POWr Multi Slider

30.9.14

estou condenado a ser gordo

Num destes dias, um amigo, com quem partilho as idas ao ginásio pela manhã, subiu para a balança antes de uma aula de cycle. Sorriu perante o valor que apareceu na balança e disse: “estou condenado”. Conformou-se com o excesso de peso. Parece que ter peso a mais do que é aconselhado – e do que aparentemente gostava de ter - é uma condenação. É a mesma coisa do que estar preso com pena perpétua. E quanto a isso não há nada a fazer.

A passividade, perante o que quer que seja, é mais de meio caminho andado para a condenação. Aceitar que não somos capazes de mudar algo, que desejamos mudar, na nossa vida é uma atitude que não levará a qualquer mudança. Isso é mais do que garantido. E isto tanto se aplica aos quilos que entendemos ter a mais, como querer um emprego melhor, uma casa maior ou um carro diferente do que temos. Se queremos mas não fazemos por isso, nada vamos ter. Só por um qualquer acaso do universo. Mas isso é um fenómeno que ocorre apenas a cada mil de anos.

Agora, se a pessoa não cruzar os braços e se dedicar algum tempo a perceber o que é necessário mudar ou fazer para alcançar o objectivo proposto, aumenta de forma exponencial as hipóteses de ser bem-sucedido. Podem existir tropeções. Momentos em que se duvida do sucesso. Mas a diferença estará sempre no momento em que se desce da “balança”. Basta optar pela condenação ou pela mudança. E a mudança é muito mais fácil do que se julga.

4 comentários:

  1. Voilà!
    Nem é preciso acrescentar mais nada ao que já disseste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Basta querer mudar em vez de se esperar que a mudança apareça apenas porque sim.

      Eliminar
  2. Mas que belo texto, li e reli e é verdade só estamos condenados se quisermos.
    Já tiveste alta da Dr.ª Mariana? Como te tens aguentado?
    Eu comecei antes de ti o plano, mas andei um pouco perdida, agora estou outra vez com ela, mas confesso que tenho medo do futuro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A condenação é uma opção nossa.

      Agora só volto lá em Dezembro. Estou muito bem. Tal como quando estava com ela. Aprendia a comer e sei fazer uma boa gestão, sem ser louca, do que como. Até já perdi cerca de um quilo desde que deixei de lá ir e posso dizer que nunca me privei de nada do que desejo.

      Não tenhas medo e qualquer coisa envia-me um email.

      Eliminar