14.8.14

as vírgulas fazem toda a diferença

A pontuação, nomeadamente as vírgulas, alteram por completo aquilo que pretendemos dizer. Isto, quando escrevemos. Quando falamos é algo que se nota nas pausas que fazemos durante a frase. Por exemplo, ontem um divertido concorrente do Preço Certo tinha, como é habitual nos concorrentes, algumas ofertas para o apresentador, Fernando Mendes. E como é hábito, explicou o que tinha para dar e de onde vinham os artigos.

O homem em questão tinha, entre outras coisas, queijos para oferecer. E lá explicou de onde vinham. “Estes queijos são das cabras da junta de freguesia”, foi o que disse e a forma como escrevi reproduz na perfeição a forma como falou. Risada geral. Com Fernando Mendes a perguntar se o homem não queria fazer umas pausas no discurso. Para todas as pessoas, eu incluído, aqueles queijos eram uma oferta das funcionárias da junta de freguesia, que sendo umas cabras, até tinham um bom coração e tinham oferecido os respectivos queijos. Mais uma vez, é a dirty mind a dar sinais de vida pois este cenário seria pouco provável.

Depois das gargalhadas no estúdio, lá veio a explicação. Eram queijos de cabra, de animais que pertencem à junta de freguesia, que por sua vez, comercializa o queijo produzido. E este é apenas um dos muitos (divertidos) exemplos em que uma vírgula faz toda a diferença. “Quero um café Camelo” é completamente diferente de “quero um café, camelo”. A vírgula diferencia a marca do café da ofensa ao funcionário. Tal como no talho. “Queria quatro bifes”, diz o cliente. “Quer vaca ó porco”, responde o funcionário (a escrita reproduz a forma como se fala em alguns sítios). Mais uma vez, a vírgula faz toda a diferente entre os bifes que se pretendem e a ofensa ao cliente. E podia passar o dia nisto.

38 comentários:

  1. Tenho um amigo que passa a vida a fazer trocadilhos com as vírgulas...
    Passa-me o leite magro...
    Dá-me porco preto...
    Enfim, incorrigível.
    :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazia muito isso na faculdade. Agora é piadas com nomes ;p

      Eliminar
  2. “Se o homem percebesse o valor que tem a mulher andaria de quatro à sua procura”.
    Onde é que a vírgula faz a diferença?

    Nina
    http://momentosemcapsulas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é que queres que tenha valor e quem é que desejas que ande de quatro? ;)

      Eliminar
    2. Isto de responder com perguntas tem muito que se lhe diga ;)
      Estás safo desta! :)

      Eliminar
  3. E pronto, já me ri à gargalhada com as cabras da junta de freguesia e muito obrigada por isso!

    ResponderEliminar
  4. Uma vez ouvi a Rita Ferro dizer que a melhor piada ainda é a "tarte na cara". De facto, também acho que quedas (inofensivas) ou trocadilhos como esses são intemporais! E acho que são alguns dos ingredientes chave desse fenómeno que é o o Preço Certo e o Fernando Mendes. Cá em casa, os avós são viciados e eu adoro saber que, durante aquela hora, se abstraem dos seus problemas e dão gargalhadas como em poucas outras situações!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes programas e o humor em geral têm esse poder. Durante aquele tempo ninguém se lembra dos problemas. E isso é muito bom.

      Eliminar
  5. Quantas mensagens escritas, recebidas no meu telemóvel,já passaram a chamadas telefónicas, feitas por mim, porque por mais que leia e e volte a ler, existem vírgulas e pontos de interrogação que fazem toda a diferença. E já aprendi que responder a essas mensagens, a pedir que me expliquem o que quiseram dizer, ainda é pior! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, essa opção acaba por ser sempre a pior ;)

      Eliminar
  6. É bem verdade. Escrever a falar correctamente faz toda a diferença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A prova de que um pequeno detalhe faz toda a diferença :)

      Eliminar
  7. É isso e chegar-se ao talho e perguntar ao empregado se tem pés /orelhas ou rabo de porco...:-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem tantas que se podem fazer :)

      Eliminar
    2. Humm essa não fez sentido nenhum, não há nenhuma vírgula necessária...

      Eliminar
  8. Tens razão! Uma vírgula ou duas fazem a diferença!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na maior parte dos casos fazem a diferença.

      Abraço

      Eliminar
  9. Mas então onde querias colocar a vírgula na frase das cabras? Sendo complementos determinativos nunca poderias colocar vírgulas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes queijos, de cabra, são da junta de freguesia.

      Poderemos, portanto, admitir que, na expressão «Estes queijos, de cabra, são da junta de freguesia", a vírgula foi intencional e resultou do desejo de pôr em evidência que os referidos queijos são de cabra. As regras de pontuação não são tão rígidas como as regras ortográficas.

      Este último capítulo não é meu mas espero que tenha ajudado a explicar.

