformou-se no desalento em pessoa. "Foda-se! Que merda. Tenho a certeza de que a Sophia vai lá estar. Tenho de arranjar maneira de entrar aqui", disse em voz alta mas em português, o que deixou o rapaz a perguntar o que estava a dizer. "Problems mate. Just problems", respondeu.

"Pensa! Pensa! Pensa!", insistia, já com desespero, na esperança de encontrar uma solução à força. "Já sei!", exclamou, fazendo com que as pessoas ao redor olhassem para si como quem olha para um louco que sorri sozinho no meio da rua. João pegou no telemóvel e fez uma chamada. "Estou Zé Manel, tudo bem? Como estás?", perguntou. "Tudo bem e contigo?", respondeu o amigo. "Está tudo porreiro mas preciso de um gigantesco favor teu. Mas primeiro tenho de te fazer duas perguntas", disse. "Chuta", respondeu o amigo. "Ainda trabalhas na Sony Music Portugal?, perguntou. "Sim", respondeu. "E os The Scritp ainda são vossos?", perguntou. "São, porquê?", devolveu o amigo. "Estou em Dublin e sei que amanhã há um concerto deles na Guiness Storehouse. Os bilhetes estão esgotados e preciso de lá entrar. Vais ter de me safar", explicou João.

Manuel começou a rir-se. "Nem te vou perguntar o motivo desse desejo", disse. "Sabes que por ti só não faço o que não consigo. O tempo não é muito mas deixa ver o que consigo fazer. Hoje já não te devo ligar mas amanhã telefono, ok? Até lá bebe uma cerveja por mim", disse. "Se me meteres lá dentro acabo com toda a cerveja da fábrica", respondeu João. "Obrigado puto. Aquele abraço", disse antes de desligar. "Tenho de conseguir entrar. Tenho a certeza de que ela vai lá estar. Tenho a certeza", foi apenas aquilo em que conseguiu pensar enquanto regressava ao hotel sem reparar em mais nenhum bar.

feliz dia da amizade


Estas palavras definem, de certo modo, a relação de amizade com os meus amigos. Vejo os amigos - não sou das pessoas que diz ter dezenas ou centenas de amigos porque na realidade tenho poucos - como a família que escolhi. E cada vez mais tento arranjar tempo para eles porque sem eles a vida não tem tanta piada.

Hoje, dia em que se celebra a amizade, não se esqueçam de falar com os vossos verdadeiros amigos. Não se esqueçam de dizer o que eles significam para vocês. Esqueçam lá isso da vergonha de revelar sentimentos e também não pensem que não precisam de dizer nada porque eles já sabem tudo. A verdade é que todas as pessoas gostam de ouvir palavras bonitas daqueles que consideram especiais. Feliz Dia da Amizade para todos e obrigado por estarem desse lado.

a gafe do momento

Neste texto coloquei uma foto de Nuno Silva durante a sua apresentação no Real Jaén, o seu novo clube espanhol. Expliquei que o jogador português estava nas bocas do mundo mas não referi o motivo da gafe do momento. Em causa está a camisola com que Nuno Silva apareceu na apresentação e que rapidamente causou polémica.

A tshirt de Nuno Silva tinha a imagem do ditador espanhol Francisco Franco. É mais ou menos o mesmo que um jogador estrangeiro vir jogar para Portugal e aparecer na apresentação com uma camisola onde se destacasse uma imagem de António de Oliveira Salazar. Apesar do clube em questão ser modesto, esta gafe gerou uma onda de indignação em Espanha, com muitas pessoas a desejarem o despedimento imediato do português.

Por sua vez, Nuno Silva explicou, através das redes sociais do clube, que se trata de uma camisola que comprou em Portugal há muito tempo. Referiu também que desconhecia a pessoa em questão e que não estava a par da repercussão que o personagem histórico tem na sociedade espanhola. Pediu ainda desculpa a todos os que se sentiram ofendidos e terminou afirmando que não defende as ideologias do General Franco.

Nuno Silva tem sido bastante criticado pelo desconhecimento da história espanhola e de uma personagem marcante. Isto é uma falha mas não será a maior de todas. Duvido que boa parte das pessoas que viram a notícia soubessem que se tratava de Franco caso não se verificasse esta polémica. A minha crítica a Nuno Santos (e a tantos outros jogadores de futebol) é a forma como aparecem na apresentação nos novos clubes. Aquilo que em tempo era um momento importante passou a ser algo banal. Até já vi jogadores que nem o boné tiram da cabeça durante a apresentação. Para mim a apresentação será sempre um momento que pede um visual discreto e digno de uma apresentação num novo clube. Não têm de usar fato mas podem ser discretos com roupas casuais.

Não querendo desculpar Nuno Santos - porque tem a sua culpa - custa-me compreender como é que nenhum funcionário do clube espanhol reparou na camisola do jogador português. Trata-se de um clube espanhol e ninguém reparou que Nuno Santos trazia o General Franco ao peito? Ou será que os próprios espanhóis (pelo menos aqueles) desconhecem a história daquele homem? No meio de tudo isto é esta situação que me faz mais impressão.

O que era facilmente resolvido tornou-se numa gigantesca polémica em Espanha, tanto nas redes sociais como na imprensa espanhola. É do domínio público que os jogadores portugueses (e todos os estrangeiros) não têm a vida facilitada em Espanha. É complicado agradar aos adeptos e, pior do que isso, é bastante difícil conquistar a imprensa. Acredito que este episódio irá dificultar bastante a vida de Nuno Silva e temo que a sua aventura em Espanha venha a ser bastante curta.

homens depilados: sim ou não?

Há muito que a depilação corporal deixou de ser uma coisa apenas das mulheres. Já lá vai o tempo em que eram apenas elas que se preocupavam em não ter pelos no corpo. Nos dias que correm muitos homens também têm a preocupação de manter o corpo depilado. Isto apesar de muitas pessoas ainda defenderem que os homens querem-se é com pelos. Mas será que os homens devem depilar-se? Sim ou não? Será que existe alguma vantagem na depilação? Ou será que é algo meramente estético?

Um estudo clínico, levado a cabo por Gilette e que foi apresentado em Junho no Congresso Mundial de Dermatologia de Vancouver, revela que depilar as axilas reduz o odor corporal e mantém a sensação de frescura durante mais tempo. Foram analisados os odores de diversos homens nos diferentes cenários: antes de se depilar e lavar as axilas com sabonete, cinco minutos depois de lavá-las com sabonete e cinco minutos depois de as depilar e lavar com sabonete.

