POWr Multi Slider

12.6.14

o meu coração está convosco

Não aprecio sardinhas. Prefiro carapaus. Gosto dos Santos Populares. Mas raramente lá vou. Porém, nesta altura sinto sempre o mesmo. Sinto sempre que Alfama também é minha. Sinto-me um filho adoptado daquele que é um dos bairros mais típicos de Lisboa. E digo isto sem nunca lá ter vivido. O que pode soar a estranho. Mas existe uma explicação para isto.

Os meus pais foram, antes da criação da empresa que hoje têm, ajudantes de despachante durante largos anos. Trabalharam em escritórios diferentes, chegaram a trabalhar no mesmo e até eu cheguei a ajudar os meus pais quando tinha férias escolares aproveitando o valor que os patrões me davam para abrir a minha primeira conta bancária. E os escritórios eram em Alfama. O que fazia daquele bairro uma espécie de segunda casa para mim.

Perdi a conta ao número de vezes que estive em ambos os escritórios. Os momentos em que ficava sentado a admirar o trabalho dos meus pais e a forma como faziam as coisas. Os desenhos que fazia. As brincadeiras. As brincadeiras com os colegas de ambos. As vezes em que me pediam para contar anedotas. Os jogos de sueca depois de almoço. As idas à alfândega E muito mais do isto.

Ao passar muito tempo em Alfama, comecei as conhecer as ruas. Os cheiros característicos que não se explicam, tal como o ar que ali se respira. As pessoas. Umas mais castiças do que outras. As lojas. O chafariz de El-Rei. Os tascos. Os bons restaurantes. As casas de fado. A Baiuca. O café do Pezudo onde fui muitas vezes com o meu pai. A pastelaria mesmo ao lado onde ia com a minha mãe. Os restaurantes escondidos e "adaptados" nos becos onde António Costa almoça ocasionalmente. O banco que passou a ser uma loja do chinês. E tantas outras coisas.

Tudo isto faz com que sinta aquelas ruas como sendo minhas. Foram anos a fio a passear por ali e num passado mais ou menos recente ainda almoçava lá com frequência. Por isso, neste dia o meu coração está sempre com as pessoas de Alfama. E mesmo não estando muito atento ao que por lá se passa, fico sempre feliz quando sei que a Marcha de Alfama foi a que mais se destacou. Há quem diga que não devemos voltar a um local onde já fomos felizes. Alfama prova-me, vezes sem conta, que isso não faz qualquer sentido. Porque fica sempre a vontade de voltar. Com ou sem Santos Populares.

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Ontem tinha coisas para tratar e era mesmo impossível.

      beijos

      Eliminar
  2. Devemos voltar sim, nem que seja para relembrar... Sem saudosismos "baratos", só para continuarmos a saber quem somos!

    ResponderEliminar
  3. Bruno olá, deixei-te faz algumas semanas um mail para o e-mail do blog, mas não sei se não chegou até ti ou se foi a tua resposta que não chegou até mim, portanto deixo aqui o mail que te enviei, na esperança que me respondas, obrigada. "Olá Bruno, sigo-te no blog há já algum tempo, por isso sei que vives na Margem Sul, eu mudei-me recentemente para a margem sul, mais propriamente para perto da Marialva, Santa Marta. Tenho um cão, e como sei que também tiveste um em tempos, gostava que me aconselhasses lugares, tipo barragens, margens do rio, ou espaços assim abertos, na margem sul, onde pudesse passear e fazer o meu cão mais feliz. O que queria mesmo agora com este calor, eram sítios onde ele pudesse nadar à vontade, pois na praia é sempre uma chatice, pois nem toda a gente gosta. Eu já conheço a praia da velha e a ponta dos corvos. Agradecia muito que me respondesses, ias fazer um cão e os seus donos muito felizes :-). Parabéns pelo blog, gosto muito e venho cá diariamente. Beijinhos, Nádia."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nádia,

      Não recebi nenhum email teu. Fui procurar e não encontrei.

      Aconselho-te a ires à "praia" perto do terminal dos barcos do Seixal. Podes parar o carro perto do campo de areia do Seixal e tens aí uma boa zona com muita areia para ele correr e com água. Aquilo não é uma praia e algumas pessoas vão lá passear os animais. Era um dos locais onde mais gostava de ir com o meu. É bom porque tem espaço para que ele corra e também tens água.

      Se quiseres mais locais diz-me.

      Obrigado

      beijos :)

      Eliminar
  4. Ok, obrigada pela sugestão, se tiveres mais, todas elas são bem vindas. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também te recomendo a fonte da telha. Desces, viras para a direita e vais até onde o carro te deixa ir. Aí também encontras muitas pessoas com cães e não há stress.

      Eliminar
  5. Já passei o Santo António em Lisboa por 3 vezes. Uma delas não me lembro, porque era muito pequeno. A segunda lembro-me mais ou menos, estive a ver as Marchas na Avenida. Da terceira é que me lembro melhor, era adolescente e andei pelos bairros típicos, para os lados do Castelo de S. Jorge. Gostei bastante, mas continuo a ser mais pelo S. João :P

    ResponderEliminar