23.7.15

12 anos ao teu lado

O dia vinte e três de Julho assusta-me há muitos anos. E tenho receio desta data por diversos motivos. Por exemplo, nunca imaginei estar ao lado de alguém muito mais do que um ano. Nunca acreditei ser capaz de amar alguém da forma como te amo. Aliás, nunca julguei ser capaz de amar alguém porque foste tu quem me ensinou o significado de amar e desejar alguém. Antes de te conhecer acreditava saber o que era amar mas estava redondamente enganado. Era uma qualquer mixórdia de sentimentos que me toldava a razão. Até que me mostraste, de forma bastante clara, o que é o verdadeiro amor. E com isto não quero dizer que me fizeste sentir borboletas na barriga. Fazes com que me falte o ar que respiro. Fazes com que sinta um enorme aperto por dentro. Fazes com que veja o mundo de uma forma completamente diferente. Fazes também com que nenhum obstáculo seja maior do que o passo que consigo dar. Fazes com que o mundo seja pequeno para a alegria que me fazes sentir. Entre muitas outras coisas que levavam anos a explicar.

E o meu grande receio é que chegue este dia e não saiba o que te dizer. Que chegue este dia e não tenha nada de novo para te dizer. Que a distância que separa o coração da boca seja percorrida totalmente em silêncio. E que a paisagem dessa mesma viagem seja igual à do ano passado. Pior do que isto, que chegue este dia e que te ame o mesmo que amava no ano passado. Ou mesmo na noite anterior a este dia. Este é um dos meus medos. Mas, felizmente, é um medo que não deixas que seja muito intenso. Porque estar um dia ao teu lado basta para perceber que nada será igual desse momento para a frente. Sentir o teu toque uma vez chega para perceber que a vida vai mudar a partir desse momento. Sentir os teus lábios uma vez chega para que me sinta imortal e para saber que descobri uma sensação que a esmagadora maioria do mundo desconhece. E tudo isto torna impossível que te ame com a mesma intensidade do momento em que comecei a escrever este texto. É impossível! E ainda bem que assim é.

Parece que acabei de te ver chegar ao Areeiro. Parece que estamos, quer dizer, estou a tomar o pequeno-almoço. Parece que estamos a descer a rua. E parece que te estou a beijar no banco de jardim que mais encanto tem no mundo. Parece que tudo isto está a acontecer agora. Parece que te estou a levar a casa. E que nos despedimos sem saber se seria algo sério que estava a iniciar-se na rua dos teus pais. Mas a verdade é que já lá vão doze anos. Não são minutos, horas, dias, semanas ou meses. São mesmo doze anos. E tal como na despedida daquele dia continuo sem ter dúvidas de que é algo muito forte e especial o que nos une. Chamar-lhe amor até é injusto mas percorrendo o dicionário de A a Z não encontro uma palavra que faça justiça ao sentimento que nos liga e que faz com que sejamos um. Ainda não foi inventada essa palavra. E duvido que venha a ser.

Mentia-te se dissesse que acho que o nosso caminho a dois tem sido um mar de rosas perfeito, só com dias de sol e sem uma única pedra no caminho ou dias de chuva. Existiram pedras. Existiu chuva. E ainda bem que assim foi. Porque são os momentos menos bons que me mostram o quanto te amo. São os momentos menos bons que me fazem valorizar ainda mais os momentos altos que vivemos. Momentos em que mal me consigo mexer, por maior que seja o espaço onde esteja. Às vezes brincas comigo e dizes "gostava de saber quanto tempo é que demoras até fazeres isto ou aquilo quando tiveres uma namorada nova". E só coloco este cenário caso sejas tu a minha nova namorada. Porque o que sinto é que a cada dia que passa tenho uma nova namorada, ainda mais especial.

Obrigado por estes doze anos maravilhosos. Obrigado pela companhia. Obrigado pelas lágrimas que limpaste. Obrigado pelos sorrisos que provocaste. Obrigado por me dares a força que julgava não ter. Obrigado por nunca me deixares ficar junto ao chão. Obrigado por fazeres de mim o homem que sou. Obrigado por lutares pelos meus sonhos como sendo teus. Obrigado por me aturares. Obrigado por seres a minha melhor parte. Obrigado por acreditares em mim e no que sou. Obrigado por me ensinares a amar. Obrigado por me fazeres sentir coisas que nunca imaginei e que desconhecia por completo. Obrigado por me fazeres viver pois até te amar apenas existia. E muito obrigado por me amares como amas e como nunca me amaram. Preciso de ti como do ar que respiro.