Os resultados mostram que a depilação é 2,5 vezes mais eficaz do que apenas lavar com sabonete. Depilar e lavar com sabonete reduz o odor em 57% enquanto somente lavar com sabonete reduz apenas 23%. Os benefícios da depilação prolongam-se no tempo porque as lâminas, ao deslizarem sobre a pele, eliminam mais eficazmente a oleosidade seca, os restos de sujidade e as partículas acumuladas e que são responsáveis pelos odores desagradáveis e que são impossíveis de anular apenas com sabonete.

À superfície da pele e do pelo desenvolvem-se bactérias. Concretamente nas axilas encontram-se as glândulas apócrinas que produzem compostos que funcionam como alimento para as bactérias. Quanto mais envelhecido e mais comprido for, maior será a superfície disponível para que as bactérias cresçam e se possam reproduzir. Elas são as responsáveis pelo mau odor quando decompõem a oleosidade e as substâncias existentes na composição do suor”, explica Daniel Candelas, dermatologista da Clínica González Cavada, situada em Espanha. 

Ao que parece nas axilas existem vantagens. De resto fica a pergunta: homens depilados, sim ou não?

29.7.15

o que está mal nesta imagem?

Chama-se Nuno Silva. Trata-se de um jogador português que acaba de ser apresentado no Real Jaén, um clube da segunda divisão B espanhola. Nuno, até então praticamente desconhecido, alcançou a fama - sobretudo em Espanha - devido à sua apresentação. Posto isto, o que está mal nesta imagem (captada na apresentação do jogador)?

mulheres ousadas na praia (suas descaradas)

Já me deparei com diversas notícias que envolvem uma mulher (famosa), uma praia, uma fotografia, uma rede social e muita ousadia. As notícias dão sempre conta de que fulana, uma celebridade nacional ou internacional, revela ousadia ou muita ousadia na praia. E que essa mesma ousadia é partilhada nas redes sociais. Quando se abre a notícia percebe-se que a ousadia não passa de um simples biquíni e um corpo.

E não são biquínis excessivamente reduzidos nem partes do corpo mais dadas à ousadia (pelo menos aos olhos de quem vê). São mulheres normais e fotos normais que muitas mulheres tiram nas praias de todo o mundo. Se as fotografias escolhidas - numa delas vi a parte de cima de um biquíni e noutra vi uma barriga - são ousadas é porque mais de 95% das pessoas que frequentam praias destacam-se pela ousadia no areal.

A não ser que exista uma qualquer regra que obrigue as pessoas, neste caso as mulheres, a frequentarem as praias com uma determinada percentagem do corpo tapada. Ou com uma burca. Se for este o caso realmente são mulheres ousadas. Até demasiado ousadas para estar numa praia. Ainda por cima quando partilham as imagens nas redes sociais. Como isto não acontece nas praias nacionais, acho que não se trata de ousadia mas apenas de mais um dia de praia partilhado nas redes sociais com fãs e amigos. Até porque, e tendo em conta as notícias que li, existem pessoas muito mais ousadas na rua.

sou vítima de sabotagem sempre que compro uma caixa de bolos

Comprar caixas de bolos deveria ser das coisas mais simples do mundo. E refiro-me a bolos como húngaros, areias, línguas de veado, miniaturas e por aí fora. Deveria bastar pedir os bolos e comer sossegado em casa sempre que apetece. Aliás, acredito que será isto que acontece com a maior parte das pessoas. Mas não comigo. Sempre que compro/como destes bolos sou alvo de um qualquer acto de sabotagem que me acompanha desde sempre.

Trata-se de algo que já acontecia quando vivia com os meus pais. E que ainda acontece nos dias que correm, agora que vivo com a minha mulher. Tudo parece estar bem quando compro bolos. A caixa até pode ficar alguns dias em casa sem grandes problemas. Sem que ninguém lhe toque. E tudo está bem. Até ao momento em que decido comer alguns bolos. Quando isso acontece é sempre dia de alguém também querer comer os bolos. Eles estavam lá sossegados a sorrir para mim e a seduzir-me. Até que os como. E nesse dia aparece sempre alguém que também os queria comer. "Já comeste todos?", dizem-me como se fosse a pessoa mais gulosa do mundo (irei sempre negar esta acusação).

O que me leva a concluir que sou alvo de sabotagem. Eu não compro simples caixas de bolos. Certamente que são caixas especiais que têm sensores que alertam as pessoas sempre que um bolo é retirado da caixa e que estão preparadas para um "alerta vermelho" que tem lugar quando como vários bolos. Era assim com os meus pais e continua a ser assim com a minha mulher. Aposto que controlam as pastelarias que frequento. Só isto pode explicar que as caixas de bolos sejam sempre notícia nos dias em que mexo nelas.

28.7.15

a estúpida roleta russa do sexo

Há muitos anos que se ouve da famosa roleta russa. Para quem não sabe é um jogo de azar em que é colocada apenas uma bala num revólver. Depois é rodado o tambor da arma, o que faz com que a localização da bala seja desconhecida. Os participantes apontam a arma à cabeça e dão um tiro. Com sorte calha uma câmara vazia. Com azar... ficam por ali. Esta é a famosa roleta russa. Mas parece que está a surgir outra.

Parece que existe aquilo que pode ser chamado de roleta russa do sexo. E o que é isto? Trata-se de uma orgia sexual em que uma das pessoas está infectada com o vírus VIH/SIDA. O conceito é o mesmo da roleta original. Arrisca-se a vida a troco de nada sendo quem em ambos os casos os participantes estão a par dos riscos que correm. Neste caso são festas organizadas e frequentadas por pessoas ricas que parecem ser adeptas deste tipo de perigos.

Considero ambas as roletas absurdas. Mas existe uma pequena grande diferença entre ambas. Na que se joga com arma a pessoa que perde paga com a vida. Provavelmente morre na hora. E não coloca a vida de mais ninguém em risco. Na do sexo o perdedor pode colocar a vida de muitas outras pessoas em risco. Pessoas com quem se venha a envolver sexualmente depois da orgia. E isto é do mais estúpido que pode haver.

Nesta altura do ano multiplicam-se as festas e as noitadas em bares e discotecas. Onde estão grupos de amigos. Que podem (ou não) beber um pouco mais. Que podem perder o controlo e deixar levar-se pelo desejo sexual sem pensar nos riscos que correm. Riscos vários sendo que os piores são as doenças, nomeadamente o vírus VIH/SIDA. A pensar no Verão a Associação Abraço, em conjunto com a agência de publicidade QA, apresenta uma campanha que pretende alertar para o uso do preservativo. "Este Verão não te esqueças do protetor", é o slogan da campanha. Fica o alerta para um simples gesto que pode salvar vidas.


cinco motivos para praticar desporto

Sou da opinião de que quando uma pessoa pretende apenas perder peso deve ter cuidado com a alimentação. O segredo de perder peso passa por uma alimentação saudável. Se uma pessoa praticar desporto mas não alterar em nada os seus hábitos alimentares não irá notar grandes diferenças. Provavelmente faz apenas com que a pessoa não ganhe mais peso. Quanto o tema é trabalhar/definir o corpo tudo muda. Aqui o segredo está no exercício físico. Que convém ser adaptado à pessoa e também ao objectivo de cada um.

