POWr Multi Slider

31.5.12

a melhor invenção do mundo

Não é a roda! Também não é o fogo! A melhor invenção do mundo é mesmo o caracol! Fácil de apanhar porque é lento, pode ser confeccionado de mil e uma maneiras. Barato e delicioso, é o parceiro ideal das altas temperaturas. Vai bem com qualquer bebida e deve ser acompanhado com boas conversas numa qualquer esplanada! Abençoado inventor do caracol. Um grande bem haja à sua pessoa.

Atentamente
consumidor compulsivo de caracóis ou uma espécie de caracoldependente


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

letizia guapa

Pelo segundo dia consecutivo vou estar com a Letizia (guapa). Só conhecia a Princesa das Astúrias das fotografias e estou encantado (guapa). É linda (guapa), charmosa (guapa), elegante (guapa) e aparenta ser uma pessoa muito simples (guapa). Vou passar a tarde com a princesa e não me importo (guapa). Podem estar mais de trinta graus (guapa) ou pode cair o maior dilúvio do mundo (guapa) que lá estarei, com um sorriso de orelha a orelha (guapa).

eles não falam... gritam!

Sou uma pessoa bem disposta. Acordo sempre com um sorriso nos lábios independentemente de ter dormido duas ou doze horas. Mas, apesar da boa disposição e sorriso fácil, as primeiras horas do dia são marcadas por um processo durante o qual os meus olhos vão ficando mais abertos para a realidade que está para lá dos meus óculos escuros. E nesse espaço de tempo há coisas que me irritam solenemente. A principal é estar no café a tomar o pequeno almoço e ouvir pessoas que não falam... gritam! Pessoas que quando abrem a boca conseguem partir chavenas de café, desintegrar migalha por migalha o melhor dos croissants e fazer estalar vidros. Aposto que num raio de dez quilómetros, todas as pessoas ficam a saber o que esta gente comenta logo pela manhã. E isso irrita-me! Não me tira o sorriso mas irrita!

30.5.12

hoje vou deitar-me assim...



Não paro de cantarolar isto...

portugal são vocês



Consegui arrepiar-me ao ouvir a carta deste menino. Ao ouvir o Guilherme lembrei-me dos tempos em que era criança e sonhava ser jogador de futebol. Será que os jogadores têm noção da realidade espelhada nesta publicidade enquanto envergam a camisola de Portugal?

uma noite

Gosto destes pacotes de açúcar. Esta era uma boa noite. Como seria a vossa? O que acontecia na vossa noite se dependesse apenas de vocês?

Enviado do meu BlackBerry® da tmn

princesas e contos de fadas

Era uma vez... é assim que começa o meu dia! Hoje vivo um conto de fadas. Não sou um príncipe nem vou aparecer a cavalo para salvar uma donzela presa numa torre. Vou mesmo acompanhar os príncipes que estão em Portugal. Não deixa de ser um conto de fadas, só não é o meu!

Enviado do meu BlackBerry® da tmn

inveja, essa coisa feia

Não gosto de pessoas invejosas. Aliás, detesto invejas e pessoas que não vivem bem com o sucesso das outras. Começo a acreditar que a inveja é um dos maiores defeitos dos portugueses. Ou será que digo isto por ser português? Será que o resto do mundo também é assim?

Ontem estive numa entrega de prémios para os melhores vinhos. E como em todos os concursos, há os que se destacam, os ganham mais troféus e que têm maior reconhecimento. Julgo que isto acontece em todos os concursos. Alguns vinhos destacaram-se dos demais mas houve um que nos quatro maiores prémios arrecadour dois. Na mesa perto do local onde estava começo a ouvir: "Ganha sempre este. Em quatro ganhou dois. Mais valia entregarem os prémios na casa dele." Antes deste momento, o mesmo grupo de pessoas criticava todos aqueles que ganhavam mais do que um prémio. A única excepção era quando os vencedores saiam da sua mesa. Acho isto muito feio. Além de ser feito em voz alta, para toda a gente ouvir, demonstra uma mentalidade muito limitada.

Porque será que as pessoas optam pela inveja para justificar o sucesso dos outros e o seu próprio demérito? Custa assim tanto reconhecer talento onde ele realmente existe?

29.5.12

os limites da depilação masculina

Gosto de me depilar e não tenho qualquer problema em assumi-lo. Há muito que me depilo. Começou por ser algo profissional que rapidamente passou a pessoal e estético. Contudo, acho que há pessoas que ainda pensam que a depilação masculina é algo exclusivo de homossexuais ou de homens com mentes pouco funcionais. Existem pessoas que olham de lado para homens depilados e muitas vezes já ouvi conversas onde se fala da depilação masculina como obra do demo. Eu acho que a depilação, nos dias de hoje, é algo comum a homens e mulheres. Para mim não existem limites e não me choca que um homem opte por depilar o corpo todo. E vocês? Acham que a depilação masculina tem limites?

operação stop

Após mais de uma década de carta de condução fui submetido ao meu primeiro teste do balão. Aconteceu ontem à noite e devo ter sido a única pessoa que soprou o balão com um sorriso nos lábios. Sabia que não ia acusar nada estava emocionado com tão distinto momento. Contudo, a melhor parte da operação stop não aconteceu comigo mas com a pessoa que foi parada na mesma altura. Os polícias tinham motivos mais do que suficientes para multar o condutor mas optaram pela pedagogia. Fizeram ver que era uma situação errada e alertaram para futuras operações stop. Fiquei contente ao perceber que ainda existem polícias que optam pela pedagogia em vez de se limitarem às multas.

28.5.12

já tinha saudades

Estive poucos dias fora de Portugal mas fiquei cheio de saudades das coisas de que mais gosto de fazer. Agora vou matar saudades de uma delas. Vou correr à beira rio enquanto o sol se põe.

o meu encontro com sophia loren

Há mais de um mês que não pensava noutra coisa. Ia estar com a Sophia Loren. Apesar de não ser uma diva da minha geração e de ter 77 anos, estava nervoso. Não tenho por hábito cruzar-me com pessoas que marcam uma geração e o mundo da sétima arte e não queria fazer má figura.

Ao longo deste mês só tinha um objectivo. Encontrar a roupa que não me deixasse mal. Custou, mas lá encontrei o que queria. Um fato preto que cai bem no meu corpo. E para fugir da normalidade das galas, abdiquei da camisa branca, optando por uma camisa preta. Sapatos pretos, cinto preto e para me destacar um pouco, uma gravata cinza. O visual ficou completo poucos dias antes da viagem para França mas ficou a meu gosto e pelos comentários, julgo não me ter deixado ficar mal.

O meu encontro com a bela, sim porque ainda é lindíssima, Sophia Loren foi dividido em duas partes. A primeira, mais casual, ocorreu numa conferência de imprensa. A segunda, num evento transmitido em directo para todo o mundo. A isto seguiu-se um animado jantar e uma noite de diversão. No primeiro encontro, os meus olhos brilharam quando a vi. Apesar de algumas dificuldades na mobilidade, a actriz italiana encantou. Assim que entrou na sala, os jornalistas amontoaram-se e os fotógrafos acotovelaram-se pela posição que garantia a melhor foto. Perante estes dois cenários, eu não conseguia tirar os meus olhos de Sophia Loren. Quanto tudo acalmou, revelou-se a simpatia da diva. Trato fácil, sorriso igualmente fácil e um brilho especial nos olhos, que apesar de cobertos por uns óculos ligeiramente escuros, não deixam de ter um encanto diferente. Boa conversadora, a italiana não se inibiu perante nenhuma questão.

Horas mais tarde, vinha a gala. Com um look completamente diferente, Sophia Loren foi aplaudida de pé. Nenhum dos convidados, vindos dos quatro cantos do mundo, conseguiu ficar indiferente a esta deusa. Eu, mais uma vez, fiquei boquiaberto perante tanta beleza e charme. Se este momento fosse vivido há cinquenta anos, teria dito mi vuoi sposare? Assim, disse apenas ti amo Sophia Loren.

marselha aos meus olhos

O avião aproxima-se de Marselha e inicia as manobras para aterrar. Espreito pela janela e pareço gostar daquilo que os meus olhos vislumbram. O avião vai perdendo metros de altitude e começo a deixar de gostar do que a minha vista alcança. Nesta altura, tento perceber se esta mudança de opinião está relacionada com a única hora de sono que marcou a noite anterior. O avião aterra, sem direito às palmas de antigamente, e chego ao aeroporto. Recolho a minha mala e deparo-me com militares equipados com metralhadoras. Neste momento, só penso no medo que me provocam, sobretudo por passarem com a arma quase a tocar na minha t-shirt. O medo passa a normalidade quando constato que há diversos grupos de militares a passear pela zona. Saio do aeroporto e sinto um calor que me parece dizer bem-vindo a Marselha. É um calor comparável a ter todas as modelos da Victoria´s Secret à minha volta a soprar-me para o pescoço.

