POWr Multi Slider

5.8.14

homens. mulheres. e tarefas domésticas

“Nunca fazes/ajudas em nada. Podias fazer qualquer coisa”, é uma frase proferida por diversas mulheres e referem-se às mais simples tarefas domésticas. Estas palavras não têm de ser ditas diariamente mas é certo que, num determinado momento, nem que seja porque o dia correu mal, acabam por sair da boca para fora. E justiça deve ser feita pois em alguns casos são justas. E os homens, quando não têm qualquer iniciativa, devem ouvir este reparo.

Depois existe o outro lado. Que é quando um homem faz alguma coisa. Quer seja porque levou uma reprimenda ou porque simplesmente tomou a iniciativa, como acontecerá com frequência em vários casos, de fazer uma tarefa ou de ajudar em algo que a mulher já estava a fazer. E o que acontece nestes casos? As mulheres transformam-se em inspectoras. Que controlam tudo aquilo que o homem fez. Não satisfeitas, ainda dão um toque pessoal. Uma espécie de acabamento do trabalho deles que, por melhor que esteja, nunca está perfeito.

Quando assumem o papel de inspectoras, costumam também interrogar os homens. Com perguntas que vão do básico ao complexo. Do estilo: “Lavaste os tomates antes de os cortares” ou “meteste sal na água” onde se está a cozinhar algo. Acredito que existem homens que precisam do máximo de explicação possível. Mas acredito também que basta uma explicação. Mas a verdade é que elas nunca acreditam no trabalho deles. E vão sempre inspeccionar o que fazem. E, se possível, dão sempre um toque pessoal como quem diz: “agora sim, está bem feito”.

15 comentários:

  1. Há mulheres e mulheres! No meu caso nem que ele grelhe os bifes sem lhe meter pedra de sal, eu não reclamo. Já fui muito exigente, mas com o tempo aprendi que cada um faz a sua maneira e que por vezes corre mal a qualquer um. Tudo o que ele fizer, melhor ou pior, está feito, e não mexo mais, se assim não fosse não valeria a pena a colaboração! E, convenhamos, que quando se é muito criticado negativamente, perde-se também a vontade de fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que as mulheres não percebem que chegam a ser muito exigentes, dando a entender que eles não sabem nada de nada e isso pode ser mau. Percebo que não o façam por mal mas pode fazer com que não exista vontade de fazer nada porque tudo está mal feito.

      Eliminar
  2. Eu acho que o mal começa logo na frase que nós, mulheres, proferimos: "nunca me ajudas". Porque o ajudar, pressupõe que essas tarefas são obrigação delas e não dos dois. Que eles ajudam, não partilham, porque em última instância é responsabilidade dela. É a ela que a sociedade pede contas se a casa estiver por varrer. E é por isso que depois se torna ditadora. Quer ajuda, mas quer como se fosse ela a fazer. Quer mostrar que mesmo sendo ajudada, foi ela que se responsabilizou e assegurou que tudo correu bem.

    Enfim, acho que são coisas que estão a mudar gradualmente. Passou-se de nenhuma ajuda, para ajuda. Agora está-se a passar de ajuda para partilha. E são os homens e as mulheres que têm de saber operar esta mudança da melhor forma e de forma a que todos se sintam bem - não só os homens.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Partilho a tua opinião. Não se trata de ajuda. São tarefas do casal. Tão simples quanto isso. Que podem ser repartidas ou alternadas, consoante cada casal. Acho que as mulheres não fazem por mal mas dão quase sempre a entender que eles fazem tudo mal.

      Eliminar
  3. Não consegui segurar o riso, mas tens razão.
    Às vezes (mas só às vezes) as mulheres assumem o papel de ASAE lá em casa. Mas também é verdade, que muitos homens só sabem onde fica a cozinha quando é preciso ir buscar um copo de água ou quando sentem fome. Neste último caso fazer a pergunta “Lavaste os tomates antes de os cortares” a um homem (que raramente põe o pés numa cozinha) pode-se revelar bastante perturbador para o mesmo.:-)

    Nina
    momentosemcapsulas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão em tudo. Na Asae e nos motivos pelos quais alguns homens conhecem a cozinha. Mas a verdade é que os homens sabem muito mais do que aparentam. A maior parte deles são é preguiçosos :)

      Eliminar
    2. Preguiçosos sim.
      Cá em casa quando o chamo á atenção e ele responde-me: eu ia fazer isso!
      Passo-me da marmita!

      Eliminar
  4. Guilty... mas com motivos! Este é um assunto que dá pano para mangas...
    Vivo com o meu marido "praí" há uns 8 anos e o rapaz ainda não aprendeu a desdobrar as mangas e desabotoar os botões do colarinho das camisas. Já ameacei (mas não cumpri) que não lhe lavava as camisas que não cumprissem; já pedi com jeitinho; já refilei; já tudo - e nada! E este é apenas um exemplo.
    (Mas por acaso, aqui que ninguém nos lê!, não tenho muita razão de queixa e sim, neste aspeto, tenho péssimo feitio)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que muitas mulheres são como tu neste domínio :) Tal como muitos homens são iguais ao teu marido :)

      Eliminar
  5. É aquela tendência de querermos controlar as coisas...por acaso tenho a dizer que tenho um "perguiças" lá por casa, mas quando é para fazer faz! E em termos de tarefas domésticas eu sou bem mais descontraída do que ele, pelo menos no que diz respeito a horários....se não ficou tão bem á primeira sou capaz de dizer algo mas sem ser no tom de correção e concerteza a proxima vez ficará melhor :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que os homens são todos assim. Quando é para fazer, é bem feito :)

      Eliminar
  6. Ahahahahah!
    Gostei e é verdade o que escreves, da expressão "lavaste os tomates antes de os cortares?".
    Neijinho

    ResponderEliminar
  7. Nestes anos todos de vivência em comum "ensinei" o homem que ele não 'ajuda'. Nós vivemos na mesma casa, sujamos os 2, limpamos os 2. A minha tolerância é somente nas tarefas que ele abomina (lavar o wc e fazer comer, por exemplo) de resto fazemos tudo em comum. Ao princípio tinha a mania de ser a ASAE cá de casa (como li aí num comentário) mas depressa me apercebi se quero que ele faça as coisas não posso fiscalizar e multar tudo o que é feito, mas sim, devagar e com bons modos tentar que ele faça algumas coisas da forma que considero correcta como, sacudir a roupa antes de a estender eheheh. Só tenho a dizer bem dele neste aspecto de partilha de tarefas domésticas. Até quando trabalho ao sábado todo o dia, ele é que faz a faxina sozinho (sim, sim, quando chego a maldita da casa de banho ainda está à minha espera) :)))

    ResponderEliminar