Num mundo ideal estes dois factores andam de mãos dadas. Ou seja, as pessoas têm algum cuidado com a alimentação e praticam desporto físico de forma regular. E o desporto não tem de ser obrigatoriamente correr. Pode ser frequentar um ginásio, jogar futebol, praticar outra modalidade qualquer ou simplesmente fazer caminhadas de cerca de meia hora. Fazendo isto é meio caminho andado para que a pessoa tenha uma vida mais saudável.

Depois disto, existem pessoas que por si mesmas têm motivação para dar e vender. Existem outras que acham que o sofá é bom demais para não ser ocupado. Existem outras que acham que aqueles que praticam desporto são malucos. Existem também pessoas que procuram motivação nos outros. Sou da opinião de que a motivação tem de ser pessoal. Só assim será duradoura. Mas, para aqueles que estão a precisar de motivação partilho aqui cinco motivos para praticar desporto.






Estas cinco imagens de Khloe Kardashian (fazem parte de uma sensual produção fotográfica para a revista Complex) são a prova de que praticar desporto faz bem à saúde e também ao corpo, deixando o mesmo mais tonificado. O exercício físico leva a muitas outras questões como tempo, gerir horários e, neste caso específico, a suposta vida facilitadas das celebridades. Tudo isto pode ser debatido. Aquilo que praticamente não tem debate são os benefícios de uma alimentação saudável e as vantagens de praticar desporto com regularidade (ambos os casos devem ser preparados individualmente e não com base no que os outros fazem).

Como acontece com fotos destas - publicadas em revistas - surgem logo vozes a defender que os aparentes benefícios são uma ilusão que ganha vida através do photoshop. E este caso não foi excepção. Surgiram acusações dessas. O que levou Khloe Kardashian a partilhar uma foto sem edição para que as pessoas percebam que o corpo não foi trabalhado.


Como acontece em qualquer produção fotográfica, a pele foi suavizada e as sombras eliminadas. Mas, neste caso, o corpo não foi alterado (na imagem porque foi alterado nos treinos físicos). Por isso, vale mesmo a pena praticar desporto e ter um estilo de vida mais saudável. E Khloe é um exemplo recente disso mesmo.

quem quer 50 euros para gastar em compras? (passatempo)

A Showroomprive.pt é um clube de Vendas Privadas - originário de França e nascido em 2006 - que se destaca por oferecer grande marcas, nacionais e internacionais, com descontos que chegam aos 70%. O modo de funcionamento da Showroomprive.pt é bastante simples e tem por base as Flash Sales, ou seja, vendas limitadas no tempo que oferecem produtos exclusivos com grandes descontos. A fatia maior deste negócio está centrada na moda mas também são comercializados produtos de decoração, gastronomia e até artigos para os mais novos. No que à moda diz respeito existem três categorias que se destacam: mulher, homem e criança.

E hoje teve início uma Pop Up venda (que se prolonga até dia 31 de Julho) da Moschino onde os clientes Showroomprive.pt podem encontrar polos e calças da Moschino. A venda é limitada no tempo e os preços são bastante atractivos, o que faz com que não se tenha tempo a perder. Até porque as peças em questão, sendo básicos de Verão, fazem falta em qualquer armário nesta altura do ano.



Além de vos convidar a conhecer a Showroomprive.pt tenho para oferecer um vale no valor de 50 euros* para ser utilizado no clube de vendas. Quem desejar participar só tem de deixar um comentário identificado (quem participar de forma anónima deixe um nome no comentário) onde conste a seguinte frase: "homem sem blogue, quero os 50 euros para gastar na Showroomprive.pt". O passatempo decorre até às 14 horas do dia 31 de Julho, de modo a que seja ainda possível utilizar o vale nesta Pop Up venda. É também necessário que os participantes estejam registados em Showroomprive.pt (até porque é a única forma de comprar algo). O vencedor será escolhido de forma aleatória com recurso ao random.

*Válido apenas numa compra superior a 50 euros. Gastos de envio não incluídos. Não acumulável com outras ofertas. O vale é válido até 30 de Novembro de 2015.

a atracção delas pelos bad boys

Ontem, no facebook do blogue falei de um jogador que tem sido apontado como possível reforço do Benfica. Trata-se de Pablo Osvaldo, um avançado de 29 anos, internacional por Itália mas nascido na Argentina. Brinquei ao dizer que certamente é uma aquisição que agradava ao sexo feminino. Num tom mais sério partilhei a minha opinião ao defender que é um jogador extraordinário, com muito talento mas que tem tido diversos problemas disciplinares ao longo da carreira. O último deles (se a memória não me engana) foi ter dado um murro ao português José Fonte num treino. Resumindo é um dos bad boys do futebol da actualidade. Para quem não sabe quem é Pablo Osvaldo, aqui fica uma foto do jogador.


A partilha no facebook gerou diversos comentários. Alguns dão conta de que as mulheres realmente têm uma atracção por bad boys. Outro comentário, mais divertido, explica que Pablo Osvaldo, caso venha para o Benfica, terá muitas indisciplinadas atrás de si. E também se brinca com o facto de que se souber jogar futebol será um extra em relação à sua imagem e historial de bad boy.

Este exemplo demonstra que as mulheres sentem realmente um encanto especial por bad boys. Muitas vezes fala-se no "príncipe encantado" que "chega" a cavalo para mudar a vida de uma mulher. Mas, neste cenário, se aparecer um bad boy que dê uma "sova" ao príncipe, elas ficam logo rendidas ao bad boy.

E este encanto ou atracção em torno dos bad boys é bastante curioso. Não sei se será o desejo de mudar a pessoa. Não sei se será o encanto de viver na beira do abismo. Não sei se os bad boys são na realidade uns amantes carinhosos. O que sei é que elas não têm problemas em assumir que gostam deles com ar de mau. Resumindo e concluindo elas sentem uma atracção por bad boys. Quanto ao motivos só elas é que os podem explicar.

