POWr Multi Slider

31.12.14

está na hora de começar a comer as doze passas. bom ano!

Costumo usar roupa interior azul na passagem de ano. Algo que se veste depressa. Brindo com champanhe. Apesar de não ser uma das minhas bebidas de eleição, bebo com facilidade. Não dispenso os beijos da pessoa amada. Quantos mais, melhor. Já fiz barulho com tampas de panelas. Algo muito fácil. Não me recordo se já estive em cima de um banco ou se já tive dinheiro no bolso. Não sei se já mergulhei no primeiro dia do ano e não estou recordado de contar as doze badaladas com o pé direito a bater no chão.

Tirando isto, existem as doze passas. E os doze desejos, um por cada uma que se come. Tiro o meu chapéu a quem come as doze passas de uma vez. Tiro também o meu chapéu a quem come uma a uma depressa. Para mim, comer as doze passas é a tradição menos fácil desta noite. Já as pessoas estão a dormir e ainda estou a comer passas e a pedir desejos. É algo que me custa comer.

Por isso, está na hora de começar a comer as passas. Estou a brincar mas caso não estivesse e se as começasse a comer neste momento, aposto que quando chegassem as doze badaladas ainda estaria de volta delas. Uma das últimas resoluções deste ano é comer as doze passas depressa. Este ano é que é. Já agora, BOM ANO para todos e não se esqueçam da roupa interior azul. 

best of 2014 (músicas)

Se não é fácil escolher os melhores oito filmes deste ano, pior ainda é escolher as oito músicas que mais se destacaram ao longo destes meses. Confesso que foi muito mais complicado chegar até estas oito músicas do que escolher os oitos filmes. A tabela teve diversas alterações mas o primeiro lugar estava assegurado pela grande surpresa deste ano.

8 – Love Never Felt So Good, Michael Jackson, Justin Timberlake




"Baby, love never felt so good and I doubt if it ever could, not like you hold me, hold me"

7 – Not A Bad Thing, Justin Timberlake




"So don't act like it's a bad thing to fall in love with me, 'cause you might f*ck around dnd find your dreams come true, with me. Spend all your time and your money just to find out that my love was free"

6 – You and I (Nobody In The World), John Legend




"You stop the room when we walk in. Spotlights on everybody staring. Tell all of these boys, they wasting their time. Stop standing in line, cause your all mine"

5 – Thinking Out Loud, Ed Sheeran




"So honey now take me into your lovin' arms, kiss me under the light of a thousand stars, place your head on my beating heart, I'm thinking out loud. Maybe we found love right where we are. When my hair's over grown and my memory fades and the crowds don''t remember my name, when my hands don't play the strings the same way I know you will still love me the same"

4 – Happy, Pharrell Williams




Clap along if you feel like a room without a roof, because I'm happy, clap along if you feel like happiness is the truth, because I'm happy, clap along if you know what happiness is to you, because I'm happy, clap along if you feel like that's what you wanna do"

3 – Lost Stars, Adam Levine




"Take my hand, let's see where we wake up tomorrow, best laid plans, sometimes are just a one night stand. I'll be damned, cupid's demanding back it's arrow, so let's get drunk on our tears"

2 – Leave Your Lover, Sam Smith




"I don't have much to give, but I don't care for gold. What use is money when you need someone to hold. Don't have direction, I'm just rolling down this road, waiting for you to bring me in from out the cold"

1 – Take Me To Church, Hozier


"Take me to church. I'll worship like a dog at the shrine of your lies, I'll tell you my sins so you can sharpen your knife. Offer me that deathless death Good God, let me give you my life"

best of 2014 (filmes)

Escolher o melhor de um ano não é missão fácil. Sobretudo quando a tabela envolve uma das minhas paixões, neste caso o cinema. Ainda é mais complicado quando existem filmes de 2013 que apenas chegaram a Portugal em 2014 e que acabam por empurrar os deste ano para lugares mais baixos na tabela. A missão é ainda mais dura porque decidi retirar três lugares à tabela do ano passado que passa de onze para oito. A escolha é feita com base nos filmes que vi.

8 – Lego, o Filme


Pegar nos míticos bonecos amarelos e fazer deles um filme podia ser um verdadeiro tiro nos pés. Utilizar as peças coloridas como cenário podia piorar a queda. Juntar personagens de outros universos era mais uma acha para a fogueira. Porém, resultou num filme brilhante que cativa tanto os mais pequenos como os adultos.

7 – Interstellar


Um dos mais aguardados filmes do ano. Com o oscarizado Matthew McConaughey que continua a provar que sabe fazer muito mais do que comédias românticas de Domingo à tarde. Christoper Nolan garante qualidade ao filme e prova que não são necessárias naves todas xpto para fazer um grande filme de ficção científica. Este é daqueles filmes que subia mais lugares na tabela caso os primeiros filmes tivessem estreado em 2013.

6 – Em Parte Incerta


Uma das (ou a) surpresas deste ano. Uma história assustadoramente brilhante que nos deixa a pensar nos limites (ou falta deles) das pessoas e naquilo que são capazes para chegar onde desejam. Mais uma vítima dos filmes de 2013.

5 – Guardiões da Galáxia


Sem os quatro primeiros classificados seria claramente o filme deste ano. Uma aposta de risco que muitos acreditavam ser um verdadeiro fiasco. Acreditava-se que seria um dos fracassos do ano mas acabou por ser um sucesso tão grande que terá continuidade. E muito do mérito está em Chris Pratt, o super-herói mais real que pode existir. Daqueles filmes para ver e rever.

4 – 12 Anos Escravo


O último dos filmes de 2013 que estrearam em Portugal apenas no início de 2014. Um filme muito intenso com uma história verídica que todos deviam conhecer. Não é um filme fácil de ver mas é daqueles que não se podem perder.

3 – O Clube de Dallas


Gostei muito deste filme mas não ao ponto de lhe dar mais do que o último lugar do trio da frente. Acho que algo que marca muito o filme é a exigência física dos personagens. Isso dá uma grande força ao filme que tem muita qualidade mas que, do meu ponto de vista, fica muito bem no terceiro lugar.