Segue-se uma curta viagem até ao hotel. Vou observando a arquitectura e gosto do que vejo, sobretudo da marina da cidade mais antiga de França. Durante a viagem vou recordando tudo o que me foi dito sobre a cidade. É feia e não gostei de lá estar, foi o que mais ouvi. Mesmo assim, vou gostando do que vejo. Como tenho poucas horas para conhecer a cidade opto por me dedicar à zona da marina, até porque quem já visitou Marselha sabe o que descobre quando se afasta da zona que refiro. Vê-se cada vez menos franceses e ruas onde grande parte das pessoas sente insegurança. Mas nem foi isto que me fez ficar por ali. Foi mesmo a falta de tempo. O local escolhido para o almoço foi a praça Cours Honoré d´Estienne d´Orves. Ao entrar neste espaço, sinto-me bem. Gosto do que vejo. Tanto dos prédios como das pessoas que preferem as vespas como meio de transporte.

Aproximo-me do restaurante e fico feliz com a simpatia dos franceses. Não têm qualquer problema em trocar o seu idioma pelo inglês para que sejam melhor percebidos. E estes momentos são deliciosos pois os franceses a falarem inglês fazem-me lembrar os personagens da série Allo Allo. Bem tratado à mesa, fico especialmente surpreendido quando dou liberdade ao empregado para que escolha ele o vinho da refeição. Não sei se é pouco comum por aqueles lados mas o empregado ficou extremamente feliz com a liberdade que lhe dei. A comida vai chegando, as conversas vão surgindo e os copos ficando vazios. Discute-se de tudo um pouco. Fala-se dos programas de televisão que são baratos e maus. Dos caros e bons e daqueles que dão audiências loucas. Fala-se ainda de Miguel Relvas e de muitos outros temas políticos que vão muito além do nosso continente. O meu corpo está naquela mesa, os meus ouvidos também mas é só isso. De resto sou consumido pela praça que me acolhe.

Gosto dos prédios. Remodelados mas sem mudar os traços dos anos em que foram construídos. Penso, era capaz de viver aqui. Além dos prédios, não consigo ficar indiferente às pessoas que enchem a praça. São todos giros. Elas são lindas, eles não ficam atrás. Elas vestem bem. Eles também. Elas têm muito estilo. Eles igualmente. Há diferentes looks, em ambos os sexos. Resumindo, estão todos muito bem mas nota-se que não ficaram horas a produzir-se antes de ir para a rua. Nesta altura, já sou fã de Marselha.

A tarde passa. O sol conquista-me e a piscina não me liberta, dizendo que tenho que ser dela, pelo menos durante uma horinha. Assim faço e gosto desta relação curta que criei com a apetitosa água bem como com a confortável espreguiçadeira que trata bem cada traço do meu corpo que bem precisa de descansar.

O tempo passa depressa e já é hora de jantar. A escolha é a Place aux Huiles. Janto por baixo de um loft de 110m2 que está para venda. Sou tentado a ligar para o número mesmo sabendo que não tenho dinheiro para o comprar. Se já tinha gostado do almoço, ainda gosto mais do jantar. Mas antes da comida, aproveito a caminhada que vai do hotel ao restaurante. Fico encantado com a forma como os finais de tarde são vividos nos bares. Pessoas giras, taças de vinho na mão e agradáveis conversas. Dá vontade de ficar um pouco. Mas é hora de ir jantar. Novas temáticas, muitos sorrisos, diversão e comida boa mas que não mata a fome. Assim é a nouvelle cuisine. As horas parecem minutos e o jantar acaba. Em vez de regressar ao hotel, vou dar uma volta com um amigo. Quero espreitar a noite de Marselha.

Muitos bares, muita gente gira e bem vestida e muita simpatia. Constato que se me afasto do centro, e refiro-me a apenas alguns metros, entro noutro mundo. No mundo dos bares onde as mulheres estão à porta a tentar convencer os homens a entrar. É um pouco estranho mas não há qualquer sinal de insegurança. Continuo a caminhar até que me deparo com um aglomerado de pessoas numa praça de grande dimensões. Para meu espanto, é tudo por causa de um bar de dimensões mínimas. Polikarpov, é o nome do bar. Para terem uma ideia, imaginem o Bairro Alto concentrado à porta de um bar. Assim é o Polikarpov. Uns dançam em cima das mesas da esplanada. Outros gritam as músicas que o dj de serviço vai cantando. Uns fumam substâncias legais, outros optam pelas ilegais que dão um cheiro característico à zona. Mais uma vez, há todos os estilos de looks que possam imaginar. Desde a mulher que vai à semana da moda em Paris até ao freak que tem as calças rasgadas. Todos se misturam na perfeição e vivem em harmonia. Observo aquele ambiente e começo a fazer o percurso de regresso ao hotel. Antes, paro num bar onde a música não toca alto mas onde vale a pena ficar um pouco. Bebo um copo, troco dois dedos de conversa e fico maravilhado com as pessoas que me rodeiam. Chego ao hotel e começo a pensar no dia Sophia Loren.

Assim foram passadas as minhas (poucas) horas na cidade de Marselha. Gostei e era capaz de lá voltar para alguns dias de férias. Provavelmente não mais de que uma semana, mas voltava… ou voltarei.

caminhada pela fertilidade

Para quem não tem planos para o próximo fim-de-semana, deixo uma óptima sugestão para Domingo. Esta é daquelas iniciativas que vale a pena apoiar e participar.

No dia 03 de Junho, a Praia da Torre, em Oeiras, irá acolher a Caminhada pela Fertilidade. Este é um evento integrado na iniciativa "Mexa-se na Marginal", promovido pela Câmara Municipal de Oeiras. O convite para participar na Caminhada pela Fertilidade é extensível a toda a população que queira aliar-se a esta boa causa. Para Cláudia Vieira, presidente da APFertilidade, "esta caminhada é uma acção simbólica para alertar a sociedade para a infertilidade e para o facto de existirem 300.000 casais portugueses que têm dificuldade em engravidar.

A Caminhada pela Fertilidade tem início às 09:30 com a entrega das t-shirts e sacos-mochila a todos os participantes, sendo que o saco estará recheado de surpresas. Além disso, na tenda da APFertilidade – situada junto à Praia da Torre, perto do Forte de São Julião da Barra – haverá muitas actividades gratuitas, como massagens, workshops de gravidez e puericultura e um rastreio de nutrição. A participação no evento é gratuita mas, por motivos logísticos, é necessária a inscrição prévia no site www.apfertilidade.org/eventos/2012.


26.5.12

dia s

Hoje é o dia s, de Sophia Loren! Estou nervoso mas muito feliz.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

25.5.12

relato de uma prenda especial

Ontem foi um dia muito importante para mim, como são todos os aniversários. A família junta-se, a diversão é ainda maior e fico emocionado e sensibilizado com as demonstrações de carinho para comigo.

Aproveito para vos agradecer as mensagens de aniversário. Ainda não consegui responder mas é algo que vou fazer individualmente, como é hábito e como tanto gosto de fazer. Basta regressar de Marselha e ter acesso ao meu computador.

Apesar de ter recebido várias prendas, todos especiais e únicas, não posso deixar de referir uma que me marcou, até porque fui eu que a pedi. Passo a relatar:

Sobrinha mais linda, o que se diz ao tio hoje?
Parabéns!

E tens uma prenda para o tio?
Está no carro dos pais.

Mas sabes o que o tio queria mesmo que desses de prenda?
O quê?
Um abraço.

Fui abraçado pela minha sobrinha e durante o abraço pergunto-lhe se pode ser um abraço à amigo.
Ela diz que sim e dá-me palmadinhas nas costas enquanto me abraça!

Uma das melhores prendas do mundo!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

quem consegue resistir?

Dormi pouco mais de uma hora. Não sei a quantas ando nem o que faço! Queria dormir e só acordar amanhã de manhã mas... quem é que consegue resistir a banhos de sol e a uma piscina maravilhosa? Eu não e assim fico bronzeado para o encontro com a Sophia Loren.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

marselha: primeiro impacto

Recebido por militares com metralhadoras. Isto promete!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

vou só ali até marselha

Pensava que só havia vida às 03h30 da manhã na minha cama e nos meus sonhos mas estava errado e a prova disso é o grupo de 50 chineses que passou por mim no aeroporto. Ainda tenho os olhos fechados mas vou ali até Marselha. Até já!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

24.5.12

santéns

Não é erro ortográfico! é mesmo santéns. Não é um bolo de aniversário nem é um gelado. é um gelado de parabéns, é do Santini, do Chiado, e vou comê-lo! Nem é preciso soprar velas! Continuo a adorar fazer anos!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

Mimos

Depois de quase duas horas a mimar o corpo, é hora de mimar a cabeça. é mesmo bom fazer anos!