27.7.15

na fisioterapia

A minha, salvo seja, fisioterapeuta foi de férias três semanas. Durante esse tempo irei ser acompanhado por outra fisioterapeuta que começou a trabalhar hoje. "Costuma fazer mais alguma coisa na cama com a Sandra?", pergunta-me.

aventuras no continente (hipermercado)

Amor à primeira vista. Esta é a melhor forma de resumir a minha ligação com as salsichas de peru da marca Continente. Vi, comprei, provei, gostei e passei a consumir com alguma frequência. Não deve haver uma pessoa em Portugal que seja mais fã destas salsichas do que eu. E já perdi a conta ao número de pessoas que ficaram fãs deste produto por minha causa. Por isso foi com tristeza que vi estas salsichas desaparecerem. Num altura em que o Continente renovava a imagem de muitos dos seus produtos as salsichas de peru deram lugar às salsichas de aves. Até poderia ser uma simples mudança de imagem e nome mas o sabor comprova que as salsichas são diferentes. Hoje encontrei uma funcionária nesta zona e decidi saber o que é feito das saudosas salsichas de peru.

Eu: "Bom dia! Antigamente tinham salsichas de peru. Agora têm, no mesmo local, salsichas de aves. Já não vão ter as de peru?", pergunto.

Funcionária: "São iguais. Houve apenas uma renovação de imagem", diz-me.

Eu: "Como o nome mudou. Passou a ser de aves", digo.

Funcionária: "E o peru é uma ave", responde-me no alto da sua sabedoria.

(Nesta altura poderia ter entrado numa "discussão" em torno do nome colocado na embalagem. Mas como a funcionária até foi simpática preferi não o fazer)

Eu: "Eu sei que é uma ave. Mas como diz salsichas de aves acreditei que poderiam ser feitas com mistura de aves", concluí.

(A título de curiosidade: para aquela funcionária as salsichas apenas tiveram uma renovação de imagem e um nome novo pois são iguais mas na realidade estas salsichas são feitas de peru e frango)

Minutos depois chego à zona das caixas. Quanto tenho poucas coisas opto sempre por aquelas caixas onde nós fazemos tudo mas que são mais rápidas (na maior parte dos casos) e onde está apenas uma funcionária que se certifica de que tudo está a correr bem. Perto desta funcionária estava uma família a efectuar o pagamento.

"Isto é um roubo", diz, num tom de voz um pouco elevado, um dos membros da família.

"Isto é um roubo. Gosto mais do Jumbo", insiste, ainda com um tom de voz elevado.

Tudo isto foi feito perto da funcionária que ficou meio sem jeito perante aquelas palavras. E este tipo de comportamento é algo que não consigo compreender. Acredito que as pessoas não fazem compras com armas apontadas à cabeça. Vão onde querem ir. E nos dias que correm é fácil comparar os preços de todos os hipermercados. É algo que se faz em minutos e que permite que cada pessoa opte por fazer compras onde mais gosta e onde se sente melhor. É aquilo que faço e é por isso que determinadas coisas compro num local, outras noutro e outras noutro diferente dos dois anteriores.

Além disso, e por mais que muitas pessoas acreditem nisso, os funcionários não estão ali para ouvir tudo e mais alguma coisa. Porque são meros funcionários. É a mesma coisa que qualquer pessoa que não trabalhe num balcão de atendimento ter pessoas perto de si a refilar com políticas e opções da empresa. Existem espaços próprios para isso. Neste caso, o balcão de apoio ao cliente onde os clientes insatisfeitos podem (e devem) deixar a sua reclamação/opinião para o melhor funcionamento do espaço. Este é o caminho a seguir e que nada tem a ver com estar a refilar com alguém que não tem culpa de nada e que nada pode solucionar.

PS - Estimado Belmiro de Azevedo que em tempos foste meu patrão. Recupera as salsichas de peru. Muito agradecido.

pode soar a clichê mas é uma grande verdade

Na noite de Sábado assisti ao espectáculo de final de ano da escola de dança que a minha sobrinha frequenta. O tema deste ano foi o sonho. E através da dança contou-se a história de três personagens que tinham vidas diferentes dos seus sonhos: ser modelo fotográfica (era professora), treinador de basquetebol (empregado de café) e bboy (mecânico). Ao longo do espectáculo estas três personagens acabam por lutar, com sucesso, pelos seus sonho, trocando as vidas que têm por aquilo que sempre sonharam ser.

E no final do evento foi essa a mensagem transmitida pela dona da escola que era uma das personagens principais da história. Trabalhando com dezenas de crianças transmitiu a ideia de que devem lutar pelos seus sonhos. Explicou que o caminho será complicado, muito complicado e que terá muitos obstáculos. Que vão também ouvir muitas palavras negativas em torno daquilo que desejam mas que é importante que lutem por aquilo com que sonham. Foi passada a mensagem de que desistir não é uma opção.

Ao ver o espectáculo e ao ouvir o discurso recordei o filme Em Busca da Felicidade, protagonizado por Will Smith e pelo seu filho Jaden. Sobretudo aquela cena em que pai e filho estão a jogar basquetebol. "Nunca deixes que alguém te diga que não consegues fazer algo. Nem mesmo eu. Se tens um sonho tens que protege-lo. As pessoas que não conseguem fazer as coisas por si mesmas vão dizer-te que não consegues. Se queres alguma coisa, vai e luta por ela. Ponto final", diz o pai depois de desmoralizar o filho.

Tudo isto pode soar a um gigantesco clichê em torno da felicidade e perseguição de sonhos. Pode ser também a teoria que todos conhecemos mas que poucos colocam em prática. Mas não deixa de ser uma grande verdade. Porque todas as pessoas devem lutar por aquilo que querem. Por mais palavras negativas que ouçam. Por mais portas que se fechem. Por mais quedas que aconteçam durante o longo caminho que nos leva até aos nossos sonhos. Ao longo dos anos que levo como jornalista já estive à conversa com pessoas que são conhecidas (nacional e mundialmente) pelo seu sucesso. E quase todas me dizem o mesmo. Que as pessoas só conhecem o sucesso deles porque é isso que é visível. Mas recordam que por cada sim que ouvem, e que leva ao sucesso, existem dezenas, centenas de nãos e de portas que se fecharam. A diferença é que não desistiram. Foram persistentes e determinados em alcançar o que tanto desejavam. E conseguiram.

Duvido que exista no mundo alguma história de sucesso que seja feita de apenas uma tentativa. Que não "esconda" falhanços, quedas, passos mal dados e desilusões. Duvido que nenhuma dessas pessoas (a quem é reconhecido o sucesso) tenha ouvido coisas como "não", "não vais ser capaz" e "desiste", apenas para dar três exemplos. Duvido que essas pessoas não tenham ouvido essas palavras de pessoas que lhes são próximas e que o disseram porque nunca tiveram coragem para lutar pelos seus sonhos. A diferença está em desistir ou em ir à luta.