Um beijo gigante em ti.
Do teu e para sempre teu,
Bruno

PS - Não demores a chegar a casa. Quero abraçar-te como se o mundo fosse acabar depois de os meus braços deixarem de sentir o teu corpo. Quero beijar-te. Quero celebrar o nosso amor. Amo.te´nos mais do que tudo na vida.

32 comentários:

  1. Parabéns aos dois. Saber amar e deixar-se amar não é para todos. E menos ainda sabem dar valor ao que têm. Ainda bem que não é o caso : )
    A vida é curta...Aproveite todos os momentos. Felicidades!! Mata Hari

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado! A vida é mesmo curta para não se aproveitar :)

      Eliminar
  2. Que post tão bonito! Espero que ela te estime e te dê o valor que mereces. :) Tal como já vi que tu lhe dás o valor que ela tanto merece.

    http://entreosmeusdias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a sorte de ter uma mulher fantástica ao meu lado, que me valoriza imenso :)

      Obrigado

      Eliminar
  3. Que lindo! Eu conto com 9 anos ao lado do homem da minha vida! E sim, também para mim as palavras são poucas quando comparadas com o que me vai no coração. Continuem assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes perfeitamente o que quero dizer :)

      Obrigado

      Eliminar
  4. Tens algum irmão gémeo :D parabéns por seres um dos românticos em via de extinção :)

    Felicidades aos dois <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que muitos homens são assim. Só que muitos ainda têm vergonha de falar de sentimentos e de dizer o que sentem :)

      Obrigado

      Eliminar
  5. Parabéns :) e habitua-te a não ter receio do que tens de bom na tua vida ;)

    E depois diz quantos comentários tiveste de pessoas a "morder" ...é só porque quando se mostra felicidade há pessoas que não se sentem bem com isso ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente nem um comentário negativo. Mas já aconteceu noutros anos.

      As pessoas devem viver sem receio de tudo o que é bom ;)

      Obrigado.

      Eliminar
  6. Bruno chagas freitas :)

    Parabens aos dois pelo aniversario ;)

    ResponderEliminar
  7. Que lindo!! Muitos parabéns pelos 12 anos :)
    Que venham muitos mais! :)

    ResponderEliminar
  8. Caro Bruno,
    Corajosa carta de amor. Parabéns.
    Um abraço,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras. Acho que as pessoas não devem ter receio de dizer o que sentem.

      Abraço

      Eliminar
  9. oh cum catano que declaração MÁILINDA... muitas felicidades aos dois...

    ResponderEliminar
  10. Muitos Parabéns!
    E muitos mais anos de vida em conjunto!

    ResponderEliminar
  11. Opa posso copiar e enviar ao meu homem para ele decorar? ;) que venham mais 12, de preferência com mais dias de sol e menos pedras no caminho. Parabéns! Sara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aposto que o teu homem diz-te coisas muito mais bonitas do que estas ;)

      Obrigado.

      Eliminar
  12. Até fiquei com a lágrima no canto do olho!
    Que bonito texto e que bonito o vosso amor :)

    ResponderEliminar
  13. Que lindo :)
    Felicidades aos dois, hoje e sempre :)

    ResponderEliminar
  14. E depois de 12 anos ainda me consegues surpreender... Sempre! E deixar-me sem palavras...
    Obrigada por esta viagem. A nossa viagem. Mantém a mala feita que ainda temos muito para percorrer, ver e partilhar.
    Amo.te.nos muito
    <3 <3 <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mala está sempre feita e contigo vou ao fim do mundo. És a minha vida.

      AMO.TE´NOS MUITO

      <3 <3 <3

      Eliminar
  15. Liiiiindo!!!!!
    Parabens aos dois, e a ti por não teres problemas em demonstrar publicamente o que sentes.
    Continua assim!
    Muitas Felicidades aos dois e continuem assim.

    ResponderEliminar