POWr Multi Slider

4.9.14

um pouco mais sobre mim

Uma das melhores coisas em ter um blogue é aproximar-me de pessoas com quem provavelmente nunca me cruzaria na vida. Valorizo muito a confiança que algumas pessoas têm no blogue e em mim, revelando momentos pessoais num comentário ou através de emails que me enviam e que usam para desabafar sobre algo. É uma sensação muito boa e complicada de passar para palavras. Ao longo do tempo de vida do blogue, diversas pessoas têm dado muito de si tal como costumo dar muito de mim. Aproveitei o desafio da ABT para falar um pouco mais de mim, respondendo a uma série de perguntas que me fez. Obrigado.

Qual é a música que te deixa feliz sempre que passa no rádio sem que estejas a contar?
If You´re Gone, dos Matchbox Twenty. É uma música especial para mim e carregada de simbolismo devido à história que a envolve. Além disso é de uma das minhas bandas preferidas. Num registo diferente e menos surpreendente porque é recente e toca com frequência, Happy, de Pharrell Williams. É impossível não ficar bem disposto, cantar e dançar isto.

Com que celebridade (viva ou morta) gostarias de ter uma conversa?
Escolho o meu avô que morreu muito cedo numa noite em que fiz um dos meus melhores jogos de futebol de sempre. Era miúdo e como era o único avô que tive, lamento não conhecer a sensação de ter uma conversa de homem para homem com ele. É algo que me deixa muito triste.

O que lhe perguntavas?
Nada! Deixava-o falar e deliciava-me a ouvi-lo. Tenho muitas imagens dele que seriam pintadas com o som das suas palavras nesta conversa especial. Seria perfeito.

Qual foi o pior piropo que já mandaste, sabes como é aqueles em que queremos ser engraçados mas calha muito mal...
Não consigo recordar nenhum porque nunca fui de mandar piropos. Recordo apenas momentos em que se fala de uma determinada rapariga que é namorada de um amigo, por exemplo. Se for com piadas, já consigo recordar momentos que correram mal.

Qual o piropo mais piroso que te mandaram?
Nem piroso nem sem ser piroso. Simplesmente não mandam com uma frequência que me permita lembrar algo. Recordo-me de uma situação vivida há muitos anos. Estava numa discoteca à conversa com amigos. Até que aparece uma menina – deveria ter os seus 17/18 anos e eu teria pouco mais do que isso – que interrompe a conversa e pergunta se me pode conhecer. Digo que estou à conversa com os meus amigos. Assim que termino a frase, diz-me: “tu é que perdes”, vira costas e vai embora.

Qual é a pior faceta da Blogoesfera?
Os ódios gratuitos que se geram e que não servem para nada. É algo que não consigo compreender. Odiar alguém por palavras ou por uma ideia que se criou quando ignorar e não ler é uma opção muito mais simples.

Que blogger gostarias de conhecer pessoalmente?
Já conhecia alguns antes de criar o meu. Outros fui conhecendo em acções onde estive presente. E existem muitos que sinto conhecer sem os conhecer pessoalmente. Tal como já privei com pessoas que têm o hábito de passar pelo meu blogue. Adoro conhecer pessoas mas não destaco ninguém em particular.

Preferias morrer como um herói ou viver como um cobarde?
É uma questão complicada. O que é ser herói? E o que é ser cobarde? E será que aquilo que para mim é heroísmo e cobardia será igual para todos? Não sei. Prefiro viver a minha vida como sempre tem sido, com os meus momentos de heroísmo e com outros de cobardia. E que seja sempre assim até ao meu último dia. De resto, quem me conhece irá recordar-me pela viagem e não pela última estação.

Consideras que a eutanásia devia ser legal?
Acho que sim.

Achas que o mundo vai acabar, ou nós é que vamos acabar com o mundo?
Em 1989, Billy Joel cantou isto: “We didn't start the fire, It was always burning, Since the world's been turning, We didn't start the fire, No we didn't light it, But we tried to fight it.” Acho que será sempre assim.

Como surgiu a ideia de ter um blog? E o nome?
Já acompanhava alguns blogues que a minha mulher costumava ler. Num dia decidi criar o meu e cerca de trinta minutos depois estava online a primeira versão do blogue. O nome foi uma escolha lógica para mim porque sou homem e não tinha blogue.

O que fazes profissionalmente ou área de estudos?
Sou jornalista.