2 – Golpada Americana


Um dos grandes filmes deste ano com um elenco de luxo onde estão Bradley Cooper (que tem muito para dar ao cinema), Amy Adams (uma das minhas novas preferidas), Jennifer Lawrence (que prova que é o actor que faz o papel e não o inverso), Jeremy Renner (um talento muito interessante) e Christian Bale (um mestre). Nem todos as pessoas sabem misturar talentos de enormes proporções. Aqui correu bem. Muito bem.


1 – O Lobo de Wall Street


O filme deste ano e que seria o filme de qualquer ano em que estreasse. Onde algumas pessoas conseguem ver apenas nudez e excessos, encontro desempenhos brilhantes numa história verídica muito bem conseguida. É impossível não destacar Leonardo DiCaprio que merecia a estatueta dourada para Melhor Actor.

30.12.14

alentejo é isto

2014

Os últimos dias do ano servem para balanços e resoluções para os doze meses que estão a caminho. No que a isto diz respeito, não sou excepção. Sobretudo em relação ao que ficou. Gosto de pensar no ano que tive. Naquilo que fiz. Recordo os momentos altos com alegria. Percebo onde errei e quem magoei. E tento não me esquecer daquilo que é menos positivo para que não volte a cometer os mesmos erros.

Quando dou por mim a pensar no que foram os últimos doze meses recordo imediatamente o cancro da mama da minha mãe. Parece que está à minha frente a dizer o que tem. Parece que estou sentado na cadeira do hospital à espera que saia do consultório com o veredicto final daquilo que tem. Sinto-me no hospital a falar com ela na noite anterior à operação e no dia seguinte à espera que a longa operação acabe. Relembro as sessões de quimioterapia e o momento em que rapou o cabelo. Sinto as suas dores e os desabafos a dizer que deseja desistir de tudo pois já não aguenta. Recordo também, mais recentemente, os momentos de alegria e celebração da vida junto daqueles que mais ama. E também a sua gratidão para quem a ajudou ao longo do caminho.

Continuando a viajar por este ano, não me consigo soltar de um problema que julgava terminado mas que voltou para me atormentar. Um problema que virou a minha vida do avesso e que me consegue tirar o sono e deixar a pensar no futuro. Algo que muito me tem preocupado mas que praticamente nunca entrou no blogue e que provavelmente me irá continuar a atormentar no próximo ano sem que consiga perceber quando irá acabar. Pior do que isso, sem que nada possa fazer para que seja resolvido.

É certo que vivi muitas coisas boas ao longo dos últimos doze meses mas estas são aquelas que me passam pela cabeça quando penso num balanço do que foi a minha vida neste ano. E por mais estúpido que isto possa soar, são estas duas coisas que me levam a dizer que vivi um dos melhores anos da minha vida. Porque cresci muito devido a estes dois momentos bastante intensos e negativos. Foram estes momentos que me deram uma maior maturidade. Ensinaram-me coisas que me desconhecia. Mostraram-me o rumo certo. Ao mesmo tempo que me ensinaram a ignorar aquilo que nada acrescenta à minha vida.

E tudo isto são coisas que se aprendem apenas na dor e quando nos julgamos perdidos e sem saber o que fazer. Aprendi a valorizar quem tenho na minha vida. Aprendi que não devo deixar para amanhã aquilo que posso fazer hoje. Porque sei que hoje tenho tempo mas amanhã não sei. Aprendi que não devo deixar um “amo-te” ou “gosto de ti” para dizer mais tarde. Porque o mais tarde pode nunca chegar. Aprendi que não devo deixar de dizer o que sinto porque isso não esgota o sentimento. Torna-o o mais perfeito. Descobri também quem são as pessoas que merecem estar na minha vida. Quem são os verdadeiros amigos. Quem são aqueles que me fazem falta como o ar que respiro e quem são aqueles que servem apenas para que caminhe muito mais devagar.

Percebi também que é preciso muito pouco para ser feliz. Algum dinheiro no bolso, as pessoas certas e os sentimentos verdadeiros vindos de quem amamos são mais valiosos do que bens que muitos julgam essenciais para uma vida de felicidade plena. Percebi que mais do que desejar o que não tenho devo agradecer o que é meu. Devo aproveitar o que é meu em vez de cobiçar algo que poderei nunca ter.

E é por coisas como estas que digo que foi um dos meus melhores anos. Apesar de estar muito feliz por estar perto do fim ao mesmo tempo que desconheço o que aí vem. Sinto-me preparado para os problemas que possa ter. Sinto-me preparado para o que possa acontecer. Sinto que me vou focar naquilo que realmente importa. Sei que não vou perder tempo com o que não importa. Sei que, se cair, me irei levantar rapidamente. E sei que vou viver cada momento com intensidade máxima. E isto tudo rodeado das pessoas que amo e que fazem parte da minha família, onde estão incluídos os amigos. E sei isto por causa do que aprendi em 2014 e que fez de mim um homem melhor. 

bubble porn. exxxclusivo para quem tem uma dirty mind

Quem não tem uma dirty mind pode não apreciar o vídeo que aqui partilho. Fica o aviso. Pensem duas vezes antes de ver o filme. Até porque, na ausência de uma dirty mind, vão desistir logo. Mais uma vez, fica o aviso.


Agora, para quem tem uma dirty mind e pensou adivinhar cada um dos cenários. A vida tem muito mais piada assim, não tem? 

29.12.14

momentos (e não só)

Eu aos olhos da minha sobrinha.

Celebrar a vida. Obrigado!

Um dos lemas de 2014 que segue para 2015.

Diz que vem aí frio (e um dia em família)

Almoço em família no Patéo do Faustino (Torres Vedras).

Pão com chouriço e copo de tinto (ou lanche de homem) na Aldeia Típica José Franco.

Verdades de parede ou palavras para nunca esquecer.

26.12.14

hoje é um dos dias mais felizes da minha vida

A esta hora a minha mãe já terminou aquela que foi a última sessão de radioterapia. Acabam assim as idas diárias ao hospital para fazer mais um tratamento. Ficam também para trás as diversas sessões de quimioterapia. Uma operação demorada e uma bateria de exames e tratamentos. A partir de hoje, o hospital deixa de ser a segunda casa da minha mãe e isso faz com que seja um dos dias mais felizes da minha vida.