E aquelas pessoas que olham para este modo de encarar a vida, as pessoas que dizem que isto é um mero clichê que não passa disso fazem certamente parte do grupo de pessoas que não lutam ou que não lutaram pelos seus sonhos. É certo que a luta pelos sonhos tem todos os ingredientes de um clichê mas isso não significa que não seja verdade e que não deva ser transmitido aos mais pequenos e também aos mais velhos que em vez de viverem as suas vidas deixam apenas que o tempo passe e que o relógio vá contando os minutos de algo que nunca desejaram.

24.7.15

olhó passarinho (e deixa as mãos quietas)

Durante muitos anos (não sei se ainda é assim) o "olhó passarinho" era o truque preferido dos fotógrafos para fazer rir os mais novos. Que, em alguns casos, detestavam aquelas duas palavras. Entre os adolescentes, e também adultos, era recorrente ouvir alguém apelar ao "cheese" para que todos ficassem com um sorriso pepsodent na fotografia que fica para a posteridade. Estes eram dois truques muito comuns. E basicamente era só isto que importava numa fotografia. Que todas as pessoas ficassem a sorrir.

Agora o olhó passarinho e o cheese perderam protagonismo para as mãos. Basta passar alguns minutos numa qualquer rede social - onde se publiquem imagens - como por exemplo no instagram para encontrar dezenas de fotos que parecem ter sido captadas segundos depois de uma qualquer conquista olímpica. Digo isto porque as pessoas estão sempre a fazer um "v" de vitória com uma ou mesmo com as duas mãos. As fotos podem ser mais formais ou mais descontraídas mas o "v" está sempre presente. Aplica-se a todas as situações da vida. Fui almoçar, tiro uma foto com o "v" de vitória. Fui ao ginásio, faço o mesmo. É o aniversário de um familiar, também serve. É uma foto romântica, venha lá esse "v". O "v" serve para tudo e está em todo o lado. Acho que os fotógrafos quando querem um sorriso já não falam do passarinho mas do "v".

Acredito que em muitos casos as pessoas não sabem o que fazer às mãos numa fotografia. Como tal, e de forma quase automática, uma delas (ou mesmo as duas) transforma-se naquilo que chamo de tique de jogador de futebol (aqueles que deram origem a este gesto, ou que pelo menos o aplicam com maior frequência, e que o tornaram famoso). Por isso, acho que deveria surgir o movimento "deixa as mãos quietas" no momento de tirar uma fotografia. Cada pessoa deveria ter um número limites de "v" para utilizar por mês. Preferencialmente um número pequeno.

Diz quem sabe que um truque para as mãos (durante as fotografias) passa por pensar em situações. Ou seja, neste local e nesta situação, onde é que as mãos poderiam estar e o que deveriam estar a fazer. Acredito que pensar nesta temática elimina mais de 90% das mãos com "v" de vitória que nada têm a ver com a fotografia em questão.

23.7.15

12 = 43 + 2

No mesmo dia em que celebro doze anos de namoro com a mulher da minha vida os meus pais celebram 43 anos de casamento aos quais se juntam mais dois de namoro, o que resulta em 45 anos de relação. Além de serem os melhores pais do mundo são os protagonistas da mais bela história de amor que conheço, que até foi mais forte de que uma guerra. São também a prova de que ainda vale a pena acreditar no "e foram felizes para sempre". Parabéns aos meus pais, ao amor que hoje celebram e do qual nasci eu e a minha irmã, o que por sua vez torna possível que esteja a festejar a minha história de amor neste mesmo dia.

12 anos ao teu lado

O dia vinte e três de Julho assusta-me há muitos anos. E tenho receio desta data por diversos motivos. Por exemplo, nunca imaginei estar ao lado de alguém muito mais do que um ano. Nunca acreditei ser capaz de amar alguém da forma como te amo. Aliás, nunca julguei ser capaz de amar alguém porque foste tu quem me ensinou o significado de amar e desejar alguém. Antes de te conhecer acreditava saber o que era amar mas estava redondamente enganado. Era uma qualquer mixórdia de sentimentos que me toldava a razão. Até que me mostraste, de forma bastante clara, o que é o verdadeiro amor. E com isto não quero dizer que me fizeste sentir borboletas na barriga. Fazes com que me falte o ar que respiro. Fazes com que sinta um enorme aperto por dentro. Fazes com que veja o mundo de uma forma completamente diferente. Fazes também com que nenhum obstáculo seja maior do que o passo que consigo dar. Fazes com que o mundo seja pequeno para a alegria que me fazes sentir. Entre muitas outras coisas que levavam anos a explicar.

E o meu grande receio é que chegue este dia e não saiba o que te dizer. Que chegue este dia e não tenha nada de novo para te dizer. Que a distância que separa o coração da boca seja percorrida totalmente em silêncio. E que a paisagem dessa mesma viagem seja igual à do ano passado. Pior do que isto, que chegue este dia e que te ame o mesmo que amava no ano passado. Ou mesmo na noite anterior a este dia. Este é um dos meus medos. Mas, felizmente, é um medo que não deixas que seja muito intenso. Porque estar um dia ao teu lado basta para perceber que nada será igual desse momento para a frente. Sentir o teu toque uma vez chega para perceber que a vida vai mudar a partir desse momento. Sentir os teus lábios uma vez chega para que me sinta imortal e para saber que descobri uma sensação que a esmagadora maioria do mundo desconhece. E tudo isto torna impossível que te ame com a mesma intensidade do momento em que comecei a escrever este texto. É impossível! E ainda bem que assim é.

Parece que acabei de te ver chegar ao Areeiro. Parece que estamos, quer dizer, estou a tomar o pequeno-almoço. Parece que estamos a descer a rua. E parece que te estou a beijar no banco de jardim que mais encanto tem no mundo. Parece que tudo isto está a acontecer agora. Parece que te estou a levar a casa. E que nos despedimos sem saber se seria algo sério que estava a iniciar-se na rua dos teus pais. Mas a verdade é que já lá vão doze anos. Não são minutos, horas, dias, semanas ou meses. São mesmo doze anos. E tal como na despedida daquele dia continuo sem ter dúvidas de que é algo muito forte e especial o que nos une. Chamar-lhe amor até é injusto mas percorrendo o dicionário de A a Z não encontro uma palavra que faça justiça ao sentimento que nos liga e que faz com que sejamos um. Ainda não foi inventada essa palavra. E duvido que venha a ser.