Como te definirias?
Nunca gostei de falar de mim porque é sempre complicado. Gosto que me definam e já me disseram diversas vezes que sou amigo do meu amigo. É um rótulo que me agrada.

O que farias se ganhasses o euromilhões?
A primeira coisa era obrigar os meus pais e dar a volta ao mundo numa viagem de sonho. São as duas pessoas mais importantes da minha vida. Lutaram muito e fizeram muitos sacrifícios para que a minha vida e a da minha irmã fosse a melhor possível. São os meus ídolos e se vier a ser metade do que são ficarei feliz. Por isso, a prioridade eram eles.

O que adoras/não suportas que te façam/digam?
Começando pelo que não suporto. Detesto que me mexam no cabelo. Existem poucas pessoas que têm livre acesso ao meu cabelo sem que isso me irrite. Que me lembre, não existe nada que não suporte que me digam. Só dispenso palavras vazias de conteúdo. Por outro lado, adoro palavras de elogio da minha mulher e da minha família. Enchem-me de orgulho. Adoro também que me tentem fazer sorrir quando não o desejo.

O que mais gostas de fazer?
Gosto muito do meu trabalho. Longe dele, gosto de planos a dois, de praticar deposto, de ir ao cinema e de almoços longos com família e amigos.

Não vives sem... ?
O amor das pessoas mais importantes da minha vida. O resto – esquecendo a saúde – é acessório.

Um objectivo que já tenhas alcançado e do qual te orgulhas?
O meu percurso em si, sem ignorar as falhas e os erros, é um orgulho para mim. Mas orgulho-me de ter estudado com notas razoavelmente boas sem nunca ter deixado de trabalhar. 

Objectivo/sonho por alcançar?
Ser pai!

Como te imaginas daqui a 10 anos?
Ao lado da minha mulher, com dois filhos, e todos nós perto da restante família.

Um segredinho?
Quando era miúdo a minha alcunha era titchabomba mas não gostava muito.

O que mudou, da criança que foste para o adulto em que te tornaste?
Quero acreditar que apenas a maturidade própria dos trambolhões da vida e dos erros e passos mal dados. De resto sou o mesmo puto que acordava cedo para ir jogar futebol na mata com os meus vizinhos e que passava a noite na rua à conversa com os mesmos. Tenho mais “arranhões” do que naquela altura mas não deixo que nenhum mude quem sou ou que façam de mim uma pessoa amargurada.

Quem gostarias de ter conhecido mais cedo na tua vida?
As coisas acontecem quando têm de acontecer. Por isso, está bom como está. 

Descreve um dia perfeito, actualmente.
Acordar ao lado da minha mulher. Preferencialmente primeiro do que ela para ter o prazer de a ver dormir. Depois dar-lhe um beijo e dizer que a amo. Sempre que começar assim será perfeito.

Que coisa precisas fazer para melhorar a tua vida?
Lutar ainda mais pelo que desejo.

Qual foi o presente mais especial que recebeste nos últimos 5 anos?
Como a minha sobrinha tem mais de cinco anos, escolho o sim da minha mulher ao pedido de casamento.

Qual foi a última vez que fizeste alguma coisa sem pedir nada em troca?
Hoje. Não gosto de quem se move por esse tipo de objectivos.

Se pudesses reviver um dia da tua vida (sem lhe alterar coisa alguma), qual seria?
Se não alterava nada, não revivia nenhum. Bastam as memórias que tenho dos momentos especiais. De resto, entrego-me ao que aí vem.

Quê ou quem te drena energia actualmente?
Neste momento da minha vida, a minha energia é toda para as pessoas e coisas importantes da minha vida. Só eles é que têm esse poder.

Quando foi a última vez que convenceste a ti mesmo a não fazer uma coisa que, no fundo, querias fazer? Que coisa foi essa?
Quando quero faço. Quando não quero, não faço. É tão simples como isso.
  
Qual foi o ponto alto do teu dia, hoje?
Vou escolher dois. Ter ido almoçar sushi feito pelo meu amigo Rodolfo. É óptimo chegar a um sítio e não ter que pedir comida e saber que aquilo que vai aparecer à minha frente será fantástico, permitindo ainda trocar dois dedos de conversa com um amigo. Outro, aconteceu há pouco. O Intermarché enviou gelados para a redacção e o de pera rocha era divinal.

Fui muito chata?
Nunca és. Mas não vamos debater futebol, ok?

