30.6.14

não mandamos na nossa hora

Num dia estava a jogar futebol numa aula de educação física. Era a minha vez de ir à baliza e tinha um boné na cabeça, com a pala para trás. Um amigo meu fez um remate com muita força que acertou em cheio da barra. A baliza, em péssimas condições, caiu. Encolhi-me e um dos postes tirou-me o boné da cabeça, ficando a milímetros de acertar na própria cabeça.

Quando soube do trágico acidente que vitimou o filho de Judite Sousa, recordei mentalmente este e outros episódios. Estava numa mesa com mais cinco pessoas que recordaram histórias semelhantes a esta. Agora, acabo de saber da morte de um homem que conhecia. E não tenho dúvidas de que não mandamos na nossa hora.

Podemos viver com a ilusão, que não passa disso mesmo, que controlamos a nossa hora mas acredito que esse momento já está escrito há muito e quando chegar nada nem ninguém o pode impedir. Resta apenas a ilusão de que é controlado.

Quanto à dor que uma mãe sente quando perde um filho, não sou ninguém para falar disso. Porque vai muito além do meu pior pensamento. Por isso, resta-me enviar toda a minha força e amor a Judite Sousa, ao pai do André e a todas as Judites e pais que passam por algo que nenhum pai deveria passar.

Enviado do meu iPhone

11 comentários:

  1. Perder um filho é a maior dor do mundo...
    Embora não nutra nenhuma simpatia pela Judite, quando ouvi a notícia estremeci... A perda de um filho dói demais :/

    ResponderEliminar
  2. Como disse o Papa Francisco: "Ninguém morre na véspera!"

    Sou mãe, e não consigo conceber a dor de perder a minha filha... não posso imaginar o que o pai/mãe sente num momento destes.
    Só de pensar apenas, nessa possibilidade, dá-se-me um aperto tão grande no peito que me apetece ir a correr p'ra casa e não a largar mais só para garantir que não a perco... mas a vida não é assim, e como disseste e muito bem, a noção de controlo é apenas uma ilusão, o que tem de acontecer acontece, quando tem de acontecer..

    Beijinhos
    Z.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensar que controlamos a nossa vida é uma ilusão. Existem coisas que ajudam mas nunca estamos a controlar a vida.

      beijos

      Eliminar
  3. Não, não mandamos mesmo.
    É um momento de grande dor, de dor indescritível.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero mas duvido que ultrapasse o que está a sentir.

      Abraço

      Eliminar
  4. ...acho que cada vez mais o amanhã é muito incerto :( O importante é o valorizarmos o prsente e os momento que vivemos, sobretudo aqueles que nos trazem felicidade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por isso que nos devemos centrar apenas no que realmente importa.

      Eliminar
  5. Temos a liberdade de fazer as nossas escolhas, de optar pelo caminho que queremos tomar, mas quando chega a nossa hora, não há nada a fazer, ela já está mesmo pré-determinada.
    Já por várias vezes que por um pouco não perdi a vida, cm por exemplo por asneira de um condutor irresponsável, mas quando ainda não é a nossa hora, o destino não nos deixa partir...
    E sim, temos mesmo de nos focar no que realmente é importante e relativizar o que não é.

    ResponderEliminar