      Eliminar
    2. Desculpa mas assim não se trata apenas de pôr vírgulas mas sim de trocar a ordem das palavras. Sendo a frase original "Estes queijos são das cabras da junta de freguesia" não é ausência de vírgulas que faz o trocadilho mas sim a ordem das palavras. Poderia simplesmente dizer-se e escrever-se "Estes queijos de cabra são da junta de freguesia" sem qualquer vírgula. Entendo a ideia da importância das vírgulas mas não acho de todo que este tenha sido o melhor exemplo.

      Eliminar
    3. Por acaso é daquelas frases com segundos sentidos possíveis e, normalmente, mais engraçados do que aquele que se previu, mas cuja vírgula (ou vírgulas) são, ainda assim, dispensáveis. Penso eu de que...

      Eliminar
    4. @Tété, como está explicado, colocar de cabra entre vírgulas evidencia que os queijos são de cabra.

      Eliminar
  10. Não me leve a mal, mas o seu texto carece de milhares de vírgulas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que não levo a mal. Agora pergunto-te: e qual é o problema disso?

      Uma coisa é eu escrever propositadamente sem vírgulas. Não tenho de explicar isto mas prefiro frases curtas. É uma questão de estilo que adoptei desde o início no blogue. Não ter vírgulas não é um erro de escrita. Aliás, existem vários exemplos de autores que escrevem sem qualquer pontuação. Como referi, é uma questão de estilo que, entre outras coisas, serve para que o texto seja lido do modo que o autor do mesmo, neste caso, eu, deseja.

      Por isso, não percebo a comparação. E, não me leves a mal, acho que não tem razão de existir.

      Eliminar
    2. E desafio-te a encontrar, num texto meu, falta de vírgulas (são poucas mas existem) que deixem no ar uma confusão como a que foi protagonizada pelo senhor. Que, volto a dizer, é simplesmente algo que faz a diferença nas pessoas que estão a ler uma frase ou a ouvir alguém falar sem pausas.

      Eliminar
    3. Exactamente por não haver problema é que comecei por me desculpar. Muito há quem escreva assim, acontece que as regras gramaticais e de pontuação são isso mesmo: regras. Existem para ser cumpridas, sob pena de não nos entendermos ou cairmos em mal-entendidos. Por outro lado, hoje, mais do que nunca, as pessoas são permanentemente classificadas pela forma como escrevem. À custa da liberdade literária, já é comum o envio de CVs com erros ortográficos e de pontuação, que são "só" a primeira impressão que se deixa num local ao qual se propõe trabalhar.

      Não sei se tenho tempo para ler o teu blog todo à caça de falta de vírgulas que mudem o sentido ao texto, só para poder confirmar a minha teoria :)

      De qualquer maneira, o exemplo que relataste aconteceu num diálogo falado, em que, se não se utiliza a entoação, a falta da vírgula no local certo, dá confusão.

      Mas faltam-te muitas vírgulas. E aspas em "Preço Certo".

      Eliminar
    4. Ainda bem que certos escritores que não usam pontuação ou que brincam com ela nunca tiveram de enviar um cv. Marcaram a literatura mas estavam tramados que ainda pensavam que não sabiam escrever.

      Também poderia colocar preço certo em itálico mas isto não é apenas um blogue pessoal onde as regras são minhas. Mais ninguém manda aqui. As regras que me querem impor sigo onde não tenho outra oportunidade.

      Eliminar

  11. 1.
    "E como é hábito, explicou o que tinha para dar e de onde vinham os artigos.":

    E como é hábito explicou o que tinha para dar e de onde vinham os artigos.

    ou

    E, como é hábito, explicou o que tinha para dar e de onde vinham os artigos.

    2.
    "Eram queijos de cabra, de animais que pertencem à junta de freguesia, que por sua vez, comercializa o queijo produzido"

    Eram queijos de cabra, de animais que pertencem à junta de freguesia, que, por sua vez, comercializa o queijo produzido.

    ou

    Eram queijos de cabra, de animais que pertencem à junta de freguesia, que por sua vez comercializa o queijo produzido.







    ResponderEliminar
  12. Demais!
    Quanto à falta de algumas vírgulas, e no teu caso, nunca senti dificuldade na leitura dos teus posts.
    Alguns peritos nestas questões do funcionamento da língua, neste caso do teu post, a vírgula, dizem que quando se tem dúvidas, devemos escrever frases mais curtas e usar um ponto final.
    Isto fez-me vir ao pensamento uma mensagem que uso quando a Lua está em quarto crescente, e que é: " às vezes, a Lua tem forma de vírgula, para mostrar que nem no infinito o carinho e a amizade têm um ponto final."

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha escrita profissional uso mais vírgulas do que aqui. Aqui, prefiro frases curtas. O pior é que muitas pessoas pensam que sabem tudo quando nada sabem.

      beijos

      Eliminar
  13. Ahahahah...por acaso tinha a tv ligada e ouvi isso. Na altura percebi logo o que o homem queria dizer, mas também me comecei a rir, porque parecia outra coisa. ;)
    beiijinho

    ResponderEliminar
  14. Eu acho que às vezes até exagero nas vírgulas :P
    Acho que já é hábito...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe quem adore frases longas e há quem escreva livro sem qualquer pontuação. São estilos e ou se gosta ou não :)

      Eliminar