POWr Multi Slider

28.5.14

eu não quero pagar por aquilo que eu não fiz



“Eu não quero pagar por aquilo que eu não fiz. Não me fazem ver que a luta é pelo meu país. Eu não quero pagar depois de tudo o que dei. Não me fazem ver que fui eu que errei. Não fui eu que gastei, Mais do que era para mim, Não fui eu que tirei, Não fui eu que comi. Não fui eu que comprei. Não fui eu que escondi, Quando estavam a olhar, Não fui eu que fugi. Não é essa a razão, Para me querem moldar. Porque eu não me escolhi, Para a fila do pão. Este barco afundou, Houve alguém que o cegou, Não fui eu que não vi (...)”

“Aquilo que eu não fiz” é o nome do primeiro single do álbum “do princípio”, o mais recente trabalho de Tiago Bettencourt. A letra – transcrevi parte dela – é brutal e ao mesmo tempo dolorosa por se aplicar aos políticos e à realidade em que vivemos. Este tema deveria obrigatoriamente fazer parte das rotinas diárias dos políticos portugueses. Entravam no carro e a música começava a tocar. Chegavam aos seus gabinetes e a música começava a tocar. Iam ao ginásio e a música começava a tocar. Entravam nos restaurantes e a música começava a tocar. Quando se deitavam a música começava a tocar. Vezes sem conta. Sempre a tocar. Até a mensagem ser totalmente assimilada. Até perceberem cada uma das palavras. E, quando ligavam a televisão, viam sempre o vídeo, feito por portugueses que vivem em Portugal e por tantos outros espalhados pelo mundo.

Se existem palavras que explicam bem aquilo que sinto e a minha total descrença na classe política nacional (acredito em pouco mais do que António Costa e Rui Rio, homens que considero diferentes dos demais) são estas. Porque “eu não quero pagar por aquilo que eu não fiz”, “não fui eu que gastei mais do que era para mim”, “não fui eu que tirei, não fui eu que comi” e porque não quero nem deixo que me moldem consoante as suas necessidades.

Aproveitando esta música, aproveito também para falar sobre Tiago Bettencourt, artista de quem já falei aqui. Não compreendo – e esta é a imagem que tenho – o que o leva a ser um dos artistas portugueses mal amados. O seu percurso fala por si. O seu talento não deixa dúvidas. Dizer que Tiago Bettencourt é brilhante é ser injusto porque merece mais do que isso. Os seus discos estão cada vez melhores. Este “do princípio” coloca a fasquia bem alta porque anda muito perto da perfeição. Talvez não vá a muitas festas nem procure os flashes para aparecer em todas as fotos. Mas é um músico e não precisa disso. A sua música fala por si. Além deste tema, recomendo ainda morena e maria. Aposto que quem ouvir estes três temas vai querer ouvir o álbum na sua totalidade.

19 comentários:

  1. Mal amado? Meu rico Tiaguinho. Se ele estiver triste, levo-o para casa e faço cafuné.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desafio-te a perguntar a vinte pessoas aleatórias se gostam dele. Depois dizes quando assumiram que sim :) E vais ver que o cafuné será útil.

      Eliminar
  2. Adoro e admiro muito o trabalho deste homem! É de uma coragem notável, ser-se músico neste país não é para quem quer, e muitas vezes até para quem pode é complicado.

    A mim, não me foi dada essa possibilidade, e optei por outro caminho, embora a música seja um dos meus pilares.

    O nosso país precisa de mais 'Tiagos' destes. E não falo só de música. Posso arriscar a dizer que é um exemplo de preserverança, de luta, de vontade, e de originalidade.

    Adoraria poder conhece-lo pessoalmente e cantar em conjunto com ele. :)

    Bruno, cada vez mais gosto de te 'conhecer', a cada post que escreves surpreendes-me pela positiva. Somos bastante parecidos! :)

    Beijinhos
    Z.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo quando dizes que ser artista neste país é um acto de coragem. E ainda bem que há quem não desista do que faz. O Tiago é muito bom naquilo que faz. Já estive para o entrevistar há alguns anos mas acabou por não acontecer. Tive pena.

      Fico feliz com as tuas palavras.

      Muito obrigado :)

      beijos

      Eliminar
  3. Mal amado?!?!? A sério?!?!?!...Pois olha eu adooooro o Tiago...as letras e as músicas...obrigada pela ideia...nada como o Tiago para acompanhar a minha hora de almoço:) ...Já toca:)

    jinhoooooossssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia que tenho é a de que muitas pessoas embirram com ele. Tenho o álbum no carro e é uma excelente companhia :)

      beijos

      Eliminar
  4. Gosto muito do Tiago Bettencourt, mas infelizmente é como dizes Bruno, é um mal amado. Na minha opiniao é ainda melhor que o David Fonseca, em termos de composição musical

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto muito de ambos. Estão num patamar semelhante para mim.

      Eliminar
  5. Muito bom. Obrigado.

    ResponderEliminar
  6. Tiago Bettencourt - Das melhores "coisas" do mundo! :D


    Vai uma pausa para o chá? :3
    www.tkteabreak.blogspot.com . o blogue do casal <3

    ResponderEliminar
  7. A letra é genial, mas dolorosa, porque reflecte a realidade nacional...
    E o Tiago Bettencourt é um grande músico. Realmente é um dos "mal-amados", injustamente! Mas é difícil, muito difícil, ser-se músico neste país...

    ResponderEliminar
  8. Aii... agora senti-me mal!
    É que eu faço parte daquele grupo de pessoas que nunca achou este rapaz nada de especial.
    A única música em que consigo suportar o tom de voz dele (não discuto a beleza e realidade das letras, nem se a musicalidade é boa ou não, o meu problema é mesmo com a voz do mocinho) é a Carta dos Toranja.

    ResponderEliminar
  9. eu também nunca gostei por cantar canções demasiado lamechas (booooring) mas tenho ouvido esta nova canção na rádio e está muito melhor, agora sim consegue ouvir-se com prazer :)

    ResponderEliminar