23.7.14

já não existem histórias de amor como esta

No dia em que celebro onze anos de namoro os meus pais festejam 43 anos de casamento. Se a este tempo somar os três anos de namoro são 46 anos de vida a dois. E passados estes anos, parecem dois putos que começaram a namorar ontem. Ainda hoje, quando andam na rua vão de mãos dadas. Tal e qual como dois adolescentes. Para mim, e não digo isto por serem os meus pais, trata-se de uma relação que é um exemplo.

A história de amor dos meus pais sobreviveu a muitas coisas. Sobretudo à distância motivada pela guerra. Algo que durou bem mais de um ano, o tempo que o meu pai esteve a cumprir serviço militar, tendo tido a sua vida em perigo em algumas situações. Além disso, são duas pessoas com origens simples que lutaram muito para estar onde estão hoje. Não tinham casa quando casaram, para dar apenas um exemplo. Mas o amor nunca foi colocado em causa. Por maior que fosse o problema.

Por isso é que vejo nos meus pais um exemplo, até na forma como se amam. Hoje em dia ninguém tem paciência para ninguém. Ao mínimo problema cada qual segue a sua vida. Cada qual segue o seu caminho que ninguém está para aturar ninguém. Hoje em dia as relações são como as fraldas. Assim que estão um pouco sujas vão logo para o lixo. Depois arranja-se outra fralda. É o amor descartável. É por isto que já não existem histórias de amor como esta. Infelizmente.

24 comentários:

  1. É verdade, é mesmo assim... tudo descartável e que não dê muito trabalho, de preferência, não se cultiva o "gosto de gostar", o mimar, o preservar, o apostar em...
    Mais um post soberbo e parabéns aos teus pais!!! Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, é o que temos.

      Obrigado pelas palavras e pelos parabéns.

      beijos

      Eliminar
  2. Tão queridos! Ainda bem que existem casos destes. Os meus pais festejam o 43º aniversário a 26 de setembro! E nós vamos a caminho dos 11 anos. (que giro!)
    Muitas felicidades para eles e para vocês é o que desejo!
    beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto destas coincidências :)

      Parabéns a vocês e aos teus pais.

      beijos

      Eliminar
  3. Sem dúvida; e o pior, é quando apenas um a vê suja, descarta-se dela, mas afinal ela estava limpa, e é devastador.
    É triste o que se passa hoje em dia, mas inspiradores exemplos como esse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é muito mau e às vezes coloca-se um ponto final numa história que tinha tanto para oferecer.

      Eliminar
  4. Realmente já não há histórias de amor como havia antigamente.
    A facilidade com que se abandonam relações hoje em dia mete-me confusão, mas estamos na era descartável, usa e deita fora, há sempre coisas, modelos e até pessoas novas para usarmos e conhecermos.
    Parabéns aos teus pais e a vocês, que sejam felizes por muitos e bons anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se é porque as pessoas deixam de acreditar no amor. Mas imagino um futuro em que uma relação de dez anos vai ser algo pouco comum e o equivalente a relações como eram as dos nossos pais.

      Obrigado.

      Eliminar
  5. Quero acreditar que ainda existem algumas - mesmo que poucas! - relações assim. Mas tenho que concordar contigo em parte, muitas pessoas não estão para "ter chatices", para "aturar" determinadas coisas... o que dá trabalho não interessa, se não está 100% bem mais vale partir para outra do que fazer por resolver o que está menos bem... Mas como disse, quero acreditar que ainda há relações assim, bonitas, duradouras, exemplos de vida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca irei deixar de acreditar no amor. Até posso ser o único mas para mim nunca será descartável. E espero que também acredites sempre.

      Eliminar
  6. Gostei da comparação com as fraldas...mas de facto é assim...acho que hoje não existe o dom do perdão!!!à primeira chatice...cada um vai para o seu lado...já para não falar da falta de projetos a dois...vive-se o dia a dia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente a comparação é muito real. As pessoas não têm paciência para nada.

      Eliminar
  7. Quando vejo um casal de idade média e/ou madura, de mãos dadas acho o gesto de uma ternura (sempre adorei mãos dadas) e fico com tamanha felicidade, como se fosse eu ali, de mão dada com o meu amor.
    Quanto a ninguém ter paciência para ninguém e as relações serem descartáveis, lamento muito que as gerações mudassem tanto.
    Parabéns pelos pais que tens.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro ver os meus pais de mãos dadas. É uma das coisas que me enche de orgulho.

      Pode ser que isto ainda dê uma volta.

      Obrigado.

      beijos

      Eliminar
    2. Olá.
      Tenho reparado que os meus comentários feitos pelo meu blog, do blogger, não são publicados.
      Acabei de o confirmar, através de e-mail , com uma amiga, que entretanto me telefonou a dizer que não os recebe.
      Fiz um ao teu post "because I', happy" e verifiquei que não foi publicado, aliás, como outros mais antigos.
      Não sei o que se passa com o blogger.
      Por sorte, fiz o comentário anterios pelo blog do Sapo, o que me fez perceber que há coisa errada no google.
      Então, passo a comentar via sapo.
      Um abraço.

      Eliminar
    3. Acontece o mesmo comigo. Não recebo os teus comentários. Fui ver a pasta spam e não tinha nada teu lá. Fica resolvido com o sapo.

      beijos

      Eliminar
  8. Um mar de dramas, muito egoísmo, famílias desfeitas, sonhos por terra e crianças com duas casas e fins de semana itinerantes :(

    ResponderEliminar
  9. Uma verdade, infelizmente ..a das "fraldas descartáveis". Mas por tu teres tido e visto o exemplo dos teus pais (com tudo o que te transmitiram) é que possivelmente vives e sentes as coisas dessa forma. Aquilo que vivenciamos com os nossos pais é fundamentel...claro que depois temos sempre uma palavra e uma história nossa a escrever, mas é mais difícil "viver" "boas" histórias, quando assistimos a "disfuncionalidades" no nosso seio familiar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que as histórias que nos rodeiam influenciam a forma como vemos o amor. Já tive os meus momentos de descrença em que queria amar e não tinha ninguém mas nunca deixei de acreditar por completo. Nem quando vivi histórias menos positivas com traições ou ameaças de colocar um ponto final na vida.

      Eliminar
  10. Também olho para o amor dos meus pais como um exemplo. Estao juntos ha 18 anos mas quando estao juntos (se ha 40 anos a distancia era por causa da guerra, nos tempos que correm é a emigraçao laboral) continuam a parecer dois adolesxentes apaixonados. Chega a ser constrangedor ahah (estou a brincar)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão bom ver casais mais velhos apaixonados e a fazerem coisas que os mais novos parecem ter vergonha de fazer.

      Eliminar
  11. As relações actualmente estão inseridas no estilo de vida em que vivemos...o de resultados imediatos e satisfatórios. Somos assim com tudo! Já não reparamos, compramos novo. Por vezes, existe ainda tanto para oferecer e nós nem nos apercebemos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É pena que assim seja Rita. É mesmo uma pena...

      Eliminar