As lágrimas de tristeza dão lugar a muitos mais sorrisos do que lágrimas que a tristeza conseguiu provocar. A dor e o desejo de desistir de tudo devido à intensidade dos tratamentos e aquilo que provocavam vão passar a ser memórias. Não mais do que isso. A normalidade passa a dominar a vida da minha mãe e também de todos aqueles que a rodeiam, sobretudo do meu pai, que esteve diariamente do seu lado.

Como em tempos escrevi, a doença da minha mãe trouxe algo de positivo à minha vida. Ensinou-me a viver. Deu-me a perspectiva certa da vida. Deu-me algo que nunca quero perder. O filtro que me permite separar com bastante facilidade aquilo que me importa e acrescenta algo de tudo aquilo que nada tem para oferecer à minha vida. Valorizo cada vez mais aqueles que amo. Percebo quem merece a minha atenção. Peço desculpa a quem merece. E ignoro aquilo que não passa de ruído de fundo.

Esta é a grande lição que a dor (e também o medo) dos últimos meses me ensinou. E que, pelo menos é nisso que acredito, fez de mim um homem melhor. Agora, é altura de festejar. De celebrar a vida. De agradecer o momento que a minha família está a viver. E continuar a aproveitar aquilo que de melhor a vida tem para oferecer. Estou feliz. Muito!

noutra vida fui um relógio suíço

Conheço algumas distâncias de cor e salteado. Sei os quilómetros que separam a minha casa da dos meus pais. Tal como sei quantos necessito de fazer para chegar ao trabalho. E ainda mais algumas distâncias. Isto faz com que saiba, em média, quanto tempo necessito para percorrer estas distâncias de carro. Porém, consigo adivinhar/acertar o tempo que necessito para fazer uma viagem mesmo com total desconhecimento do caminho a percorrer até ao destino.

E consigo ter uma precisão igual à dos melhores relógios suíços. Quando digo o tempo que falta para o destino, acerto quase sempre nos minutos. Não sou daquelas pessoas que dizem que estão a dez minutos do destino e depois demoram trinta. Quando digo que faltam dez minutos, estou lá depois desse tempo. E são mesmo apenas dez. E quem diz dez, diz 23, 32 ou outro número qualquer. Porque a minha precisão consegue chegar a esse tipo de números.

Além disso, quando era mais novo e ainda não recorria a um despertador, conseguia “programar” o meu corpo para acordar à hora que queria. Por norma isto acontecia ao Sábado de manhã, que era o dia da futebolada semanal com os amigos da minha rua. Se era para estar às oito horas na rua, acordava naturalmente sem recorrer a um despertador ou sem pedir aos meus pais para me acordarem. E lá estava pronto à hora combinada.

Por isso, começo a acreditar que numa outra vida fui um relógio. Devo ter sido um daqueles relógios suíços. Daqueles que têm fama de precisão sem falhas. E bem vistas as coisas, isto de ter sido um relógio suíço é capaz de ajudar a explicar o meu encanto por chocolate. Deve ser da proximidade entre os relógios e os afamados chocolates suíços.

24.12.14

que seja o melhor de sempre

Por norma nesta altura do ano diz-se que se vai celebrar mais um Natal. Espero que este ano, este “mais um” seja substituído pelo melhor Natal de sempre. Espero que fique marcado para sempre na vida de cada pessoa como sendo um dos melhores. Desejo que nada falta na mesa. Espero também que ninguém falte. Que não fique nenhum lugar por ocupar. Faço votos para que as conversas se multipliquem ao ritmo do avançar das horas. Que a alegria seja a nota dominante de uma noite e dia que se querem especiais. Quanto aos presentes, que tenham o que mais desejam e que os sentimentos estejam no topo das prioridades dos graúdos. Um Santo e Feliz Natal para todos aqueles que dedicam alguns minutos do dia a espreitar aquilo que por aqui vou escrevendo bem como para as respectivas famílias e amigos. Ho! Ho! Ho!


o natal é isto. o natal são pessoas como vocês. obrigado

A Cynthia enviou-me um email que mexeu muito comigo e no qual me pediu para dar voz ao seu apelo e pedido de ajuda para os sogros e cunhados que vivem uma fase menos feliz. Foi o que fiz e graças ao esforço incansável de diversas pessoas conseguimos entregar muitos alimentos (entre eles tudo aquilo que deve estar presente na mesa na ceia de Natal) entre muitas outras coisas. Não há dinheiro nenhum no mundo que pague a reacção do sogro da Cynthia, que soube da nossa chegada momentos antes, bem como da restante família. E sobre isto não vou falar muito porque existem coisas que não se partilham. Por mais que nos encham o coração.

Existem muitas pessoas a quem quero agradecer. E que me perdoem todas as outras mas quero começar por falar dos meus pais. Poucas foram as vezes em que falámos sobre o meu blogue. Não é tema de conversa. Mas num destes dias, num dos meus habituais telefonemas para a minha mãe, uma das coisas que me disse é que queria ajudar a família da Cynthia. Assim sendo, ontem os meus pais passaram parte da tarde nas compras. E talvez por ter dois filhos, a minha mãe fez questão de comprar presentes para os três meninos da família. A que juntou diversos bens alimentares. Além disso, fez questão de ir a Setúbal entregar as coisas à família. É por coisas como estas que tenho o maior orgulho do mundo em ser filho de quem sou. Quero também agradecer à minha mulher. Um poço de força incansável que contribuiu e muito para que a noite de ontem fosse ainda mais especial para a família da Cynthia. Não tens ideia do bem que me fazes!

A noite de ontem também não teria um grande impacto se não existisse a gigantesca força da Helena, do Rui, da Isabel e da Adelaide. A Helena contagia o mundo com a sua força de vontade e determinação. A Helena não conhece impossíveis e tem um coração de ouro. A isto, o Rui acrescenta uma grande dose de boa-disposição, tal como a Adelaide. A Isabel tem uma presença mais discreta mas fundamental em todo o processo. Quero também agradecer aos rostos anónimos (para mim) que ajudaram e contribuíram com o que podiam dar. Obrigado ainda a quem trocou o quente da casa e quem sabe horas preciosas para resolver coisas antes do Natal para ir até Setúbal alegrar uma família que nos recebeu com o maior calor humano possível.

