9.12.14

almoços/jantares de natal (daqueles com troca de prendas)

Adoro o Natal. Aprecio o encanto característico desta quadra festiva. Alegram-me as ruas iluminadas. As árvores espalhadas pelas cidades. As luzinhas que se conseguem ver nas diversas janelas dos diferentes prédios. Até consigo achar piada aos pais natais que parecem desejar invadir as casas. Gosto também do efeito que isto tudo provoca em algumas pessoas. Compreendo que para alguns será uma época triste pelos mais diversos motivos mas entendo que para a generalidade, trata-se de uma época feliz que dá origem a sentimentos positivos.

No que ao Natal diz respeito, dispenso apenas a hipocrisia de algumas pessoas. Sobretudo a que se destaca nos mais variados almoços/jantares de Natal. Daqueles com troca de prendas e tudo. As pessoas passam o ano a falar mal umas das outras. É puta para aqui. Cabrão para ali. É aquela que dorme com o chefe para estar no lugar que está. É aquele que até vendeu a mãe para ser chefe. Facadas nas costas. E tertúlias onde se fala mal deste e daquela. Até que chega o dia do repasto de Natal.

Durante a refeição são os melhores amigos do mundo. Pelo menos é o que dão a entender. Sorrisos para aqui. Piadas para ali. Até se trocam prendas enquanto se diz “gosto muito de ti” enquanto se pensa “odeio-te”. Fazem-se brindes. Enaltece-se o fantástico ambiente de trabalho. Assim é esta felicidade que dura mais ou menos três horas. Em alguns casos prolonga-se até ao dia 26. Noutros, até dia 7 de Janeiro. Na maioria dos casos acaba mesmo à porta do restaurante ou antes do café ser servido.

Gosto de um bom jantar de Natal. Aliás, de vários. Mas gosto de ter a companhia das pessoas de quem gosto. Estar a gastar dinheiro para fazer fretes e para fingir que gosto de alguém que nada me diz e a quem não desejo dar nenhum presente não é para mim. Por isso não percebo aquilo que parece ser uma regra que obriga a que sejam realizados almoços/jantares apenas porque é Natal e porque fica bem fingir que se vive num clima de paz e harmonia. “Um Feliz Natal para ti e para os teus” é mais do que suficiente. É o equivalente aos mínimos olímpicos. De resto, só vale a pena tentar mais do que isso, ou seja, tentar bater recordes junto de quem os merece.

18 comentários:

  1. Não gosto da hipocrisia das pessoas, seja nesta época ou no resto do ano.

    Vem fazer parte da inciativa "Blogger Christmas Wish - Solidariedade" http://missindigo.blogspot.pt/2014/12/blogger-christmas-wish-solidariedade.html

    ResponderEliminar
  2. Yap, infelizmente também é a época da hipocrisia... mas, como tempo (idade) vamos dando importância ao que é mesmo relevante e ignorando esse tipo de atitude / comportamento. Focamo-nos no que é realmente importante.

    ResponderEliminar
  3. É por isso que não vou a essas coisas aqui na empresa... prefiro juntar os amigos... o resto das gentes... estimo bem...

    ResponderEliminar
  4. “Um Feliz Natal para ti e para os teus” é mais do que suficiente....em alguns casos ate isso é demais!!

    Tal como tu tambem aprecio jantares de natal com trocas de presentes entre amigos. Durante o ano todo ja faço isso, em q a troca de presentes se resume a quem vem a minha casa partilha comida ou bebida que trazem de casa ;)

    No teu jantar tb foi uma especie de jantar de natal, tu ofereceste-nos legos e nós recebemos lol

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aprecio bastante o teu humor. Devias pensar em stand up ;)

      Abraço

      Eliminar
  5. Adoro o Natal, tenho 2 filhos o que também ajuda, tenho uma família linda enorme, mas aqui no escritório há 2 anos que não vou ao jantar de Natal, sou a cabra, não me importo, mas não faço fretes, não engulo, temos pena. Passam o ano inteiro a tentar apunhalar pelas costas e depois querem jantares, nem pensar. Adoro receber na minha casa, adoro estar à mesa, mas com quem eu quero.
    Adelaide

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem não segue os outros é sempre visto com maus olhos.

      Eliminar
  6. Confesso que há almoços/jantares de Natal para os quais já não tenho a miníma paciência! Como costumo dizer o tempo encarrega-se de nos fazer perceber certas coisas...uma delas é a hipocrisia de alguma pessoas...

    ResponderEliminar
  7. Adorei! Retratas exatamente aquilo que penso acerca desses almoços/jantares de Natal...são uma palhaçada! Gosto de partilhar uma refeição com pessoas de que gosto, não com pessoas que, se for preciso passam o ano a criticar e no 1 º de dezembro cai-lhes o espírito de Natal como um vaso em cima da tola e de repente são amigos de toda a gente. Dá-me náuseas...a sério...
    Tenho o "defeito" (dizem os outros...porque eu acho que é uma qualidade) de ser transparente...quando não gosto, não consigo fazer fretes.

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não são amigos o ano todo, escusam de fingir que são naquela refeição. Poupem dinheiro e gastem com pessoas de quem gostam. As pessoas que não fazem fretes são sempre os maus da fita.

      Eliminar
  8. Já não vou a jantares de Natal há talvez 4 anos.
    Mas como há um ano deixei de trabalhar e não fui ao também ao jantar, este ano, as amigas de coração, aquelas que me fizeram um almoço de despedida e me dão carinho e atenção, mesmo longe delas, pedem-me que vá este ano.
    Tenho até amanhã para confirmar o convite enviado por e-mail e sei que a maioria vai gostar de me ver mas já gostei mais destes jantares.
    Amei o que aqui escreveste: "É puta para aqui. Cabrão para ali. É aquela que dorme com o chefe para estar no lugar que está. É aquele que até vendeu a mãe para ser chefe. Facadas nas costas. E tertúlias onde se fala mal deste e daquela".
    O tempo passa, vamos conhecendo melhor as pessoas e quando estamos longe delas, melhor as entendemos.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã vou ter um mas na mesa vão estar apenas pessoas que me dizem muito, cada uma ao seu estilo. E assim vale a pena.

      Beijos

      Eliminar