Mentia-te se dissesse que acho que o nosso caminho a dois tem sido um mar de rosas perfeito, só com dias de sol e sem uma única pedra no caminho ou dias de chuva. Existiram pedras. Existiu chuva. E ainda bem que assim foi. Porque são os momentos menos bons que me mostram o quanto te amo. São os momentos menos bons que me fazem valorizar ainda mais os momentos altos que vivemos. Momentos em que mal me consigo mexer, por maior que seja o espaço onde esteja. Às vezes brincas comigo e dizes "gostava de saber quanto tempo é que demoras até fazeres isto ou aquilo quando tiveres uma namorada nova". E só coloco este cenário caso sejas tu a minha nova namorada. Porque o que sinto é que a cada dia que passa tenho uma nova namorada, ainda mais especial.

Obrigado por estes doze anos maravilhosos. Obrigado pela companhia. Obrigado pelas lágrimas que limpaste. Obrigado pelos sorrisos que provocaste. Obrigado por me dares a força que julgava não ter. Obrigado por nunca me deixares ficar junto ao chão. Obrigado por fazeres de mim o homem que sou. Obrigado por lutares pelos meus sonhos como sendo teus. Obrigado por me aturares. Obrigado por seres a minha melhor parte. Obrigado por acreditares em mim e no que sou. Obrigado por me ensinares a amar. Obrigado por me fazeres sentir coisas que nunca imaginei e que desconhecia por completo. Obrigado por me fazeres viver pois até te amar apenas existia. E muito obrigado por me amares como amas e como nunca me amaram. Preciso de ti como do ar que respiro.

Um beijo gigante em ti.
Do teu e para sempre teu,
Bruno

PS - Não demores a chegar a casa. Quero abraçar-te como se o mundo fosse acabar depois de os meus braços deixarem de sentir o teu corpo. Quero beijar-te. Quero celebrar o nosso amor. Amo.te´nos mais do que tudo na vida.

22.7.15

esta coisa de dar a mão a sara carbonero

Neste texto e também neste abordei a mudança de Iker Casillas, Sara Carbonero e Martín, o filho do casal, para a cidade do Porto. Um dos textos foi dedicado ao rumor de que a jornalista espanhola não estaria interessada em rumar a Portugal por considerar que se trata de um país inferior, em todos os sentidos, a Espanha. A verdade é que mãe e filho juntam-se ao jogador no Porto. E as únicas palavras da espanhola em relação a este assunto foram para explicar a mudança, elogiando ainda Portugal e a cidade do Porto.

Há quem olhe para esta situação como uma mulher que simplesmente vai "atrás" do seu homem. Uma mulher que abdica dos seus sonhos, da sua vida e da sua carreira para ir atrás do homem. Neste caso específico - porque existe quem o faça e porque existem muitas mulheres de jogadores que se anulam ou que escolhem o luxo como modo de vida - não vejo uma mulher que vai atrás do homem. Acredito que Casillas, apesar das últimas más épocas, pensava terminar a carreira no Real Madrid. Até que percebe que está a ser pontapeado para fora do clube onde passou a vida. E até que surge o Futebol Clube do Porto, o único (acredito nisto) clube que realmente o desejou, que o fez sentir especial e encontrou uma solução para que não perdesse dinheiro.

Perante este cenário repentino existiam duas opções para Sara Carbonero: ficar eventualmente dois anos sozinha com o filho em Madrid e estar com o jogador nas folgas ou mudar-se com o filho para o Porto. Acabou por acontecer a segunda opção, provavelmente pelo filho, que levou a que pedisse uma licença sem vencimento de dois anos, o tempo da duração do contrato do jogador. Sobre isto defendi (e continuo a defender) que Sara Carbonero só não trabalha em Portugal se não tiver desejo de o fazer. Sendo mulher de quem é (foi isso que a tornou conhecida mundialmente) irá receber propostas para diversas situações. Esta é a ideia que tenho.

A mudança do casal para Portugal tem diversos aspectos positivos. Um dos mais importantes é o facto de Iker Casillas não perder um cêntimo do dinheiro que ganharia durante o tempo de contrato que tinha com o Real Madrid. O Porto paga três milhões, livres de impostos, por ano e o Real Madrid paga (ou já pagou) o valor remanescente. Por outro lado, o BBVA já cancelou o seu patrocínio ao jogador e a Adidas parece pretender fazer o mesmo. Algo normal porque uma coisa é estar num dos maiores clubes do mundo e numa das principais ligas mundiais e outra é estar num clube grande em Portugal mas que pertence a um campeonato praticamente sem visibilidade internacional. Passa a ser um investimento exageradamente elevado para as marcas.

Mas nada disto faz de Iker Casillas e de Sara Carbonero um casal de emigrantes coitadinhos que trocam de país com uma mão à frente e outra atrás (uma realidade que é uma última solução para muitos casais). Por isso não percebo uma notícia do jornal espanhol ABC que revela que Iker Casillas pediu a Pinto da Costa que dê a mão a Sara Carbonero e que lhe arranje emprego numa televisão portuguesa. E numa notícia relacionada, Júlio Magalhães, em declarações ao Jornal de Notícias, abriu as portas do Porto Canal (a televisão do clube) a Sara Carbonero. "Se ela quiser ter no Porto Canal algum programa ou alguma participação seria uma mais valia para nós, provavelmente ganharíamos maior dimensão nacional e internacional. Vamos aguardar. Para já ainda não sabemos ao certo qual vai ser a permanência dela na cidade do Porto. Vai tudo depender da vontade dela, nós para já não vamos à procura", explicou.

Mantenho a opinião de que Sara Carbonero não terá dificuldade em trabalhar em Portugal. Só não o faz se não tiver esse desejo. Mas também não é preciso "caridade" para que trabalhe. Pois o mercado de trabalho irá olhar para si com olhos completamente diferentes daqueles com que olha para funcionários talentosos e mal remunerados no mundo da comunicação (e isto também se aplica a tantas pessoas sem talento, nem qualificações, que trabalham na televisão em Portugal). E acho que não faz sentido colocar Sara Carbonero na televisão sem que saiba (não sei se sabe) falar português. Acho que existem, ou devem existir mínimos, e falar portunhol não é um deles. As portas vão estar sempre abertas para Sara Carbonero. Resta saber se quer entrar em alguma sendo certo que não necessita de caridade para que isso aconteça.

neste momento sou um bicho raro

Esta é aquela altura do ano em que todas as pessoas fazem uma contagem decrescente para o início das férias. É assim com os amigos. É assim com os colegas. É assim nas redes sociais. Até é assim na fisioterapia onde o fisioterapeuta que me acompanha também faz a sua contagem. Resumindo, contam-se dias, fazem-se planos, deseja-se ainda mais calor e por aí fora. Neste ano sou um bicho raro. Pois enquanto todas as pessoas contam os dias para os início das férias eu conto os dias para voltar a trabalhar. Para voltar a ter uma vida normal.

aquele momento #31

Aquele momento em que tens na caixa do correio um aviso para ir aos correios levantar uma carta do tribunal. Por mais certezas que tenhas de que nada fizeste de errado ficas sempre a pensar que poderá ser algo negativo. Por mais certezas que tenhas de que tudo está bem, só descansas no momento em que tens a carta nas mãos.

