9.3.15

comer gelados com a testa ou conversas que detesto

Considero-me um bom conversador. Sou capaz de passar horas à conversa com amigos e não tenho dificuldade em manter uma conversa com pessoas com as quais não tenho grande proximidade, cumplicidade ou confiança. Acho que conversar com outras pessoas, por mais diferentes que possam ser e com ideias antagónicas, acaba por ser uma experiência enriquecedora. Aprende-se sempre qualquer coisa. Mas, mesmo gostando de conversar, existem pelo menos dois tipos de conversas para as quais já não tenho paciência.

Comer gelados com a testa
Este é o tipo de conversa em que sou enrolado do início ao fim. Nem tenho direito a passar na casa de partida para receber os vinte dólares. A conversa serve apenas para que coma gelados com a testa. O único aspecto positivo deste tipo de conversas é saber que estou a ser enrolado. Isso permite desfrutar o momento ao mesmo tempo em que se percebe o ponto até onde a outra pessoa está disposta a ir.

Vais cair e eu vou gostar
Este é o tipo de conversa em que a outra pessoa não tem qualquer interesse em ouvir o que temos para dizer. A pessoa finge que está a ouvir mas a única coisa que lhe interessa é um erro. E basta um. Um erro ou deslize são suficientes para desmontar a pessoa por completo. A pessoa até pode ter dito 23781249374932 coisas acertadas mas falhou numa coisa, por mais banal que seja. E essa serve para que não só aquela conversa mas toda a vida da pessoa seja desmontada e vista até como um embuste.

Estes são apenas dois exemplos de conversas para as quais já não tenho paciência. Para as quais já não consigo fazer o menor frete que crie a ilusão de que aquele momento terá algum proveito para mim. Já lá vai o tempo em que dedicava momentos preciosos, que podem ser ocupados com tantas outras coisas, a instantes vazios como estes. 

12 comentários:

  1. Não consigo ter esse tipo de conversas, já pus , educamente, uma pessoa na rua, porta fora, porque o gelado era grande demais para a minha testa.

    ResponderEliminar
  2. E quanto mais passa a idade, mais sentes isso.

    ResponderEliminar
  3. Faz como eu: não faças fretes e manda essa malta borrifar ;)
    (andei ausente daqui, tenho mais de 1 mês de leitura em atraso do teu blog, meu caro. mas um dia destes, com tempo, dou cá um salto como deve ser!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já não perco tempo com isto :)

      Espero que esteja tudo ok contigo que isso é que é mais importante.

      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Pipocante Irrelevante Delirante10 de março de 2015 às 12:18

    Que raio de expressão é essa, comer gelados com a testa? Vejo-a em diversos blogs, mas não consigo apanhar a metáfora. Ser enganado? Vem ao certo de onde (presumo que não seja umas daquelas expressões antigas, como tratos de polé).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a expressão (pelo menos a sua popularidade) vem de um sketch dos Gato Fedorento em que uma miúda se mete com o Ricardo Araújo Pereira e ele diz isso. Basicamente é quererem fazer de ti parvo.

      Eliminar
  5. São essas e aquelas em que o outro interlocutor está a mandar sms ou a ver o face.
    Calo-me de imediato :-)

    ResponderEliminar
  6. Tens toda a razão, e com a idade a paciência para certas coisas vai-se por completo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Passa a ser canalizada para o que realmente interessa.

      Eliminar