Estou eternamente grato a cada um de vocês. O Natal é isto. O Natal são pessoas como vocês. Não há melhor sensação no mundo do que fazer algo que nos faz sentir úteis e vivos, neste caso saber que uma família terá uma quadra muito mais feliz. E ajudar e fazer alguém feliz custa tão pouco. Mais uma vez, e nunca vão ser as suficientes, muito e muito obrigado por tudo. Um Santo e Feliz Natal para todos.

23.12.14

mulheres sexys banidas da cidade do pecado

Sempre ouvi falar de Las Vegas como a cidade do pecado. O local onde tudo acontece, onde os limites são quase nulos sendo que uma das suas únicas regras é que aquilo que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas. Mas, parece que isto não passa de publicidade enganosa. Ou, se calhar até é verdade, desde que não envolva mulheres bonitas e extremamente sensuais, como é o caso de Heidi Klum, que viu uma campanha protagonizada por si ser banida da cidade do pecado. Simplesmente porque é “muito sexy”.

Nova Iorque gostou. Los Angeles também mas Las Vegas não aceita a campanha da Sharper Image, uma marca de produtos electrónicos. A campanha da marca é feita através de várias imagens sensuais onde Heidi Klum aparece sem (ou com pouca) roupa apesar da nudez ser discreta e nada ofensiva. Às imagens associam-se trocadilhos relacionados com produtos publicitados.

Numa das imagens consideradas mais escandalosas, Heidi Klum surge nua numa pose em que as suas pernas cobrem o peito. Ao lado, a pergunta: com o que Heidi Klum brinca no banho? que pretende promover um pato (semelhante aos tradicionais patos de borracha) que é um pequeno rádio.


Ao que parece, esta e outras imagens – partilhei mais algumas imagens da campanha no facebook do blogue – são demasiado ousadas. Mesmo para a cidade do pecado, algo que revoltou a marca. “Estamos chocados por os anúncios terem sido banidos em Las Vegas. Consideramos que a campanha é agradável, bonita e sexy mas sem ser inapropriada”, defende Dari Marder, responsável de marketing da empresa.

Tendo em conta o ano em que vivemos custa-me perceber como é que se proíbe um anúncio destes. Percebia se dissessem que ia ser retirado de um determinado local, por exemplo perto de uma estrada bastante movimentada, porque distrai os condutores e provoca acidentes. Agora, considerar demasiado sexy um anúncio onde Heidi Klum não mostra mais do que já mostrou em tantas outras campanhas e onde não existe nada de ofensivo. Mais, que não mostra mais do que tantas revistas que estão à venda em todo o mundo. Tudo isto ganha ainda maior realce quando se trata de um local que promove o “pecado” e desafia os visitantes a fazerem aquilo que não fazem na normalidade das suas vidas. Não deixa de ter a sua piada.

filmes que as pessoas devem ver antes de morrer #3

Leonardo DiCaprio é um dos meus actores de eleição. Muito mais do que o rapaz que fez o Titanic ou uma carinha bonita, DiCaprio é um dos maiores talentos da sua geração. Tanto que considero bastante injusto que ainda não tenha conquistado uma das famosas estatuetas douradas. Não é que um Oscar faça de si melhor actor mas é um prémio mais do que justo para um percurso brilhante e em crescendo. Filme após filme, e nos mais diversos registos, DiCaprio consegue superar-se.

Provavelmente irei escrever sobre muitos dos filmes de Leonardo DiCaprio neste espaço dedicado às melhores longas-metragens. Mas, o cartão de apresentação do actor nesta rubrica chama-se Diamante de Sangue, um filme de 2006. O pano de fundo do filme é a guerra civil que provocou o caos na Serra Leoa nos anos 90. O destaque vai para Danny Archer (DiCaprio), um ex-mercenário e Solomon Vandy (Djimon Hounsou), um pescador da tribo Mende que vê a família ser raptada ao mesmo tempo que é obrigado a trabalhar no negócio dos diamantes. E é numa mina de diamantes que encontra um gigantesco diamante rosa. A história chega aos ouvidos de Archer, um homem habituado a trocar armas por diamantes. Existe ainda Maddy Bowen (Jennifer Connelly) uma jornalista que pretende desmascarar o lado obscuro dos diamantes de sangue.

Estas três histórias acabam por se unir numa história contada de forma brilhante que nos prende ao ecrã do primeiro ao último minuto. O motivo que me leva a falar deste filme é porque é daqueles em que DiCaprio esteve magnífico. Como vem sendo hábito, esteve nomeado para o Oscar de Melhor Actor, galardão que foi atribuído a Forest Whitaker, devido à sua prestação em O Último Rei da Escócia. Não deixa de ser curioso que The Departed : Entre Inimigos, tenha sido considerado o melhor filme. Pois é um filme que conta com outro desempenho perfeito de DiCaprio. Mas, sobre este filme falarei no futuro.

Por sua vez, Djimon Hounsou, outro actor de que gosto especialmente, foi nomeado para Melhor Actor Secundário. Tal como DiCaprio, merecia vencer mas não conquistou a estatueta. Este filme tem todos os ingredientes para facilmente se tornar num dos preferidos de quem o vê, isto apesar de algumas pessoas considerarem que é um filme forte e nem sempre fácil de assistir. De uma coisa estou certo, é daqueles filmes para ver, rever e voltar a ver sem nunca ficar cansado. E tudo isto faz com que seja um filme que as pessoas devem ver antes de morrer.

22.12.14

vocês perguntam, eu respondo (modo natalício)

A Gata dos Saltos Altos, autora do blogue com o mesmo nome, desafiou-me a responder a um simpático questionário de Natal. Se há coisa que adoro é um bom desafio, por isso, partilho as perguntas que me foram feitas e as minhas respostas. Obrigado pelo desafio e assim partilho um pouco daquilo que o Natal significa para mim.

Árvore de Natal natural ou artificial?
Quando era mais novo tinha árvore de Natal natural. E confesso que, apesar de agora ter artificial, ainda hoje adoro o pinheiro de Natal natural. Adoro o simbolismo do mesmo e o processo de escolha que em nada se assemelha à escolha de uma árvore artificial. E já prometi à minha mulher que quando tivermos um filho, irá ser uma árvore natural a marcar o nosso Natal.

