11.8.14

os casamentos e as pessoas que lá estão

Perto da minha casa costumo observar aquilo a que muitas pessoas chamam de casamentos simples e modestos. Por exemplo, ainda no último Sábado, enquanto corria, passei por um. Aquilo que refiro como um casamento modesto são aqueles casamentos que têm pouco mais de dez convidados. Lá estavam os noivos e os convidados a fazer fotos junto ao rio. Num local simples. Provavelmente o copo de água seria por ali num restaurante ou mesmo na casa dos noivos.

Não sei nem me interessa o que leva alguém a escolher uma cerimónia destas. Simples e modesta aos olhos de muitos. A primeira ideia da maioria das pessoas será a de que não havia dinheiro para mais. Não sei se é o caso nem sequer me interessa. Aquilo em que penso, sempre que vejo uma cerimónia destas é que deverá ser muito melhor do que um casamento com centenas de convidados.

Se estão lá poucas pessoas é porque são especiais. Mesmo que seja por uma questão de dinheiro, a selecção, que terá de ter motivos sentimentais, levou a que o grupo final fosse aquele. E, daqui a dez anos, os noivos vão recordar cada uma das pessoas que estiveram num dia especial. No dia da celebração do amor que sentem. E vão também recordar os momentos que viveram com cada uma dessas pessoas.

Quando os convidados são às centenas, poucos vão ser recordados. Aliás, poucos voltam a ser vistos depois do casamento. Está lá um porque é amigo do outro ou porque ficou bem convidar. Depois, se ficou bem convidar aquele tem também de se convidar o outro para não parecer mal. E se esses dois vão, têm de ir mais não sei quantos que estão num patamar igual. Depois, no dia do casamento, um dia especial, estão lá pessoas cujo interesse é saber se o marisco é bom e até que horas é que é bar aberto. Pessoas para quem a memória do casamento será apenas se a comida era boa e se a bebida abundava e provavelmente ainda conseguem recordar os que estavam mal vestidos. Não mais do que isso.

E sempre que vejo uma cerimónia mais modesta, percebo que é isso que quero para o meu casamento. Quero estar rodeado das pessoas mais importantes para mim. Por mais que me custe deixar este ou aquele de fora. Não quero ter a companhia de pouco mais de dez pessoas mas não quero dezenas de pessoas que não me dizem nada e que não voltarei a ver nos próximos anos. Quero a companhia das pessoas de quem não me quero afastar e das que me dizem muito, mesmo que não as veja muitas vezes. Agora, convites porque fica bem ou para parecer bem é coisa com que não me identifico. E que não quero num dos dias mais importantes da minha vida.

28 comentários:

  1. Concordo tanto com isso que me dói a barriga sempre que penso como o meu rapaz quer um casamento cheio de gente e uma grande festa (uma parga de gente, uma parga de dinheiro, uma parga de desinteresse).

    Depois lembro-me que faria tudo por ele e "está bem". E ele lembra-se que fará tudo o que eu quiser e que, para se casar comigo, nem se importa que seja uma dessas cerimónias ditas "simples" mas tão complexas em amor.

    Um dia :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o melhor é existir um equilíbrio entre ambos. No meu caso, a minha mulher partilha este modo de pensar.

      PS - Não me esqueci de ti :)

      Eliminar
  2. Eu tambem gosto de casamentos pequenos, com poucas pessoas. Se casasse de novo acho que seria apenas eu o noivo o padre e os filhos :)

    ResponderEliminar
  3. Uma vez, só por brincadeira, fiz a lista de convidados para o meu casamento. Tenho a dizer-te que família directa e alguns amigos chegados eram 97. Foi-se por água abaixo a meu pensamento igual a esse teu! :)))

    ResponderEliminar
  4. Concordo contigo. E nem sempre a questão é a falta de dinheiro. Nalgumas situações as pessoas querem uma festa mais intima, com aqueles que realmente contam e num lugar caro e com requinte. Devo dizer que me faz confusão aqueles casamentos onde entra tudo, até os que mal se conhecem. É o primo da cunhada da prima, porque fica mal convidar uns e não convidar outros. Não consigo perceber o que leva as pessoas a partilhar o dia que devia ser tão especial, com qualquer um.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São pessoas que não vão ser recordadas porque não existe grande relação. E acho isso desnecessário.

      Eliminar
  5. Concordo plenamente contigo e acho isso uma coisa mesmo muito bonita. :) Lembro-me de, quando era miúda (ok, ainda mais miúda), ver umas fotografias do casamento dos meus pais e mesmo do meu batizado e de me pôr a perguntar quem eram uma série de pessoas que lá estavam. A resposta era muitas vezes um "não sei bem" ou um "é prima do marido da cunhada da tia". Acho que, nessas ocasiões tão especiais e, a meu ver, tão pessoais... só lá deve estar quem realmente importa. E, nos tempos que correm, até a carteira tem a agradecer! Ahahaha! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A carteira também agradece mas o mais importante é que a cerimónia torna-se mais especial, como deve ser :)

      Eliminar
  6. Ora nem mais... O meu casamento vai ter cerca de 70 pessoas (pais, noivos e padrinhos incluídos). Só as que queremos mesmo ter connosco! Não fizemos nenhum convite para parecer bem, sei que vamos ser criticados mas vivo bem com isso.