Enviado do meu BlackBerry® da tmn

31

Já percebi porque tudo me parecia diferente. É que hoje faço 31 anos. Nada melhor do que acordar com carinho, ser acarinhado durante o dia e perceber a importância que esta data tem para algumas pessoas. Não ligo a prendas mas a sentimentos. E são os sentimentos que vão marcar este dia quente! Estou feliz. Muito!

23.5.12

diferenças

O Sol está diferente. O calor está diferente. O ar está diferente. As pessoas estão diferentes. Tudo está diferente. Ou será que sou só eu que estou diferente? Pergunto isto porque até o relógio avança de forma diferente. Porque será?

my name is



Se já estava curioso e ansioso com o 23º filme da saga James Bond, ainda mais empolgado fiquei após a revelação do primeiro trailer do filme. Até o Javier Bardem no papel de vilão promete. Que chegue depressa aos cinemas.

nem todos são super

Ao ver a reportagem Jorge Mendes, o super agente viajei no tempo. Recuei até aos meus doze anos. Não porque vendesse na Feira da Ladra, como o melhor agente de todos os tempos, também não foi por ter trabalhado na fábrica da Olá a agarrar Cornettos e muito menos por ter sido dono de um clube de vídeo ou de uma discoteca. Recuei no tempo porque. Tal como grande parte dos rapazes, sonhei ser jogador de futebol. Com 12 anos assinei o meu primeiro contrato. A carreira foi crescendo e pouco tempo depois tive a minha primeira transferência. Sem qualquer problema, o meu clube deixou-me mudar para um clube maior.

Nesta nova etapa tive oportunidade de jogar contra vários jogadores que hoje em dia todo o mundo conhece. Uns por serem dos melhores do planeta outros por jogarem na selecção. Ainda defrontei alguns que eram estrelas e que hoje ninguém sabe onde estão. Foi então que comecei a ter noção do que é a realidade do futebol. Quis mudar de clube e disseram-me não! A única opção era pagar 150 contos, quantia considerável, seja qual for a época, tendo em conta que se tratam de jovens de 16 anos. Ninguém se preocupou se eu era feliz, se queira mudar de clube ou porque o queria fazer. Limitaram-se a negar-me um desejo e uma vontade. E para quê? Para dois anos mais tarde decidirem a minha vida desportiva da pior maneira possível. Senti-me tratado de forma muito injusta. O sonho esmoreceu mas continuei a jogar. Foi então que tive noção de outra realidade completamente diferente. Refiro-me aos que jogam porque são amigos de longa data do treinador. Não importa se são os piores. São amigos e têm lugar cativo. Tudo isto fez-me dedicar aos estudos e passar a ver o futebol como uma coisa apenas para passar o tempo.

Por isso é que, ao ver a reportagem dou ainda mais valor ao Jorge Mendes. É o melhor agente e infelizmente existem poucas pessoas como ele no futebol. A maior parte dos agentes, bem como quem se mopvimenta nos bastidores do futebol, só pensa no dinheiro que pode ganhar com um jogador. Mesmo que para isso tenham que tomar a pior opção para o atleta. E assim, facilmente se destrói um sonho de menino...

Quanto à reportagem, dou os meus parabéns ao Nuno Luz. Conseguiu revelar o lado privado de um homem talentoso que sempre preferiu reservar a sua intimidade. Para Jorge Mendes, o que interessa são os jogadores. E isto é simples e brilhante!

alf, a-team, knight rider e muito mais

Há um rol de séries que fazem parte da minha infância e juventude. Séries fantásticas, bem feitas e recheadas de talento e em alguns casos humor. Refiro-me por exemplo a Allo Allo!, Alf, A-Team, Knight Rider e MacGyver, só para citar algumas. Cada uma destas séries marcou-me de forma especial, o que faz com seja difícil desligar-me das mesmas, apesar de já terem acabado há muito. A solução que encontrei foi transforma-las em ringtones. De tempos a tempos, vou escolhendo uma música, por exemplo agora é a do genérico do Alf. Acreditem que é muito divertido assistir à reacção das pessoas quando o meu telemóvel toca, ouvindo-se uma música destas.

22.5.12

abraço

Sendo hoje o dia mundial do abraço, dei por mim a pensar no significado de um abraço, gesto que temo ter caído na banalidade e ser tão importante, para algumas pessoas, como um aperto de mão. Assumo que facilmente termino uma mensagem ou email para um amigo com “abraço” ou “aquele abraço”, algo que faço com pessoas especiais. Contudo, dar um abraço é algo que raramente faço. E se não o faço é por entender que é tão importante como um beijo, ou seja, que não deve ser dado de ânimo leve. Não dou abraços só por dar. Se abraço alguém é porque sinto necessidade de o fazer. De sentir essa pessoa num momento marcante. Não sei se serei caso raro mas para mim os abraços são especiais, marcantes e nada banais. E para vocês?

apaixonem-se por isto

Acaba de ser editado o novo disco dos Orelha Negra, com nome homónimo, tal como o primeiro álbum. Na minha opinião, este projecto é dos melhores que a música nacional viu nascer nos últimos anos, período em que a música portuguesa cresceu bastante. Ao longo dos últimos dias ouvi, apaixonei-me e fiquei com desejo de ouvir mais vezes enquanto descubro novos sentimentos ao som das melodias de Cruz, Ferrano, Gomes, Mira e Rebelo.

mulheres e water closets

Não há dia em que não ouça uma mulher dizer: vou à casa de banho. Alguém quer vir? Desde os tempos da escola que não compreendo, e acreditem que já tentei muitas vezes, as idas em grupo ao wc. Mas convidar alguém para partilhar uma ida à casa de banho, algo que entendo ser bastante pessoal, é um enorme update. O que motiva estes convites? Alguém me explique por favor.

decatlo em centros comerciais

Gosto de adrenalina pura! Mas não a procuro em desportos como bungee jumping, escalada, skate ou snowboard. São boas opções mas eu quero mais. Eu prefiro praticar decatlo em centros comerciais. Gosto tanto desta modalidade que nem a chego a dividir em dois dias. Faço tudo no mesmo e após um dia de trabalho. Ontem, para comprar uns sapatos (mais uma vez por causa da Sophia Loren) competi nos 100 metros rasos na Seaside, no salto em distância na Prof, no lançamento do peso na Aldo, no salto em altura na Agostini e nos 400 metros rasos na Foreva. Cheio de energia, ainda fui aos 110 metros barreiras na Bianca, ao lançamento do disco na Primark, ao salto com Vara na Zara, ao lançamento do dardo na Athlete´s Foot e acabei nos 1500 metros da Box do Jumbo. Eram só sapatos que procurava mas a adrenalina levou-me a comprar mais coisas. Hoje, estou que não me aguento.

21.5.12

greve ao sexo

Em Cannes, Sean Penn fez um apelo à greve, no mínimo original. O actor pediu às mulheres para ajudarem a população feminina do Haiti, a que mais sofreu no mundo, defende. Como? Com uma greve ao sexo! Sean Penn aconselhou as mulheres a recusarem ter sexo com os companheiros a não ser que estes façam um donativo financeiro para apoiar o país. O que acham desta medida? Eu ainda não percebi se é para rir ou chorar por fazer das mulheres algo que estas não são: uma mercadoria física.

lojas ou discotecas?

Há coisas que não suporto num centro comercial. No topo da lista estão aquelas lojas que costumam ter a música a tocar mais alto do que na maior parte das discotecas que frequento. Quando passo à porta, fico com vontade de entrar, dirigir-me ao balcão e dizer à empregada: queria um vodka laranja. Só para ver a reacção. Não sei qual é a estratégia comercial por detrás desta medida que impera sobretudo nas lojas de roupa mas gostava de saber. Um lugar abaixo na lista das coisas que detesto estão aquelas lojas que têm o ar condicionado nos cinquenta graus. Ainda só tenho um pé dentro da loja e já o resto do corpo implora para que seja esse pé a sair em vez do resto do corpo a entrar. No último lugar do pódio estão os empregados que nos avistam na outra ponta do centro comercial e já estão a dizer: precisa de ajuda? Quer experimentar? Temos mais cores! Não há paciência. E não digo isto só por dizer. Já fui empregado em várias lojas e posso dizer que a música nunca excedia um certo limite, o ar condicionado tinhas duas temperaturas predefinidas inalteráveis, uma para o quente e outra para o frio e dava espaço ao cliente.

globos dos horrores

Há coisas que não percebo! Por mais anos que viva não vou perceber. Vou a um evento em Marselha com a Sophia Loren e desde que soube que precisava de um fato escuro que não tenho feito outra coisa que não seja encontrar um modelo que não me deixe ficar mal numa noite tão ilustre. Não escolho roupas que sendo giras não me ficam bem, cores que não se enquadram no dress code e criações patéticas que fazem com que seja gozado durante a noite por parecer um abajur ou algo do género.

