12.9.14

iphoneless spa e um recomeço por culpa minha

Critico um serviço ou atendimento quando é mal feito. Mas também gosto de enaltecer quem faz o seu trabalho em perfeitas condições, mesmo quando nem sempre é fácil. Por isso, deixo o meu agradecimento à Daniela, Diana e Nádia, as pessoas que lidaram comigo na loja da Meo a que fui ontem, na tentativa de ressuscitar o meu iPhone. Como temia, teve de ficar internado. As perspectivas não são as melhores e não sei se terá alta num curto espaço de tempo. Por outras palavras, não sei se foi um adeus ou um até já.

Havendo a possibilidade de lá ficar, sabia que ia ouvir uma pergunta. “Fez algum backup?”, perguntaram-me. “Não!”, respondi. Num passado recente tive um problema com o cartão do telemóvel mas não sei precisar se fiz backup nessa altura. Como tal, existe uma grande probabilidade de perder cerca de nove mil fotografias. E a culpa é minha. Sou daquelas pessoas que ouvem diversas histórias como a minha, que nessa altura dizem que têm de fazer um backup mas que nunca o fazem. E como a culpa é minha, não adianta lamentar. Como se costuma dizer: “o que não tem remédio, remediado está”.

Mas como existe sempre algo de positivo numa coisa menos positiva, fiquei a saber que o iPhone ainda está na garantia, algo com que não contava pois tinha feito mal as contas ao dia em que o recebi. Além disso, enquanto esperava, recebi uma proposta para um pacote de serviços – igual ao que tenho neste momento – com um preço que me permite uma poupança anual superior a cem euros. Por isso, nem tudo é mau e prefiro agarrar-me a estas coisas do que ficar a chorar pelo que não posso alterar.

Como não tinham disponível um telemóvel de substituição, dei início a uma espécie de retiro espiritual. Um iPhoneless Spa que, nos primeiros dias, será marcado pela ausência de telemóvel. Daqui a alguns dias deverei receber um mas existe a possibilidade de ser um aparelho completamente diferente do meu sem acesso a tudo aquilo que ocupa tempo além das chamadas. Confesso que as primeiras horas de ontem foram complicadas mas neste momento já me sabe muito bem não ter telemóvel.

11 comentários:

  1. Boa sorte com o iPhone internado.
    É sempre bom conseguir ver os pontos positivos em situações aparentemente (ou efectivamente!) adversas!
    Depois conta melhor como é a vida sem smartphone! ;-) Ainda bem que após as primeiras horas já há até uma sensação de alívio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora é esperar. Vamos ver mas confesso que neste momento sinto alívio.

      Eliminar
  2. Passa tudo por uma questão de hábito, tanto o usar muito como o deixar de usar. Como afirma o dito popular, "o ser humano é um animal de hábitos". Habitua-se a tudo mesmo ;)

    (deixo aqui uma pequena notinha para a redundância "uma poupança anual superior a cem euros por ano" ;) )

    Força nisso e arranja um bloco de notas ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela dica. Estava a pensar numa coisa, acabei por escrever outra e baralhei as ideias :)

      É mesmo uma questão de hábito :)

      Nunca ando sem bloco de notas. Até tenho dois na mala.

      Eliminar
  3. lembrei-me de algo... através do icloud não consegues recuperar algumas fotos? supostamente o iphone faz backup de tempos a tempos (mesmo que tu não faças manualmente). eu se perdesse essas fotos todas acho que me passava!

    ResponderEliminar
  4. " iPhoneless Spa ", hummmm, eu adoro SPAs.
    Bom, o que importa é que tenha reparação.
    Bom fim de semana.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso terá sempre. Nem que me seja dado um novo pois está na garantia.

      Beijos

      Eliminar
  5. Como já disse noutro comentário, não consigo MESMO viver sem telemóvel. É-me importante profissionalmente, mas ainda mais (muito mais) a nível pessoal, o que é normal quando se está longe.

    Quanto a backups, eu aprendi a lição há uns anos, por causa de um PC. Uso disco externo há vários anos. Mas, por desleixo e preguiça, andei imenso tempo sem fazer backups. Um dia o PC morreu de vez e perdi imensas coisas que ainda hoje lamento (fotos e textos sobretudo). Desde então, tento não ser tão desleixado e tento fazer backups a cada 3 meses +/- :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os backups ganharam um novo significado para mim ;p

      Eliminar
  6. O truque está em automatizar o processo de cópia de segurança para que não se perca nada quando acontecem estas avarias.
    Eu uso a dropbox para passar as fotos e vídeos quando esta ligada a uma rede sem fios e de tempos a tempos sincronizo com o iTunes.
    No computador liguei um disco externo que faz imagem do instalado no pc e se algum dia o interno deixar de funcionar tenho sempre o segundo de reserva.
    A era digital tem estas coisas.Quase ninguém imprime fotos e isso leva a que as cópias de segurança tenham uma importância maior.
    Principalmente quando se tem filhos esse é o material mais valioso, o resto com mais ou menos trabalho é quase tudo recuperável.

    ResponderEliminar