Natal com neve ou sol?
No Natal dispenso a chuva. De resto, nada me incomoda e assumo que até gosto de frio no Natal. Não posso falar da neve porque não é uma realidade que conheça. Não sei o que é ter neve no Natal.  Apesar de gostar do frio nesta época tenho o desejo de pegar na família e gozar o Natal num local como a praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Esperar pela manhã ou abrir os presentes à meia-noite?
Quando era miúdo, deitava-me cedo e acordava cedo para ir abrir os presentes. Até porque os meus pais esperavam que fosse dormir para colocar os presentes na árvore. Agora, a idade é outra e a forma como encaro o Natal também. Por isso, adoro que chegue a meia-noite para ver toda a gente de volta dos presentes. Sobretudo quando a minha sobrinha, o membro mais novo da família, está presente.

Qual o filme que adoras ver nesta altura?
Sozinho em Casa 1. É um clássico. Daqueles que não cansam nesta altura do ano. Até porque é um filme que carrega diversas memórias desta época. Num registo diferente, O Amor Acontece também é uma excelente opção para esta quadra. Sobretudo o momento protagonizado por Andrew Lincoln e Keira Knightley, em que ele lhe faz a mais bela declaração de amor.

Cânticos de Natal nos shoppings. Sim ou não?
Agora sim mas houve uma altura em que não. Na época em que trabalhava num Centro Comercial já não podia com as músicas. É que as pessoas vão lá fazer compras e depois vão embora. E acham piada ao espírito natalício do centro. Quem lá trabalha, leva com as mesmas músicas horas a fio ao longo de muitos dias. É fácil perceber que cansa. Como já não trabalho lá, acho muita piada ao espírito que se apodera dos espaços comerciais e que se reflecte em mais uma compra ou duas.

Qual a roupa que usas no Natal? Pijama ou vestes-te todo bonito?
É quase uma espécie de tradição para mim usar roupa nova no dia de Natal. Não se trata de vestir-me todo bonito mas é uma tradição que me acompanha ao longo da vida. Na noite de consoada visto-me de forma normal. O pijama está fora de questão porque nunca estou sozinho e não me sinto bem de pijama numa noite destas. 

Qual a tua comida de Natal favorita?
O bacalhau enche-me as medidas. Mas, mais do que a comida, encanta-me ver a mesa cheia de pessoas. As conversas multiplicam-se sem que se dê conta do passar das horas. Para mim, o espírito do Natal está em coisas como esta.

O que queres receber este Natal?
O meu presente pode demorar nove meses a chegar que tenho paciência para ficar à espera. Acho que é fácil perceber o que mais desejava receber.

Planeias antecipadamente os presentes ou é à última hora?
Depende dos anos. Naqueles em que deixo tudo para a última hora prometo a mim mesmo que foi a última vez, por causa da confusão, mas a verdade é que nunca é. Mas, felizmente, ao longo dos últimos anos tenho conseguido arranjar um dia para tratar de tudo com relativa calma. E é muito melhor assim.

Vestes-te de Pai Natal?
Nunca o fiz. Irei fazer quando a minha casa precisar de um.

Qual a música preferida de Natal?
Driving Home for Christmas, de Chris Rea. O Natal cabe todo nesta música. Aquilo que é o Natal, para mim, está presente nesta música. E que música!

Onde vais passar o Natal este ano?
Desde que passei a viver com a minha mulher que nos dividimos pelas casas. Quando não juntamos as famílias na nossa, passamos o 24 com uns e o 25 com outros. Este ano será o 24 com os meus pais e o 25 com os meus sogros e cunhada. Mas gosto imenso quando se consegue juntar toda a gente numa casa. Gosto do Natal assim, com todas as pessoas juntas.

quem quer ter o cabelo igual ao melhor do mundo? (vencedores)

Ficam aqui os nomes dos três vencedores do passatempo realizado em conjunto com a Linic e que tinha por objectivo oferecer Linic Men Cool Sport Mentol e Controlo de Oleosidade. A resposta certa, que era muito fácil, era Cristiano Ronaldo. Obrigado a todos os que participaram e parabéns aos vencedores, a saber: Gil Mendes, Pedro Miguel Tavares de Oliveira e Magda Vieira.







Vou reencaminhar os emails dos vencedores para a agência de comunicação que irá contactar cada um dos três premiados. Mais uma vez, obrigado a todos.

PS - A contagem foi feita a partir do número dois porque o um corresponde à data da resposta, pergunta, opção escolhida, nome e email.

19.12.14

pergunta para elas

Por norma, quando um grupo de mulheres está a observar/analisar fotos de outras mulheres, por exemplo de um qualquer evento internacional, ouvem-se coisas como: “fulana tinha as mamas quase de fora” e “sicrana ia muito despida”. Porém, quando estes mesmos grupos de mulheres estão a observar/analisar fotos de homens nunca se cansam daqueles que têm, por exemplo, os abdominais definidos e que estão constantemente a exibir o corpo. Nunca dizem coisas como “isto já cansa” ou “este já vestia uma t-shirt”. Porquê?

temos mais força do que pensamos

No último post partilhei um pedido de ajuda que me tocou bastante. Desde então já perdi conta ao número de mensagens e emails que troquei com pessoas que querem ajudar. Até se está a formar um grupo que tem como missão ir a Setúbal na terça-feira entregar tudo aquilo que deve fazer parte da noite de consoada (e até mais coisas). Obrigado, em especial, a cada um de vocês. O (espírito de) Natal é isto. Não sei como vos agradecer. Por isso, deixo-vos uma frase que se adequa e bem ao movimento de solidariedade que se gerou.


quem pode ajudar?

Acho que é necessária uma gigantesca dose de humildade para pedir ajuda a alguém. Sobretudo a um estranho. Ainda mais quando se pede a esse estranho que dê voz a um desabafo que envolve familiares. E foi isso que a Cynthia fez através de um email (um dos mais tristes que já recebi através do email do blogue) que em enviou depois de já ter partilhado esse desabafo no seu blogue (o texto pode ser lido aqui). A Cynthia ponderou bastante sobre este pedido que acaba por expor a sua família. Mas a situação tornou-se insustentável.