Como tal, custa-me ver pessoas (sobretudo mulheres) que foram aos Globos de Ouro vestidas da pior forma possível. Há as que foram quase nuas com transparências dignas de um cabaret barato, outras que levam metade do peito fora do decote, faltando apenas o carimbo do cirurgião que ofereceu o silicone, outras com decotes até ao umbigo revelando grande parte de um peito feio que pede um soutien e não aquela liberdade exagerada e ainda aquelas que optam por mostrar as costas exibindo as dispensáveis gorduras que estão a mais e que se distribuem em camadas no momento da fotografia, altura em que deviam estar bem tapadas.

Pergunto: Quem escolhe os vestidos? Quem diz que fica bem em vez de dizer isso não te favorece? Quem é o culpado de tal momento? Não sei mas acredito que muito boa gente vai chorar hoje quando observar as fotografias em que aparecem. Não deviam ter cuidado ao escolher roupa para uma noite de gala?

Quanto à Gala em si. Há de tudo. Humor de trazer por casa que já foi visto e revisto dezenas de vezes. Bons momentos de comédia. Prémios justos, outros injustos e muito talento premiado.

its a hard dogs life (o protagonista)

Perante tantos comentários simpáticos sobre o cão que tentei ajudar na sexta-feira, decidi colocar aqui uma foto do protagonista da história que relatei. Esta fotografia foi captada minutos antes de ter sido salvo. Aguardo por mais informações sobre o estado de saúde do animal.

passatempo à moda de conan o´brien

Sinto-me uma espécie de Conan O´Brien. Com isto quero dizer que vejo o meu blogue como um programa de serie b, exibido num canal de cabo. E no seu talk show, o apresentador já ofereceu prémios como rebuçados, gomas e manequins desmembrados.

E acho que vou fazer algo do género. Não consigo ficar indiferente às quase 23 mil visualizações, aos 67 membros e a todos os que por aqui passam para ler o que escrevo e para deixar um simpático comentário. Posto isto, tenho para vos oferecer uma top replique da bola oficial do próximo europeu. Trata-se de uma Tango que vem numa caixa toda catita.

Quem quiser ser dono desta bola, só tem que enviar um email para homemsemblogue@gmail.com até ao 27 de Maio e revelar qual foi o maior "golo" da sua vida. Escolho o termo golo por se tratar de uma bola mas não têm que falar sobre algo desportivo. Espero que gostem.

20.5.12

momento peça que toca #4



Esta música não é nenhum sucesso mundial nem pertence a nenhuma banda do estilo one hit wonders. É o tema que assinala o 100º episódio da série How I Met Your Mother. Escolhi este tema porque representa o meu dia, a minha procura por um fato para usar numa noite de gala. Serei o único a associar músicas destas à minha vida?

suit up!

Experimentei mais fatos hoje do que no resto da minha vida. Para onde quer que olhe só vejo fatos. Entrei em lojas de todos os tipos: caras, baratas, muito caras, de luxo, da moda e até entrei em lojas estranhas cuja existência desconhecia. Sinto-me uma espécie de Barney Stinson, o personagem de How I Met Your Mother que anda sempre de fato e que passa grande parte do início da série a dizer suit up! Para cada pessoa que olho só apetece dizer: suit up! suit up! suit up? Aquilo a que me obrigas Sophia Loren!

19.5.12

cromos

Quando era mais novo, pensava que os cromos eram um passatempo de crianças. Um daqueles que os adultos até dispensavam para não gastarem dinheiro com as carteirinhas. Agora, começo a achar que é algo de adultos. Eu sempre gostei, gosto e acredito que hei-de continuar a gostar. Faço algumas cadernetas e sempre com o entusiasmo de quando era criança. E não sou um caso isolado. A papelaria que frequento transforma-se numa espécie de mercado de cromos, aos sábados de manhã. Vendem-se cromos, trocam-se cromos, discutem-se cromos e gabam-se cadernetas concluídas. Coisa de miúdos? Nada disso. Na maior parte das vezes são adultos. Quando os mais novos lá estão, é apenas para acompanharem o parente mais velho que brinca aos cromos.

its a hard dogs life

Adoro animais. Sou aquilo a que se pode chamar dogs person. Não consigo ficar indiferente a cada cão que se cruza comigo mas, ontem foi especial. Quando regressava do almoço, vi um cão assustado à beira da estrada. Não resisti e assobiei para me meter com ele. O cão veio logo a correr para mim. Fiz-lhe uma festinha e comecei a andar para o edifício onde trabalho. Sem que nada o fizesse prever, o cão veio atrás de mim como se fosse o seu dono. Foi então que percebi que era cego.

Fiquei sensibilizado e tentei dar-lhe água. Ele não quis e também não quis comer. Fui trabalhar mas não consegui deixar de pensar no pobre animal. Quando saí do trabalho não resisti a procurar pelo cão. Uma sensação levou-me a escolher um caminho e foi aí que rapidamente o encontrei. Ainda não tinha saído do carro e já ele me esperava.

Não o consegui largar! Liguei a uma colega minha que me veio ajudar. Chamadas para aqui, mensagens para ali mas ninguém conseguia ficar com o cão até segunda. Eu não o podia levar comigo pois a viagem era grande e tinha receio de que se assustasse fechado no carro. Quando estava a ficar desesperado e a ponderar leva-lo comigo eis que surge um carro. Era uma senhora do meu local de trabalho que vinha com uma amiga à procura do cão. Também tinha ficado sensibilizada e encantada com o animal.

Mais uns telefonemas e lá se encontrou um hotel para acolher o cão até segunda, dia em que deverá ser transportado para uma fundação. Quando o vi partir, todo contente, o meu coração encheu-se de alegria. Espero voltar a estar com ele. Ainda bem que existem pessoas assim, que se preocupam. Foi o último pensamento que tive enquanto o carro ia embora.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

18.5.12

se é pecado... eu pequei!

Há dois tipos de desejos que me consomem à sexta-feira, que por norma é o dia em que trabalho mais horas. Desde que acordo fico a pensar que uma massagem ao final do dia ia ser um belo prémio para relaxar após mais uma semana. Ao final do dia, solta-se o alarve e dou por mim a desejar uma bela pizza no conforto da minha casa. Acho que tenho sérios problemas porque nunca cedo ao primeiro e nunca consigo contrariar o segundo. Será por considerar a junk food um doce pecado?

pingo doce (versão carne)

Acabo de almoçar num Pingo Doce, algo que faço quase diariamente. Não resisti e fui espreitar o talho devido à promoção dos 50% de desconto em carne, válidos após uma compra de 25 euros noutros produtos e com um limite de 10 quilos de carne por talão. Não vi muita gente mas a minha curiosidade não esmoreceu. Primeiro destaque. As senhas são entregues por seguranças. Pedi uma e volto a realçar que estavam poucas pessoas e que é uma sexta-feira (hora de almoço). Tinha mais de 500 números à minha frente! Lamento que esta promoção, bem como a do Minipreço, sejam alimentadas com carne espanhola.

quem me ajuda?

Preciso de comprar um fato escuro para uma noite de gala. Onde posso encontrar um modelo bonito e barato? Também aceito sugestões para sapatos! Obrigado.

aquele momento #10

Fantástico, fabuloso, inesperado e reconfortante em que depois de uma má notícia vamos ao multibanco e reparamos que o irs já foi depositado.

17.5.12

promessas

Há quase um ano que vivo de promessas. Esta semana é que é! Não, para a semana é que volta tudo ao normal. Mentira, queria dizer daqui a quinze dias. Desculpa, afinal só pode ser daqui a um mês. Afinal não vai dar e é melhor não estabelecer um prazo para que tudo corra bem. Quando menos se espera ouve-se que vem aí a normalidade. Afinal era só mais uma promessa… vazia como todas as outras. Já lá vai quase um ano nisto…

facebook, o tribunal das amizades

Sou fã das novas tecnologias, das redes sociais e por aí adiante. Mas faço parte do grupo de pessoas que ainda conseguem separar o real do virtual, algo que começa a ser uma raridade. Ouço com frequência frases como “não és meu amigo porque não me adicionaste no facebook”. Isto é preocupante! Também já ouvi o inverso. “Se me apagaste é porque não tenho importância na tua vida”. Pior ainda. Pessoas que se lamentam das fotos que outras escolhem para ilustrar o perfil. Pensava que o facebook era apenas e só uma rede social. Será que estou errado?

invenções extraordinárias... ou então não!

