15.12.15

quando o natal se mede pelo preço dos presentes

Gosto muito do Natal. Gosto de ter a família à mesa. Gosto do convívio. Aliás, é aquilo de que mais gosto. As horas que parecem minutos. As gargalhadas. As histórias que se partilham. Também adoro o ambiente desta época. Montar a árvore. Adicionar sempre algo novo à mesma. Gosto de estar no sofá e ver as luzes a piscar. As velas acesas. Gosto também da contagem para a meia-noite. Da troca de presentes. De ver a minha sobrinha a abrir os seus com muito encanto.

No que aos presentes diz respeito faço questão de oferecer aos meus. Por mais complicado que esteja o orçamento arranjo sempre forma de presentear aqueles que amo com algo. Mas nunca medi o amor que sinto por alguém pelo preço que paguei por um presente. Prefiro um artigo mais barato mas que me deu trabalho a encontrar e que se enquadra na perfeição com a pessoa do que um caro que serve apenas para dizer que gastei dinheiro com aquela pessoa.

E se sou assim com a minha família sou também com os meus amigos mais próximos. Recordo-me de no último ano ter ido a uma loja do chinês onde gastei cerca de meia dúzia de euros em presentes que lhes ofereci num almoço sem que estivessem à espera. Tudo coisas baratas mas que combinavam na perfeição com eles. E que motivaram bons momentos e muitos sorrisos. Muitos mais do que caso lhes tivesse oferecido algo mais caro mas sem grande significado. Algo que também fizeram no meu aniversário quando me ofereceram acessórios para retirar o gesso da perna.

Talvez por ser assim estranhe quem olha para esta época com base na etiqueta de um presente. Ou seja, pessoas que medem as suas relações com base no preço dos presentes que dão e que recebem. Estranho aquelas pessoas que oferecem presentes caros, em alguns casos acima do seu orçamento, apenas porque têm receio de que a outra pessoa fique aborrecida com algo mais barato. Tal como estranho pessoas que se ofendem com presentes baratos que recebem. É quase a lógica das redes sociais associada ao Natal. Só que em vez de se medir relações pelo número de gostos, medem-se pelo preço que consta na etiqueta.

E existe pelo menos mais um aspecto que pode ser transportado das redes sociais para esta quadra festiva. Nas redes sociais existem pessoas que são capazes de comentar quase tudo aquilo que outros escrevem. Fazem gostos em tudo e mais alguma coisa. Mas depois não falam com as pessoas quando se cruzam na rua. E no Natal acontece quase o mesmo. Existem pessoas que fazem questão de oferecer presentes a outras a quem não ligam nenhuma ao longo do ano. Isso ou enviam mensagens de Natal com discursos de melhor amigo mas depois mal falam com as pessoas durante o resto do ano.

É pena que o Natal seja visto, por algumas pessoas, como um preço numa etiqueta. Como um presente caro que se oferece. Que as relações sejam medidas com base em objectos e mensagens vazias de sentimentos. Sou a favor das trocas de presentes mas com sentido. Com um motivo maior do que “vai levar a mal se não lhe der nada” ou “se não for caro vai ficar chateado(a)”. Tal como sou defensor de que tudo aquilo que se vive agora não seja esquecido ao longo do ano.

12 comentários:

  1. Inteiramente de acordo.
    Já passou o tempo em que eu pensava isso de "levar a mal" , não da minha parte, mas do outra.
    Deixei-me disso e ofereço a quem é verdadeiramente amigo(a).
    E o que dou é simples e nada de gastos que não posso suportar.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Vimos tantas vezes ao teu blogue que perdemos a conta, mas comentar é sempre mais 'puxado' em termos de tempo e acabamos por pensar "Ele vai saber que cá passamos e ele sabe que é bom no que faz. Mas hoje temos mesmo que te dar os parabéns! Escreveste tudo o que nós pensamos e da melhor forma, com as melhores metáforas!! Muito obrigado! Nós pensamos mesmo exactamente isto! Aliás, a parte das prendas é a que menos importa. O que importa são os momentos partilhados. Claro que também sabe bem pensar que se lembraram de nós e nos deram um mimo, mas o natal deve ser mesmo isso: uma lembrança de amor. Amor pela família e amigos.
    Continua assim, que tu és excelente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelos exagerados elogios. Sabe sempre bem ouvir.

      Natal é sentimentos e não objectos.

      Muito obrigado!

      Eliminar
  3. True!
    Ainda estes dias perguntaram-me o q é q a minha pequena tinha pedido para o Natal, e na altura ainda ninguém tinha comprado... quando disse o que era, a resposta "ah... está bem, mas tenho que comprar mais qualquer coisa porque isso é muito baratinho..."...
    Olho para as prendas pelo valor que eu ou quem as recebe possa atribuir... não pelo que consta na etiqueta... e sei que para alguns sou E.T....
    Beijinho e boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que existem pessoas como tu!

      beijos e boa semana.

      Eliminar
  4. Concordo contigo... Coisas do chinês ou de marca, o importante é saber que o retorno é um mega sorriso!!!

    ResponderEliminar
  5. Depende da pessoa, adoro que o meu namorado me dê presentes caros e os meus pais! De resto, não me diz nada , um abraço e um sorriso são os melhores presentes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro presentes que tenham a ver comigo. Valorizo mais isso do que algo caro.

      Eliminar
  6. Não podia concordar mais, mas infelizmente as pessoas são mesmo assim e muitas pensam mesmo assim. Enfim...

    ResponderEliminar