    ResponderEliminar
  7. Fico feliz por ler acerca destas "preocupações" - fase seguinte de preparação do casamento. :)
    Pela minha experiência, que tentei agradar a gregos e a troianos, percebi rapidamente que errei. Por exemplo, convidei todos os irmãos do meu pai - que são mais que muitos! -, para lhe permitir essa mesma reunião mas não fez sentido nenhum. Hoje fazia o meu casamento de forma muito diferente e creio que com não mais de 50 pessoas.
    Um conselho: sejam egoístas! É o vosso dia e deve ser como vocês querem com quem vocês realmente querem. Só assim será perfeito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que esse conselho é mesmo muito bom. Ser egoísta!

      Eliminar
  8. Num dia tão importante para a pessoa como esse só devemos rodear-nos por quem nos faz verdadeiramente bem e com quem queremos partyilhar a nossa felicidade! esdpero ter a capacidade de ser "egoísta" a esse ponto quando o dia chegar (ou se chegar)...e penso que conseguirei até porque as pessoas mais importante para mim não estarão lá (ainda que a ver-me de "longe" e sempre prsentes).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é mesmo importante que a pessoa seja egoísta. Se o dia é nosso deve ser como nós queremos.

      Eliminar
  9. No meu casamento estavam 102 pessoas. E as 102 pessoas são importantes na minha vida. Após 7 anos continuam a sê-lo... E isto foi com seleção, fará se não o fosse!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não está em causa o número. Acho é que muitas pessoas acabam por convidar pessoas apenas porque sim e porque fica bem.

      Eliminar
  10. Um dia que pensei casar, também decidi que fosse o dinheiro que fosse, o meu casamento só contaria com as pessoas essenciais!!!

    ResponderEliminar
  11. fazes muito bem. Uma prima do meu marido casou, e é uma parte da família com a qual ele convive pouco (eu nem conhecia os noivos). Acontece que ficámos sentados na mesa dos noivos...senti-me tão mal por estar sentada numa mesa que é o centro das atenções, num evento onde eu não conhecia ninguém. Que disparate fazerem esse tipo de festa (grandes e impessoais)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso como tu. Sou a favor da presença das pessoas importantes. Até porque a nossa relação tem 11 anos. Já vivemos juntos e tudo isso. Por isso, o casamento é uma celebração do amor. E isso não vive de estranhos.

      Eliminar
  12. O meu casamento foi como descreves.....mas as fotos não foram ao pé do rio, á 15 anos usava se mais o jardim, aquele ao pé do centro comercial :)....aiii as fotos ao pé dos repuxos :D, não o achei modesto, achei o simples como sou assim como as pessoas que me rodeiam.....inclusivie esta história da crise e de se achar que se vive de aparências nunca foi para mim, para mim é o que é e nada mais.......o batizado das minhas filhas foram só nós pais, avós, tio, e padrinhos, pq elas com 3 meses só fazia sentido para mim assim :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é assim que faz sentido, é assim que deve ser. Como já disseram por aqui, deve existir egoísmo da parte das pessoas porque o dia é delas :D

      Eliminar
  13. Eu penso como tu. Da minha parte levei cerca de 50 pessoas, entre amigos e familiares...mas tive de escolher entre alguns amigos e tios e primos que se dao bem com o meu pai mas que cmg nao têm grd afinidade..adivinha quem escolhi? O meu Pai ficou chateado mas aceitou, os tios e primos agora nem me dirigem a palavra, pelos vistos tomei a opçao certa ;)

    PS: Tou quase a festejar 1 ano no clube dos casados hehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que fizeste muito bem!

      Pagas uma cerveja? ;)

      Eliminar
  14. Ora nem mais! Tal e qual como penso.
    Quando chegar o meu dia, é mesmo isto que quero. Sempre fui desta opinião. Sou de uma zona em que os casamentos mais parecem festivais. Isto de ter que convidar as tias das tias, primos dos primos, sempre me fez confusão. Tudo bem que sejam ainda da família, mas ter que convidar pessoas que nada me dizem, que nem vejo, e que por vezes nem conheço, nahhhhhhh

    Só faz sentido, se tivermos as pessoas que nos conhecem tal como somos e que realmente gostamos de ter por perto.

    Bjocas da Bela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É assim que idealizo o meu casamento. E é assim que quero que seja.

      Beijos

      Eliminar