Ontem vivi um episódio que pode ser considerado um momento d-mail. Depois de jogar futebol fui tomar um duche, como mandam as regras (sempre me fez confusão aquelas pessoas que fazem desporto e optam por ir para casa transpiradas. Não compreendo.). Eis que aparece um amigo meu com um objecto fantástico. Trazia um fio ao pescoço que tinha uma bolsa com um sabonete. “Assim, o meu não cai”, brincou. Ainda não descobri se fiquei espantado com o objecto em si ou se por ainda existirem pessoas que utilizam sabonete sólido.

16.5.12

afinal, o que sou eu?

Hoje é dia de futebol. Mais ou menos uma hora de corrida, muitos remates, alguns golos marcados, outros falhados e indecisão no resultado até acabar o jogo. Devia ser só isto mas para mim é muito mais. Há um vasto leque de rituais que não dispenso. O carro fica parado sempre no mesmo sítio. Fico sempre no mesmo lugar do balneário. Uso sempre o mesmo cabide. Arrumo a roupa sempre da mesma forma. Equipo-me sempre pela mesma ordem. Entro sempre em campo da mesma maneira. E festejo os golos sempre de igual modo. Ainda não percebi se sou excessivamente supersticioso ou se sou só maluco a roçar o parvo.

o que fazer?

Pior do que uma pessoa precisar de ajuda é recusar ser ajudada e esconder-se dos seus próprios problemas. Não sei se isto é feito com medo do que se possa acontecer, se é um sinal de ausência de forças para resolver o que tem de ser resolvido mas é algo que mexe comigo. Sobretudo quando esta problemática realidade está próxima de mim. Quero ajudar mas não posso. Não deixam! E contra isto não posso lutar.

a importância das palavras

Desde os tempos da faculdade que não me pediam para escrever numa fita que assinala o final de um curso. Já lá vão alguns anos e já não me recordava da complexidade deste processo. São apenas palavras, podem dizer. Mas, para mim, não! É muito mais do que isso. Naquele pedaço de tecido vou escrever o que essa pessoa significa para mim. O que sinto por assistir à conclusão de uma etapa e o que espero do seu futuro profissional e pessoal. Tudo isto sem delete e sem novas palavras. Gosto destas responsabilidades.

o encanto do trânsito matinal

Há dias em que gosto do trânsito que enfrento pela manhã. Sorrio ao ver as mulheres que se maquilham. Acho piada aos homens que fazem a barba. Não fico indiferente aqueles que cantam, aos que dançam e aos que fazem as duas coisas em simultâneo (grupo no qual me incluo). E não consigo evitar esboçar um sorriso quando os pais são obrigados a encostar porque os filhos não aguentam o chichi até ao destino. Tudo isto com sol, quase 30º graus e com boa música deixa-me bem disposto logo pela manhã.

15.5.12

aquele momento #9

Estranho em que me confundem com um empregado de hotel e que me pedem duas toalhas para a piscina. Ou tenho um aspecto esquisito ou os empregados de hotel usam fardas compostas por All Star, calças de ganga e t-shirt. Ou então as senhoras até me acharam piada e foi uma espécie de desbloqueador de conversa. O meu ego prefere acreditar na última hipótese mas a realidade diz-me que pensaram que eu seria o guardião das toalhas do hotel.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

era capaz de viver aqui

Esta vista é apaixonante mas vim só trabalhar e daqui a umas horas vou embora. Um paradisíaco ambiente de trabalho.

Enviado do meu BlackBerry® da tmn

sushigasm

A alegria está de volta!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

triste e preocupado

Estou algures onde a tristeza e a preocupação se encontram e misturam. Faltam nove dias para viajar para Marselha onde vou estar com a actriz Sophia Loren. A preocupação prende-se com o facto de ainda não ter comprado roupa para levar ao evento. Não é necessário fato mas não quero ir muito descontraído. Já vi algumas coisas mas ainda não me decidi nem convenci e isso deixa-me preocupado. Fico triste porque até lá queria perder dois ou três quilos e ainda não alcancei esse objectivo. A solução encontrada é vingar-me no sushi ao almoço.

viajar no tempo

Há imagens que me fazem recuar a um passado longínquo, a um passado recente, que me mantêm no presente e que provavelmente se vão repetir no futuro. Esta foto dos novos Nike Free 3.0 é exemplo disso mesmo. Desde miúdo que pratico desporto. Pratiquei ténis de mesa, diversas modalidades de atletismo e futebol. E sempre que ia a uma loja de desporto comprar uns ténis fazia o movimento que aparece nesta fotografia. Porquê? Porque sempre ouvi dizer que quando os ténis fazem aquele movimento é porque são bons. Se tiverem dificuldade em dobrar é porque vão magoar os pés. Ainda continuo a seguir esta regra mas pensava que fazia figura de totó. Afinal, esse movimento já se transformou num golpe publicitário. Da próxima vez vou fazer questão que as pessoas me vejam dobrar os ténis em vez de me esconder enquanto o faço.

14.5.12

algo que as mulheres devem evitar

Colocar a mão por dentro da camisola, agarrar num seio e ajeitá-lo, independentemente do motivo, é algo que uma mulher pode fazer no conforto do seu lar. Nesse caso, ninguém vai levar a mal e quem estiver a olhar terá bons motivos para o fazer. Isto não me choca, muito pelo contrário. Agora, faze-lo enquanto se passeia num centro comercial é algo que não cai bem. Acho eu. Estarei errado?

alegria de um pai

Vi um pai prometer que ia salvar a vida do filho que sofre de um problema raro. Hoje as lágrimas desse pai deram lugar a sorrisos quando anunciou que a cura do filho está a um curto passo de se tornar realidade. Um dos momentos mais marcantes da minha carreira.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

are you mom enough?

Antes de qualquer divagação, quero dizer que não sou pai. Mesmo assim, entendo que não preciso de o ser para comentar algo que esteja relacionado com a relação entre mãe e filho. Estive a ver atentamente a capa da revista Time, onde uma jovem mãe, de 26 anos, aparece a amamentar o filho de quase quatro. Ao lado da fotografia de Jamie Lynne Grumet e de Aram está a questão Are You Mom Enough?

De acordo com a mãe, que foi amamentada até aos seis anos e que além de amamentar o filho biológico também amamenta o adoptivo, de cinco anos, a amamentação é biologicamente normal e as pessoas precisam de se convencer disso. Eu não duvido de tais palavras mas acho um pouco exagerado que uma criança daquele idade ainda se alimente de leite materno. Não sei se acho estranho por ser algo pouco comum na sociedade em que estou inserido ou por ser simplesmente algo excessivo.

Do ponto de vista editorial, defendo que é uma capa brilhante. É banida em alguns sites e programas. Põe o mundo a comentar, alimenta paixões e controvérsias dos leitores e coloca um país a debater a amamentação materna. Brilhante!

momentos que nos marcam

Aproveitando o calor que se fez sentir no fim-de-semana, fui passear até à praia. A meio do passeio parei para relaxar um pouco numa esplanada e comer qualquer coisa. Nesse momento fui abordado por um vendedor da revista Cais. Como é sua missão, tentou vender-me um exemplar da publicação. Respondi que não tinha dinheiro trocado comigo. O simpático senhor diz-me então: e não me paga um hambúrguer? Sem hesitar, levantei-me e levei-o comigo ao balcão. Perguntei o que queria comer, ajudei-o nesse processo pois percebi que não lia bem e pergunto-lhe: o que quer beber? Fiquei espantado com a resposta. Um copo de água, disse-me. Não quer um sumo ou algo do género. Não, um copo de água chega. Dei-lhe o hambúrguer, um prato de batatas fritas e uma garrafa de água. Virou-se para mim e disse. Que Deus o abençoe. A si e à sua família. Não fiz nada de extraordinário mas senti-me a pessoa mais especial do mundo.

13.5.12

momento peça que toca #3


Podia dizer mil e uma coisas sobre esta música. Que anima nos momentos menos positivos. Que faz recuar no tempo. Que faz sonhar. Mas o melhor é mesmo ouvir e sentir. O que sentem quando a ouvem?

com sabor a...

Ainda sou do tempo em que uma cerveja sabia a... cerveja e ponto final. Não sabia a limão, não sabia a outra coisa qualquer e muito menos sabia a... tequila! Se eu quiser limão, bebo uma limonada. Se quiser tequila, bebo tequila.

Este é o meu lado refilão a falar. O meu lado poupadinho diz: boa! Em vez de comprar cerveja e tequila compro só um produto. Assim poupo dinheiro. Quando receber pessoas em casa pergunto: queres cerveja ou tequila? A pessoa escolhe cerveja e eu apresento as duas na mesma garrafa. Mas eu só queria cerveja, diz-me. E eu respondo: bebe só a cerveja e deixa a tequila de parte.

Com sabor a... parece ser a aposta de muitas marcas. Duvido que todas sejam um caso sério de sucesso mas tenho que dar os parabéns a quem se lembra de misturas que têm o poder de me deixar parado no hipermercado enquanto olho para os produtos.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

12.5.12

quarenta... quê?!?

