POWr Multi Slider

14.8.14

a vantagem em ser homem está na cabeça

Uma das vantagens em ser homem está na cabeça. Mais especificamente no cabelo. E nos diferentes cortes que se possam escolher. A relação de um homem com o seu cabelo não é forte como a que elas constroem com os seus cabelos. Para já, um homem consegue usar o mesmo corte de cabelo durante anos sem que pense que está fora de moda. Além disso, quando se quer inovar e a coisa corre mal, existe uma solução simples. Cortar o resto do cabelo e esperar que cresça. Sem dramas!

Com elas, tudo é diferente. A relação com o cabelo é quase umbilical. O que faz com que algo tão simples como “cortar as pontas” consiga ser uma das tarefas mais dolorosas do mundo que tem força suficiente para alterar radicalmente a configuração de um penteado. Além disso, a ideia que tenho, enquanto homem, é que os cortes das mulheres conseguem ficar desactualizados à velocidade da luz. E, quando a ida ao cabeleireiro corre mal, é um drama sem fim.

Numa das últimas vezes que fui cortar o cabelo partilhei o espaço com uma adolescente que tinha decidido mudar o corte de cabelo. Explicou detalhadamente o que pretendia e assim foi. Até que chegou o momento de tirar a toalha da cabeça e ver o resultado final. O que aconteceu? Lágrimas. Lamentos. Lágrimas. E mais lamentos. E ainda mais lágrimas e alguns gritos. “Meu Deus!!!!! Estou tão mal. Pareço a não sei quantas (acredito que fosse uma amiga) e não quero nada disto. Está horroroso”, soluçava entre as lágrimas. Enquanto a mulher que lhe tinha feito o corte, dizia, meio a medo: “fiz aquilo que me foi pedido”.

Lendo os desabafos da jovem, cria-se a ideia de que foi um corte radical. Como só presenciei o final, não posso dizer se foi ou não. Mas, para ter sido, a rapariga tinha de ter os cabelos até aos joelhos pois continuava com o cabelo bastante comprido e estava com um corte que lhe ficava muito bem. A única coisa que não lhe ficava bem eram as lágrimas a escorrer pelo rosto. Acho piada à forma como as mulheres se relacionam com os cabelos mas acho que nunca conseguirei perceber como é possível que uma relação com cabelos seja tão intensa que resulte num momento como aquele a que assisti.

26 comentários:

  1. Neste capítulo sou capaz de ter a minha veia de "gaijo" mais apurada e... mesmo quando, por vezes, experimento alguns tipos de corte de cabelo que não me ficam bem (já sucedeu, algumas vezes) não é nenhum drama. O cabelo volta a crescer!
    Mas sim, sei que existem mulheres que fazem disso uma tragédia grega em vários actos.
    Esta rapariga deve ter associado a juventude, quem sabe alguma insegurança e... deu no que deu.
    Mulheres!
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As mulheres têm uma relação muito especial com o cabelo. Neste caso trata-se de uma adolescente e é necessário dar o desconto por isso mas quem assistisse ao mesmo que eu pensava que o mundo ia acabar ;)

      Eliminar
  2. Bom dia Bruninho! Que engraçado:) tenho este tema aqui na minha cabecinha em espera para falar sobre ele. Eu também não entendo. Já fiquei quase careca em duas ocasiões na minha vida. Numa delas tinha 21/ 22 anos após uma profunda depressão (o porquê agora não interessa nada)e na sequência de tratamentos o meu corpo começou a ceder. Tinha os cabelos longuíssimos encaracolados e negros e eles começaram a cair deixando-me peladas no couro cabeludo.
    Cansada de ver madeixas na almofada um dia levantei-me fui à minha cabeleireira e rapei o cabelo...o resto da minha vida começou nesse momento! Chorei, não pelo cabelo, mas por perceber as marcas que a doença me estava a deixar, chorei de raiva determinada a não me deixar vencer. Sim, o cabelo é a nossa muldura, mas daí a chorar por causa de um corte de cabelo....Além disso se muitas mulheres soubessem a figurinha triste que fazem com os cabelos maltratados, longos? sim, mas partidos, espigados, mal lavados, sem brilho, sem corte, nem graça, então antes curtos, mas bem cortados, brilhantes, com as pontas fortes. Curtos ou compridos?! É-me indiferente, desde que saudáveis.
    Estarmos vivas para os pentear é bem mais importante:)

    Jinhoooooosssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nesses casos acho que o cabelo tem um grande valor. Presenciei isso com a minha mãe e com a forma como falava em ficar sem cabelo. Tanto que me ofereci para ter o mesmo visual do que ela durante o mesmo tempo do que ela.

      O cabeço cresce, o que importa é a saúde.

      beijos

      Eliminar
  3. Eu cá para mim acho que presenciaste mais a uma crise existencial típica de adolescente :) :) :)...Mas sim, nós temos uma relação especial com o nosso cabelo! è imagem de marca como se costuma dizer. a minha cabeleireira é um terror, porque como diz que tenho um cabelo muito bom gosta de fazer se meter a fazer mil e uma inovações...e claro que eu meto o travão :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem de existir o desconto de ser uma jovem mas tirando o dramatismo levado ao extremo, já assisti a diversos momentos semelhantes :)

      Eliminar
  4. Era uma adolescente...ta tudo dito!!!

    ResponderEliminar
  5. Certo, até a um certo ponto. Dois exemplos: Jorge Jesus (este mais no gozo) ou os implantes (este mais a sério).