Indo directo ao assunto, os sogros e os cunhados, que têm apenas 10 e 12 anos, da Cynthia atravessam um momento financeiro muito complicado. Problema que a própria Cynthia e o seu companheiro não conseguem resolver pois o casal, que tem uma criança, luta igualmente para ter dinheiro até ao final do mês. Ainda por cima sendo ambos trabalhadores temporários que desconhecem o futuro que vai além da próxima semana. Neste momento, apenas a sogra tem emprego. Sogra que chega a pedir o adiantamento do ordenado de modo a ter dinheiro para colocar comida na mesa. Dinheiro esse que é gerido cuidadosamente mas que nunca é suficiente. Por sua vez, o sogro trabalhou muito tempo num hospital, na manutenção, mas acabou dispensado. Não teve direito a subsídio e vai fazendo biscates (sobretudo em pintura) sempre que aparecem.

Basicamente a história é esta. Um dos meninos fez anos recentemente e apenas recebeu um saco de doces (dado pela Cynthia e pelo companheiro) que lhe valeu o mundo. Como é fácil de compreender, não existe árvore de Natal e muito menos presentes para as crianças. O subsídio de Natal da sogra foi pedido adiantado para que não faltassem livros escolares às crianças. E o abono de ambos fica-se pelos 50 euros. Acho que não preciso de escrever mais nada porque é fácil perceber a dor desta família. E a impotência de quem tem pouco e não consegue ajudar. E foi nesse sentido que a Cynthia me escreveu. Até porque os sogros não conseguem pedir ajuda. Algo que acontece com muitas pessoas, quer seja por orgulho, vergonha ou outra coisa qualquer. E algo por que a própria Cynthia já passou quando também ela precisou de ajuda.

Infelizmente, é uma realidade cada vez maior encontrar famílias que lutam por um prato de comida na mesa no dia seguinte. Acrescento apenas que estas crianças chegam a comer apenas esparguete porque não há nada mais para comer. Ninguém devia passar por isto. Ninguém!

A Cynthia não me pediu para divulgar um pedido de dinheiro. A Cynthia pede comida, roupa e num cenário bom, um emprego para o sogro (um homem que trabalhou em manutenção e que tem experiência em pintura, canalização e que trabalha com cimento, estuque e esse tipo de materiais). Se conhecerem alguém que possa dar emprego a este homem, se tiverem roupas e calçado que já não usam ou se tiverem a possibilidade de contribuir com alimentos peço que entrem em contacto comigo ou com a própria Cynthia, através do blogue dela, onde está o seu desabafo.

Um pequeno gesto de cada pessoa poderá levar, nem que seja levemente, o espírito de Natal até esta família. Obrigado pelo tempo que dedicaram a este texto e espero que mensagem chegue longe. Agradeço também se tiverem a possibilidade de partilhar este pedido nas redes sociais. Muito obrigado. 

18.12.14

pessoal do porto (e conhecedores), cheguem-se à frente sff

Como já tinha referido, depois do primeiro jantar do blogue, que aconteceu em Lisboa, ficou no ar a possibilidade de fazer outro jantar, desta vez no Porto. Fiquei agradavelmente surpreendido com a quantidade de pessoas do Norte que revelaram interesse num novo convívio. A ezimute (que detém a Table and Friends) também gostou da ideia que, mais do que isso, representa um desafio pois ainda não têm parceiros no Porto. Como tal, preciso da vossa ajuda. Quais os restaurantes que recomendam para o jantar?

17.12.14

desafio in love (final)

Recorri ao vosso bom gosto musical (até porque ninguém percebe mais de música do que vocês, certo?) para partir à procura daquela que é a melhor música romântica de sempre. Inicialmente, pedi que me dissessem quais os três temas de que mais gostavam. As vossas opiniões resultaram numa larga lista com mais de uma centena de músicas. Agora está na altura em que a eleição é a doer.

As finalistas são apenas seis. As seis músicas mais votadas estão nesta lista final. E partem todas em pé de igualdade pois a contagem final tem início agora, ignorando os votos anteriores. Porém, existe uma novidade em relação à lista anterior. Desta vez não permito que vejam como está a decorrer a votação. Podem votar e alterar o voto mas não podem acompanhar a votação.

Posto isto, vamos lá então encontrar a melhor música romântica de todos os tempos. A decisão é vossa e isso deixa-me descansado pois ninguém tem melhor gosto do que vocês. Vamos a isto!

cartas ao pai natal que merecem ser lidas

O Natal é vivido com intensidade máxima pelos mais novos. Aliás, a magia desta quadra centra-se sobretudo nas crianças que animam as famílias. Crianças essas que têm o hábito de escrever uma carta ao Pai Natal onde, por norma, dizem que se portaram bem ao longo do ano, ao mesmo tempo que revelam os presentes que gostavam de receber. Como referi, isto é o que por norma acontece. Porque existem muitas crianças que conseguem ser bastante originais nas missivas que enviam para o senhor da barba branca que veste de vermelho.

Como por exemplo a Lucy, uma menina que foi parca em palavras e revelou a sua indignação ao senhor da barba branca. “Querido Pai Natal, no ano passado pedi-te uma conta bancária gorda e um corpo magro. Por favor, não troques as coisas como fizeste no ano passado. Lucy.” Por sua vez, Tommy mostrou toda a sua persistência. “Querido Pai Natal, há dois anos pedi-te a boneca da Lady Gaga e deste-me uma bola de basebol. No ano passado voltei a pedir-te a boneca da Lady Gaga e deste-me um taco de basebol. Este ano, mais uma vez, peço-te a boneca da Lady Gaga. Se na árvore estiver algum artigo relacionado com basebol não tenho outra opção que não seja partir as tuas pernas gordas. Capiche? Não me faças ir à tua casa. Feliz Natal. Com amor, Tommy.”