Fui a uma loja, cujo nome não interessa, comprar uma prenda de aniversário. Pela primeira vez ouvi algo que nunca me tinham dito e que me deixou estupefacto.

Boa tarde! É para oferecer.
Ok, vou retirar o preço… Mas não fazemos embrulhos. Temos uns envelopes como este (e mostra-me o referido objecto) que custam 40 cêntimos.

Nota: O envelope que me mostraram é igual aqueles envelopes de papel que todas as lojas (pelo menos aquelas que frequento) oferecem quando se diz que é uma prenda.

Foi a primeira vez que me pediram 40 cêntimos por um embrulho. Preferia ouvir que não fazem embrulhos e que só têm sacos de plástico. Não sei se só sou eu a pensar isto mas acho absurdo que se peça mais dinheiro a quem acabou de consumir numa loja.

good times

Já joguei mais! Já joguei muito melhor. Mas continuo a adorar os minutos passados numa pista de bowling!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

agora é que não consigo dormir

Algo entrou na minha casa, roubando-me horas de sono. Não se trata da chegada de uma criança. A culpa é mesmo de um pequeno objecto redondo com um buraquinho no meio. Chegou-me às mãos o Fifa Street para a PS3 e agora não consigo dormir.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

11.5.12

culpado de ser pobre e poupado (continuação)

Celebram-se amanhã duas semanas que levei o meu menino, leia-se carro, ao médico, leia-se oficina. O Dr., leia-se mecânico, disse-me que o mal do meu menino, que se queixava de ter o sistema anti-poluição do motor defeituoso, era beber champanhe barato, leia-se combustível marca branca. A cura sugerida foi que o meu menino passasse a ser alimentado com Moet & Chandon, leia-se Galp G Force Diesel, pelo menos de tempos a tempos. Assim os fiz, gastando 80 euros na afamada bebida.

Passadas duas semanas, o relatório clínico, leia-se a minha análise dos factos, diz que fiz muitos mais quilómetros do que com champanhe barato. O depósito durou praticamente o dobro do tempo e o carro teve um desempenho superior.

Para quem sofre do mesmo problema, aconselho esta cura que deverá ser feita ocasionalmente ou constantemente, dependendo da paixão que têm pela vossa carteira. Como não tenho ligação a qualquer marca, acrescento que o médico disse que o Moet & Chandon era o topo de gama mas que o champanhe da BP também fazia o efeito.

notícias que nunca o deveriam ser

Bernardo Sassetti morreu aos 41 anos. O pianista caiu de uma falésia no Guincho quando estava a tirar fotografias. Estou sem palavras e em choque com a notícia.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

mulher vs vulgaridade

Na minha humilde opinião, Sofia Vergara é uma das mulheres mais belas do mundo. Diz a actriz que jamais mostra, em público, o decote e as pernas ao mesmo tempo. Ou uma coisa ou outra. Mostrar demasiado é cair na vulgaridade, defende. A Sofia Vergara terá razão? Eu acho que sim.

amizade? o que é isso?

Acho que há uma tendência crescente para ver a amizade como um meio para atingir um fim. Infelizmente isto é a realidade, pelo menos para mim, ao analisar o comportamento de algumas pessoas. A amizade é um dos sentimentos que mais respeito. Quando gosto de um amigo, faço tudo por ele. Acredito no que me diz sem hesitar. Enalteço as suas qualidades e tendo a ver de forma desfocada aquilo que podia ser melhorado. Nos últimos tempos, têm sido estas pessoas que me têm dado as maiores facadas. Pior, ataques pelas costas e de forma cobarde! Será que sou facilmente atacado por estas pessoas por não existirem defesas que me levem a suspeitar das suas intenções? Não sei. Mas a verdade é que existem cada vez mais desilusões ao meu redor. Isto leva-me a questionar: amizade? O que é isso?

10.5.12

ambiente de trabalho

32 graus! Calor intenso! Ausência de vento! Numa palavra, Verão!

o maior erro do mundo

Sol. Quase 30 graus. Um calor abrasador. Eis que chega a hora de almoço. Qual o maior erro que se pode cometer perante estes dados: ir a um rodízio brasileiro. Fui, adorei, errei e agora sofro as consequências.

PS – Este texto foi escrito com a caneta que tenho na boca que suavemente foi batendo nas teclas. Não me consigo mexer. Aiiiiiiiiii...

o vírus da balada

Primeiro estranha-se. Depois entranha-se. E por fim não nos conseguimos livrar delas. Refiro-me às músicas, que independentemente da sua qualidade, que até pode ser duvidosa, não nos saem da cabeça. Primeiro foi o Michel Teló e o seu (que afinal não é seu) Ai Se Te Pego. Vi um jogador brasileiro a festejar um golo fazendo aquela coreografia e dei por mim a cantarolar a música que nem um louco. Passou a ser o meu guilty pleasure. Claro que grande parte destes momentos são vividos em privado, evitando a chacota pública. Sem saber o que me esperava, decidi ver um vídeo onde o mesmo jogador brasileiro festejava um outro golo dançando uma coreografia diferente. Vi o vídeo e fui picado por um insecto que trazia o vírus Tchu Tcha Tcha. Agora, só consigo cantar essa música do João Lucas e Marcelo. Sofro do vírus da balada.

aquele momento #8

Em que acordamos com uma borbulha indesejável na cara e damos por nós a fazer perguntas como: Porquê eu? Se a puberdade já passou porque decidiste aparecer agora? O que posso fazer para ires embora e para que todas as pessoas que falem comigo hoje não olhem para ti?

9.5.12

help! help! help!

Há relações que nunca deviam acabar. Aquela que eu tenho com os meus headphones é exemplo disso mesmo. A verdade é que a nossa relação já viveu melhores dias. Actualmente, só a fita-cola nos mantém unidos, com muita pena minha. Preciso urgentemente de um novos headphones e preciso de ajuda. Quais os melhores tendo em conta a relação qualidade preço? Alguém me ajude!!!

o twitter é um serial killer

Nos últimos dias ouvi várias pessoas lamentarem-se da morte de James Blundt. “Coitado, morreu de ataque cardíaco”, é a expressão mais ouvida. Realmente, esta notícia circulou na net mas poucas pessoas se deram ao trabalho de confirmar se era real. Na verdade, trata-se apenas de mais uma morte desse serial killer chamado twitter. O cantor já ressuscitou através do facebook dizendo que a vida para além da morte é muito parecida com Londres.

não é europa, é europe

Dia da Europa. Celebra-se o 62º aniversário da Declaração Schuman, considerada o início deste projecto europeu. Parabéns e estamos conversados sobre este tema. Isto porque 1950 não me diz nada, ao contrário do dia 19 de Agosto de 1963. Nesse dia nasceu Joey Tempest. Quem? O vocalista da mítica banda Europe. Estes europe é que são dignos de registo e festejos. Hoje ouço falar do Dia da Europa e só me consigo lembrar de Final Countdown, Carrie, fartas cabeleiras a esvoaçar ao som de uma guitarra com vida própria e discos de vinil a tocarem na minha casa.

javi garcía

Cruzo-me frequentemente com muitos jogadores do Benfica. É uma espécie de ritual diário que em muitas ocasiões chega a ser bidiário. Sou homem mas não tenho qualquer vergonha em dizer. Gosto do Javi García. Profissionalmente, gosto da forma como joga, da entrega e do estilo. Pessoalmente, o estilo também me agrada. Veste bem, usa um penteado moderno e os seus acessórios enchem-me as medidas. Ao volante, o critério continua a encantar-me. Para terminar, tem bom gosto no que a mulheres diz respeito pois a sua namorada é muito guapa!

8.5.12

obrigado gala met. afinal tenho estilo

Há dias em que acordo e que não sei o que vestir. Noutros, não me sinto confortável com a indumentária escolhida. E por vezes acho que não tenho estilo nenhum. Felizmente, há bailes de gala como o do Metopolitan Museum of Art, que se realizou em Nova Iorque, que me colocam um sorriso nos lábios e que me fazem acreditar que afinal, tenho muito estilo.