21.7.15

quem quer o elixir da juventude?

Começo por ser o mais sincero possível. Não sei qual é o elixir da juventude. Acredito que passe por ter cuidado com a alimentação. Pela prática regular de exercício físico. Pelo correcto descanso do corpo. E por mais algumas coisas. Mas não tenho uma resposta exacta para que não se verifique um envelhecimento físico. Mas... conheço a pessoa que é capaz de ter uma palavra a dizer sobre isso. Primeiro, peço que se concentrem nestas imagens.

1992|21 anos|Publicidade Calvin Klein

1996|25 anos|Filme O Medo

2003|31 anos|Filme Um Golpe em Itália

2007|36 anos|Filme Entre Inimigos

2010|39 anos|Filme Agentes de Reserva

2012|41 anos|Filme Contrabando

2014|43 anos|Filme Transformers: Era da Extinção

2015|44 anos|Filme Ted 2

Volto a dizer que não tenho a receita do elixir da juventude. Mas sempre que vejo um filme de Mark Wahlberg (sobretudo os mais antigos) fico com a ideia de que além de ser um extraordinário actor - daqueles que sabe fazer tudo bem e ser sempre bom, por pior que seja o filme - é capaz de saber qual a receita para o elixir da juventude. Por isso, quem desejar o elixir da juventude só tem de abordar Mark Wahlberg.

afinal a cidade do porto é um espectáculo (mesmo que não seja)

Quando foi tornada pública a chegada de Iker Casillas ao Porto surgiram várias notícias negativas em torno da mudança. Foi a mãe do guarda-redes que falou mal do clube português, que considerou ser de uma divisão muito inferior. Foi o pai, que falou mal de Vítor Baía, dizendo que esperava que o filho não acabasse cheio de dívidas como o guarda-redes português (são palavras suas). Foram diversos jogadores a dizer que a mudança é um passo atrás na carreira do espanhol. E até surgiram notícias de que Sara Carbonero recusava mudar-se com Casillas para a cidade do Porto pois considerava que era uma espécie de despromoção social. Neste texto abordei esse tema e o rumor em questão.

As notícias sobre Sara Carbonero foram feitas com base no diz que disse. Agora, a espanhola quebrou o silêncio e abordou a mudança para uma nova cidade e um novo país no seu blogue Cuando nadie me ve. Num extenso texto, a jornalista começa por dizer que duas das coisas que mais assustam as pessoas são tomar decisões e mudanças. "Como muitos de vocês sabem, a minha vida vai mudar bastante nos próximos dias. Começo uma aventura com a minha família num novo país, muito perto", explica.

"Isto implica deixar temporariamente algumas coisas, como a Telecinco. Esta foi uma decisão que tomei já há muito tempo, nunca me passou outra coisa pela cabeça que não fosse estar junto da minha família neste momento", prossegue. Além de abordar a mudança, Sara Carbonero elogia ainda o seu novo destino. "Estive várias vezes em Portugal, tanto em trabalho como por lazer e sempre notei a amabilidade das pessoas. Com certeza que rapidamente nos sentiremos em casa, já que o Porto é uma cidade magnífica para criar um novo lar", refere. Sara Carbonero.

Estas palavras colocam um ponto final na polémica em torno da mudança para a cidade do Porto, onde a espanhola já está instalada e à procura de casa. E estas eram as únicas palavras que Sara Carbonero podia tornar públicas sobre a mudança. Mesmo que eventualmente não esteja satisfeita. O marido vem de dois, três anos de inferno no Real Madrid, clube que fez os possíveis para o empurrar de lá para fora. Se Sara assumisse publicamente que estava insatisfeita ou se dissesse algo ao estilo dos sogros poderia criar problemas para Casillas na sua nova aventura profissional. Assim, a polémica acaba e todas as pessoas ficam satisfeitas com as suas palavras, que acredito serem sinceras.

Até porque mal seria se Sara Carbonero não quisesse mudar para Portugal por considerar que estaria mais longe de alguns luxos que tinha em Madrid. Luxos esses que também terá em Portugal, onde nada lhe faltará nem ao filho do casal. Até porque uma coisa é mudar de país atrás do sonho de uma vida melhor. Outra completamente diferente é ter um ordenado anual de três milhões de euros livres de impostos (sem contar com o que chega de Madrid). Além disso, continua a viver relativamente perto de Madrid que considera a sua zona de conforto.

20.7.15

as pessoas tatuadas são inferiores às outras

O motivo deste texto é uma história que parece ter acontecido num país distante. Parece quase uma fábula inventada por alguém. Mas aconteceu em Portugal, em Oeiras. O protagonista é Clife Barbosa, um homem que além de ser tatuador tem tatuagens no corpo. A ele junta-se a mulher, Bruna e Mel, a filha de ambos. A esta família junta-se um colégio. Onde aparentemente as pessoas com tatuagens não são vistas com bons olhos.

Os pais inscreveram a filha num colégio para o próximo ano lectivo e foi-lhes assegurado que tinham vaga numa IPSS (Instituição Privada de Solidariedade Social). Segundo o pai tudo corria bem até ao momento em que a directora soube qual era a sua profissão. O casal foi convocado para uma reunião com uma educadora mas afinal foram recebidos pela directora. "(...) fez logo cara de nojo quando viu os meus braços", explica Clife na sua página de facebook. "pois essas tatuagens...", chegou a dizer durante a conversa.

Depois a directora perguntou aos pais se não tinham ninguém para ficar com a filha durante o primeiro ano, como por exemplo os avós. Bruna respondeu que não. "Como não?", perguntou a directora. "Então? Não aceitaram o casamento foi?", perguntou para choque do casal. Clife e Bruna receberam ainda uma proposta acima dos rendimentos apresentados de modo a que não conseguissem pagar o valor, explica Clife.

"A minha tristeza é grande por saber que ainda existem pessoas assim. Por isso é que não se anda para a frente neste país. Não é por estar tatuado que sou bandido, que me drogo e que não tenho princípios e etc. Nem isso faz de mim um mau pai, porque sou melhor pai que muitos que andam por aí e que nem 1 tatuagem têm, todos os dias mudo fraldas à minha filha, dou-lhe de comer, tomo conta dela e todos os dias vejo o lindo sorriso que ela tem a olhar para mim!", desabafa Clife Barbosa na mesma rede social.