Depois, existem aquelas que são bastante simples nas cartas que escrevem. Como é o caso do(a) DK. “Querido Pai Natal, se trouxeres brinquedos a pilhas, não te esqueças das pilhas. DK”. E também do Max. “Querido Pai Natal, será que me podes dar uma câmara, porque quero uma. Max.” Por sua vez, Tennessee é simples e encaminha o assunto para outra pessoa. “Querido Pai Natal, envia uma mensagem ao meu pai que ele tem a minha lista. Como amor, Tennessee.”

Depois, existem casos de crianças que questionam a existência do Pai Natal, como é o caso da Deaven. “Querido Pai Natal, sou a Deaven. Gostava de saber se és real. Eu acredito que sim mas os meus amigos não. Por isso, será que me podes enviar uma fotografia autografada em que apareças tu e a tua mulher ou outra coisa qualquer. Será que podes enviar a fotografia e um sino do teu trenó? Ahhhh és muito gordo! Faz dieta. Por favor, responde ao meu pedido.” Por fim, existem aqueles que levam as ameaças muito a sério. Como a criança que enviou ao Pai Natal uma pequena caixa onde está o nariz da rena Rodolfo. Caixa essa que acompanha a sua carta. “Querido Pai Natal, tenho o Rodolfo. Esta é a prova. Envia-me os brinquedos ou envio-te o resto dele. Não tentes nada engraçado 1- Dance Dance Revolution, 2- Todas as bonecas do mundo, 3- Uma nova bicicleta (vermelha), 4- Tudo o que desejei até hoje.”

Esta é uma pequena amostra das cartas mais divertidas (estranhas, se preferirem) que já foram enviadas ao Pai Natal. Outro trabalho interessante seria perceber o que motiva algumas destas cartas. Quais os comportamentos que dão origem a algumas coisas que aqui partilhei. Sobretudo em relação às cartas mais estranhas.

16.12.14

do not read this post
























You little rebel. I like you.

natal para eles. as eternas crianças

Existem adultos que são umas verdadeiras crianças, no que às brincadeiras diz respeito. São aqueles homens que chegam a gostar mais de brincar com certos brinquedos do que os próprios filhos ou sobrinhos. Aqueles que fazem sempre uma paragem obrigatória no corredor dos brinquedos. Não porque procurem um presente para algum petiz mas porque apesar da idade adulta continuam a comprar brinquedos para si.

Este tipo de homens, pelo menos uma grande parte, não resiste aos encantos de brinquedos ao estilo da Lego. Até porque é a própria marca que faz questão de alimentar os desejos dos homens que não passam de umas eternas crianças. Para esse tipo de homens, nada melhor do que oferecer algo que vão apreciar mais do que qualquer outro presente de Natal. No caso específico da Lego, existe uma vasta oferta que leva a que esses homens partilhem os momentos de lazer com as mulheres, namoradas, filhos e sobrinhos. Partilho algumas sugestões da marca.

Começo pela Santa´s Workshop, uma criação portuguesa que pode apenas ser comprada online. Marcos Bessa é o responsável pela criação deste conjunto de 883 peças onde não falta o Pai Natal, Mãe Natal, casas, renas, presentes e muito mais. Além de ser alusivo à época, é algo que convida a bons momentos em família durante a montagem.


Para os fãs de Star Wars, nada melhor do que juntar a Millennium Falcon a Han Solo, Luke Skywalker, Chewbacca, Ben Kenobi, Princesa Leia e Darth Vader. Os pormenores não foram esquecidos e permitem recriar algumas das cenas preferidas da Fuga da Estrela da Morte do Episódio IV: Uma Nova Esperança. E é caso para dizer, que a força esteja contigo.








Os adeptos da aviação vão ficar satisfeitos com o Sopwith Camel, uma réplica detalhada de um dos mais conhecidos biplanos britânicos. São 883 peças e nem a hélice rotativa (igual às verdadeiras) foi esquecida. Tal como os cilindros do motor e as abas da cauda que podem ser comandadas a partir do cockpit.


Os amantes da arquitectura que gostam de viajar sem sair do sítio têm muitas opções na linha Architecture que reproduz alguns dos mais imponentes e famosos edifícios do mundo. Como é o caso da Fontana di Trevi, em Roma, Itália. São 1254 peças que formam um objecto que depois de montado pode ser usado como peça de decoração.


Para aquelas pessoas que preferem outro tipo de presentes mas que gostam de alimentar a eterna criança existem as minifigures. São bonecos individuais que se compram sem saber qual o que nos calha. Estas são as opções da série 12, a mais recente. Ficam as dicas.

sair à noite (solteiros vs casados)

Ontem estava a ver uma entrevista de Adam Levine, o vocalista dos Maroon 5, a Conan O´Brien. A determinada altura o tema da conversa foi o recente casamento do cantor com a modelo Behati Prinsloo que é (ou foi) um dos anjos da Victoria´s Secret. O apresentador perguntou-lhe o que tinha mudado nas saídas à noite depois do casamento e quando não tem a companhia da mulher, até porque se trata de um homem que as mulheres apreciam bastante. Adam Levine explicou que acabava a noite sempre sozinho. Que podia beber um pouco mais mas sabia que o final da noite não mudaria. Ao contrário do que acontecia quando estava solteiro porque nunca sabia o desfecho da noite. Tanto podia acabar sozinho como com a companhia de alguém.

E a verdade é que existem grandes diferenças entre sair à noite solteiro ou casado. Por norma, os casados (e refiro-me a saídas sem a companhia da mulher) fartam-se muito mais depressa. Passadas poucas horas já querem ir para casa. Por sua vez, os solteiros parecem aquele coelho da Duracell que nunca se cansa. Sobretudo se o público feminino for do seu agrado. O casado diz coisas como “grande malha”, “adoro esta música” e “já não ouvia isto há muito tempo”. Já o solteiro diz coisas como “olha as mamas da daquela”, “aquela é uma deusa” e “aquela está a meter-se comigo”. 

O casado consegue queixar-se de algumas coisas. “A música está muito alta e a acústica é uma merda” e “este gin/whisky não vale nada” são coisas que pode dizer. O solteiro elogia tudo e mais alguma coisa. “Não me lembro disto com tantas mulheres” e “parece um harém” são palavras que se ouvem com frequência. O casado vai a qualquer bar porque quer apenas beber. O solteiro não se importa de ir para o bar que tem mais gente e esperar largos minutos pela bebida porque é lá que está a miúda gira a servir bebidas. “Mas o rapaz até serve melhor”, salienta o casado. “As bebidas dela são muito melhores. E olha para aquele decote”, argumenta o solteiro.