E acho que tenho estilo porque: uso roupa interior, ao contrário de Anja Rubik; não uso as excessivas transparências do Marc Jacobs; utilizo menos cores do que a Kristen Stewart e já abandonei as meias brancas da raqueta há muito; não visto cd´s e espelhos como a Chloe Sevigny; não derreti o ouro da família para fazer roupa como a Bianca Brandolini e porque não ando ao estilo pavão como a Florench Welch. Obrigado a todos. O meu moral subiu uns patamares.

sem reservas

Estive a dar uma vista de olhos no episódio de Sem Reservas, que Anthony Bourdain gravou em Lisboa. Não consegui vê-lo na totalidade nem com a calma e tranquilidade que desejava. Acabei por dedicar-me a uma parte que já me tinham falado. Refiro-me à ida aos fados na companhia de António Lobo Antunes e Carminho. Com fado à mistura, a conversa tinha que acabar em tristeza. Aqui podemos discutir o eterno discurso de que somos uns coitadinhos, uns tristes e que nada nos alegra. Eu discordo disto mas não censuro que defende que os portugueses são realmente assim. O que me deixou pensativo foram duas frases de António Lobo Antunes. “Os mais jovens não têm futuro nem emprego. Vão para a universidade com a esperança de ganhar mil euros ou menos” e “Às vezes questiono-me se Portugal não será aquilo que o mar não quer”. Será mesmo assim?

serei o único a achar isto?

Será que só eu é que acho que a Sara Sampaio vai dar muito que falar no mundo da moda? A manequim, que continua a conquistar o seu espaço, é o rosto e corpo da campanha mundial da Calzedonia e já foi eleita a mulher mais sexy da semana pela GQ do Reino Unido.

flatunews

Até hoje, pensava que as únicas flatulências que davam notícia eram as do presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, que foram tornadas públicas pela sua antiga namorada, Carolina Salgado. Dizia a mesma que o homem nunca estava quieto, soltando gases a toda a hora. Contudo, Pinto da Costa é claramente ultrapassado pelos dinossauros que habitaram o planeta há milhões de anos e cujas flatulências dão uma notícia digna de registo. De acordo com um estudo publicado na Currient Biology, a flatulência dos dinossauros herbívoros pode ter causado o aquecimento do planeta há 150 milhões de anos, durante a era Mesozoica. Segundo o artigo, os saurópodes (grandes dinossauros herbívoros) podiam emitir até 520 milhões de toneladas anuais de metano, um dos gases que provoca o efeito de estufa. Actualmente, as emissões de metano chegam a 500 milhões de toneladas anuais.

como ser o centro das atenções num hipermercado

Quando vou a um hipermercado, há um momento em que tenho os olhos postos em mim, algo que dispensava! Na charcutaria, quando é a minha vez de ser atendido peço o que quero à minha maneira, ou seja à fatia. "Quero x fatias de fiambre", digo. Neste instante, todos olham para mim. Ninguém diz nada mas vejo nos olhares que pensam algo do género: olhó cromo a pedir à fatia em vez de pedir ao peso. Não gosto que me olhem assim e explico o que me leva a pedir desta forma. Detesto estragar comida e sei quantas fatias consumo por semana. Por isso peço apenas essa quantidade. Simples!

Experimentem pedir à fatia e vão ver o que vos acontece!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

7.5.12

os homens e as doenças!

"Homens! Têm uma simples constipação e acham que vão morrer", foi o que ouvi hoje. Como não sou mariquinhas e não resisto a um bom desafio, sobretudo aqueles que questionam a minha força interior, tomei banho, vesti-me e vou fazer as compras que tinha planeado fazer para a casa!

PS - só não vou de manga curta, calções, havaianas, cabelo molhado e de peito feito porque isso seria jogar roleta russa com a minha saúde.

PS2 - não sou mariquinhas, apenas respeito as minhas doenças!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

10.000

Estou constipado. Dói-me a garganta e não tenho vontade de fazer nada. Lá fora chove e o vento sopra como se quisesse levar Portugal para outro sítio do mundo. Aqui dentro, no meu mundo, no meu blogue está sol. Estão 40º graus à sombra e há muita alegria. O motivo? Melhor, os dez mil motivos? Vocês! Que passam por aqui e que fazem de mim um homem muito feliz. Não tenho palavras para agradecer as 10.000 visualizações. Espero que continuem por cá pois para mim é uma honra saber que vocês estão aí desse lado.

a melhor forma de curar uma gripe

É ser criança. Estou fechado em casa com uma constipação que me tirou vontade de fazer o que quer que seja. Contudo, encontrei no Pro Evolution Soccer (online) a cura para a minha gripe. Dou por mim a disputar animados jogos com putos com idade para serem meus filhos e que estão no lado oposto do globo. A posologia diz-me para usar e abusar deste medicamento que me está a recarregar as baterias. Se alguém quiser jogar, é só deixar aqui o ID que eu trato do resto.

haruki murakami

Após a terceira visita, as duas primeiras em trabalho, à Feira do Livro estabeleci um novo objectivo para o meu tempo livre. Ler uma obra de Haruki Murakami. Esta missão está dividida em partes. Ler no menor espaço de tempo. Gostar. E ficar com o hábito de leitura tatuado em mim. Para quem não me conhece, revelo que esta missão é digna de um qualquer James Bond que luta contra o tempo para salvar o mundo. Gosto de ler mas raramente me entrego a um livro que carrego comigo de um lado para o outro e que leio nos tempos livres. Espero que isso mude com a leitura de Em Busca do Carneiro Selvagem.

6.5.12

aqueles a quem roubaram a mãe

O Dia da Mãe é especial. Há emoção, trocam-se sorrisos, beijos e muitos mimos. Isto é o que costumo fazer e foi o que fiz este ano. E num estado de alegria passei pelo clube de vídeo para alugar um filme. A escolha recaiu sobre O Rebelde Salvador, que acaba por estar ligado a este dia. Não é um filme fácil de ver mas Gerard Butler está perfeito na pele de Sam Childers.

Para quem não sabe quem é este senhor, Sam Childers é um antigo motoqueiro e delinquente que dedica a sua vida e recursos a salvar as crianças da zona de guerra do Sudão. O Rebelde Salvador (Machine Gun Preacher) conta a história verídica de um homem, pai de uma menina, que tem como objectivo de vida salvar crianças que deveriam ter uma mãe e um pai, mas que não têm ninguém. Crianças que deviam sonhar como eu sonhei mas que fogem da guerra, algumas delas obrigadas a matarem a própria mãe para salvar a sua vida e a dos irmãos, isto depois de assistirem à morte do pai. A única esperança destas crianças é o “padre branco” que prejudica a sua vida pessoal para salvar crianças desconhecidas.

Neste dia especial, deixo o “apelo” para que conheçam a história de Sam Childers, o pai e mãe de mais de 300 crianças sudanesas.

momento peça que toca #2



Estou viciado na nova música do John Legend. Sou um admirador do trabalho deste brilhante artista e considero que Tonight (Best You Ever Had) é, a par de Ordinary People, o seu melhor tema.

daqui tem este aspecto

A superlua, vista daqui tem um brilho especial.

5.5.12

música e superlua

Já entrevistei o David Bisbal duas vezes. Gostei do rapaz pela humildade e simpatia com que me tratou. Apesar do momento complicado pessoal, vem a Lisboa mostrar um trabalho completamente diferente do que tem feito ao longo da carreira. Vou ao Coliseu e espero gostar do seu concerto acústico. Promete ser daqueles para recordar. Depois, vou observar a superlua… e sonhar!

relaxamento low cost

Para relaxar vale tudo! Há quem vá a um spa. Outros preferem massagens e há aqueles que se entregam aos encantos da música clássica. Apesar de gostar das opções anteriores eu faço algo completamente diferente. Corto o cabelo. Este é o meu momento zen. Gosto imenso da prestação do meu cabeleireiro mas únicas palavras que trocamos são: "olá, tudo bem?", "é o costume?" e "obrigado, até à próxima". O silêncio que separa estas palavras permite-me relaxar e até pago pouco para o fazer!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

4.5.12

algo que uma mulher não pode fazer

Pavonear-se num centro comercial enquanto masca pastilha com a boca aberta. Poderá pensar que é a mais gira e cool do espaço bem como a que tem mais atitude mas na realidade é apenas a mais “chunga” e está a ser observado pelo espectáculo ridículo que está a protagonizar.

coisas que as pessoas não percebem #2

Que não se fica parado a conversar quando se sai de uma escada rolante!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

unconventional chic man

Não sei se tenho os requisitos (se é que eles existem) para ser um unconventional chic man. O que sei é que sou moderadamente louco (se é que isto é possível) por roupa, calçado e acessórios. Assim que o meu computador foi invadido pela nova colecção da Lacoste, apaixonei-me por vários looks que certamente iam ficar muito bem guardados no meu roupeiro.

it's a sad day

Tenho vergonha! Mas não me posso esconder. Quero gritar! Mas não posso fazer barulho. Quero que seja feita justiça! Mas não tenho poder para que tal aconteça! Quero chorar! Mas um homem não chora! Sinto-me preso por um nó que vai do coração ao estômago e por mais voltas que dê não o consigo soltar. Assim começa o meu dia. Resta-me sorrir e pensar que podia ser pior.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

3.5.12

quando se pensa que nada pode ser pior...

