POWr Multi Slider

17.12.15

a arte de (não) saber estacionar o carro

Existem algumas coisas que não faço no momento de estacionar o carro. Não tapo portões nem portas de casas ou prédios. Não estaciono em passeios onde não é suposto estacionar quando tenho lugares livres vinte metros ao lado. Nunca deixo o meu carro encostado a outro, de modo a que seja impossível abrir uma porta. Não deixo o carro estacionado a dois centímetros do carro da frente, algo que dificulta a manobra. E não estaciono o meu carro numa fila que não deveria existir e que vai impedir que alguém, que estacionou bem, consiga retirar a sua viatura.

Infelizmente, nem toda a gente é assim. Estive num jantar de amigos. Era quase uma da manhã quando me preparo para ir embora. Chego ao carro e percebo que vai ser impossível retirar o meu carro, que está ladeado por outros dois igualmente bem estacionados. O problema são dois carros que estão atrás destes três e que não deixaram espaço para que nenhum de nós conseguisse sair, sendo que como fui a primeira pessoa a chegar ao carro (nem sei de quem eram as viaturas que estavam ao lado da minha) fui o primeiro a ter problemas. Ainda tentei fazer a manobra mas sem sucesso.

Aquela hora a paciência já era pouca. Mesmo assim ainda fui ao restaurante onde estava, e onde estavam muitas pessoas, tentar perceber se estavam por ali os donos daqueles dois carros. Não estava ninguém. Perante isto restava o cenário de ligar para a Polícia na esperança de que enviassem um reboque. Acabei por não o fazer, até porque me disseram que aquela hora não teria grande sucesso, sendo que a solução foi outra, graças à ideia de um amigo, que acabou por ser bastante prática e que permitiu que fosse para casa.

Não me deu para ficar muito chateado com aquilo. Mas conheço várias pessoas que eram capazes de, por exemplo, furar os quatro pneus do carro, riscar o mesmo ou fazer outras coisas semelhantes. Algo que sou incapaz de fazer. Não faz parte do meu feito partir para opções tão drásticas. Felizmente consigo manter a calma em cenários como este. E ainda bem que sou assim. Mas isto não invalida que não considere aquela situação completamente absurda.

As pessoas que estacionaram aquelas duas viaturas certamente perceberam que nenhum dos outros carros conseguiria sair. Não era necessário ser um mestre em medidas para perceber que a manobra era impossível. Quem o fez tirou proveito daquela mentalidade do “quem vier atrás que feche a porta”. Depois admiram-se quando têm os carros riscados e com os pneus furados. E aquilo a que ainda acho mais piada é que este tipo de gente costuma ficar extremamente ofendida quando lhes fazem o mesmo.

16 comentários:

  1. Tenho asco a gente que estaciona da forma como dizes. Cima dos passeios, das passadeiras, 2ª fila quando há lugares disponíveis.
    Tenho mesmo!
    É uma luta incessante.
    Sou como tu nessa matéria. Tento ao máximo não enfiar o carro em qualquer buraco, só porque sim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perto do meu prédio existem lugares para todos os segundos carros das pessoas (porque cada pessoa tem um lugar de garagem). Mesmo assim estacionam em cima dos passeios só para ficar mais perto do prédio. A diferença é meia dúzia de metros.

      Eliminar
  2. O meu pai estaciona onde quer e como quer, um dia puseram lhe o carro no meio da estrada numa das ruas mais movimentadas de Faro, fartei-me de gozar com ele. Concordo contigo, também tenho essas preocupações e à quarta à noite tenho proteger o meu o mais possível, pois moro às portas da maior feira da zona oeste e é um se deus quiser...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São coisas que acontecem. Quem estaciona assim corre alguns riscos.

      Eliminar
  3. Não riscava nem furava pneus, mas um papel a "agradecer" o transtorno tinha deixado! Provavelmente de pouco adiantava, mas pelo menos tinha ouvido/lido algumas verdades!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solução foi muito melhor do que essa e aposto que a pessoa ficou boquiaberta com o que encontrou :)

      Eliminar
  4. A para quando a continuação da tua 'história'?? Queremos mais capítulos :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou em falha com isso. Mas poderá haver novidades em breve :D

      Eliminar
  5. Chama-se a isso uma extrema falta de respeito pelo outro...coisa que abunda nos dias que correm...Infelizmente também tenho situações dessas de estacionamento mas no meu caso é mesmo na zona onde moro...e a situação é sempre criada pela mesma pessoa! Um vizinho muito pouco educado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se estivesse sozinho tinha mesmo de ligar para a Polícia porque não resolvia nada.

      Eliminar
  6. Encostas a traseira ao para choque e aceleras.
    Repetes a manobra até conseguires espaço para saída. Depois é que riscas os carros envolvidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não dava. Porque os carros que tapavam o meu estavam na traseira do meu mas de lado. A solução foi mais gira do que essa ;)

      Eliminar
  7. Oh, agora quero saber a solução encontrada!

    ResponderEliminar
  8. Eu chamava a polícia, não queria saber da hora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Disseram-me que aquela hora dificilmente ia lá o reboque. Ou seja, não me resolvia nada.

      Eliminar