23.9.14

o talento chega?

Quando era mais novo e jogava futebol, cheguei a jogar contra jogadores como Carlos Martins e Ricardo Quaresma, apenas para dar dois exemplos. A lista de adversários que fizeram carreira no futebol tem mais alguns nomes. Uns mais sonantes e outros que, apesar de menos conhecidos, chegaram por exemplo à nossa principal selecção nacional de futebol. Não vou mentir que, em alguns momentos pensei nos motivos pelos quais tinham chegado ao topo e eu não. 

Esta questão é comum a vários amigos da minha geração. Alguns ficam indignados quando pensam nisto. Dizem que os outros não têm talento. Que são mais fracos do que eles. Ou seja, eles têm mais talento do que os outros e eles é que deveriam lá estar, no topo. Assumo que em alguns casos já pensei o mesmo. Por exemplo, quando vejo jogadores que não eram (e continuam a não ser) nada de extraordinário e que já jogaram em diversos campeonatos europeus.

Mas, nos momentos em que penso nisto, coloco também a hipótese de que tenham trabalhado muito mais do que eu para chegar ao topo. Esforçaram-se mais do que eu e do que os outros. Empenharam-se mais do que os restantes. E provavelmente estiveram junto das pessoas certas nos momentos certos. E isso poderá ter feito a diferença em relação aos outros, que até poderiam ser mais talentosos. Se olhar para o passado e para as equipas onde joguei, constato que nenhuma das “estrelas” fez carreira no futebol. Ao contrário de alguns jogadores menos talentosos.

Até agora falei de futebol mas a conversa podia ser sobre outra área qualquer. Porque o talento não resolve tudo. Quantas pessoas talentosas acabam por não ser ninguém numa área onde podiam ser os maiores? E destas, quantas é que nunca lutaram pelo seu lugar ao sol, acreditando que o talento chegava para que alguém fosse bater à porta? Ou porque tiveram medo de arriscar? Ou porque desistiram no primeiro contratempo? E quantas é que desperdiçaram o talento que tinham com más opções? De certeza que todas as pessoas conhecem casos destes.

É certo que se pode discutir o famoso factor c mas acho que isso não explica todos os casos. Sobretudo quando existe a ideia de que ter talento significa que se é melhor do que alguém. E que tudo irá acontecer pelo simples facto de que se é talentoso. Sem trabalho, dedicação e empenho o talento acaba por ser tão bom como ter um saco de areia no meio de um deserto.

12 comentários:

  1. Isso. O talento não chega. É precisa muita força de vontade para encarar a carga de trabalhos (no sentido de que é preciso mesmo muito trabalho!) que é chegar ao topo e manter-se lá. Claro, não nego que também é necessária alguma sorte. Mas trabalho, perseverança e força de vontade, são ingredientes indispensáveis para elevar o talento a níveis de excelência. ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, muitas pessoas pensam que basta ter talento. Que isso resolve tudo.

      Eliminar
  2. "Sem trabalho, dedicação e empenho o talento acaba por ser tão bom como ter um saco de areia no meio de um deserto." - Não podia ter sido melhor dito!!! Sublinho e assino!!!

    Podes ter o maior e mais valioso talento do mundo e continuares a ser um "zé ninguém"... conheço alguns casos.. não pelo melhor do mundo, mas pessoas que realmente estariam a cima da média, mas que nunca fizeram nada por se destacarem...

    :)


    Beijinhos
    Z.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem trabalho e empenho o talento torna-se inútil.

      Beijos

      Eliminar
  3. Totalmente de acordo! E sim, claro que se aplica tanto ao campo profissional como até ao pessoal!

    ResponderEliminar
  4. Talento não serve de nada sem trabalho, e dedicação.
    "prática leva à perfeição", para mim andam de mãos dadas.

    ResponderEliminar
  5. Por isso é que eu valorizo o trabalho muito mais que o talento. Por isso é que na famosa e mais que gasta discussão "Cristiano Ronaldo vs Leonel Messi", eu digo que sempre valorizarei mais o CR. Porque sempre trabalhou mais, não se deixou dormir à sombra do seu talento. Já conta com mais de 10 anos de carreira profissional, já mostrou a sua qualidade, mas continua a ser o primeiro a chegar ao treino e o último a sair.

    Não há talento que perdure sem trabalho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas não te esqueças que o Messi travou uma grande luta que passou pelos problemas de crescimento. Não acredito que um jogador como o Messi não trabalhe muito. Condeno algumas coisas no Cristiano mas em relação ao empenho em ser o melhor, nada tenho a apontar. É um exemplo.

      Eliminar
  6. Há uma frase no teu texto que, ultimamente, me tem passado "pelas vistas" mais vezes do que o "suposto", e que, tal como pretendes passar, só o talento não chega.

    A frase é "estiveram junto das pessoas certas nos momentos certos". Há um factor Comum a muitas pessoas sem talento.

    ResponderEliminar