5.6.15

aplica-se a tudo na vida

Ao longo das últimas horas tenho ouvido muitas vezes a frase “só faz falta quem cá está”. Estas palavras têm sido proferidas, em grande parte, pelos benfiquistas para responder à partida de Jorge Jesus, que seis anos depois – e com um trabalho assinalável – está de partida para uma nova aventura profissional. Gosto muito desta frase e curiosamente são palavras que sempre ouvi nos clubes onde joguei.

Tinha colegas que lamentavam o facto de o jogador y não estar disponível. Nesse momento, o treinador dizia “só faz falta quem cá está”. Se fosse o treinador a fazer esse reparo, era o capitão ou o dirigente que diziam “só faz falta quem cá está”. Por isso, desde miúdo que me habituei a ouvir estas palavras. Que nunca esqueci.

E como acho que estas palavras são sábias, aplico a tudo na vida. Utilizo em todos os momentos, profissionais ou pessoais, em que alguém se queixa de que falta esta ou aquela pessoa. Por mais talento que reconheça à pessoa que está em falta, seja no trabalho ou num jogo de futebol, a verdade é que se não está lá não pode fazer falta. E prefiro procurar a solução com aqueles que estão presentes do que pensar no que hipoteticamente poderia fazer caso estivesse lá quem não está.

E quando ouço esta frase, recordo-me sempre de outra, ainda mais elucidativa. “Os cemitérios estão cheios de pessoas insubstituíveis”. Estas duas frases são a prova de que não existem pessoas insubstituíveis. Seja no futebol de alta competição, o motivo pelo qual se tem dito muito isto, seja num escritório ou noutro local qualquer. E mal daqueles que acreditam que são tão bons mas tão bons que ninguém pode ocupar o seu lugar ou fazer as suas funções com qualidade. Porque, com mais ou menos talento, com maior ou menor aptidão, as coisas são feitas na mesma.



Esta imagem foi partilhada por Sílvio, jogador do Benfica, nas redes sociais. Minutos depois, e acredito que seja para evitar confusões, foi apagada. Enquanto benfiquista, estou com o Sílvio (e um exemplo/desabafo interno dá que pensar). E, afastando-me dos relvados e dos clubismos, também estou com o jogador. Porque esta é uma das leis mais simples da vida. E sem esquecer que os cemitérios também estão cheios de pessoas insubstituíveis.

7 comentários:

  1. Concordo... Enquanto benfiquista estou com o Sílvio, como pessoa levo isso como um lema de vida ;)

    PS: o Silvio mantém a foto no instagram (pelo menos até à hora que escrevi isto)..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És tu e eu. Ele tinha apagado mas voltou a colocar.

      Eliminar
  2. A maioria das pessoas está a fazer uma grande tempestade num copo de água com isto do JJ... sai um entra outro, já saíram óptimos jogadores ao mesmo tempo e nós conseguimos alcançar o Bi-campeonato... o mundo do futebol será sempre um vai e vem, não vale a pena estas confusões

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a confusão é apenas pela forma como tudo foi feito. Às escondidas e passando por cima de um treinador. Caso contrário ninguém falava disto.

      Eliminar
    2. Falava porque o português gosta de escândalos e quando não existem, criam-os

      Eliminar
  3. Mais um assunto com o qual já há muito tempo não perco o meu precioso tempo, futebol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto tem a ver com futebol mas dá para tudo na vida.

      Eliminar