19 comentários:

  1. Gostei de ler. És uma pessoa inspiradora!
    Sabes que já era leitor do teu blogue antes de criar o meu? Foste uma das minhas inspirações. Obrigado!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já mantive várias conversas com diferentes pessoas e ler o que escreveste é algo muito especial para mim e que faz com que ter criado o blogue tenha valido a pena. Muito obrigado!

      Abraço

      Eliminar
  2. Um pouco mais de ti?!?!? Bolas....vou ter que fazer serão para degustar as perguntas e as respostas devagarinho como elas merecem:))))) Agora vou tratar da janta:) mais logo volto sim?! jinhoooooooss

    ResponderEliminar
  3. Foi um prazer cuscar-te... :)

    Amigo de Peniche
    (sim, ainda me vou passeando por aqui)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que as férias tenham sido boas.

      Obrigado pelas palavras e vai aparecendo sempre que quiseres. O teu espaço estará por cá.

      Eliminar
  4. Na quarta pergunta mandaste em vez de mandas-te :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo alerta. Já alterei o erro que estava na pergunta. Obrigado :)

      Eliminar
  5. (gargalhada) Combinado. Sem debates sobre futebol :)

    Obrigada por este bocadinho de partilha, HSB. É muito bom ler-te sempre, mas este género pergunta-resposta sabe um pouquinho mais a uma conversa entre amigos, enquanto se toma um café num lugar bonito. Sabe especialmente bem começar o dia com um tom tão marcado em valores familiares e sentimentos fortes. Obrigada, mais uma vez!

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devo confessar que adoro os nossos debates sobre futebol porque são marcados por paixão, com cada um a defender a sua dama da melhor maneira possível :)

      Obrigado eu pelas perguntas. Sabe bem ter perguntas destas para responder porque fazem com que penses em pessoas e sentimentos especiais.

      Muito obrigado!

      Beijos

      Eliminar
  6. Bom dia, Gostei. É bom ler pessoas que dizem o que querem sem aquela cena do "eu sou bom, e sei"
    Não passes a linha que separa, continua assim, é bom ler as pessoas que têm sentido de família, de amizade, de saber estar, este mundo é tão fútil que quando lemos algo assim pensamos será que é assim????? Mas depois de lermos mais um bocado vimos que ainda és assim. Claro que nunca conhecemos as pessoas verdadeiramente, este mundo dos blogs se calhar é isso mesmo, achamos as coisas que não são, mas pelo menos quando venho cá ler ainda tenho esperança, que és aquilo que escreves. Obrigada
    Adelaide

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar do crescimento do blogue, ainda são poucas as pessoas que sabem quem sou. E refiro-me ao meu grupo de amigos. Mesmo assim, com o passar do tempo diversas pessoas descobriram quem era com detalhes tão simples como partilhar a foto do meu cão. Quando sabem que sou eu metem-se comigo e dizem que quando liam o blogue ficavam com a sensação de que só podia ser eu porque batia tudo certo com aquilo que consideram que sou. Ouvir isto de alguém que lia o blogue sem saber que era meu é o melhor que me pode acontecer.

      Além disso, defendo que ninguém constrói uma imagem, que não seja a sua, durante muito tempo. Tenho o hábito de partilhar quatro textos por dia. Respondo a todos os comentários porque gosto de o fazer. E tudo isto resulta em diversos momentos de partilha que tornam impossível construir uma imagem que não existe.

      De resto, considero-me uma pessoa normal com uma vida bastante simples. Provavelmente muito mais simples do que as pessoas julgam. Tenho os meus defeitos e cometo os meus erros, como toda a gente. Aqui, partilho a minha visão da vida e aquilo em que acredito e defendo.

      Obrigado.

      Eliminar
    2. Obrigado eu, uma vez que tu é que nos dás algo em troca, nós não damos nada. Só o nosso tempo de leitura, que eu digo já, que aqui é bem empregue. Por isso aqui fica o meu OBRIGADA
      Adelaide

      Eliminar
    3. Vocês dão muito mais do que pensam.

      Obrigado eu!

      Eliminar
  7. Gostei muito das respostas, as perguntas já as tinhas lido.
    Algumas respostas foram novidades outras já sabia, tenho uma opinião acerca de ti e ainda mnão me enganei é bom sinal.

    Abraço e bom fim-de-semana Bruno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas tuas palavras Sérgio. Fico muito feliz.

      Abraço e bom fim-de-semana.

      Eliminar
  8. Gostei de ler as respostas :)
    Também tenho esse desafio para responder, hei-de fazê-lo em breve :P

    ResponderEliminar