"Estou indignada! Como é possível?! E além disso foi capaz de invadir a minha privacidade como se me conhecesse há anos a perguntar se os meus pais não ficavam com a minha filha por não ter aceite o casamento. Como é possível? Era a última pergunta que esta senhora deveria ter feito. Podia ter-me perguntado se os meus pais e os meus sogros estão a trabalhar ou se não estão cá, agora isto?! O que está a querer dizer? Que tenho um marido de merda?! Mal ela sabe que é o homem super responsável, cheio de princípios e com um carácter de louvar. Isso para não falar que é um amigo, um marido e homem que muitas gostariam de ter. Eu sou mesmo uma sortuda, porque nos dias que correm nem de vela acesa! E em relação a esta escola tenho pena dos pais que têm lá os seus filhos", explica Bruna (na publicação do marido) revelando a sua revolta com o sucedido.

(foto retirada do facebook de Clife Barbosa)

Como comecei por dizer, parece uma história vinda de um qualquer país onde abundam as notícias bizarras. Parece uma notícia de mil novecentos e qualquer coisa. Mas aconteceu em Oeiras e em 2015. E isto toca-me de forma particular porque também tenho uma tatuagem. Ou melhor, infelizmente tenho apenas uma. Já pensei em fazer mais e quando penso nisso tenho sempre em conta o local do corpo a tatuar porque esta mentalidade ainda existe. E ainda consegue ser um obstáculo em diversas situações. Neste caso específico acaba por prejudicar uma criança e uma família.

É pena que ainda se avaliem pessoas com base em coisas como roupas, penteados, tatuagens e brincos. E que se coloquem as pessoas todas nos mesmos sacos. Se tem uma tatuagem é um bandido porque em tempos viveu lá no bairro um bandido que tinha uma tatuagem. Como tal, todas as pessoas que têm tatuagens não podem ser boas. Nos dias que correm cada vez mais pessoas têm tatuagens. Tal como, e porque isto diz respeito a crianças, existem cada vez mais crianças nos colégios e escolas que são filhos de pais separados porque os casamentos não correram bem. O que não significa que sejam maus pais porque já não vivem juntos. Tal como não invalida que não saibam educar os filhos da melhor forma.

Uma das maiores (senão mesmo a maior) crises que vivemos é a de valores. E uma das coisas mais complicadas de alterar são as mentalidades. É um processo que leva gerações. E é por isso que numa altura em que muitas pessoas têm tatuagens ainda se olha de lado para quem decidiu tatuar o corpo. E continua a ser complicado - mesmo com diversas figuras nacionais e internacionais, das mais diversas áreas, a assumirem que têm tatuagens - perceber que nem todas as pessoas tatuadas são más pessoas.

real men make...

(Sabedoria Dane Cook)

as coisas acontecem quando têm que acontecer

Sou da opinião de que as coisas acontecem quando têm que acontecer. Pode falar-se de destino. Também de sorte. E em alguns casos de agilidade, jeito ou treino e preparação. Mas continuo a defender que existem coisas que têm uma hora previamente marcada para nós e das quais não conseguimos escapar. É algo que tinha mesmo de acontecer.

E recordei-me disto quando li a notícia (e vi o vídeo) do surfista australiano Mick Fanning a ser atacado por dois tubarões durante a final do J-Bay Open, uma das provas do circuito mundial de surf, que está a decorrer na África do Sul. Nas imagens é possível ver a aproximação de um tubarão que, apesar do esforço do atleta para manter-se em cima da prancha, consegue derrubar o surfista.

Já perdi conta ao número de notícias de ataques de tubarões em diversas praias e eventos. Ataques esses que acabam por deixar severas marcas físicas nos protagonistas destas histórias. Que em diversos casos ficam sem braços, pernas ou que, em casos extremos, perdem a vida no ataque dos tubarões. Algo que não aconteceu com Mick Fanning.

Como referi, um dos tubarões conseguiu derrubar o surfista. É certo que as motas de água da organização foram céleres a aproximar-se do atleta. Mas num ataque de tubarão bastam breves segundos para que o desfecho da história seja trágico. Neste caso, Mick Fanning, que revelou ter sentido algo preso à perna, conseguiu afastar o tubarão com um pontapé no dorso ficando apenas com alguns arranhões.

Podem falar em sorte. Podem dizer que Mick Fanning está preparado (e tem a calma necessária) para lidar com uma situação destas. Podem dizer que o mérito é da equipa da organização que se aproximou de pronto e que isso terá afastado o tubarão. Aceito tudo isto. Mas parte de mim irá continuar a acreditar que não era a hora de Mick Fanning. Não era suposto acontecer mais do que aconteceu. Porque as circunstâncias são iguais às de outras histórias trágicas enquanto esta tem um final feliz.

17.7.15

é a situação mais embaraçosa (em público) para elas?

Há quem diga que é o maior pesadelo para elas. Há quem defenda que é a situação mais embaraçosa por que podem passar em público. Não sei se será assim (só as mulheres podem responder a isso) mas acredito que seja uma situação pela qual nenhuma mulher deseja passar. Situação essa que aconteceu a Patricia Navidad. Ainda por cima o episódio teve lugar em directo num canal de televisão. Tal como revela este vídeo.


A protagonista é uma cantora mexicana. Que, para quem não reparou - algo quase impossível - deixou cair a "toalla" enquanto cantava. Ou seja, durante a actuação caiu o penso higiénico da artista mexicana. Algo que foi visto por milhões de telespectadores. E outros tantos através das redes sociais pois o vídeo tornou-se viral. O objecto de higiene feminina ficou ali caído no chão e Patricia prosseguiu a actuação como se nada fosse.

Como seria de esperar existem milhares de comentários em relação ao assunto. Até foi criada uma conta numa rede social com o nome La Toalla de Paty. Existem as pessoas que enaltecem o profissionalismo da cantora a quem chamam Paty. Existem comentários machistas, alguns divertidos e também muitos deles ofensivos para a cantora que tem reagido nas redes sociais com diversos comentários.

Não vejo no vídeo motivos para ofender a artista que, e muito bem, prosseguiu a cantar como se nada fosse. Se tem parado ou se tem tentado fazer algo acredito que o eco em torno disto fosse ainda maior. Como não sou mulher não sei o que pode originar uma situação destas. Mas acredito que seja mesmo uma situação que nenhuma mulher quer protagonizar em público.