POWr Multi Slider

27.10.14

a visão mais simples ou se é fácil porque não fazes?

Hoje, conversava com uma pessoa sobre projectos de sucesso. Apostas que as pessoas fazem em algo de que gostam. Sem que existam segundas ideias associadas ao mesmo. Com isto quero dizer que não existe nenhuma previsão de crescimento ou sucesso (seja lá o que isso for) para o tal projecto. É algo que se faz porque se gosta e que, de um momento para o outro, começa a crescer. E a pessoa com quem conversava criou algo que tem crescido muito ao longo dos últimos tempos. Algo paralelo à sua profissão e que muito gozo lhe dá.

Entre outras coisas, falou-se da enorme dificuldade que as pessoas, e aqui refiro-me aos conhecidos, têm em dar os parabéns a alguém que faz algo bem feito, independentemente de se gostar ou não do conteúdo do projecto, seja ele qual for. Porque, se existe um crescimento substancial é inegável que se trata de algo bem feito. E não é por algumas pessoas não gostarem, algo perfeitamente legítimo, que estão proibidas de dizer: “parabéns pelo que fizeste e conseguiste.” Sobretudo quando conhecem a pessoa em questão. E não é por uma pessoa não gostar que um conteúdo é automaticamente rotulado de merda. Acho que, e isso depende da forma de ser de cada pessoa, é bom quando existe a capacidade para perceber que algo é bem feito apesar de não se gostar desse algo.

E algumas destas pessoas, as tais que se recusam a dar uma palavra de apreço a alguém que bem conhecem, são as mesmas que pensam, ou melhor, acreditam piamente que aquele sucesso e crescimento se traduzem em euros, milhares deles, que já deram entrada na conta bancária dessa pessoa sem o mínimo esforço. Trata-se de um rendimento extra que permite à pessoa ganhar muito mais dinheiro do que aquele que ganha no trabalho, por exemplo. E este pensamento dá origem a muitos outros. Todos com base na ideia (quase sempre errada) de que se está a ganhar muito dinheiro com algo.

Cegos por esta ideia, estas pessoas não acreditam (nem sequer pensam nisso) que o projecto pode não dar dinheiro, apesar do tal sucesso. Pode vir a dar, independentemente de ser um objectivo pessoal ou não, mas a verdade é que ainda não dá e se calhar a pessoa nem sequer é movida por dinheiro. Por outro lado, dá muito trabalho. Apesar das pessoas pensarem que não. Rouba também muito tempo. Apesar das pessoas acreditarem que tudo se faz em menos de cinco minutos e quando não há nada para fazer. Em alguns casos, até consome dinheiro. Um investimento que é feito e que poderá não dar qualquer retorno. Mas, todas estas questão são ignoradas. Pelo simples facto de que, para algumas mentes mais pequenas ou fechadas, o mínimo sucesso é sinónimo de milhares e milhares de euros que se ganham semana após semana.

Para quem pensa deste modo, o melhor conselho (que é uma espécie de desafio) que posso dar é que criem um projecto de raiz. Quer seja um blogue, porque apesar da conversa não ter sido sobre blogues, existe muito essa ideia associada à blogosfera, uma página de facebook sobre algo ou o que quer que seja. Depois, facilmente vão perceber que não é tudo tão fácil como quando se referem às coisas dos outros. Facilmente vão perceber se dá trabalho ou se é algo que é feito em cinco minutos. Vão também descobrir se o sucesso, seja ele qual for, se traduz automaticamente num rendimento monetário extra. E aposto que mudam a forma de pensar e que aprendem a valorizar quem luta por algo sem desistir. E talvez consigam perceber que nem todas as pessoas se movem por dinheiro.

14 comentários:

  1. Sabias palavras,
    infelizmente demasiadas pessoas pensam como acabas-te de descrever.
    Eu chamo-as de "desocupadas", porque se empregassem o seu tempo a tentar fazer algo de útil, não estariam a especular sobra a vida dos outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que fiquei parvo quando soube a forma como as pessoas lidavam com o que originou esta conversa. É incrível.

      Eliminar
  2. Como eu à pouco falava, as pessoas são pequeninas, as pessoas só se movem a pensar no bem estar delas. As pessoas são cada vez mais mesquinhas, e más. Não conseguem dar valor a nada, e acham sempre que se fazemos é a nossa obrigação. As mentes estão fechadas, para o sucesso dos outros. Não há nada que me irrite mais, do que ouvir alguém dizer, se o patrão só lhe paga x porque fazer mais? E eu sou empregada, não sou empresária, nem nada que se pareça. Eu tenho amigas que me diziam e ainda se viravam contra mim, quando eu só tinha 22 dias de férias, e me perguntavam, mas agora são 25 não reclamas?????? E eu respondia - Reclamar????? Do quê, se eu quando falto numa me descontam uma hora, um dia, uma semana, do que eu posso reclamar?????? Ainda se chateavam comigo. Isto é um exemplo.
    Uma pessoa pode trabalhar de manha à tarde e à noite, e não ver o dinheiro, mas ver uma realização pessoal é fantástico, realizar um sonho, nem que não se veja a parte monetária, o realizar já de si é um acto de coragem.
    Temos que valorizar tudo nesta vida, por pequeno que seja. Uma vitória, um momento, um beijo um abraço. Os pequenos valores estão se a perder, as pessoas são movidas a dinheiro, são movidas a falar mal de tudo e de todos. É mais fácil.
    Ai eu falei que hoje estava em modo cabra. Já divaguei.
    Adelaide Palma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já viste alguém que só sabe falar mal de ti fazer melhor do que tu? Eu também não ;)

      Eliminar
  3. Normalmente, toda a gente acha que a sua vida é mais difícil do que a dos outros.

    Novo link do blog: http://missindigo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que o sucesso dos outros é sempre do mais fácil que pode existir.

      Eliminar
  4. É a chamada inveja... é o que é!
    E como ficam cheínhos dela, não são capazes de admitir que a outra pessoa tem todo o mérito e merece ser reconhecida por isso!

    ResponderEliminar
  5. O curioso é ver como grande parte das palavras de mais apreço e apoio, ou mesmo críticas construtivas, vêm é de "perfect strangers"... lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São pessoas que se conseguem afastar de tudo o que condiciona a resposta de alguém que te conhece.

      Eliminar
  6. Há uns anos atrás uma amiga minha teve o primeiro prémio no euromilhões (feito em sociedade de 7 ou 8 pessoas) (eu sei que estás a falar de esforço e trabalho e isto 'caiu do céu'). Eu fiquei eufórica, como se me tivesse calhado a mim! Pulei com ela, dei gritinhos de alegria com ela e vivi a alegria dela (que veio numa altura em que eles, ela e o marido, estavam a pensar arranjar um segundo trabalho, à noite, para cada um, tais eram as dificuldades com que se deparavam). Vivo as alegrias dos meus próximos como vivo as suas tristezas e não quero mudar nunca!
    As pessoas perdem demasiado tempo com os sucessos dos outros em vez de se porem a trabalhar nos próprios. Quando devem olhar para os seus umbigos e tratar delas mesmas, perdem-se na vida dos outros. Quando deviam ser mais generosos e amigos, estão demasiado ocupados com umbiguismos... Felizmente conheço pessoas muito boas e essas apagam as menos boas com quem me cruzo! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que existem pessoas como tu que ajudam a equilibrar o mundo em que vivemos :)

      Eliminar