13.7.15

mulheres, mães e tupperwares

Cá em casa não existem muitos tupperwares. E os que existem são quase todos do mesmo formato. Além disso, tanto eu como a minha mulher não temos o hábito regular de trazer comida das casas dos nossos pais. É algo que acontece pontualmente, o que faz com que não tenhamos muitos tupperwares que não sejam nossos. Quando os tupperwares emprestados ficam muito tempo cá em casa olho para eles como nossos. Ou seja, não tenho aquele olho clínico que detecta imediatamente um tupperware que não nos pertence. 

Aquilo que não consigo fazer é uma capacidade inata das mulheres. Aquilo que parecem ser tupperwares todos iguais e todos nossos conseguem ser imediatamente separados pela minha mulher que em milésimos de segundos sabe o que é nosso, o que é da minha mãe e o que é da minha sogra. Recentemente foi um daqueles momentos em que os tupperwares que não são nossos foram distribuídos pelas respectivas donas. Tive a missão de entregar alguns à minha mãe (se fosse lá algum nosso não notava)  e a minha mulher entregou os que pertencem à sua mãe. 

Até que encontrei um tupperware no porta-bagagens do carro da minha mulher. "Este é de quem?", perguntei. "A minha mãe diz que é da tua", respondeu-me. Ou seja, quando - algo que acontece raramente - o olho clínico de uma mulher falha é imediatamente corrigido pelo de outra mulher. Podem estar dias, semanas ou meses afastadas dos seus tupperwares mas conseguem sempre reconhecer os mesmos como sendo (ou não) seus. Acho isto fantástico pois para mim são quase todos iguais e se estão cá em casa muito tempo são adoptados e vistos como sendo da família.

25 comentários:

  1. Alguns são muito parecidos e acho que só vou ter essa capacidade quando sair de casa e enche-la com tepperwares que vou levar com comida da minha mãe ou da minha tia.Mas os meus eu já sei perfeitamente quais são... são aqueles pouquinhos que estão dentro de um saco à espera que eu dê o salto para os usar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É comprar todos iguais (em diferentes tamanhos) e está tudo resolvido :)

      Eliminar
    2. Eu não compro, tenho uma boa madrinha e por acaso fez isso ;)

      Eliminar
  2. AHahaha... Mas olha que o meu marido sabe perfeitamente distinguir os nossos tapperwares dos da sua mãe e dos da sua sogra :) o que quererá isto dizer? :) ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estava aqui a pensar na teoria de que passas pouco tempo na cozinha ;) será?!

      Eliminar
    2. Nem por isso. Falta-me só o olho clínico para os tupperwares ;)

      Eliminar
    3. :) se é só o olho clínico (para os tupperwares) que te falta, isso então é o de menos importância ;) :)

      Eliminar
  3. Olá :)
    Fartei-me de rir, mas tenho que admitir que é bem verdadeira a ligação das mulheres com os seus tupperware. Das muitas coisas que se podem emprestar, os tupperware estão na lista daquelas em que se stressa enquanto não estão de volta a casa. Com o passar dos anos as mulheres descobrem que há dois tipos de tupperware: os favoritos, aqueles mesmo bons, que não se emprestam a ninguém, e os assim-assim que se podem emprestar.
    Uma amiga, após ficar sem os dela n vezes desenvolveu um truque para aquelas ocasiões em que há reuniões em casa e depois os convidados levam consigo comida: passou a guardar caixas de gelado que servem perfeitamente para o propósito e não faz mal nenhum que não as devolvam.
    Confesso que já fui a uma loja do chinês comprar uns quantos baratinhos porque já aprendi que os meus melhores tupperware não se emprestam a ninguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei o comentário. Os tupperwares juntam-se aos, como diz o povo, carro, escova de dentes e mulher/homem, naquilo que não se empresta a ninguém.

      Eliminar
  4. A vós homens, falta-vos a sensibilidade do tupperware, ahahah

    ResponderEliminar
  5. Eh pah, que seca tu és!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso eu não o acho nada seca, antes pelo contrário e cada vez me sabe melhor vir aqui só conversar um bocadinho :)

      O mais certo é homemsemblogue e quem gosta de o ler achar-te a ti Anónimo a maior seca

      Eliminar
    2. Cristina,

      Obrigado pelas palavras mas não vale a pena perderes tempo com estas conversas.

      Eliminar
    3. Pois não, não vale a pena! ...Mas até foi mais para aproveitar e transmitir-te que gosto muito de te ler :)
      Por isso mesmo que surja alguma "turbulência" de vez enquando de pessoas de mal com a sua propria vida, espero que continues sempre a postar o que te apetecer :) pois a mim vai-me apetecer ler :)

      Eliminar
    4. Obrigado pelas palavras!

      Quando sabes o que és o ruído que te rodeia nunca te afecta.

      Eliminar
    5. Boa ;) é isso mesmo ;)

      Eliminar
    6. Uma pessoa que não gosta deste registo só pode estar mal com a vida, claro!!! :DDDDDDD

      Eliminar
  6. Eu sou daquelas que poderiam dar-me um errado ou nunca mais ver algum que não iria notar..

    ResponderEliminar