Pensava que o pior momento alimentar da minha semana seria o episódio na geladaria ou quando escrevi sobre o Pingo Doce. Consegui surpreender-me e viver algo ainda mais caricato. O que vou relatar aconteceu numa loja Ikea.

Eu – Boa tarde! Aqueles queques folhados são de quê?
Ela – Boa tarde! Boa Pergunta. Também não sei.
Eu – Ok. Então como outra coisa.
Ela – Espere que vou ligar a uma colega minha.
Eu – Deixe estar. Como outra coisa. Não é preciso ter esse trabalho.
Ela – Mas eu também quero saber de que são.

Lá fez o telefonema, que eu julguei ser com a empregada do Ikea formada em queques folhados. Lá chega a tal especialista.

Ela – O que isso está aí a fazer? Isso veio como amostra.
Não sei como são mas vende como pastelaria normal. Amostras?!? WTF??? Pensei eu…
Eu – Deixe estar. Como outra coisa. Nesta altura aparece uma terceira especialista em queques folhados… Elas – Sabes o que é este bolo?
Ela3 – Não. É surpresa…. e sorriram as três.

Lá acabei eu por comer outra coisa, ficando sem saber como era composto o misterioso queque que afinal era uma amostra. Tinha bom aspecto mas não tive coragem de o provar. Sou um mariquinhas!!!

os livros foram excluídos!

Aos poucos vou descobrindo mais detalhes sobre o que se passou nas lojas Pingo Doce.

Fiquei a saber que numa loja em Lisboa (e acredito que tenha ocorrido em várias) quase todas as prateleiras ficaram despidas de artigos excepto uma. Nesta loja, ninguém tocou nos livros. Ficaram intactos e escaparam ao caos que se verificou no restante espaço.

Do meu ponto de vista, há duas maneiras de ver esta questão. A mais simpática é referir que os portugueses não gostam de ler. A mais realista é falar em desespero.

Grande parte das pessoas gastou pouco mais de cem euros. E acredito que a actual situação das pessoas não lhes permita perder tempo com leituras, pelo menos naquele momento desesperante onde provavelmente se gastam os últimos cem euros dos mês em artigos de primeira necessidade e não na última obra do autor de quem tanto se gosta.

Fico triste e pensativo com ambas as situações!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

foodgasm @ Estoril Open

aquele momento #7

Em que me ligam e dizem: "tenho os bilhetes para o concerto que querias ver"

O Estoril Open acaba de ganhar outra dimensão!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

coisas que as pessoas não percebem #1

Que correr é o mesmo que andar de carro, mota ou bicicleta na estrada. O sentido de circulação é igual.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

2.5.12

desilusão em forma de coelha

Já vi as fotos de Rita Pereira para a Playboy e só posso dizer que estou desiludido. Não digo isto por ser um homem que espera ver uma mulher conhecida nua. Escrevo que estou desiludido porque a menina ganhou mais de 25 mil euros para ser capa da Playboy e nem um mamilo mostra. O mais audaz que Rita Pereira consegue ser é ao mostrar o rabo, sempre em lingerie. A Playboy destaca-se pelo nu! Se quero ver produções em lingerie compro a GQ. As fotos são melhores, a produção superior e o resultado final supera este trabalho! Palpita-me que esta revista vai durar pouco tempo até porque o director desta nova (e fraca) versão da Playboy garante que não vão existir nus nas próximas capas. Se assim é, não se aproveitem do nome Playboy!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

não custa nada

Se levo com chuva a trabalhar, porque não hei-de levar em lazer? 'Borá lá correr à chuva.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

sem palavras

Cinco mil motivos para sorrir. Cinco mil motivos para gritar de alegria. Cinco mil motivos para passar o dia a sorrir. Cinco mil motivos para vos querer agradecer a todos. Cinco mil motivos para dizer obrigado. Cinco mil motivos para vos querer agradar cinco mil vezes mais. Obrigado por transformarem um sonho tímido numa realidade inesperada e reconfortante. Não tenho palavras para tantas visitas, para tantos comentários. Estou emocionado. O meu mais sincero obrigado! Espero que fiquem por cá!

pingo doce, o day after!

Não podia passar ao lado do tema Pingo Doce. Em primeiro lugar, devo pertencer ao reduzido número de pessoas que não passou o feriado fechado numa das lojas da marca. Não sou fã deste tipo de iniciativas. E o que me leva a não participar nas mesmas é o facto de acabar por comprar produtos que não me fazem falta nenhuma. Além disso, nestas mega promoções, os supermercados aproveitam para se verem livres dos produtos que não conseguem vender, escoando também aqueles que se aproximam da data de validade permitida para que estejam em exposição nas prateleiras.

Mesmo assim, não condeno minimamente quem participa nestas acções. Certamente que existem pessoas que pouparam dinheiro, sobretudo numa fase complicada a nível financeiro.

Quanto à estratégia do Pingo Doce, só posso dar os parabéns à Jerónimo Martins. Venderam imensos produtos, facturaram milhões de euros e derrotaram a concorrência. Além disso, foram a principal notícia no Dia do Trabalhador quando muitos esperavam que só se falasse de manifestações. E aposto que até gostaram do caos, que acaba por dar um eco ainda maior à iniciativa. Sem o caos, será que esta medida seria notícia? Acredito que não pois o Continente, o Jumbo e muitas outras marcas como é o caso da Fnac, têm iniciativas ligeiramente semelhantes e nunca são referidas nas televisões, rádios ou imprensa escrita. Porquê? Porque ninguém se “esfola” em busca do último artigo.

Já passei por um Pingo Doce e não pude deixar de sorrir ao olhar para o cenário de guerra que se verifica. A diferença é que as balas e misseis deram lugar a iogurtes e pacotes de bolachas, que são recolhidos pelos empregados que se lamentam, em conversas bem audíveis, da hora tardia que saíram, ontem, do trabalho.

a grande preocupação do dia

Portugal está em crise. O mundo atravessa uma grave crise financeira. O Pingo Doce recupera da guerra de ontem. Mas, a grande preocupação do dia é... encontrar alguém que queira jogar futebol em Sintra, das 18h30 às 19h30. Há por aí interessados?

são pedro não gosta de mim (nem do estoril open)

Fui dois dias à Feira do Livro. Choveu duas vezes. Venho para o Estoril Open. Chove como se não houvesse amanhã. Que mal fiz eu para ficar todo ensopado?!?

Molhado ou não, gosto de vir ao evento que mais gozo me dá frequentar enquanto jornalista. Já o vi melhor, espero que não fique pior mas temo que acabe.

Apesar de ser um torneio de ténis, há espaço para tudo. VIP's que só estão cá porque têm um almoço de borla que custa algo como 60 euros. Adeptos da modalidade que fogem da tenda VIP e ainda um vasto leque de meninas que por aqui trabalham, competindo pelo título de saia mais curta e mais centímetros de pernas à mostra.

Há de tudo mas vale a pena visitar!


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

isto acaba este ano?

Um estudo recente revela que 10% da população mundial acredita que o mundo acaba este ano. A julgar pelo aspecto das lojas Pingo Doce, parte desta percentagem deve ser composta por portugueses. Eu faço parte daqueles que não acreditam. Contudo, se estiver do lado errado, peço que me avisem com antecedência pois tenho coisas para acabar e deixar feitas.


Enviado do meu BlackBerry® da tmn

1.5.12

the avengers

Já vi (e aconselho que o façam) este filme onde a sensualidade de Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/Black Widow) se mistura na perfeição com a sensibilidade de camião TIR de Mark Ruffalo (Bruce Banner/The Hulk), com os longos cabelos loiros e a voz grossa de Chris Hemsworth (Thor), com o “jogo duplo” de Jeremy Renner (Clint Barton/Hawkeye), com o melhor fato de super-herói de Chris Evans (Steve Rogers/Captain America) e com o excelente humor de Robert Downey Jr. (Tony Stark/Iron Man). Para os fãs de How I Met Your Mother, há um novo lado de Cobie Smulders (Agent Maria Hill), a eterna jornalista da divertida série. A não perder!

culpado de ser pobre e poupado

Levei o meu carro ao médico, leia-se oficina. Expliquei que o meu menino, leia-se carro, tinha dores no sistema anti-poluição do motor. O médico, leia-se mecânico, perguntou-me que champanhe, leia-se combustível, é que eu dava ao meu menino. Sem qualquer vergonha, disse que optava pelo mais barato do mercado. Para meu espanto, o médico disse que o motivo da doença era esse mesmo. Fiquei a saber que o meu menino é fino e que precisa de beber Moet & Chandon, leia-se Diesel Galp G Force, nem que seja de tempos a tempos. Levei-o ao Gambrinus mais próximo, leia-se Galp, e dei-lhe 80 euros de Moet & Chandon. Assim que matou a sede, o aviso da avaria no sistema desapareceu. O tratamento foi caro mas acabou bem e isso é que importa.