26.3.15

agora escrevo eu #34

Neste texto, no passado fim-de-semana, brinquei ao dizer que era a “única” pessoa que não tinha estado na meia maratona de Lisboa. Nos comentários desse post expliquei que entendo que correr está na moda e que muitas pessoas ignoram a preparação necessária para uma prova destas. Correm porque é giro correr, porque todos correm e para partilhar imagens nas redes sociais. Um dia depois, recebi um email de um amigo que já foi atleta federado e que também correu a meia maratona de Lisboa. Como existem modas que podem ser perigosas, aconselho a leitura deste texto/relato de alguém que já levou a corrida muito a sério. Obrigado pelo texto.

“Li o texto que escreveste no blogue sobre a corrida e gostaria de partilhar a minha experiência enquanto foi atleta federado, isto caso não te importes.

Ao ler o teu texto, falas sobre algo muito importante e que muita gente desconhece, os seus limites, correr porque está na moda não é correcto, fazer uma meia maratona sem se treinar e sem se ter um acompanhamento correcto é ainda pior. Passo a falar da minha experiência pessoal enquanto atleta, em treinava todos os dias cerca de hora e meia a duas horas, sempre acompanhado por uma equipa constituída por médico e um treinador especializado em corrida.

Começando pela parte médica, ia fazer exames ao centro de medicina desportiva de 6 em 6 meses, e era ainda acompanhado pelo medico do clube que, nos controlava regularmente quer fosse através de análises de sangue quer fosse através de electrocardiograma normal ou de esforço, em que nos eram receitados alguns produtos para tomarmos, para nos ajudar a ter um equilíbrio fisiológico, no meu caso quase sempre era receitado duas vezes por ano magnesona para ajudar na recuperação muscular, e nas cãibras quais eu sofria muito.

A nível do treino era acompanhado por um treinador especializado, o qual me estipulava um plano de treino adequado aos meus objectivos. Treinava arduamente para esticar um pouco mais os meus limites, habituar o meu corpo a um grande esforço e a uma rápida recuperação, podia passar horas a falar sobre este tema, mas não o vou fazer.

No início desta minha aventura, não conhecia os meus limites, e por algumas vezes os ultrapassei caindo em lesões e fases de provas em que tive que abandonar e ser assistido pelos médicos, depois comecei a treinar com aquele que me ensinou muito sobre este desporto e que através de alguns testes físicos, definiu o meu limite e com um planeamento do treino me levou atingir novos limites, para os quais tive de trabalhar muito e ter muita calma, para os atingir.

Ao fim de alguns anos fiz a minha primeira meia maratona da ponte 25 Abril, com o tempo de 1 hora 16 minutos.

Com isto apenas quero dizer que quem pretende fazer corrida como desporto deve conhecer-se primeiro, fazer exames para ver se não existem problemas que impeçam a prática desportiva, e se possível procurar uma pessoa especializada para ajudar a melhorar e correr melhor, pois correr também tem técnica, não basta só sair de casa com uns ténis xpto e somos logo bons.”

6 comentários:

  1. O corpo é o que de mais importante temos, por isso temos de saber cuidar dele e acima de tudo saber os nossos limites...Concordo com a tua opinião!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E as pessoas não devem ignorar os seus limites.

      Eliminar
  2. E por isso é que não faço exercício físico.. Tinha de começar por baixo (muito baixo mesmo) e depois canso-me na mesma e fico frustrada e depois paro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisas de quem puxe por ti. No teu caso parece-me ideal que treines com alguém que puxe por ti.

      Eliminar
  3. O teu amigo tem toda a razão, por isso é que acontece, vezes sem conta, pessoas que se sentem mal nesse tipo de provas.

    ResponderEliminar