5.6.14

agora escrevo eu #31

Já dizia, e bem, o Miguel Esteves Cardoso que o amor é fodido. O amor, e aquilo que provoca a cada um de nós, origina os maiores picos de sentimentos que podemos viver. No topo, quando amamos e quando nos amam de volta. No fundo do poço, sem luz do Sol, quando sofremos por amor. Podem escrever-se duzentas linhas, a cada minuto, sobre amor que o tema nunca irá esgotar-se. E nunca existirá uma certeza sobre tudo. Mas que o amor é fodido, lá isso é.

“NADA AGORA!

Acho que já não me sinto, o meu corpo não me obedece, abandonou-me, deixou-me a desejar parar de me mover e pede-me a cada dia que desista e que acabe como tu, no lugar para onde te perdi!

Lutar foi o que fiz, o desejo de que houvesse um erro, de que fosses mais forte e que o nosso amor bastasse para empurrar o que te consumia, pareceu a opção certa.

Nunca te deixei sentir o anoitecer, nunca te abandonei, ofereci-te o que desejava para mim mesma, tive-te, tivemo-nos, com uma intensidade e velocidade que nos permitiu tocarmo-nos bem dentro, sermos um só e estarmos vivos enquanto a morte nos rondava a ambos.

Deixei que acordasses com o meu olhar vibrante, mesmo após tantas noites em claro onde te olhava e vigiava o sono inquieto. Percorri todos os pedaços do corpo que me enlouqueceu de amor e memorizei cada sinal, os músculos que fraquejavam, os cabelos que cheirava para te armazenar. Foram tantas as vezes que consegui estar dentro de ti, viajar para o lugar onde te perderia, tocar a tua alma e gritar em silêncio que se te perdesse não iria resistir...

Foi a caminhada mais difícil da minha vida, fi-la ao teu lado, liderei-a algumas vezes e recuei para que brilhasses durante o tempo que te restava.

Não sei de que forma me conseguirei reconstruir, se alguma vez voltarei a ter voz, ou a sorte de morrer de amor, de me deitar quieta e já não acordar. Não consigo sentir-me, estou tão vazia que me dói respirar. Os sons que me acompanhavam não existem mais, nem a música me envolve, agora apenas nada!”

22 comentários:

  1. Tão triste... Mas tão bem escrito. Célia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Célia. A perda certamente que será assustadora para quem ficar sem quem lhe mudou o Universo! Amor aos magotes é o que nos desejo a todos.

      Eliminar
  2. Tão bonito ...e ao mesmo tempo ...TÃO TRISTE! Até doeu ler...realmente a perda deve deixar esses vazio...espero nunca o sentir... :(
    VW

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom seria que ninguém tivesse que experienciar tão grande dor!!

      Eliminar
    2. Existem dores que ninguém deveria sentir.

      Eliminar
  3. A perda é uma dor mesmo horrível. Achamos ter perdido, juntamente, o controlo das nossas emoções, das dores no peito, dos pensamentos. Mas felizmente tudo passa, com certeza que tudo passa.
    É uma dor que espero nunca mais vir a sentir e muitas vezes por culpa dela tenho receio de amar como amo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que nos falta tudo mas não tenhas receio de amar.

      Eliminar
  4. Dolorosamente belo...o poder dilacerante das palavras faz-nos sentir a sua dor...Maria.
    E porque amo intensamente percebo-a bem, até à última letra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem ama sente este texto de forma intensa.

      Eliminar
    2. Obrigada, sentirem o que sinto quando permito que as palavras se apoderem de mim, deixa-me "dolorosamente" feliz!

      Eliminar
  5. Nada dói mais do que ver partir aqueles que amamos. Vai sempre um bom pedaço do nosso coração com eles.

    Mas o amor não morre, apenas a carne. Acredito que, quando é mesmo Amor, ele dura para além do que é físico, para além do que é o tempo que conhecemos.

    Amar assim não é fácil, corremos sérios riscos de que vá doer um dia, e muito! Mas vale a pena!
    Amar assim faz-nos vivos, e cada dia importa como se fosse o único!

    Não é facil o depois, quando perdemos alguém. Mas o Amor permanece, daí temos uma fonte para nos sustentarmos até nos reencontrarmos com quem partiu na frente!

    O destino é igual para todos, os caminhos até lá podem ser infinitos, mas todos lá chegaremos, a ordem é que pode variar!

    À autora do texto: senti a tua dor do lado de cá, e ficarei a enviar-te luz para que possa doer menos. Um abraço forte! E muita força, porque és uma Mulher muito forte!

    Bjs
    Z.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Independentemente da dimensão da dor, amar vale sempre tudo. Mais vale a dor do que nunca ter amado. Até porque haverá sempre dor. Isso é certo. Por isso, que seja com amor. E não me refiro a este caso mas falo na generalidade.

      beijos

      Eliminar
    2. Concordo!
      Mais vale sofrer por Amor, do que nunca o ter conhecido!

      bjs
      Z.

      Eliminar
  6. A perda é tudo isso e muito mais, Sue. Mas muito maior foi o amor que levou a esse sentimento. E a minha pena vai para os que nunca o sentiram...Só amando muito se pode sentir e escrever assim. Procure encontrar refúgio no amor que sentiu, que teve... Beijinho

    ResponderEliminar
  7. É triste, a perda...por outro lado as boas recordações que ficam ajudam um pouco.

    ResponderEliminar
  8. Só quem ama e amou entende este texto (relembrei um passado meu que, curiosamente, hoje falei dele).
    Sofrer por amor é bom. É uma dor constante, diferente de todas as outras dores.
    É um sofrimento que alimenta a alma.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem ama ou amou, entregando-se de corpo e alma sente cada uma destas letras.

      Eliminar