    Muitos homens lidam bem com o cabelo excepto quando o mesmo começa a faltar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem observado. Pessoalmente, confesso que me faz alguma confusão aqueles homens que têm meia dúzia de cabelos mas que os deixam crescer imenso de forma a que tape a cabeça o mais possível. Quando digo que me faz confusão é no sentido de não perceber porque não assumem que têm pouco cabelo, cortando o mesmo. Mas cada qual saberá responder a isso. E tenho notado que cada vez mais se encontram homens novos sem cabelo.

      Eliminar
    2. Extendendo um pouco o assunto, eu que tenho 35 anos e calvície tipo 5A a 6 (favor procurar no Google), nunca me passou pela cabeça rapar o cabelo mas o que mais se vê por aí são homens, da minha idade, com COMEÇO de perca de cabelo e rapam logo tudo.

      Cabelo curto, sim (até porque o meu tem tendência a "armar" e pareço um microfone que foi à tosquia), mas esconder algo que é perfeitamente natural (como são os cabelos brancos, por exemplo) parece-me que demonstrará, em alguns casos, a tal insegurança com a imagem que é normalmente apenas atribuída às mulheres.

      Já agora e para os "leitores" que sofrem ou começam a sofrer de queda de cabelo, alegrem-se. A queda prematura de cabelo prende-se com teores acima do normal de testosterona: se são carecas é só sinal que são mais "machos" ;)

      Eliminar
    3. Fui à procura da imagem para perceber melhor. Tens razão quando falar da segurança. Não sou careca nem calvo mas tenho o outro assunto de que falas. Cada vez mais cabelos brancos. E várias pessoas gostam de destacar isso parecendo que tenho a pior das doenças. São apenas cabelos brancos.

      Obrigado pela explicação :)

      Eliminar
  6. Ora, só para esclarecer: O cabelo emoldura o rosto!
    Se detestamos tudo que possa modificar para pior o nosso rosto, por exemplo: borbulhas, pontos negros, ou pelos estranhos, o cabelo passa obrigatóriamente por essas mesmas regras.
    E depois às vezes idealizamos uma imagem nossa com um determinado corte e depois quando ele se concretiza nem sempre está de acordo com o que imaginamos, e aí é o drama, o horror... é uma verdadeira machadada no nosso ego!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo tudo isso mas a realidade é que o cabelo está assim. Depois, existem acessórios que podem mudar o visual para algo que se deseje. É por isso que não compreendo o drama. Mas gostei muito da tua explicação.

      Eliminar
    2. Mas o choque da machadada é muito doloroso ;)

      Eliminar
  7. É verdade. No fundo, acreditamos que somos uma espécie de Sansão e que todo o nosso poder vem dos cabelos. ;)

    ResponderEliminar
  8. Na adolescência, a relação que as miúdas têm com o aspeto físico é a mais forte de todas as relações. Com a idade, e aumento da maturidade, essa relação acaba por esfriar ( em muitos casos). Quando a maturidade e a autoestima não crescem com a idade, essa relação com o aspeto físico poder-se-á tornar de longa duração (até ao 60 anos ou mais).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No caso desta rapariga, a miúda estava linda. O corte ficava bem. Só as lágrimas é que estavam a mais. E por mais que lhe dissessem que estava bem, parecia que o mundo ia desmoronar-se nos seus ombros.

      Eliminar
  9. Felizmente, eu uso o meu cabelo como um "passatempo" ou como um "saco de boxe". Gosto de o tratar bem e ter todos os cuidados com ele, tal como, num dia menos bom, agarro num tesoura (própria para o efeito) e dou-lhe uma tesourada! Até parece que o dia nasceu de novo, com mais 24 horas para mudar tudo o que me tirou a paz :D (ainda há uma semana se foram "4 dedos" de comprido). Eu dois momentos da minha vida cortei o cabelo numa proporção de desde o meio das costas até 3cm de cabelo, que até a cabeleireira me perguntou umas 3x se eu tinha a certeza do que estava a fazer :D não me apoquenta cortá-lo e nem que cortem mais do que o que pedi. Como dizes, é algo que volta a crescer, stressar para quê? Nota-se que essa miúda do cabeleireiro ainda não teve razões sérias para chorar, felizmente ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizem, e és a prova disso, que esse tipo de coisas, que passam por cuidar/mudar do/o visual fazem muito bem num dia menos bom :)

      Eliminar
  10. Tenho que te dar razão... Geralmente, os homens são mais práticos com os cabelos.
    Há uns tempos, pedi à cabeleireira para me cortar o cabelo de forma diferente do habitual. Não fiquei muito convencida com o resultado, no salão, mas voltei para casa com a esperança de estar apenas em fase de adaptação. Olhei-me ao espelho imensas vezes, foram vários os ângulos estudados, os ganchos experimentados e ... não, eu não me identificava nada com aquele corte (não vou explicar, não tem interesse).
    Mesmo à cliente chata, voltei a entrar no salão cerca de uma hora após ter saído, pedindo à cabeleireira um corte um pouco mais radical que o anterior! Resolvi cortar o cabelo mais ou menos pela altura dos ombros e agora adoro o novo corte! Há males que vêm por bem! :)
    E depois há males como este comentário, que são simplesmente uma seca! Desculpa lá, entusiasmei-me! xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual mal qual quê! Adorei o comentário. Os homens acabam por ser mais práticos nisto.

      Eliminar
  11. Nós, homens, somos sem dúvida mais práticos com o cabelo. Eu uso o mesmo corte há vários anos. Mas a verdade é que sou um bocado "vaidoso" com o cabelo, gosto de o ter à minha maneira e odeio que me despenteiem.

    Quanto às mulheres... Achei piada aos comentários aqui expostos, que falam da crise da adolescência. Conheço algumas mulheres, bem adultas, dentro das nossas faixas etárias (20 e muitos, 30 e poucos), que são exactamente assim :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu detesto que me mexam no cabelo. É das coisas que mais detesto.

      Eliminar