24.6.15

prioridade de muletas e coxas

Ontem fui, pela primeira vez, à clínica onde irei fazer fisioterapia para recuperar da lesão. Cheguei e fui ao balcão. Eu, as minhas muletas e a minha bota walker (semelhante ao Robocop). Depois de mim chegou uma senhora mais velha, igualmente de muletas. Aproximou-se do balcão e fez aquilo que muitas pessoas mais velhas tentam fazer: passar à frente das pessoas. "As pessoas de muletas não têm prioridade?", perguntou à funcionária. Que se começou a rir. "Prioridade de muletas? A senhora já viu onde está? Estão quase todos de muletas", explicou. "Estava a brincar", disse a senhora para tentar remediar o fracasso do seu plano.

Este episódio levou outra funcionária a partilhar outro momento ocorrido na clínica. "Entrou aqui uma senhora coxa?", perguntou um homem depois de entrar na clínica. "Peço desculpa mas vai ter de ser mais específico pois aqui quase todas as pessoas estão coxas", partilhou provocando uma gargalhada geral. Nada como momentos destes para aligeirar momentos menos felizes pois quem ali está certamente preferia não estar.

Quanto à senhora mais velha, é um hábito muito comum entre as pessoas mais velhas. Aproximam-se, passam à frente como se não fosse nada com elas e, se por acaso, alguém fizer algum reparo fingem que não ouvem ou então pedem desculpa a fingir que nem sabiam o que estavam a fazer. Mas facilmente se distingue quem o faz sem querer de quem o faz propositadamente.

19 comentários:

  1. Pois mas segundo a lei deve ser dada prioridade a grávida, pessoas com crianças de colo, idosos e pessoas doentes....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim. Mas estou a falar de uma clínica de fisioterapia onde "todas" as pessoas estão em condições de ser prioritárias noutro local qualquer. Ali não faz sentido. Ali são todos prioritários.

      Eliminar
    2. Lá está se estão todas debilitadas mantem-se a mesma regra....primeiro as grávidas e idosos debilitados e depois os outros debilitados....

      Eliminar
    3. Estou a falar de uma clínica onde todas as pessoas estão debilitadas. A senhora estava muito melhor do que eu, por exemplo. Era a fila para o médico onde existem horas marcadas. Neste caso não faz sentido que a senhora passe à frente de quem quer que seja. Noutros casos sim, ali não.

      Eliminar
  2. Já tinha dado conta desse fenónemo e pensando bem acho bastante legitimo ;) .... tendo em conta que as pessoas mais velhas têm menos tempo de vida pela frente!

    Assim devem tentar todas as hipoteses para resolver as suas questões rápidamente mesmo que isso implique passar à frente dos outros.... para poderem usufruir da vida :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguns casos, como este, dão para rir. Noutros não existe piada nenhuma :)

      Eliminar
  3. Naquele lugar onde todos estão "aleijados" não faz sentido passarem à frente uns dos outros.. Mas se fosse uma grávida ou um idoso que estivesse débil mais do que os outros, perceberia que passassem à frente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se fosse um desses casos sim. Naquele cenário não fazia qualquer sentido.

      Eliminar
  4. As pessoas idosas acham que a idade é um posto, no entanto há pessoas novas com mais problemas de saúde que pessoas velhas...

    E no seguimento do comentário do Anónimo/a DAS 09:00, sim, a prioridade deve ser dada a grávida, pessoas com crianças de colo, idosos e pessoas doentes... mas, para começar, há muita gente que 'confunde' crianças DE colo com crianças AO colo, e que se aproveita da situação - p.e., num supermercado, transportar a criança num carrinho e quando chega à caixa pegar na criança AO colo e exigir prioridade; ou, empinar a barriga e dizer que se está grávida. Ambas situações aconteceram comigo e eu recusei que passassem à minha frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem pessoas que pegam nos filhos de "dez" anos para passar à frente.

      Eliminar
    2. Num supermercado se levar uma criança de colo (até aos 3 anos) mesmo no carrinho tem prioridade sempre porque a prioridade é para a criança não ser sujeita a tempos de espera, ficar impaciente chorar, ter fome e outras necessidades....

      Eliminar
    3. Concordo com isso mas cheguei a estar na Segurança Social e mulheres queriam passar à frente com filhos de seis, sete anos.

      Eliminar
  5. O problema é que essas pessoas "mais velhas" não olham ao sitio onde estão... Exigem ser atendidas com prioridade apenas e só porque são mais velhas.
    E aí, alto lá... que essa do ter que dar prioridade a idosos tem muito que se lhe diga, porque há idosos e idosos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem mesmo idosos e idosos. O problema está aí.

      Eliminar
  6. Aproveitam-se bem do facto de serem mais velhos para fazerem isso, é verdade.

    ResponderEliminar
  7. Se a terceira idade é um posto, há que aproveitar...mas eu fico possessa com a esperteza de algumas dessas pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O chico-espertismo consegue imperar em muitos casos.

      Eliminar
  8. Concordo contigo. Isso acontece imenso nos supermercados... as velhotas, como quem não quer a coisa, vão tentando passar à frente e quando damos por ela já estão com as suas compras em cima do tapete. Fico possuída e faço questão de lhes dizer que à minha frente não vai passar, primeiro porque nunca vou para caixas prioritárias e segundo porque detesto que me façam de parva. E chego mesmo a dizer: "se me tivesse pedido para passar à minha frente eu deixava com todo o prazer, mas assim não!"
    Mas também já passei por uma situação muito diferente: há uns anos atrás, vinha eu no autocarro para casa após um dia de trabalho, e entra uma senhora já idosa. O autocarro estava lotado e a senhora não tinha onde se sentar, então fiz-lhe sinal e comecei a levantar-me para lhe dar o lugar, ao que ela prontamente me diz: "deixe-se estar menina, deixe-se estar! De certeza que precisa mais de estar sentada do que eu... de certeza que vem do trabalho e está cansada, já eu só fui passear!" E sorriu-me de uma forma tão querida. ..nunca mais me esqueci disto!

    ResponderEliminar