O casado consegue reparar em coisas como o canal da desporto ou de moda que está a passar imagens de um qualquer torneio de uma qualquer modalidade ou de um qualquer desfile ou sessão fotográfica. Consegue perceber também que existem meninas de tenra idade que são deixadas na discoteca pela mãe ou pai e que vão directas à casa-de-banho de onde saem com muito menos roupa do que quando lá entraram. Consegue ainda perceber quais são as pessoas que estão no bar/discoteca apenas pelo prazer do engate/sedução. Já o solteiro tem uma maior dificuldade em se aperceber de tudo aquilo que o rodeia.

Isto não significa que o solteiro só tem olhos para as mulheres. Nem que o casado não se sabe divertir. Simplesmente as perspectivas de um e de outro são completamente diferentes. Um diverte-se mas com horizontes alargados em relação a tudo aquilo que o rodeia. Outro diverte-se concentrado apenas e só na diversão e na companhia dos amigos. O solteiro facilmente se deixa levar por jogos de sedução que lhe agradem. O casado evita-os ao máximo. É tudo uma questão de perspectiva. 

15.12.14

quem me explica a utilidade disto #50 (especial artigos para elas)

Um número redondo merece algo mais. Como tal, a edição cinquenta desta rubrica é inteiramente dedicada a elas. Mas, apenas um produto seria pouco. Como tal, apresento seis artigos que foram criados supostamente para facilitar a vida das mulheres ou simplesmente para as tornar diferentes e ligeiramente distanciadas da normalidade. Sendo uma edição especial para elas, era impossível deixar a lingerie de fora dos artigos escolhidos.

Para começar, nada melhor do que aliar a lingerie à segurança. E foi a pensar nisso que foi criada a Gun Holster Bra Strap, que faz de uma pistola uma amiga do peito. De acordo com a marca, trata-se do melhor local para ter uma arma. Defende ainda que é um local de fácil acesso e que não existe risco de acidentalmente disparar contra as mamas. Como a segurança tem um preço, este acessório custa pouco mais de quarenta euros. Trocando a segurança por outros efeitos e ficando pelo peito, apresento o Hypnotizing Light Up Bra, um soutien que promete deixar os homens hipnotizados. Idealmente, pela mulher e não apenas por parte dela. A marca garante que eles, os homens, ficam de queixo caído ao mesmo tempo que elas, as mulheres, estão confortáveis. Isto, a troco de quarenta euros.



Continuando no domínio da lingerie mas descendo um pouco no corpo, entra-se noutra área de negócios de gigantesca dimensão. Existem cuecas para todos os gostos. Atrevo-me até a dizer que é impossível alguém idealizar umas cuecas que ainda não tinham sido inventadas por ninguém. Mas, apesar disso ainda existem algumas surpresas. Como é o caso deste modelo de cuecas femininas que se destacam por ter a cara de Ryan Gosling estampada nas mesmas. Segundo a marca, as Ryan Gosling´s Face Panties são o mais próximo que uma mulher estará de se sentar na “cara perfeita” do actor. Ainda de acordo com o fabricante, são as cuecas que elas não vão querer tirar. Contudo, ter Ryan Gosling de óculos concentrado numa parte íntima do corpo feminino custa 36 euros. Para aquelas mulheres que não gostam de Ryan Gosling mas que gostam de gatos (não é um trocadilho, refiro-me mesmo aos felinos peludos de quatro patas) existem as Kitten Panties. Basicamente, são iguais às anteriores mas o actor dá lugar a um gato assustado. A marca, que vende cada unidade a 16 euros, diz que são ideais para mulheres que se assumem como gatas exibicionistas.



A maioria das mulheres não esconde o encanto por sapatos. Muitas assumem até que gastam muito dinheiro em sapatos porque não lhes resistem. Porém, é um facto que muitas mulheres não sabem andar de saltos altos. Existem ainda outras que se queixam do nosso pavimento. A pensar em ambas foram criados os High Heel Protectors, uns protectores dos saltos altos. A marca defende que é a melhor forma de uma mulher dizer adeus aos saltos partidos garantindo ainda que se trata de um artigo bastante discreto. Cada conjunto é vendido por pouco mais de onze euros.


Por fim, um artigo que promete cativar as mulheres que precisam de trocar de roupa em locais públicos mas que dispensam exibir o corpo enquanto o fazem. Trata-se do Portable Changing Room Dress. Um artigo que parece um vestido mas que na realidade tem por objectivo permitir, com facilidade, que elas mudem de roupa de forma discreta sem depender da ajuda de terceiros. Este artigo custa pouco mais de 55 euros.


Voltando a subir no corpo, não encontro utilidade para a arma que anda no meio das mamas. Em primeiro lugar, porque felizmente vivemos num país onde as pessoas (pelo menos na sua maioria) não têm necessidade de andar armadas. E, mesmo as que queiram andar, devem ter um melhor local para guardar a pistola. Com um acesso mais fácil. Isto muda caso o objectivo da mulher seja distrair um homem enquanto saca a arma. Quanto ao outro soutien, é capaz de servir para fazer um brilharete numa festa. E as hipnotizações ficam mesmo por aí. Nos que às cuecas diz respeito, numa noite de sedução são um completo turn off para eles. Aliás, chega a ser assustador que se queira ter um ídolo estampado nas cuecas. Os protectores dos saltos são realmente úteis. Garantem equilíbrio e evitam que se partam saltos. Eles e todos os sapatos delas que não têm saltos altos e que permitem ter estilo, algo que se perde imediatamente com duas “ventosas” coladas aos saltos. Por fim, acho o “vestido” muito útil. Por exemplo, para as mulheres que saem do trabalho e que pretendem correr num local afastado de casa e que não têm sítio onde trocar de roupa sem ser no carro onde podem ser vistas. Neste caso, a minha dúvida é outra, será que elas estão dispostas a gastar dinheiro num artigo que serve “apenas” para isso? Mas, posso estar completamente errado. Como tal, quem me explica a utilidade deste conjunto de artigos?